Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 15 setembro 2008

Em vitória inusitada na temporada de 1988, Berger homenageia a Ferrari

15 de setembro de 2008 2

Homenageando a semana Monza aqui no Almanaque Esportivo, vamos relembrar um momento maravilhoso da Ferrari há 20 anos atrás. Também será uma homenagem ao austríaco Gerhard Berger, chefe de equipe da STR. A antiga Minardi foi a equipe vitoriosa do final de semana com a pole e o triunfo histórico de Sebastien Vettel, o mais jovem pole e vencedor de um Grande Prêmio na categoria.

1988 era um momento terrível para a Scuderia Ferrari, que tinha ficado quase dois anos sem vencer e estava muito longe da disputa do título da temporada. Seus pilotos, o então jovem e promissor austríaco Berger, e o já experiente e insosso Michele Alboreto, eram meros espectadores de um passeio, até hoje inigualável, das McLaren de Alain Prost e Ayrton Senna naquela temporada.

Juntos, o francês e o brasileiro venceram 15 das 16 provas daquela temporada, que ficou marcada pelo primeiro título do saudoso tricampeão. A equipe de Woking só não ganhou uma corrida… O GP da Itália!

Naquele dia, os milhares de “tifosi” da Ferrari estavam de luto. No mês anterior, havia morrido o lendário Enzo Ferrari, fundador da equipe de Maranello. Depois de evidentemente largarem na frente, Senna e Prost eram os líderes disparados, com as Ferraris de Berger e Alboreto bem distantes.

Na volta 35, o segundo colocado Prost teve a primeira e única quebra de motor na temporada. Senna seguia com larga vantagem até a penúltima volta, de número 50. Ele foi ultrapassar o estreante retardatário Jean-Louis Schlesser (que substituía Nigel Mansell, com varicela). Aliás,era sobrinho do finado Jo Schlesser na Williams. Repetindo o erro infantil de 1987, quando se atrapalhou ao passar o igualmente retardatário Piercarlo Ghinzani, o jovem e afoito Senna se atrapalhou totalmente, batendo em Schlesser e abandonando a corrida.

Para delírio dos ferraristas, faltando duas voltas o líder era Gerhard Berger. E em segundo, Michele Alboreto. Dobradinha da Ferrari no templo sagrado do automobilismo italiano!

Catarse no Autodromo Nazionale Monza. E uma justa homenagem para o fundador da maior escuderia da história da Fórmula-1.

Naquele dia, a Fórmula-1 foi mais vermelha que de costume…

Como enlouquecer sua mulher, por Riccardo Patrese

15 de setembro de 2008 0

O ex-piloto italiano Riccardo Patrese, que teve seus bons momentos entre 1977 e 1993 na Fórmula-1, aprontou uma sensacional para sua bela esposa Francesca. Aos 54 anos, Patrese convidou a mulher para uma volta no circuito de Jerez de la Frontera, pilotando um Honda Civic-R.

O que a esposa não sabia é que estava sendo filmada. E que o ex-piloto da Brabham, Williams e Benetton, com o segundo maior número de GP`s na Fórmula-1 (superado apenas este ano pelo brasileiro Rubens Barrichello), ia dar alguns bons sustos em sua amada (?!) esposa…

Em um clássico italiano, ela berra: “Você não está mais na Fórmula-1!!! “Mamma miaaaaaaaaaa“. Digno de nota é o impassível Patrese, que chega a levar uns tapas da esposa, segura o riso, controla o carro em alta velocidade. Ele só começa a rir de chorar quando Francesca percebe que está sendo gravada…

A filmagem foi semana passada, e o vídeo postado na sexta-feira já tem mais de 120 mil acessos. Se isto é a “maneira Patrese” de pedir divórcio, convenhamos que foi bastante inusitada…

Postado por Perin, que morreu de rir