Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 15 dezembro 2007

Retrospectiva Inter 2007, parte II: Brasileirão

15 de dezembro de 2007 0

Ao contrário do Grêmio, que teve dois Brasileirões distintos, acredito que o Internacional tenha tido três competições diferentes. Uma com o Gallo, outra com Abel e sem resultados e muitos desfalques, e a terceira com Abel e muitos desfalques.

Porém, de qualquer maneira o Campeonato Brasileiro de 2007 do Internacional foi muito abaixo da expectativa. Pela primeira vez em 5 anos de pontos corridos, o clube ficou atrás do Grêmio e também foi a pior colocação final neste mesmo período: 11º lugar. A melhor classificação do Inter durante o Brasileiro foi apenas o 5º lugar e nenhum jogador colorado se sobressaiu individualmente na competição.

O Brasileirão começou para o Inter já sob pressão: 7º no Gauchão, eliminado na Libertadores, o Colorado trocava o campeão do mundo Abel Braga pelo novato técnico Alexandre Gallo, campeão pernambucano no Sport. Reforços para o time? Apenas Marcão (Atlético-PR), e os desconhecidos Magal, Adriano, Luciano Henrique, Jonas, Mineiro e Douglão.

Nada empolgante. O início foi ainda pior: o time começou perdendo os três primeiros jogos, incluindo uma goleada de 3×0 contra os reservas do Flu. Perdeu ainda o primeiro jogo da Recopa (que iremos falar depois), e começou na lanterna. Se recuperou aos poucos, porém sempre com muitas mexidas no esquema e no time, e opções técnicas (Magal, Maycon) no mínimo questionáveis.

Para completar, Gallo barrou sem explicações Clemer e Rubens Cardoso, administrou mal o relacionamento com o sempre reclamão Christian e azedou o clima com a torcida. Sua única boa sequência foram três vitórias seguidas, incluindo um retumbante 5×1 no Sport em Recife.

Mas outros resultados péssimos, somados à total falta de sintonia com a torcida e falta de convicções em suas declarações custaram seu cargo na 18º rodada. Ah, e já sem Alexandre Pato (vendido ao Milan por US$ 20 milhões). E quem foi o novo técnico?

Que novo nada, dê-lhe Abelão de volta! 104 dias após deixar o Inter, ele voltou nos braços da torcida. Porém Abel não começou bem, apesar de uma vitória de 1×0 no primeiro jogo contra o Goiás, o Inter não engrenou. Alternava alguns bons e maus resultados.

Reforços de talento chegaram, como o pulmão argentino Giñazu, o ótimo volante Magrão, o atacante Gil e o zagueiro uruguaio Sorondo. Lesões no time titular e alguns tropeços inexplicáveis deixavam a torcida irritada.

Partidas como o 1×1 contra o Náutico em Recife com um jogador a mais e perdendo um pênalti (com o batedor oficial Alex deixando para Christian bater e errar) quando estava 1×0 ou a derrota no Gre-Nal jogando muito mal. E ainda levar gol de empate do Corinthians aos 41 do 2º tempo, e mais dois gols do Atlético-MG nos últimos 5 minutos depois de estar vencendo por 2×0 mostravam que o time em nada evoluíra.

Então algo aconteceu, curiosamente na derrota para o São Paulo. Ali o Inter 2008 surgiu. Em um jogo que foi claramente prejudicado pela arbitragem, mesmo com desfalques merecia ter vencido o líder. Alguns jogos ruins ainda se seguiram, como a derrota para o Paraná e o pavoroso empate contra o Sport no Beira-Rio, mas havia algo diferente no time.

Mais um reforço estreou: Nilmar jogou contra o Vasco e deu show, na vitória colorada de 2×1. O Inter venceria três jogos seguidos e perderia na última rodada, em um jogo desinteressado contra o Goiás em Goiânia (azar do Corinthians). Em resumo, o 11º lugar foi a síntese do decepcionante ano do Inter, um time muito melhor que mostrou ser no ano.

RECOPA SUL-AMERICANA:

O auge da temporada. Por ser campeão da Libertadores, o Internacional disputou o título da Recopa Sul-Americana contra o mexicano Pachuca, campeã

Postado por Alexandre Perin