Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2007

Eliminatórias da Euro`2008: rescaldo

23 de novembro de 2007 2

Com o término das Eliminatórias para a Eurocopa de 2008, a ser disputada na Áustria e Suíça, foram definidos os outros 14 times que se juntarão aos anfitriões da segunda mais importante competição de seleções do planeta, só perdendo para a Copa do Mundo. Desta vez não teremos nenhum estreante e apenas uma grande zebra, pois a favorita Inglaterra acabou eliminada perante as tradicionais forças da Croácia e Rússia.

Os ingleses terminaram atrás de russos e croatas e com o mesmo número de pontos de Israel, que mais uma vez caiu em um grupo complicado e surpreendeu (nas Eliminatórias para o Mundial de 2006, Israel quase tirou a França e terminou invicto ao lado de Irlanda e Suíça).

A atual campeã européia Grécia se classificou facilmente em um grupo complicado, com a arquirrival Turquia, Noruega e Bósnia. Os turcos também se garantiram. Já Alemanha e República Tcheca passearam sobre Irlanda, País de Gales e Eslováquia. Holanda e Romênia confirmaram o favoritismo e se classificaram com duas rodadas de antecipação, com a Bulgária caindo nos confrontos diretos.

A campeã do mundo Itália começou mal empatando em casa com a Lituânia e perdendo para a França, mas reagiu e se classificou bem. A vice-campeã França, no mesmo grupo, perdeu duas vezes para os bravos escoceses e ficou muito perto de ser eliminada, mas uma inesperada derrota da Escócia perante a fraca Geórgia acabou garantindo a vaga dos %22Les Bleus%22. No mesmo grupo, a Ucrânia foi uma decepção total, ficando muito longe da vaga.

Um grupo enroscado foi o da Espanha. Os espanhóis reagiram depois de começar muito mal, chegando a ficar em quarto lugar após uma histórica derrota de 3×2 para a Irlanda do Norte em Belfast. Os norte-irlandeses, que chegaram a ficar 11 jogos sem fazer um mísero gol recentemente, engrossaram a vida de todo mundo e por pouco não se classificaram. A Dinamarca foi muito mal, cabendo à Suécia o honroso segundo lugar e a vaga para a Euro.

E Portugal, de Felipão? Em um grupo muito difícil, os portugueses ficaram atrás da Polônia e lutaram muito contra Sérvia e a surpreendente Finlândia. A vaga só foi obtida na última rodada, em um suado 0×0 contra os finlandeses treinados pelo veterano técnico britânico Roy Hodgson.

Curiosidades:

- Pela primeira vez desde a Eurocopa de 1984, não teremos nenhum time britânico em uma competição majoritária de seleções.

- Teremos ainda sete seleções do %22Leste Europeu%22, um recorde.

- Van Nistelrooy, Rooney, Ibrahimovic? Que nada! O artilheiro das Eliminatórias foi David Healy, da inexpressiva Irlanda do Norte, que marcou impressionantes 13 gols. Healy foi o principal destaque dos norte-irlandeses na surpreendente campanha que quase classificou sua equipe, e chegou a marcar três gols em um só jogo contra a Espanha.

- Healy ainda se tornou o maior artilheiro de Eliminatórias da Eurocopa em todos os tempos, superando a marca anterior de 12 gols do croata Davor Suker, em 2000.

Classificados: Áustria (anfitriã), Suíça (anfitriã), Alemanha, Croácia, Espanha, França, Grécia (atual campeã), Holanda, Itália, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Rússia, Suécia e Turquia.

Postado por Alexandre Perin

Frase de ontem nas Eliminatórias

22 de novembro de 2007 0

Precisamos que ANDORRA nos faça um favor”  – Ian Wright, ex-craque inglês, comentando no intervalo para a TV inglesa a ‘provável’ possibilidade da ridícula Andorra empatar com a Rússia e classificar a Inglaterra mesmo perdendo para a Croácia.

A Inglaterra perdia então por 2×0, empatou mas levou 3×2 no final. A Rússia venceu por 1×0 a seleção número 165º no ranking da FIFA e eliminou os ingleses da Eurocopa 2008.

Postado por Alexandre Perin

O fiasco da Inglaterra: os erros de Steven McClaren nas Eliminatórias da Euro'2008

22 de novembro de 2007 0

Quando Steve McClaren foi indicado como sucessor do multicampeão Sven Goram Eriksson como novo técnico da Seleção Inglesa eu, um fã ardoroso do futebol britânico, comentei com amigos: vai dar caca… Afinal, o ex-assistente técnico de Sir Alex Ferguson no Manchester United  tinha como maiores conquistas ser finalista da Copa da Inglaterra e da Copa da UEFA pelo modesto Middlesbrough. Ficou famoso por fazer uma limonada de limões azedos medianos, mas nunca tinha comandado uma equipe repleta de estrelas, sob intensa pressão da exigente imprensa inglesa.

Deu no que deu: a Inglaterra está fora da Eurocopa de 2008 após a proeza histórica de empatar em 0×0 com a Macedônia em casa, perder uma vez para a Rússia e ser derrotado duas vezes para a Croácia, a última ontem quando só precisava empatar em casa.

Russos e croatas comemoram a vaga para a Euro%272008, enquanto a Inglaterra verá uma competição importante pela TV pela primeira vez desde 1994, quando foi eliminada da Copa do Mundo nas Eliminatórias pela Noruega. McClaren, é claro, foi demitido sumariamente hoje e José Mourinho e Fabio Capello são os nomes mais cogitados.

Ontem, um frangaço do goleiro Scott Carson iniciou o desastre em Wembley, aceitando um chute de longe de Niko Kranjicar. Carson, em seu primeiro jogo oficial pela Seleção Inglesa, foi escolhido de última hora para surpresa de todos. O antigo titular, Paul Robinson, sofreu muitas críticas após um frango incrível no jogo de ida em Zagreb, na derrota de 2×0 para a mesma Croácia. Porém justamente agora Robinson estava recuperando a antiga forma, mas foi inexplicavelmente barrado por McClaren.

Vejam a falha de Robinson no vídeo abaixo:

Agora olhem o erro de Carson ontem:

Outro erro do agora ex-treinador da Inglaterra foi simplesmente banir David Beckham da Seleção após a Copa de 2006, mesmo com o antigo capitão tendo atuações memoráveis em sua última temporada no Real Madrid. E justo agora, quando Beckham faz uma aposentadoria milionária ‘jogando’ nos Estados Unidos em jogos amistosos ou de exibição, McClaren ‘pede penico’ e reconvoca Becks.

Ele foi o responsável pela reação inglesa ontem, entrando no intervalo quando a Inglaterra levava 2×0. Bateu a falta que originou o gol de pênalti, cobrado por Frank Lampard (em mais uma atuação vergonhosa pelo ‘English Team’), e deu um cruzamento perfeito para o gol de empate de Peter Crouch. Porém outro chute de longe, de Mladen Petric, aproveitando outra bobeira de Carson, culminou na derrota de 3×2, a eliminação e o fiasco dos criadores do futebol moderno.

Postado por Alexandre Perin

Quando um dependeu do outro...

21 de novembro de 2007 0

Muito se tem falado da possibilidade do Grêmio depender dos resultados do Internacional para, sendo beneficiado, conseguir a classificação para a Taça Libertadores 2008. Faltando três rodadas, o Colorado enfrentaria em casa dois rivais do Tricolor: Cruzeiro e Palmeiras.

O Inter já bateu o Cruzeiro por 1×0, e agora enfrenta no final de semana o Palmeiras no Beira-Rio. Uma nova vitória colorada é vital para as pretensões tricolores de ainda chegar à Taça Libertadores.

Desde que o Campeonato Brasileiro começou, em 1971, aconteceram apenas outras duas ocasiões que um time da Dupla Gre-Nal dependeu do resultado do rival.

A primeira vez foi em 1996. Uma vitória do Grêmio sobre o Goiás em pleno Olímpico praticamente classificava o Internacional para a fase final daquele Brasileirão. Porém o Grêmio levou 3×1 e cada gol do Goiás foi comemorado nas arquibancadas. Até o placar eletrônico do Olímpico entrou na onda e escreveu %22Eles estão fora%22.

Sem o rival na disputa, o Grêmio passou pelo Palmeiras, acabou facilmente vencendo o próprio Goiás nas semifinais e conquistou o título na dramática vitória sobre a Portuguesa, na decisão.

Em 1997, a disputa era pela luta contra o rebaixamento. Desta vez o Grêmio dependia de uma vitória do Internacional, no Beira-Rio, sobre o Bragantino para facilitar sua fuga do rebaixamento.

No mesmo horário, o Juventude pegava o Bahia em Salvador, o Cruzeiro pegava o Santos na Vila e o Grêmio enfrentava o Fluminense no estádio do Olaria. Também ameaçados, Goiás e Corinthians se enfrentavam no Serra Dourada, enquanto o Guarani pegava o Vasco.

Em certo instante da rodada, a situação do Grêmio se complicou e o único resultado favorável era a vitória do Internacional. Não tomando conhecimento da %22ajuda%22 ao rival, o Colorado enfiou humilhantes 7×0 no Bragantino, curiosamente algoz do ano anterior. Porém no final, todos felizes, o Inter e o Bragantino que comemorou escapar do rebaixamento graças ao empate do Bahia e do Criciúma.

Postado por Alexandre Perin

O aproveitamento ruim fora de casa vem de longe

13 de novembro de 2007 3

Que a campanha do Grêmio como visitante é ruim em 2007, todos sabemos. Em jogos do Brasileirão e Libertadores, o Grêmio já atuou 25 vezes na temporada. São somente 5 vitórias (e apenas 3 delas fora do Rio Grande do Sul) e inaceitáveis 17 derrotas, totalizando somente 24% de aproveitamento.

Porém este problema não é de hoje. Ao longo da trajetória de Mano Menezes como treinador do Grêmio (que, inclusive, começou em um 2×1 para o Gama em Brasília na Série B 2005), os resultados como visitante não são bons.

Em 2005, na Segunda Divisão, o Grêmio teve alguns empates contra times inexpressivos ou muito ruins como CRB, União Barbarense, Caxias e o célebre 4×0 da Anapolina, que quase derrubou Mano Menezes. Mas no geral, o Grêmio foi bem: 58,3% de aproveitamento como visitante na Série B.

Já em 2006, na Primeira Divisão, o aproveitamento foi superior ao de 2007, mas também não foi muito bom: 7 vitórias, 4 empates e 8 derrotas, algumas difíceis de engolir como a da última rodada contra o rebaixado Fortaleza, que custou o vice-campeonato. Apenas 43,85% de aproveitamento.

As explicações? Várias, mas a principal delas é, para mim, a excessiva postura defensiva quando joga fora do Olímpico. O Grêmio se retrai tanto, que o adversário, seja ele bom ou limitado, acaba fazendo pressão e marcando um gol.

Postado por Alexandre Perin

Mais dois de falta

13 de novembro de 2007 1

Geniais outros dois lances de falta abaixo. Um eu vi há algum tempo, em um jogo do Campeonato Inglês de 1970. O jogo era Coventry e Everton e Willie Carr levantou a bola para que Ernie Hunt desferisse um belo voleio. O gol valeu, mas a Federação Inglesa mudou a regra e proibiu o tipo de jogada, que hoje não valeria por ser %22dois toques%22.

Vejam o vídeo:



Diferentemente deste lance, o gol abaixo valeu e não houve discussão. O grande meia Matthiew Le Tissier, até hoje o único meia a marcar mais de 100 gols na Premier League (e olha que ele só jogou pelo pavoroso Southampton por 16 longos anos), fez este golaço contra o Wimbledon em 1994. Vejam o lance:



Le Tissier, que muitos culpam Terry Venables por não convocá-lo e causar a eliminação da Inglaterra nas Eliminatórias para a Copa de 1994, sempre foi um meia muito talentoso e que sofreu com lesões e com a ruindade do resto do time.

Seu último jogo como profissional foi quando o Southampton, já rebaixado, pegou o Arsenal no último jogo disputado no antigo The Dell. Para coroar uma carreira gloriosa, Le Tissier fez um golaço de voleio no finalzinho, garantindo uma vitória de 3×2 e uma despedida honrosa deste grande atleta inglês.

Postado por Alexandre Perin

Jogadas ensaiadas

12 de novembro de 2007 0

Quem se apavora toda a semana com o péssimo aproveitamento em jogadas ensaiadas de falta da dupla Gre-Nal, pode se emocionar com os lances abaixo…

Jogadas ensaiadas de falta fantásticas, realmente impressionantes, ao redor do planeta, inclusive em jogos de Copa do Mundo (imagens da Copa de 54, 66, 82, 94 e 2002). Este vídeo foi enviado pelo meu amigo Marcel Souza (tinha esquecido de citá-lo).

Vejam o vídeo abaixo:

Postado por Alexandre Perin

Grêmio busca outro "Morumbaço"

11 de novembro de 2007 0

Neste final de semana, o Grêmio tenta manter vivo a esperança de conquistar uma vaga na Libertadores 2008. O adversário? O todo poderoso São Paulo, atual bicampeão brasileiro e time que mais títulos conquistou nesta década, em pleno Morumbi.

Porém o Grêmio,mesmo vivendo o pior momento da temporada e com um péssimo retrospecto fora de casa desde que começou o ano (16 derrotas em 24 jogos como visitante na Libertadores e Brasileirão), pode se inspirar em uma lembrança gloriosa: 1981.

Em um jogo que ficou apelidado de %22Morumbaço%22, o Tricolor gaúcho conquistou seu primeiro título brasileiro ao bater o São Paulo, em plena capital paulista, por 1×0. Assim, o Tricolor também se classificava para disputar sua primeira Taça Libertadores da América.

Naquela ocasião, em um time que despontavam jogadores como De León, Leão, Tarcísio, Paulo Roberto, foi um artilheiro que havia fracassado no futebol espanhol o autor do gol do título.

Baltazar de Deus marcou o único gol da finalíssima daquele time treinado pelo saudoso mestre Ênio Andrade, um dos maiores gênios estrategistas da história do futebol brasileiro.

Naquela ocasião, o Grêmio iniciou a tradição de conquistar seus principais títulos fora de casa. Isto se repetiu nas Copas do Brasil de 1997 (Rio) e 2001 (São Paulo), e ainda na Libertadores de 1995 (Colômbia).

Revejam abaixo imagens do Globo Esporte do dia seguinte da histórica vitória gremista:

Postado por Alexandre Perin

"O Gol Iluminado"

10 de novembro de 2007 0

Neste sábado, o Internacional recebe o Cruzeiro, um dos clássicos do Campeonato Brasileiro em todos os tempos. O Colorado, de campanha muito irregular na temporada e ainda namorando a zona de rebaixamento, busca a tranquilidade contra um velho rival. Pois foi justamente contra o time mineiro que o Colorado conquistou seu primeiro título brasileiro, há 32 anos. 

Foi em 1975 que, na goleira do placar, Figueroa subiu sozinho para cabecear falta cavada e cobrada por Valdomiro da direita. Bem aonde estava o capitão colorado, um raio de sol iluminando aquela tarde nublada e selando para sempre a imagem daquela conquista: %22O Gol Iluminado%22.

De um lado, a melhor campanha da competição e um time repleto de craques: Falcão, Manga, Figueroa, Carpegianni, Flávio, Lula e Valdomiro. De outro, a segunda melhor campanha da competição e igualmente entupido de craques: Piazza, Raul, Nelinho, Palhinha e Joãozinho.

O resto do jogo se resumiu a um duelo fantástico entre o lateral-direito Nelinho, do Cruzeiro, e o goleiro Manga, do Internacional.

Vejam o compacto desta partida:

Postado por Alexandre Perin

Inacreditável - Jogada impressionante no futebol norte-americano universitário!

02 de novembro de 2007 2

Quando este blog começou, mostrei aqui uma jogada chamada de The Play (wikipedia), conhecida como a maior jogada de futebol americano em todos os tempos. Vejam o post abaixo e relembrem da história e do lance.

“The Play” – A melhor jogada de futebol americano em todos os tempos

Pois bem, no último domingo, um lance praticamente idêntico se repetiu na decisão da terceira divisão de futebol americano universitário (NCAA Division III). A Trinity University of San Antonio (Trinity Tigers), perdia fora de casa para a Paul Millsap (Millsap Majors). Faltavam somente dois segundos, a bola estava com os Tigers e o placar era 24 a 22.

Estava muito longe para um field goal. Em resumo, era correr 70 jardas e fazer o touchdown, ou então perder o jogo e o título. Então, o Mississipi Miracle, como a jogada já está sendo chamada, aconteceu.

Em uma inacreditável sequência de um passe longo e QUINZE passes laterais ou para trás, os Tigers conseguiram arranjar uma brecha na defesa dos Majors e conquistaram um touchdown!

Impressionante a sequência de jogadas, o desespero dos Majors sem conseguir derrubar ninguém e a capacidade dos Tigers de manter a bola em jogo, mesmo em um lance praticamente perdido em alguns instantes.

Vale a pena ver o vídeo, a empolgação do narrador e o desespero dos atletas dos Majors e da torcida da casa, que não parece acreditar no que está vendo.

De fato um milagre aconteceu: