Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Relatório Taylor: como mudar o futebol de um país

29 de fevereiro de 2008 3

O Relatório Taylor, escrito pelo Lord de Gosforth Peter Taylor sobre a tragédia de Hillsborough, quando morreram 95 torcedores do Liverpool esmagados em um jogo da Copa da Inglaterra contra o Nottingham Forest em Sheffield, deveria ser livro de cabeceira de todo regulamentador do esporte e dirigente de futebol brasileiro.

Ele promoveu profunda reformulação em todo o futebol inglês, envolvido em três décadas de violência institucional e de tragédias isoladas. Que, em menos de dez anos, migrou para um nível elevado de organização, rentabilidade financeira e espetáculos de puro entretenimento.

A melhor simplificação do que foi o Relatório Taylor eu vi no Blog Paz no Esporte, do Marco Aurélio Klein:

“15/12/2007
Muito falado no Brasil e pouco conhecido na prática, o Relatório Taylor, de autoria do inglês, Peter Taylor, juiz de primeiríssima importância nas cortes inglesas, falecido em 1996 (…) O trabalho realizado pelo juiz Taylor – responsável pelo inquérito sobre uma das mais emblemáticas tragédias da história do futebol (The Hillsborough Stadium Disaster Inquiry Final Report, conhecido mundialmente como Taylor Report), em 1989, a mim sempre pareceu o marco divisor quando se fala de prevenção da violência, segurança e conforto dos torcedores.

O juiz Taylor entendeu claramente o quanto era fundamental melhorar o todo do espetáculo futebol. Isto significando, a organização, a qualidade da infraestrutura, os processos de segurança, bem como a importância de relacionar as práticas mais importantes com uma legislação adequada, que responsabilizasse clubes, entidades da administração esportiva, autoridades locais, responsáveis pela segurança e ordem pública, bem como torcedores.

Seu trabalho, de estonteante simplicidade – difícil de imitar, mais do que a fonte que merece este tributo, é uma lição muito especial, a mais difícil porque prática, de como examinar um tema de maneira profunda, nunca permitindo que isto o afastasse do seu mais nobre objetivo: a proteção do verdadeiro torcedor”

A modificação de pocilgas literalmente centenárias como o Valley Parade, que causaram tragédias como um incêndio no jogo Bradford City x Lincoln City em 1985. Na ocasião, 56 torcedores morreram queimados em um incêndio que se propagou na madeira e no lixo acumulado dentro do estádio, que teve 1/4 de sua área incendiada em menos de sete minutos, conforme podemos ver no vídeo abaixo:

Hoje estádios monumentais, que geram rios de dinheiro e absolutamente magníficos como o Emirates Stadium, e novos projetos em andamento (estádios novos para os dois times de Liverpool). O Manchester United tem mantido uma média ‘modesta’ de… 75 mil torcedores por jogo.

Vídeo do novo estádio do Arsenal, o Emirates Stadium para 60 mil torcedores em Londres:

Leiam um resumo do Relatório Taylor, apresentado em 1990 e que mudou a cultura mundial para o futebol como entretenimento e negócio.

A íntegra pode ser obtida aqui – Taylor Final Report – 1990

Vale refletir.

Comentários (3)

  • Luís Felipe diz: 24 de março de 2008

    já conhecia a história do desastre de Bradford, mas nunca imaginava este vídeo. É uma das coisas mais impressionantes que eu já vi.

  • Rafael diz: 1 de março de 2008

    Carnificina, morte e desastres chamao mais atençao!

    dalhe imprença de porta de DP!

  • toniColorado diz: 29 de fevereiro de 2008

    Olá. Vi no site globo.com uma reportagem falando sobre cantos de torcidas. E fizeram uma coisa inacreditavel.. um cara falando que ele que invento a musica inspirada no tema da vitória do ayrton senna que o flamengo canta. Mas na verdade essa música foi inventada pela torcida do inter! No site da popular eu vi até quando o pessoal invento e começou a divulgar. O próprio presidente do flamengo no ano passado disse que viu a torcida do inter cantando e pediu para fazer uma versão para o flamengo!

Envie seu Comentário