Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 27 julho 2008

27 de julho: Chilavert e Ricardo Rosset

27 de julho de 2008 0

CHILAVERT

O dia 27 de julho é marcado pelo nascimento de um dos mais polêmicos goleiros de todos os tempos. José Luís Chilavert nasceu há 43 anos no Paraguai, e com 15 anos já era atleta profissional. Com 20 anos, foi jogar na Argentina, aonde entraria para a história do futebol sul-americano, primeiro atuando pelo San Lorenzo e depois pelo Vélez Sarsfield (este, a partir de 1991).

Ele marcou 62 gols na carreira: dois com a bola rolando, 15 de falta e 45 de pênalti. Fez um gol do meio-campo no goleiro Germán Burgos (do River Plate), e marcou gols pelo Paraguai, Zaragoza, Vélez, Strasbourg e Peñarol. Foi o maior goleador entre goleiros até Rogério Ceni superá-lo no jogo Cruzeiro 2×2 São Paulo em 2006.

Seu primeiro gol foi de pênalti, nos acréscimos da partida Paraguai 2×1 Colômbia pelas Eliminatórias do Mundial de 1990. No Real Zaragoza, fez gol de pênalti mas levou outro gol na saída de bola, do meio-campo. Em 56 dos 58 jogos que marcou gols, seu time não foi derrotado. Vejam a cobrança de 1989, contra outro goleiro maluco e goleador, René Higuita.

Com atuações soberbas, Chilavert foi campeão argentino em 1993 pelo Vélez, da Libertadores e da Copa Intercontinental em 1994. Provocador nato, Chilavert comemorou a derrota de 1×0 para o então bicampeão São Paulo, dizendo que nos pênaltis ele se garantia. E foi assim mesmo, Chilavert pegou a cobrança de Palhinha. Depois converteu a cobrança final e deu o primeiro título continental para o Vélez, treinado então por Carlos Bianchi.

Na decisão em Tóquio, contra um magnífico Milan de Maldini, Boban e Savicevic, Chilavert fechou o gol e garantiu uma das maiores zebras da história da disputa, vitória do Vélez por 2×0. Seu status de mito para o clube de Liners se tornava imortal. Foi ainda campeão três vezes pelo Vélez, da Recopa e Supercopa Sul-Americana. Na França, foi campeão da Copa da França pelo modesto Strasbourg, e campeão uruguaio em 2003 pelo Peñarol. Encerrou a carreira em 2004.

Pelo Paraguai, se tornou uma lenda marcando gols e tendo atuações fenomenais nas Eliminatórias para o Mundial de 1998. Na Copa do Mundo da França, só levou dois gols e caiu nas oitavas-de-final perante a anfitriã, e futura campeã, França. Mas suas atuações fenomenais garantiram a Chilavert um lugar na Seleção do Torneio. Em 2002,visivelmente acima do peso, falhou em muitos lances e foi um dos responsáveis pela precoce eliminação paraguaia naquele Mundial.

Polêmico, de personalidade forte, Chilavert sempre foi um dos líderes de suas equipes, seja pelo lado bom, seja pelas confusões. Cuspiu em Roberto Carlos em um jogo das Eliminatórias em 2003 e foi suspenso por quatro jogos, dois deles cumpridos na Copa do Mundo.

Foi expulso várias vezes, brigou muito com jornalistas argentinos em toda sua trajetória no Vélez, agrediu companheiros de time e sempre teve uma relação conflituosa com Carlos Gamarra, o zagueiro capitão do Paraguai

Postado por Perin, direto do Túnel do Tempo