Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 julho 2008

Schumacher chora ao bater recorde de Senna em 2000

04 de julho de 2008 1

Quando Michael Schumacher venceu o GP de Monza de 2000 ele bateu um recorde. A partir daquele momento, era o segundo maior vencedor da história da Fórmula-1 com 42 vitórias, nove a menos que o então recordista Alain Prost. Porém mais do que uma vitória singular, em frente aos “tifosi” no histórico circuito de Monza, Schumacher conquistou outra façanha.

Naquele dia ele superava as 41 vitórias do brasileiro Ayrton Senna, morto seis anos antes em Ímola. Ao contrário do que a imprensa brasileira costuma comentar, Senna era o maior ídolo do alemão em seu início de carreira. Sob o compreensivo olhar do finlandês Mika Hakkinen, então seu maior rival na F-1 e ex-companheiro de Senna na McLaren, e de seu irmão Ralf Schumacher.

Isto significa muito para mim. Desculpem-me…” e então o alemão começa a chorar. O entrevistador passa para Mika a pergunta, e Mika pergunta se não pode ter uma pausa. Aliás, lamentável o entrevistador que continua sem parar para pensar, ou mesmo em respeito à emoção de Schumacher.

A corrida também ficou marcada pela morte do fiscal de pista Paolo Gislimberti, atingido por uma roda da Jordan de Jarno Trulli. No acidente, ocorrido na metade da primeira volta, foram envolvidas as Jordans, de Trulli e ainda Heinz Harald Frentzen, a McLaren de David Coulthard, a Ferrari de Rubens Barrichello e ainda a Arrows de Pedro de la Rosa, que vem lá de trás capotando após atingir a Jaguar de Johnny Herbert.

Schumacher ainda venceria quase 50 outras provas, seria campeão cinco vezes consecutivas. Mas nenhuma causou tanta emoção ao alemão quanto esta.

Postado por Perin, lembrando desta corrida com exatidão,