Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Futebol e fascistas: uma relação antiga na Iugoslávia

03 de outubro de 2007 4

A relação entre membros de grupos de extrema-direita e futebol não é nova. Entre os anos 70 e 90, se organizaram grupos violentos de torcedores, e grande parte deles tinha base ideológica racista e xenófoba. Na antiga Iugoslávia, um incidente de grandes porporções foi gerado por grupos fascistas em um clássico local de 1990. Com direito a envolvimento célebre do craque croata Zvonimir Boban no incidente.

Na então unificada Iugoslávia, a violência imperava essencialmente por motivos étnicos, sobretudo entre croatas e sérvios, e isto se intensificou a partir de 1990, após a morte do ditador Josef Tito.

Nos dois lados, grupos fascistas de extrema-direita causavam violentos embates entre torcedores. O líder paramilitar Željko Ražnatovic (conhecido como o genocida Arkan) era líder de torcida. Já o ex-ditador Slobodan Milosevic bancava e acobertava as organizadas do Estrela Vermelha. Líderes croatas de direita comandavam os torcedores violentos do Dínamo de Zagreb, enquanto até mesmo na multirracial (e menos poderosa no futebol) Bósnia-Herzegovina existiam torcedores vinculados a grupos fascistas.

Em 13 de maio de 1990, antes de um clássico entre o sérvio Estrela Vermelha e o croata Dínamo Zagreb em Zagreb, torcedores sérvios foram para cima dos croatas. Sob o olhar complacente da polícia sérvia, os croatas foram massacrados. Os jogadores voltaram para os vestiários, exceto uma parte dos atletas do Dínamo. Um deles era o astro Boban, titular da Seleção Iugoslava.

Ao ver um torcedor ser pisoteado no gramado por um policial sérvio, Boban desferiu um soco que desmaiou o oficial. Ele foi preso e condenado a seis meses de prisão, mas nunca cumpriu a pena. Depois disto, o meia se tornou uma lenda na Croácia e inimigo público na Sérvia, se mudando para a Itália. Ele prosseguiu sua carreira com muito brilho pelo Milan.

Vejam as imagens do histórico confronto. A polícia chegou com reforços e quase duas horas depois o incidente foi controlado.

O jogo? Obviamente não aconteceu…


Vejam  quem liderou a briga: Arkan e sua base de torcedores radicais, xenófobos e violentos. Nos anos seguintes, este grupo se tornou a mais homicida milícia paramilitar da Guerra da Iugoslávia: os Arkan’s Tigers, que assolou os Bálcãs nos anos 90. A milícia recrutava os mais violentos torcedores do Estrela Vermelha para suas fileiras, dava treinamento militar e ideológico.

Arkan foi acusado de diversos crimes contra a humanidade, em particular na região de Vukovar, incluindo um massacre de centenas de prisioneiros croata de um hospital.

Željko Ražnatović (Arkan) – Líder dos Arkan’s Tigers

Ele foi assassinado no ano de 2000 no hall de entrada de um hotel de luxo em Belgrado.

Um fim merecido para um dos mais sanguinários homens de nossa época.

Já o igualmente homicida Slobodan Milosevic morreu de infarto enquanto era julgado por Crimes contra Humanidade no Tribunal Internacional de Haia, em 2006.

VEJA TAMBÉM:

SÉRIE ESPECIAL DO ALMANAQUE ESPORTIVO SOBRE O FASCISMO NO FUTEBOL:

- Iugoslávia: Futebol e fascistas: uma relação antiga na Iugoslávia

- Inglaterra: Os ingleses e os grupos fascistas no futebol

- Itália: Ultras: uma tradição italiana de violência

Comentários (4)

  • Everton Alexandre Krause diz: 4 de outubro de 2007

    Somente para retificar.Tito morreu nao em 1990, mas em 4 de maio de 1980. Essas brigas entre croatas, servios e outras etnias foi a consequencia da criacao da Yugoslavia em 1918(entre diferentes paises)Ideia de quem?
    Estados Unidos, Franca e Gra Bretanha, de novo eles? Sempre metendo o nariz…

  • Felipe Portes diz: 11 de julho de 2013

    Boa, Perin. Falar sobre a relação do Arkan com o futebol sérvio é sempre interessante. Nem vou cair na chatice de comentaristas de dizer que “tu não comentou isso ou aquilo”, haha. O que eu poderia acrescentar é que muita gente não sabe que o Arkan era forte opositor do Milosevic. E ele já tinha fama de assaltante de bancos, “hitman” do serviço secreto iugoslavo antes de efetivamente liderar a torcida do Estrela Vermelha e criar os Arkan Tigers.

Envie seu Comentário