Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 agosto 2008

Gaúchos no Brasileirão: quando eles lideraram?

04 de agosto de 2008 12

Pouca gente sabe, mas o Grêmio foi o primeiro líder isolado do Brasileirão na história. Ao final da terceira rodada de 1971, o Tricolor era o único time com cinco pontos (na época, uma vitória valia dois pontos), após duas vitórias e um empate. O Grêmio terminou a competição, vencida pelo hoje centenário Atlético-MG, em sexto lugar.

E quando os times gaúchos foram líderes? Bem, é uma análise complicada, pois depende de cada regulamento que tivemos ao longo do Brasileirão (e foram muitos).

A rigor, a análise só foi feita por mim em anos que a competição tinha uma ou duas fases com no máximo dois grupos, além de obviamente dos últimos cinco anos de pontos corridos.

EDITADO: Como não ficou claro, estou explicando mais detalhadamente: Eu não considerei vitórias em 1° rodada e menos ainda a diferença no saldo de gols, por isto não coloquei o Grêmio de 2006 (2×0 no Corinthians), assim como o Internacional de 1985 (4×0 no América-RJ), 1976 (6×0 no Figueirense) ou ainda o Juventude (3×0 no Paraná em 1998)

Reiterando o que eu disse antes: Campeonatos com muitos grupos NÃO TEM COMO considerar “líder” sem cometer equívocos grosseiros. Se alguém achar outra informação diferente, me passe que eu acrescento (este post vai ficar em destaque um tempão)

Então, vamos aos resultados:

GRÊMIO LÍDER DO BRASILEIRÃO

2008 – Neste exato momento, o Tricolor completa quatro rodadas na liderança do Brasileirão 2008. Nos últimos quatro jogos foram duas vitórias como visitante (a histórica goleada de 7×1 sobre o Figueirense e o 1×0 no Coritiba), um empate (Palmeiras) e uma vitória em casa (domingo, 2×0 sobre o Vitória). 11 gols marcados e somente 2 gols sofridos.

São 35 pontos em 17 jogos, um excepcional aproveitamento para um time tão desacreditado no início da competição. Esta liderança encerrou um longo jejum sem ver o Grêmio líder por pontos. A imprensa alardeou que o Tricolor não era líder há 24 anos, mas errou. E feio.

1990 - Sem considerar o triunfo gremista em 1996 (campeão brasileiro com mata-mata na fase final), o Tricolor liderou pela última vez no Brasileiro de 1990. Porém muitos se enganam por pensar que a liderança gremista foi ao final dos dois primeiros turnos, já que o Grêmio ficou com mais pontos que os demais. Isto não dava vantagem alguma, exceto jogar o segundo jogo em casa de uma possível decisão.

Naquela época, o regulamento era diferente do atual e também era diferente do utilizado entre 1996 e 2003, com uma fase inicial em turno único e mata-mata nas fases finais. O regulamento previa que campeões dos grupos A e B no turno e returno e mais os quatro que somassem mais pontos nos dois turnos, estariam nas quartas-de-final.

O Grêmio realmente liderou, mas somente na <

Postado por Perin, dizendo que isto deu trabalho para achar…

GP da Hungria: Que azarão, hein Massa?

04 de agosto de 2008 1

QUE AZAR, caraca… Muito azar de Felipe Massa, que foi supremo na largada (uma das maiores de todos os tempos e a melhor da vida do brasileiro), liderou com folga a corrida inteira para perder faltando três voltas!

Uma corrida perfeita no momento do pneu furado da McLaren de Lewis Hamilton se tornou um pesadelo, com o inglês abrindo oito pontos (ao invés de estar três atrás), Kimi Raikkonen superando o companheiro de Ferrari por três pontos (ao invés de ficar ONZE atrás). E mais uma vez a Ferrari deixando seus pilotos na mão!

Como sortudo do dia, Heikki Kovalainen conquistou sua primeira vitória na categoria. Ele se junta à Keke Rosberg (GP da Suíça em 1982), Mika Hakkinen (GP da Europa 1997) e Kimi Raikkonen (GP da Malásia 2003) como os vencedores de GP entre os oito finlandeses da categoria (Mika Salo, J.J. Letho e Leo Kinnunen não venceram, Mikko Kozarowitzky sequer conseguiu largar).

Troféu “Jim Clark”Timo Glock e Felipe Massa. O alemão fez sua melhor corrida na F-1 e mereceu o pódio, um GP após um acidente forte em sua terra natal. Já o brasileiro fez uma corrida fantástica depois de uma largada antológica e não merecia o azar que teve.

Troféu “Chris Amon”Felipe Massa. Ponto final. Menção honrosa para o Cleber Machado, que sempre narra os desastres brasileiros em última volta (vide Áustria 2002, ‘”hoje não, hoje não… hoje sim…”)

Troféu “Fiofó de Ouro”Heikki Kovalainen. Sem mais.

Troféu “Rouge & Blanc” – Para Felipe Massa, pela ousadia na largada. Mais que isto, impossível neste kartódromo.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” – Para a droga da Ferrari, que deixou o piloto na mão mais uma vez na temporada. Ele será dividido com os pitstops desastrados de Sebastien Bourdais (duas vezes!), Kazuke Nakajima e Rubens Barrichello, no qual os bocais de reabastecimento pegaram fogo.

E aviso a todos: este Mônaco sem iate e mulher de top-less vai continuar até 2016!!!!

Inter quebra jejum de 273 dias e vence fora!

04 de agosto de 2008 0

Enfim uma vitória como visitante do Internacional. Depois de 273 dias, ou oito meses e 29 dias, o Colorado superou um adversário de primeira divisão atuando fora do Beira-Rio. Na penúltima partida do primeiro turno fora de casa, na 17° rodada do Campeonato Brasileiro 2008, finalmente venceu: 2×1 sobre o decadente Fluminense no Maracanã 

Curiosamente, a última vitória também havia sido no Rio de Janeiro, na reestréia de Nilmar. No dia 4 de novembro de 2007, o Vasco da Gama levou dois gols de Fernandão e perdeu por 2×1 em São Januário.

O triunfo de domingo no Maracanã, conquistado com dois gols de Nilmar, foi o primeiro em nove partidas consecutivas pelo Brasileiro. Antes haviam ocorrido seis derrotas e três empates (contando o 2×1 para o Goiás na última rodada do Brasileirão 2007).

Se formos computar jogos contra times de Série A neste período, temos mais uma derrota para o Sport, que custou a eliminação do Inter na Copa do Brasil deste ano.

Contabilizando partidas contra times da Série B, o Colorado ainda teve outras três derrotas (duas para o Juventude no Gauchão e uma para o Paraná). Um lamentável retrospecto de três empates e nove derrotas em 12 jogos de jejum. Nada animador.

No Brasileiro de 2007, o Internacional só venceu três jogos como visitante (Sport, Vasco da Gama e América-RN). A diferença é que como mandante o Colorado foi inferior à atual temporada. Ainda no primeiro turno do ano passado já contabilizava três derrotas em Porto Alegre (este ano só perdeu uma). Confiram a sequência de fracassos:

1°) Vasco da Gama 1×2 Internacional – Fernandão (2) – Brasileirão 2007 – Última vitória fora até domingo
2°) Goiás 2×1 Internacional – Orozco – Brasileirão 2007 – Início da série
3°) Sport 3×1 Internacional – Sídnei – Copa do Brasil 2008
4°) Palmeiras 2×1 Internacional – Índio – Brasileirão 2008
5°) Flamengo 2×1 Internacional – Nilmar – Brasileirão 2008
6°) Portuguesa 3×1 Internacional – Nilmar – Brasileirão 2008
7°) Vitória 2×1 Internacional – Nilmar – Brasileirão 2008
8°) Grêmio 1×1 Internacional – Índio – Brasileirão 2008
9°) Atlético-PR 1×1 Internacional – Índio – Brasileirão 2008
10°) Náutico 1×1 Internacional – Nilmar – Brasileirão 2008
11°) Ipatinga 1×0 Internacional – Brasileirão 2008
12°) Fluminense 1×2 Internacional – Nilmar (2) – Brasileirão 2008 – Fim da série sem vitórias fora de casa

Postado por Perin, que aposta na venda de Alex