Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 1 agosto 2008

Hungria, parte I: Mansell humilha Senna em 1989

01 de agosto de 2008 3

Na semana do pior GP de qualquer tempo, no lixo de pista chamado Hungaroring em Budapeste, Hungria, vamos recordar o de melhor e o de pior que já aconteceu naquelas bandas. Hoje o assunto é Nigel Mansell e uma humilhante ultrapassagem sobre o mítico Ayrton Senna no ano de 1989.

Nigel Mansell, o maluco inglês que por uma década deu show e provocou risadas na Fórmula-1, era mesmo especial. Capaz de barbeiragens antológicas, Mansell também tinha momentos especiais.

Campeão, enfim, em 1992 com um carro infinitamente superior aos rivais e sem concorrência interna na inglesa Williams contra o italiano (e coadjuvante eterno) Riccardo Patrese, Mansell foi vice-campeão nas temporadas de 1986, 1987 e 1991, e conquistou expressivas 31 vitórias na carreira, só atrás das lendas Senna (41), Prost (51) e Schumacher (91).

Mas Mansell era capaz de momentos únicos. Só ele mesmo para fazer uma corrida inesquecível no kartód…, ops, autódromo de Hungaroring em 1989. Largou em 12° lugar com sua nada competitiva Ferrari, mas passou quatro carros ainda na primeira curva. Aroveitou problemas com Alessandro Nannini e depois passou por Thierry Boutsen e Alex Caffi.

Enquanto isto, Patrese liderava seguido por Senna, enquanto Alain Prost era somente o quarto. Quando Patrese foi ultrapassado por Senna, Mansell não perdeu tempo e passou Prost. Na volta 54, Patrese abandonou e Mansell estava à caça de Senna. Três voltas depois, o inglês superou o brasileiro em uma magnífica manobra, como podemos ver abaixo:

Foi a segunda vitória de Mansell na Ferrari, depois de ganhar logo em sua estréia no Brasil (o famoso GP que Senna errou feio e se atrapalhou com Satoru Nakajima, quebrando o bico da McLaren e terminando em terceiro lugar).

Quando era o dia “não” do Mansell, só saía besteira. Mas quando era seu dia… Bem, aí, ninguém segurava o “Leão”.

Postado por Perin, que odeia Hungaroring até no GP4