Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Imola, 1994: o final de semana mais negro da F-1

10 de junho de 2008 3

Hoje o assunto é triste. O pior final de semana da história da Fórmula-1, na pior temporada de todos os tempos. Os motivos foram claros

Mudanças no regulamento causavam instabilidades nos carros. A então confiável e imbatível Williams sofria de equilíbrio sem a suspensão ativa e o controle de tração. As equipes menores tinham carros instáveis e os problemas começaram a surgir. Pistas, sobretudo na Europa, antigas e arcaicas, sem dinheiro para investimento e sem exigências maiores de segurança da FIA.

Cronologia de uma temporada a esquecer:

1º) Treinos de pré-temporada: o finlandês Jyrik JärviLetho, da Bennetton, sofre sério acidente e fica com sequelas na coluna. Correria meia dúzia de provas alternadas e seria substituído pelo estreante Jos Verstappen. Informações não-confirmadas apontam para quebra na barra de direção da Benetton.

2º) GP do Brasil: acidente envolvendo 4 pilotos: Irvine, Verstappen, Comas e Brundle. Neste caso, a culpa foi do piloto norte-irlandês, suspenso por 2 corridas.

3º) O fatídico domingo de Ímola:

a) Na sexta-feira, Rubens Barrichello sofre sério acidente e escapa da morte.

b) No sábado, a asa dianteira do Simtek do austríaco Roland Ratzenberger se solta e ele bate a 300km/h, quebrando o pescoço e morrendo instantaneamente (a despeito do absurdo da FIA afirmar que ele morreu no hospital, sendo o 1º ser humano da história da humanidade a morrer de quebra do pescoço 40 minutos depois do incidente).

c) Na largada, Letho deixa o motor morrer e Lamy bate violentamente. Destroços do carro acertam 4 espectadores, que são igualmente conduzidos ao hospital Maggiore em Bolonha. Letho sente de novo a lesão antiga e nunca mais consegue correr um F-1 competitivamente.

d) Ayrton Senna da Silva morre após quebra da barra de direção de sua Williams na curva Tamburello, liderando o GP em sua 8º volta.

e) Durante a corrida, o piloto italiano Michele Alboreto perde uma roda da Minardi na saída dos boxes, acertando um mecânico e fechando o pior final de semana de todos os tempos.

4º) Em Monaco, o austríaco Karl Wendlinger perde o controle da Sauber na saída do Túnel e bate violentamente, ficando duas semanas em coma.

5º) Em Barcelona, o italiano Andrea Montermini (que havia substituído o finado Razemberger) bate forte na entrada da reta, quebrando o pé.

6º)Em treino fechado em Silverstone o português Pedro Lamy perde o controle do carro e sofre sério acidente. Quebra as duas pernas.

7º) Em Hockenheim, primeiro Mika Hakkinen faz uma barbeiragem e tira 11 carros da prova. Depois, Jos Verstappen vê seu Bennetton pegar fogo em uma famosa cena de pânico nos boxes.

8º) Em Suzuka, em um dilúvio, a Mclaren de Brundle bate violentamente, ferindo um fiscal de pista com gravidade. Segue o circo.

9º) Fechando um ano `fantástico`, de erros da FIA em punições absurdas de Schumacher, de falcatruas da Bennetton (controle de tração disfarçado, sem filtro na bomba de combustível para acelerar reabastecimentos), o GP da Austrália que Schumacher bateu sozinho e na volta à pista tirou Damon Hill da prova, conquistando vergonhosamente o título mundial.

Essa foi a temporada de 1994. Talvez por causa dela e de suas consequências, Robert Kubica, que escapou milagrosamente ano passado, possa estar livre para continuar respirando após o acidente em Montreal.

Mas o preço a pagar foi alto demais. Especialmente para Senna e Ratzenberger.

Postado por Perin, torcendo para que isto nunca mais ocorra…

Comentários (3)

  • Paulo diz: 10 de junho de 2008

    Depois do GP de Ímola eu tambem abandonei a formula 1…
    As manhãs de domingo nunca mais foram as mesmas

  • Samuel Adami diz: 10 de junho de 2008

    Confesso que, fora a corrida de Ímola e o carro do Verstapen pegando fogo, não me recordava de todos os fatos ocorridos na fatídica etapa de 1994. Agora, de fato, a partir daquele ano, a FIA agiu no melhor (ou pior) estilo “poder público irresponsável”. Ou ainda, numa analogia mais simplista, teve que “botar o dedo na tomada pra aprender que dava choque”! Somente assim viu as “cagadas” que fez ao retirar itens tecnológicos essenciais sem melhorar a segurança dos pilotos! O preço foi aquele…

  • marcos diz: 4 de maio de 2014

    Ayrton senna o maior piloto e pessoa tbm.a formula 1 pra mim acabou agora tem o massa quem e esse massa rubens barrichelo deus me livre que piloto orriveu…nada mais

Envie seu Comentário