Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Avaí x Figueira: a visão de um observador neutro

03 de março de 2008 14

Antes de mais nada, ressalto que moro no Rio Grande do Sul e acompanho à distância o futebol catarinense. Posso afirmar, com isenção total, que não tenho nenhum pré-conceito com relação a nada no futebol catarinense. Há anos observo a organização e o bom futebol do Figueirense com relação à decadência técnica e organizacional do Avaí, os dois maiores e vencedores clubes do estado.

Avaí: o caos absoluto

Atualmente o Figueirense tem 14 títulos, contra 13 do Avaí (Editado: corrigi os dados, estavam errados no RSSSF). A diferença é a distribuição das conquistas ao longos dos últimos 20 anos. Desde o último título estadual do Avaí em 1997 no time que tinha o centroavante André Jacaré, o time da Ressacada só afundou. Só foi vice-campeão em 1999, e amarga apenas três títulos estaduais em 25 anos: 1975, 1988 e 1997.

Na Série B, o Avaí  bateu na trave da ascensão à Série A duas vezes, ambas de forma dramática: em 2001 e 2004. Em 2001, um empate em 2×2 com o arquirrival Figueirense na penúltima rodada do quadrangular final deixou a situação difícil. No jogo derradeiro, o time não suportou a pressão do alçapão da Curuzu e levou 4×0 do Paysandu em Belém.

Já em 2004 a vaga foi perdida no saldo de gols ao levar um gol do Fortaleza (lembro bem, cabeçada do zagueiro tricolor Ronaldo Angelim quase no final da partida), perdendo por dois gols de diferença e dando adeus ao sonho da Primeira Divisão.

Em sérias dificuldades financeiras, o time foi mal nas últimas duas Série B e escapou por pouco do rebaixamento para a inglória Terceirona. Este ano no estadual, ficou muito perto de garantir o título do Primeiro Turno, mas um jogo desastrado em casa contra a Chapecoense na quarta retrasada, e outro contra o rival Criciúma no domingo deixou como resultado o título para o… Figueirense! Apenas a repetição do que tem acontecido nos últimos anos, para desespero da torcida do Avaí.

Figueirense: do ocaso à redenção

O Figueirense não mudou muito entre 1974 e 2001, período no qual conquistou somente dois títulos e passou por sérias crises financeiras. Sem opções, no início desta década a diretoria alvinegra terceirizou o futebol e entregou a decisão do negócio a uma empresa terceira, comandada por empresários de futebol. Seu primeiro gestor foi o ex-jornalista Oswaldo Paschoal, que fez carreira na Rede Bandeirantes.

O que diferenciou esta iniciativa das outras que foram executadas em todo o Brasil foram dois aspectos, no meu ponto de vista. O primeiro que o Figueirense é o clube de maior torcida dentre todos que implantaram este modelo (o segundo é o Paraná Clube). E o segundo: o clube passou a investir fortemente em infra-estrutura, criando campos de treinamento e investindo nas categorias de base.

Aos poucos o time do continente foi revelando e negociando jogadores jovens para o futebol europeu. Com forte ascendência italiana e alemã, o futebol catarinense tem muitos jogadores com duplo passaporte, o que facilitou as negociações para o exterior. Em especial o lateral-esquerdo Filipe, hoje no Deportivo La Coruña, foi vendido ao Real Madrid B. As médias de público são muito boas no Orlando Scarpelli, que foi aos poucos sendo reformado.

Dentro de campo, o clube seguiu uma linha contínua de trabalho e obteve bons resultados. Em 2001, retornou à Primeira Divisão do Brasileiro e passou a empilhar títulos estaduais (foram quatro em seis anos e o time já está na final do Catarinense 2008(EDITADO:

Postado por Alexandre Perin

Comentários (14)

  • Bruno Feltrin Reichert diz: 3 de março de 2008

    Seguinte gaúcho, vens pra ca comentar do futebol da ilha enquanto akela torcida de voces enrraba um no outro.
    Figueirense ELIMINOU????? o botafogo???
    SEU CARA DE PAU!
    Fluminense CHEIO DE ESTRELAAAASSSS??? vai toma teu remédio querido nao vais querer me convencer que somália, Carlos Alberto e meia duzia de abobado do Rio de Janeiro eh time cheio de estrela….
    Eu sou avaiano, sei que meu time é horrível, esse ano nao posso chamar de time horrível mas eh pipoqueiro. mas para de mentir! safado.

  • Renato Pacheco diz: 5 de março de 2008

    …continuando
    -O acesso pela janela à 2a. divisao em 2000.
    -A invasão (prejudicando o gaucho Caxias) e marmelada nos tribunais em 2001.
    Lembras do gol do Fortaleza mas esqueceste a invasão e o Cai-Caxias de 2001. Esquecestes os escândalos com jogadores-gato do time do Estreito. Tua memória é muito seletiva.
    Obviamente a maior amarelação da história do futebol sc foi a perda da Copa do BR para o Flu,inclusive com faixas de campeão nas arquibancadas.Sugiro que comentes apenas o futebol do RS.

  • Felipe Benedet Maureira diz: 3 de março de 2008

    A comparação é válida e bem ponderada,
    mas, se falarmos de futebol catarinense,
    é mais interessante comparar Figueirense e Criciúma, pois, Avaí e Joinvile afundaram em caos e incompetência nesta década.

  • Marcos diz: 3 de março de 2008

    Amigo, só duas correções:
    1. O Figueirense tem 14 titulos estaduais.
    2. O Figueirense está na final do estadual de 2008.

  • Diego diz: 4 de março de 2008

    Procura saber um pouco da história de Avaí x Figueirense para depois comentar amigo.
    Primeiro o Avaí tem 13 títulos e não 12.
    Depois procura saber o que aconteceu com o figueirense de 98 para 99… e principalmente o que aconteceu na final de 99 para depois falar alguma coisa.

  • Tiago diz: 6 de março de 2008

    Não entendo essa fixação de alguns gremistas em querer achar que o Pato não é craque… O post não tem nada a ver com copa dos campeões, e ainda assim o cara vem puxar o assunto. O Pato saiu do Inter e só vai voltar pro Brasil pra rever os amigos. Como o gremio não vai enfrentar o Milan nem nenhum outro grande europeu nos próximos 30 anos pelo menos, não precisa mais ter medo dele! Quem ter que temer o Pato é a Inter de Milão, Roma, Juventus…

  • Gustavo Michelon diz: 6 de março de 2008

    Observaste bem, Renato Pacheco. Curiosamente a RBS “esqueceu” do lamentável episódio da “invasão festiva” contra o Caxias. Afinal era conveniente, sob o ponto de vista comercial, que o Figueirense, e não o Caxias, subisse para a serie A. Lembra do Alfredo Loebling,meu caro Alexandre Perin? E do Armando marques? E da palhaçada do julgamento do Stjd, que retirou os pontos do Figueira, mas manteve o gol marcado (que piada)? Tua memoria é seletiva mesmo. TUDO POR DINHEIRO!

  • Adriano Susin diz: 6 de março de 2008

    ô Perin, tu esqueceu de dizer que o Figueirense comprou a vaga na serie A. Ou tu esqueceu daquela final contra o Caxias? Deviam fazer uma estátua para o Armando Marques, Zveiter e toda aquela corja da CBF.

  • Ivan Luiz Knoch diz: 7 de março de 2008

    1o. caro blogueiro, o Oswaldo Paschoal, não é “ex-jornalista”, trabalha na Rádio Globo SP.
    2o. Concordo em parte com seu raciocinio sobre Avai x Figueira.
    o Avai esta mto mal ha alguns anos,esta se apequenando, mas se o Figueira esta melhor, muito tem a ver com fatores extra-campo.
    Subiu de forma dubia para a 1a.divisão, e ha muitos anos vem recebendo uma “ajuda” descarada da arbitragem local.

  • Lucas Winckler diz: 3 de março de 2008

    Sempre vão ser lembrados pela forma inglória que subiram à primeira.

  • laert diz: 4 de março de 2008

    Os craques Alex(Fenerbache),Ronaldinho(Barcelona),Cristiano Ronaldo(Manchester) decidem a favor de seus times na Liga dos Campeões.Kaká(o religioso) e Pato(invenção da mídia)ajudam a afundar o Milan, na derrota de 2 a 0, para o Arsenal, em casa. Grandes jogadores são assim:decidem a favor de seus clubes.Invenções da mídia, mais cedo ou mais tarde, caem na realidade.Em consequência, o Milan não disputará mais nada esse ano.Com a palavra, a mídia e as suas “criações”.

  • laert diz: 3 de março de 2008

    Alexandre, há quanto tempo você não vê um campeonato gaúcho, com um nível técnico tão baixo.Tem gente achando normal o Guarany levar 6 a 0, em casa ou o Grêmio ganhar de 4 a 0 da ULBRA, praticamente passeando em campo.Há um verdadeiro abismo técnico entre a dupla grenal e os times do interior.Desta vez, o poderio finaceiro está fazendo a diferença mesmo. Só com o pagamento do salário de um jogador da dupla, é possível pagar várias folhas de times do interior. O torcedor sabe disso.

  • Renato Pacheco diz: 4 de março de 2008

    Alexandre Perin, mal disfarçada sua isenção. Mas apenas corrija as informações:
    O Avai venceu 13 Campeonatos Catarinense de Futebol, e não doze conforme informaste: 1924, 1926, 1927, 1928 (Tri), 1930, 1942, 1943, 1944, 1945 (Tetra), 1973, 1975, 1988, 1997
    Além disso venceu também o campeonato Catarinense da 2ª Divisão: 1994
    Ou seja, 14 titulos estaduais.

    Omitiste também algumas curiosidades importantes que deveriam entrar em um dito Almanaque Avai x Figueirense:
    - O acesso do Figueirense pela

  • jorge diz: 3 de março de 2008

    Alexandre,
    A distância não impediu que tu pudestes enxergar o que só não é óbvio para os fanáticos avaianos: a superioridade do Figueirense, estando ela fundada no profissionalismo que foi implementado na gestão do futebol.
    Muito há ainda por fazer, mas o Figueira tem caminhado paulatinamente para inscrever seu nome entre os grandes do Brasil.
    Um abraço e parabéns pelas observações.

Envie seu Comentário