Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

GP da ITÁLIA: Premiações Especiais

16 de setembro de 2008 1

Sebastian Vettel conquistou algumas façanhas em seu pouco tempo de Fórmula-1. Em 22 GP’s, ele foi o piloto mais jovem e em menos tempo a receber uma punição (9 segundos, no GP de estréia por ultrapassar o limite de velocidade nos boxes). Também é o mais jovem piloto a conquistar um ponto (GP dos Estados Unidos em 2007, aos 19 anos. Ele também se sagrou o mais jovem a conquistar uma pole-position, no sábado aos 21 anos, 2 meses e 10 dias.

No dia seguinte, a façanha: ele se tornou também o mais novo piloto a vencer uma corrida, quebrando um recorde que era do bicampeão Fernando Alonso. Para completar a galeria de recordes do simpático alemão, ele integrou ao lado de Heikki Kovalainen e Robert Kubica o mais jovem pódio da Fórmula-1 em todos os tempos, com média de idade de 23 anos, 11 meses e 16 dias.

Vale ressaltar que o recorde anterior era do GP da Alemanha deste ano (Hamilton, Piquet e Massa). Dos 10 pódios mais jovens da F-1, 3 são de 2008, 2 de 2003 e os demais são da temporada passada, comprovando a forte e talentosa renovação da categoria.

Com uma corrida impecável, Vettel confirma seu cartaz de promessa de gênio e afirma-se no rol de candidatos ao título nas próximas temporadas.

Lewis Hamilton, depois de um péssimo treino no sábado, fez mais uma grande corrida em chuva forte (a despeito de várias manobras com uma agressividade muito acima do necessário…) e diminuiu o prejuízo. Ainda é líder, porém um ponto à frente do brasileiro Felipe Massa. Este fez corrida sem brilho, mas também sem erros na chuva, seu ponto fraco. Já o atual campeão Kimi Raikkonen se despediu de quaisquer chances de disputar o título, estando atualmente 21 pontos atrás do líder.

A Ferrari já avisou: agora é Kimi quem vai ajudar Massa no campeonato de pilotos. Mas correndo de maneira desinteressada e burocrática, o Kimi não ajuda nem a si mesmo… 

Impressiona a quantidade de erros do polonês Robert Kubica durante os GP’s: quase zero. Ele lembra muito o estilo de Alain Prost e Emerson Fittipaldi: estrategista, rápido e com pouquíssimos erros, porém não muito agressivo… Confira agora a premiação especial para o GP da Itália aqui do Almanaque Esportivo:

Troféu “Jim Clark”: Sebastian Vettel e Toro Rosso. Mesmo que Hamilton tenha dado show na água, o alemão de Heppenheim foi especial no final de semana em Monza. Brilhou nas três fases da qualificação, liderou praticamente de ponta a ponta a corrida, sem um único erro. Mereceu a vitória e todos os elogios da imprensa européia.

A “maiden victory” de Vettel foi merecidíssima, pois não podemos considerar “sorte” chover tanto quanto choveu em Monza neste final de semana, dificultando ao máximo a pista. Especialmente analisando o fato de ter duas McLaren, duas Ferrari, duas BMW e duas Renault atrás de si. Para a Toro Rosso, ter largado em 1º e 4º, e depois vencer uma prova pela primeira vez na história, é algo fenomenal para a outrora Minardi.

Troféu “Fiofó de Ouro”: Para a equipe RBR (e a categoria de um modo geral), que terá a sorte de ano que vem se livrar oficialmente do estabanado e maluco David Coulthard.

Troféu “Chris Amon”: Para Sebastien Bourdais, pela segunda corrida seguida. O francês largou na excelente 4º colocação mas o câmbio travou antes da volta de apresentação.Para completar, teve de aguentar toda a euforia (merecida) sobre seu companheiro de equipe, muito mais jovem, promissor e talentoso. É o típico caso de bom piloto que faz um bom trabalho mas está tendo seus resultados ofuscados por uma promessa extraordinária como companheiro de equipe.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”: Sem dúvida para David Coulthard, pela enésima vez. E sempre pelos mesmos motivos, na corrida de domingo danificou e depois causou o abandono de Giancarlo Fisichella, que fazia ótima corrida pela Force India. E ainda bateu de novo, desta vez com Kazuke Nakajima no final da prova. Para um piloto tão acusado de ser apático, é inadmissível uma postura assim a poucas provas de encerrar a carreira.

Menção (des)honrosa para Heikki Kovalainen, que continua provando estar abaixo dos compatriotas Mika Hakkinen, Keke Rosberg e Raikkonen. Na corrida, acompanhar de binóculo uma STR mesmo tendo largado em segundo lugar com uma McLaren é algo indesculpável.

Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada”: Lewis Hamilton, que disse que tem “culhões” para frear mais tarde ao contrário dos “outros”(leia-se Alonso e Raikkonen). “Menas…”

Troféu “Dick Vigarista”: De novo para Hamilton, que tem se habituado como “marca” nas ultrapassagens propositadamente deixar o carro escorregar, eventualmente jogando os adversários na grama. Fez isto domingo com Mark Webber, Fernando Alonso e Timo Glock (que quase sofreu um sério acidente). Depois é punido e fica reclamando de “perseguição”…

Troféu “Rouge & Blanc”: Para o recordista de prêmios do final de semana, Lewis Hamilton. Mesmo que tenha exagerado nas ultrapassagens, o inglês provou que é diferenciado em condições de pista molhada e deu um show de ultrapassagens, rapidamente subindo do 15º lugar para a 7º colocação, de onde não conseguiu passar Massa.

Comentários (1)

  • Felipe Boni diz: 18 de setembro de 2008

    Eu fui na corrida! SIMPLESMENTE DEMAIS!

Envie seu Comentário