Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 8 julho 2008

2008 = 1982? Esperamos que não, parte I

08 de julho de 2008 1

No meu ponto de vista, salvo alguma situação extraordinária, o título da temporada 2008 da Fórmula-1 será decidido entre Felipe Massa e Kimi Raikkonen. Desde 1982 dois pilotos da Ferrari não eram tão favoritos ao título em situação de teorica igualdade dentro da equipe.

Algo totalmente impensável na “Era Schumacher” de 96-2006, pela disparidade técnica do alemão com seus companheiros Eddie Irvine e Rubens Barrichello. E menos provável em outros anos que a Ferrari foi apenas coadjuvante (somente em 1985, 1990, 1997 e 1999 a Ferrari teve chances de conquistar o título de pilotos).

Porém o que todos esperam é que a sorte dos pilotos da escuderia de Maranello seja totalmente diferente da ocorrida há 26 anos atrás. Em 1982, com um ótimo Ferrari 126C2, o time italiano era “a equipe a ser batida”, em uma temporada extremamente equilibrada.

A lenda dos “tifosiGilles Villeneuve e seu então amigo francês Didier Pironi eram os favoritos ao título. A Ferrari estava em favor do piloto canadense, a bordo de seu mítico carro de número 27. Mas nenhum dos dois foi campeão. Pior, o primeiro morreu e o outro ficou gravemente ferido. E o sonho do título só se concretizaria em 2000 com Schumacher… Esta é a história que iremos contar hoje:

Três anos antes, o comendador Enzo Ferrari na última prova da temporada de 1979, chegou no cockpit de Gilles e disse: “ajude Scheckter (Jody) a ser campeão que na próxima vez será você“. Com uma lealdade memorável, Villeneuve ajudou o sul-africano a conquistar o último título da Ferrari de pilotos entre 1979 e 2000. Dois anos frustrantes se passaram (com títulos para Alan Jones e Nélson Piquet) e chegamos a 1982.

As Renault de Alain Prost e René Arnoux, as Brabham de Piquet e Riccardo Patrese, e ainda as McLaren de Niki Lauda e John Watson eram os outros potenciais candidatos à vitórias. Isto sem contar as Williams de Keke Rosberg e Derek Daly, ou pilotos que eventualmente ganharam uma prova na temporada, como Elio de Angelis e Michele Alboreto.

No GP de San Marino em Ímola, as Ferraris de Gilles e Didier dispararam e venceriam com folga, aproveitando problemas com a Renault e um boicote de várias equipes por divergências de contrato entre FOCA e FIA.

Preocupada com os motores, a equipe italiana mandou os dois pilotos diminuir o ritmo, e Pironi encostou em Villeneuve. Faltando duas voltas, o francês surpreendeu a todos e passou Villeneuve, que não esperava a manobra. Ele devolveu a ultrapassagem, mas levou o troco na última volta. Pironi venceu e acabou com o clima entre os dois, até então amigos próximos. Vejam as imagens:

A corrida em San Marino seria seguida por um trágico final de semana em Zolder na Bélgica. Isto é assunto para mais adiante…

Postado por Perin, falando de um momento dramático da Ferrari

Ferrari: cadê o Jean Todt e o Ross Brawn?

08 de julho de 2008 0

Ross Brawn deixou a Ferrari junto com Michael Schumacher em 2006, e assim a equipe italiana perdia seu mestre na estratégia.

Após sucessivas “cagadas” ano passado, que custaram muitos pontos para Felipe Massa e Kimi Raikkonen, mas ainda contando com a “mão-de-ferro” do competente francês Jean Todt, todos imaginavam que a situação poderia piorar no ano seguinte, já sem o francês.

Dito e feito! A situação está cada vez mais ridícula na Scuderia Ferrari. Sem os dois baluartes técnicos Brawn (agora na Honda depois de um ano sabático) e Todt.

O atual diretor esportivo Stefano Domenicali e sua trupe fazendo inúmeras lambanças, a Ferrari cometeu erros inacreditáveis nas provas de Monaco (Massa), Canadá (Massa), França (Raikkonen) e Inglaterra (Massa nos treinos e a dupla na corrida).

Erros de estratégia em paradas de pit-stops são frequentes, e todas as tentativas mais ousadas sempre são na hora errada, no momento errado e da maneira errada. Isto sem contar vários problemas mecânicos, tanto nos treinos quanto nas corridas.

O colega Daniel Dias, no seu blog Fórmula-1, fala também sobre o assunto. Agora o “godfather” Luca di Montezemolo chutou o balde e tomou as rédeas no assunto. “Não vou mais tolerar erros estúpidos como os de domingo, em Silverstone“, teria declarado Montezemolo, revoltado com os equívocos de seus comandados.

Bom, é esperar para ver…

A McLaren tem perdido pontos por ser inferior à Ferrari e por erros individuais dos pilotos.

Já a Ferrari tem jogado fora por erros da equipe.

Postado por Perin, esperando momentos melhores em Maranello

Seleção Olímpica: Dunga foi bem...

08 de julho de 2008 0

De vez em quando, o Dunga não faz burradas. Achei bastante boa a convocação de 18 jogadores para a Seleção Olímpica, que irá disputar os Jogos em Pequim. A despeito do equívoco de convocar, apenas para marketing e sem nenhuma utilidade técnica, o obeso Ronaldinho (que nem sabe se será liberado), Dunga fez um time bem forte tecnicamente.

De um lado, 14 dos 18 convocados são titulares de seus times. E os que não são, casos de Lucas, Anderson, Rafael Sobis e Robinho, são velhos conhecidos de Dunga no futebol gaúcho ou Seleção Brasileira. O futebol gaúcho se mostra presente com muita força: o goleiro Renan, do Internacional, é um dos cinco “nacionais” convocados, enquanto Lucas, Ronaldinho e Anderson foram formados no Grêmio. Já Alexandre Pato e Rafael Sobis começaram no Beira-Rio.

No dia 28 de novembro, postei aqui no Almanaque Esportivo qual seria a minha seleção Olímpica: Renan, Rafinha, Breno, Alex Silva e Marcelo; Denílson, Hernanes, Anderson e Diego; Alexandre Pato e Diogo.

Deste time, somente Denílson (no banco do Arsenal) e Diogo (que não se firmou) não foram convocados. E de uma lista de 44 jogadores citados como possíveis selecionáveis, o único que Dunga convocou e não estava presente é o goleiro Diego Alves, do Almería e formado no Atlético-MG.

Ameaçado no cargo em virtude dos péssimos resultados, Dunga pode ter nas Olimpíadas 2008 sua última chance de permanecer no cargo. Acusado de não ter renovado o time, e tampouco ter conseguido mostrar um bom futebol, o treinador pode repetir Wanderley Luxemburgo, que foi para os Jogos Olímpicos de Sydney e voltou desempregado da Seleção Brasileira após ser eliminado nas quartas-de-final para Camarões, que então jogava com dois jogadores a menos.

Confiram os convocados por Dunga:

Goleiros
Diego Alves (Almería)
Renan (Internacional)

Laterais
Rafinha (Schalke)
Ilsinho (Shakhtar Donetsk)
Marcelo (Real Madrid)

Zagueiros
Breno (Bayern de Munique)
Alex Silva (São Paulo)
Thiago Silva (Fluminense) – Acima de 23 anos

Meio-campistas
Anderson (Manchester United)
Lucas (Liverpool)
Ronaldinho (Barcelona)  - Acima de 23 anos
Diego (Werder Bremen)
Hernanes (São Paulo)
Thiago Neves (Fluminense)

Atacantes
Alexandre Pato (Milan)
Jô (Manchester City)
Rafael Sobis (Real Betis)
Robinho (Real Madrid) - Acima de 23 anos

Postado por Perin, considerando boa a seleção convocada