Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

ESPECIAL GUGA: Líder do ranking da ATP!

28 de maio de 2008 1

No final do ano de 2000, Gustavo Kuerten precisava ganhar a Masters Cup (torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada) em Lisboa para terminar a temporada em alta. Mais do que isto, vencendo o torneio sairia líder dos dois rankings, de entradas e de semanas da ATP. Seria a coroação final de um ano especial, no qual Guga conquistou o bicampeonato de Roland Garros.

Porém Guga perdeu feio na primeira rodada da fase de grupos para André Agassi (outro tenista carismático, e certamente ainda mais talentoso que o brasileiro), mas reagiu batendo Magnus Norman e Yevgeny Kafelnikov (algoz de Guga nas quartas-de-final dos Jogos Olímpicos de Sydney naquele mesmo ano).

Por ter perdido na estréia, Kuerten precisaria vencer a Masters Cup para ser, pela primeira vez na carreira, o líder do ranking da ATP. Mas para isto teria que bater no sábado Pete Sampras e no domingo André Agassi. Sabe quantas vezes alguém fez isso em um mesmo torneio? Pois é, como devem imaginar, jamais ninguém conseguiu esta façanha antes!

Na semifinal Guga superou pela primeira vez o lendário Pete Sampras (dando o troco do roubo em Miami). Na finalíssima, Guga bateu Agassi e conquistou o título. Foi a primeira vez que um brasileiro terminou o ranking de entradas como número 1 do mundo. O mundo estava a seus pés.

Guga ficaria 43 semanas em primeiro lugar no ranking (8 semanas entre dezembro e janeiro, mais cinco entre fevereiro e março e depois 30 semanas consecutivas entre abril e novembro), período no qual conquistaria o Tricampeonato em Roland Garros e mais os títulos de Buenos Aires, Acapulco, Monte Carlo, Stuttgart e Cincinnati.

Roland Garros 2001 foi dramático. Depois de surpreendentes vitórias fáceis sobre a legião argentina com Guilhermo Coria e Agustín Calieri, Guga penou contra o norte-americano Michael Russel, 136 do ranking. Chegou a salvar um match point quando o jogo estava 0×2, virando a partida. Depois nas quartas-de-final, adivinhem: pela terceira vez, na mesma fase, o russo Kafelnikov. E Guga ganhou apertado, depois vencendo fácil nas semis o espanhol Juan Carlos Ferrero. Na decisão, Guga saiu perdendo mas depois virou e venceu o também espanhol Alex Corretja, velho rival no saibro, por 3 a 1. Era o tricampeonato na lendária quadra Philippe Chatrier.

Postado por Perin, lembrando daquela noite em Lisboa

  • ESPECIAL GUGA: Um mito brasileiro no tênis
  • ESPECIAL GUGA: O bi em Roland Garros
  • ESPECIAL GUGA: Líder do ranking da ATP!
  • ESPECIAL GUGA: O início do fim
  • Comentários (1)

    • yuri diz: 10 de setembro de 2008

      pq ele foi roubado em Miami?

       

      EDITADO: pergunta para os fiscais de linha e do juiz de cadeira… Aquele dia foi ridículo, todas as duvidosas foram para o Sampras, e metade foi um erro grosseiro

    Envie seu Comentário