Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 6 junho 2008

Euro`2008: A Dinamarca de Schmeichel em 1992

06 de junho de 2008 0

Pode se dizer que a Eurocopa de 1992 começou em Sarajevo e Belgrado. Nestas cidades ocorreu o recrudescimento da Guerra da Iugoslávia, agora envolvendo Croácia, Iugoslávia (hoje só Sérvia) e a Bósnia-Herzegovina. Sendo assim, a UEFA e a FIFA suspenderam a poderosa e talentosa seleção da Iugoslávia, de craques como Stojkovic, Savicevic, Prosinecki e Boban e que tinha se classificado em sua chave das Eliminatórias.

No lugar da Iugoslávia, a segunda colocada Dinamarca foi para a Euro, a ser disputada no verão da Suécia. Esta decisão ocorreu apenas duas semanas antes do torneio começar, e o time dinamarquês foi chamado às pressas. Para piorar, o craque Michael Laudrup, então no Barcelona, achou que era melhor ter férias e não foi para o torneio… Azar dele, hoje sabe o que perdeu.

Esta Eurocopa eu vi toda, os jogos eram à tarde, a Rede Globo transmitia e eu tinha muuuito tempo livre… Minha favorita Holanda era a atual campeã, mas a favorita era a Alemanha (recém unificada e então campeã mundial). A Itália era outra força, assim como a Inglaterra e França. Para piorar, os dinamarqueses caíram no grupo da morte, com a Inglaterra, França e a anfitriã Suécia.

Se a Alemanha e a Holanda sobraram no outro grupo, a situação era diferente no grupo da Dinamarca . Com vários jogos horrorosos, com poucos gols e péssimo futebol, este grupo foi uma decepção na primeira fase. A Dinamarca empatou com a Inglaterra em 0×0, perdeu para os suecos por 1×0 (gol de Brolin). Só se classificou na última rodada, quando nos minutos finais fez 2×1 sobre a França e se classificou em 2º lugar, junto com a Suécia.

Nas semifinais, o futebol voltou e deu show. A Alemanha bateu a anfitriã Suécia em um jogaço por 3×2, com gols de Karl-Heinz Rieddle e Thomas Hassler, descontando Thomas Brolin e Kenneth Andersson para os suecos. Campeã mundial, semifinalista em 1988, os alemães treinados por Berti Vogts eram os favoritos na final.

Já a Dinamarca ganhou da Holanda nos pênaltis, depois de sair atrás (o então jovem Dennis Bergkamp fez um golaço para a Holanda), virar e ceder o empate. A surpresa virou com gols de Henrik Larsen ainda no primeiro tempo. Nos acréscimos, depois de muita pressão holandesa e defesas fantásticas de Peter Schmeichel, Frank Rijkaard empatou e levou para as penalidades. Então o craque Marco Van Basten bateu mal sua cobrança, que parou nas mãos de Schmeichel, e a Dinamarca estava na final!

Na decisão, um duelo igual o da Copa de 1986, quando alemães ocidentais e dinamarqueses jogaram na primeira fase. E o placar foi o mesmo: vitória da “Dinamáquina“, apelido dado em 1986 quando o país assombrou o mundo com um futebol ofensivo.

A Alemanha começou bem melhor e massacrou o gol de Schmeichel, em mais uma de suas muitas tarde

Postado por Perin, saudando seu outro herói Schmeichel!