Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2008

Campanha Nacional - "Faça do Barrichello herói"

30 de outubro de 2008 2

BATE NELE, RUBINHO/by Buzz!!!

Um momento de descontração aqui no Almanaque Esportivo, recebi por e-mail:

Campanha Nacional – Faça do Barrichello nosso herói!!!

 

Dia 2/11 teremos a última etapa do mundial de Fórmula1, o GP Brasil. E o Hamilton já está com 7 pontos de vantagem sobre o Massa. Ou seja, basta um quinto lugar minguado pras esperanças brazucas irem pro espaço.

 

Mas e o Rubinho?

 

Sem chances na competição e com fortes indícios de que deve largar a Formula1 ano que vem, Rubinho pode ser nossa grande arma secreta no domingo, e tem uma chance única de ser aclamado como herói nacional.

Como?

Mole. Basta dar uma porrada bem dada, daquelas que o Hamilton não vai saber nem de onde veio, para tirar o líder da prova e se tornar herói nacional.

 

Convide seus amigos para esta campanha na internet, quem sabe Rubinho nos ouve!!

 

RUBINHO, BATE NO HAMILTON!!

P.S. Para quem acha que isto não adianta nada: FUNCIONA SIM!!!,

O atleticano Leonardo Bertozzi iniciou uma “corrente” via ICQ em 1999 chamada “Acerta, Ro

Postado por Perin, que na real não vai torcer pra isto…

Torcida do Flamengo quer imitar a do Inter de novo

29 de outubro de 2008 15

E os cariocas seguem plagiando os gaúchos… Hoje li no Clube da Bolinha (um dos blogs com maior audiência da RBS) que o Flamengo quer imitar (de novo, pois já fez isto ano passado com o “Tema da Vitória”), uma canção criada pela Guarda Popular do Internacional. Agora o alvo é “Minha Camisa Vermelha“, adaptação de “Pelados em Santos”, dos Mamonas Assassinas.

Em maio fiz uma série de reportagens sobre o fenômeno das “Barras”, que está mudando para melhor o ritmo nos estádios brasileiros. Ao invés das músicas essencialmente ofensivas, a dupla Gre-Nal está criando um fenômeno que mistura música popular, rock e clássicos do Brasil e do Mundo em canções altamente ritmadas e com belas melodias.

Melhor ainda: não só a “Popular” quanto a “Geral” cantam, como praticamente todo o estádio vai no mesmo embalo. Recentemente, a Geral fez isto com “Festa de Arromba“, de Erasmo Carlos, um clássico da Jovem Guarda, que virou “Festa da Geral“. Já a Popular reinventou “Seven Nation Army“, da banda norte-americana White Stripes.

Evidentemente, quando Flamengo e Corinthians, embalados pela força da Rede Globo, fazem cópias escarradas, ganham mais espaço na mídia nacional. Isto vai acabar acontecendo novamente.

Mas, ao menos no Rio Grande do Sul, nós saberemos quem tem a verdadeira originalidade…

Nos anos 90, a dupla Gre-Nal imitava os carioc as. Agora inverteu a origem das canções. E, além de inverter, MELHOROU: é menos ofensivo, é mais bonito e harmonioso. É melhor.

Postado por Perin, entusiasta deste modelo de torcer…

Inter tem melhor campanha como mandante desde 1997

29 de outubro de 2008 13

Beira-Rio tem sido fortaleza colorada em 2007 e 2008

Se como visitante, o Internacional está muito mal nas últimas duas temporadas (como podem ver no meu post: “Inter segue rotina de fiascos como visitante“), ele vai muito bem em jogos no Beira-Rio na temporada 2008 do Campeonato Brasileiro.

Até o momento são 11 vitórias como mandante, 3 empates (Sport, Figueirense e Flamengo)  e somente uma derrota (Santos), contabilizando 80% de aproveitamento.

Ao lado do rival Grêmio, o Internacional é um dos times que menos tomou gols em casa: 8 gols. Faltam jogos contra Náutico, Ipatinga, Fluminense e Cruzeiro, e a tendência é o aproveitamento melhorar ainda mais.

Na temporada inteira são 22 vitórias, 5 empates e apenas 2 derrotas (além do jogo citado contra o Santos pelo Brasileiro, um 1×0 para o Juventude na primeira fase do Gauchão). Foram marcados 58 gols no Beira-Rio e sofridos somente 15. Desde os anos 70 o Inter não tinha um aproveitamento tão bom em seus domínios, especiamente no Campeonato Nacional.

A melhor campanha como mandante nos últimos tempos foi há 11 anos, em 1997. Na ocasião treinado por Celso Roth, o time que tinha como principais destaques o goleiro André, o centroavante Christian e o ponteiro Fabiano terminou o Brasileiro em terceiro lugar.

No Beira-Rio, o Colorado venceu 12 dos 15 jogos que disputou, empatando 1 (Atlético-MG) e perdendo somente 2 (Juventude e Palmeiras), totalizando 82% de aproveitamento.

Mesmo em 2005 e 2006, quando foi vice-campeão brasileiro, o Colorado sofreu várias derrotas em casa. Algumas delas vexatórias, como 4×1 para o Goiás em 2006 e 4×1 para o Fluminense ano passado. 

A gestão Vittorio Piffero, tão criticada pelos resultados como visitante, se mostra muito superior aos números da “Era Carvalho”. Entre 2007 e 2008, o Inter teve 72% de aproveitamento contra 68% nos cinco anos anteriores.


Se o Inter bater Náutico, Ipatinga, Fluminense e Cruzeiro, o Colorado terminará o ano com impressionantes 85% de aproveitamento. São dados inferiores somente ao ano de 1976, quando foram 11 vitórias e somente UMA derrota em 12 jogos no Beira-Rio, totalizando absurdos 91% de aproveitamento.

Confiram os números abaixo da “era pontos-corridos” do Brasileirão:

2003: 23J, 13V, 7E, 3D – 70%
2004: 23J, 15V, 4E, 4D – 71%
2005: 21J, 14V, 3E, 4D – 71%

2006: 19J, 10V, 6E, 3D – 63%
2007: 19J, 12V, 2E, 5D – 67%
2008: 15J, 11V, 3E, 1D – 80%

E agora, por

Postado por Perin, direto do Instituto Perin de Estatísticas..

Lance espetacular em jogo do Avaí na Série B

29 de outubro de 2008 1

Um magistral passe de calcanhar do meia Evando, do Avaí, marcou a vitória de 3×1 sobre o Marília no último sábado. Foi o terceiro gol da partida, assinalado por William mas que contou com a jogada mágica de Evando em sua concepção.

Um dos principais destaques da bela campanha do Leão em busca do retorno à Primeira Divisão, Evando foi tema de diversas reportagens desde sábado pelo lance. O Avaí não disputa a Série A desde 1986, quando ficou na péssima 24º colocação entre 36 participantes.

No segundo tempo, Evando estava de costas para o gol quando chutou com o pé direito a bola no calcanhar do pé esquerdo. No mesmo instante, este tocou com força de calcanhar, aumentando a velocidade e invertendo a direção da bola!

A bola ficou à mercê de William, que chutou para as redes do Marília. De acordo com o vídeo abaixo, da equipe do Diário Catarinense, Evando faz isto nos treinos “de brincadeira” e tentou, pela primeira vez, a jogada em um jogo oficial.

Deu certo e o resultado foi o fantástico lance, um dos mais bonitos do ano:

Amanhã falo de minhas previsões furadas sobre o futebol catarinense para 2009…

Postado por Perin, que torce para o Avaí este ano!

Segurança na F-1, VI: o corajoso Hailwood no inferno de Kyalami

28 de outubro de 2008 3

Hailwood no meio das chamas em Kyalami`72/Revista Sprint (Itália) - Reprodução

Vocês conhecem Valentino Rossi, né? Claro que sim, afinal ninguém poderia ignorar um pentacampeão mundial das 500cc nos Mundiais de Motovelocidade. Pois bem, o inglês Mike Hailwood era uma espécie de “Valentino Rossi” das motos nos anos 50 e 60.


Com grande rivalidade contra o mito supremo Giacomo Agostini, o britânico venceu 3 títulos das 250cc, 1 das 350cc e 4 títulos consecutivos das 500cc. Para vocês terem um comparativo, o australiano Michael Doohan conquistou 4 títulos das 500cc enquanto Valentino Rossi tem 5 títulos seguidos na mesma categoria.

Na péssima e perigosa Kyalami de 1972, o inglês Mike Hailwood já tinha corrido em algumas provas de Fórmula-1 entre 1963 e 1965. Ele voltou à categoria em 1971 e em 1972 entraria para a história do automobilismo mundial por um ato de extrema coragem.

Após um acidente de corrida no GP da África do Sul com o carismático suíço Clay Regazzoni, os dois carros se incendiaram. Os fiscais conseguiram apagar o incêndio na March de Hailwood, mas a BRM de Regazzoni estava em chamas, com o piloto suíço desmaiado.

Hailwood enfrentou o fogo, queimou as mãos mas conseguiu desafivelar o cinto do suíço e retirá-lo das chamas. Ambos sofreram apenas queimaduras leves, sem maiores danos. Vejam as imagens heróicas:

Depois da corrida, a esposa de Hailwood viu as imagens e falou para o marido: “Porquê você não me falou que havia feito isto?“. Ao que o piloto inglês respondeu: “Não foi nada, bombeiros fazem isto todos os dias…”

Pelo ato de bravura, Hailwood recebeu a “George Medal”, a mais alta condecoração recebida por um britânico por atos de bravura. Infelizmente, em 1980, um caminhão com um motorista embriagado bateu no carro de Hailwood, matando o multicampeão e sua filha Michelle, de nove anos.

Apenas seis corridas depois do heroísmo de Hailwood na África do Sul, outro inglês, David Purley, receberia uma medalha idêntica, mas em um momento bem mais triste…

Isto veremos semana que vem…

SÉRIE COMPLETA

Segurança na F-1, I: GPDA e sua fundação

Segurança na F-1, II: Stewart, o pioneiro e líder

Segurança na F-1, III: O mestre Stewart e o aprendiz Cevért

Segurança na F-1, IV: O horror de Montjuich, 1975

Segurança na F-1, V: Lauda e os quatro salvadores

Segurança na F-1, VI: o corajoso Hailwood no inferno de Kyalami

Segurança na F-1, VII: o herói eterno David Purley

Grêmio pode quebrar tabu de 10 anos em BH

27 de outubro de 2008 1

Para disparar na liderança em plena reta final do Brasileiro 2008, o Grêmio precisa quebrar um tabu de 10 anos em Belo Horizonte.

Com três pontos de vantagem sobre o segundo colocado São Paulo, o Tricolor poderá dar um passo decisivo para o título vencendo o Cruzeiro no Mineirão. Isto quebraria uma sequência negativa de cinco derrotas seguidas contra este adversário.

Em terceiro lugar, o time mineiro precisa vencer o confronto direto contra o líder para se recuperar do tropeço na última rodada, quando levou 1×0 do Atlético-PR fora de casa. Caso consiga vencer a equipe celeste, o Grêmio ficará sete pontos à frente deste adversário, eliminando o mesmo da disputa pelo título faltando seis rodadas.

A última vitória ocorreu no dia 18 de outubro de 1998. Curiosamente comandado pelo mesmo técnico de hoje, Celso Roth, o Grêmio venceu com gols de Rodrigo Mendes e Scheidt, ambos no segundo tempo.

O Grêmio faria campanha de recuperação e terminaria em oitavo lugar, enquanto o Cruzeiro seria vice-campeão com Dida no gol, o veterano Valdo no meio e os atacantes Fábio Júnior e Alex Alves como destaques ofensivos.

  • 1998 – Cruzeiro 0×2 Grêmio
    1999 a 2001 – Sem jogos em BH
    2002 – Cruzeiro 3×2 Grêmio
    2003 – Cruzeiro 3×0 Grêmio
    2004 – Cruzeiro 2×0 Grêmio
    2006 – Cruzeiro 3×1 Grêmio
    2007 – Cruzeiro 2×0 Grêmio

EM 1998:

CRUZEIRO
Dida; Ronaldo, João Carlos (Jean), Marcelo e Gustavo; Marcos Paulo (Vágner), Ricardinho, Djair e Valdo; Fábio Júnior e Alex Alves.

GRÊMIO
Danrlei; Itaqui, Rodrigo Costa, Scheidt e Roger; Djair, Fabinho, Goiano (Tinga) e Robert (Palhinha); Abreu e Rodrigo Mendes.

Árbitro: Reinaldo Ribas (RJ). Renda: R$ 217.327,50, (24.791 pagantes).

  • CURIOSIDADES:
    Marcos Paulo, Djair, Valdo jogaram no Grêmio depois de atuarem pelo Cruzeiro
    Palhinha, Fabinho vieram do Cruzeiro para o Grêmio
    Abreu é ele mesmo, o “Loco Abreu” de pavorosa passagem pela Azenha mas de muito sucesso no México, titular da Seleção Uruguaia no presente momento.

OBS: penso num post deste, planejo ele no sábado e na segunda todo mundo me fura… saiu a mesma info em tudo quanto é blog aqui… hahahaha

Postado por Instituto Perin de Estatísticas

86 jogos depois, enfim o Chelsea perde em casa

27 de outubro de 2008 0

O Liverpool conseguiu bater o Chelsea em Londres! Durou incríveis 86 jogos, ou quatro anos e oito meses, mas enfim o Chelsea foi derrotado no Campeonato Inglês atuando em seu estádio.

A quase inexpugnável fortaleza de Stamford Bridge não era conquistada desde a temporada 2003/04, quando os “Blues” levaram 2×1 do Arsenal em fevereiro de 2004.

Foi também a primeira derrota de Luiz Felipe Scolari no comando do Chelsea, derrota que quase ocorrera no clássico contra o Manchester United no mês passado. Aliás, o Chelsea sofreu seus maiores “sustos” em sua longa invencibilidade justamente em clássicos contra o Manchester United, Arsenal e Liverpool, quando esteve bem perto de perder a invencibilidade.

Desta vez não deu. O gol de Xabi Alonso logo aos nove minutos deixou o Liverpool na liderança com 23 pontos. Os “Reds” agora tem três pontos a mais que o próprio Chelsea, quatro sobre o Arsenal e oito sobre o Manchester United, atual campeão e que tem um jogo a menos.

Postado por Perin, que não viu este jogo pois estava dormindo

Inter segue rotina de fiascos como visitante

26 de outubro de 2008 7

Campanha Geral como Visitante no Brasileiro 2008/Tabelasdefutebol.blogspot.com

O empate em 2×2 contra o Atlético-MG apenas confirmou uma triste sina para o Internacional. Nas últimas duas temporadas, o Colorado tem tido um péssimo aproveitamento como visitante.

Neste Brasileiro são 16 jogos com apenas duas vitórias e cinco empates, contra nove derrotas. A aproveitamento é de pífios 23%. O Inter está em 7º lugar na classificação geral, mas no aproveitamento como visitante está em 12º lugar com apenas 11 pontos.

O Flamengo, primeiro neste quesito, tem 23 pontos, mais que o dobro. O líder Grêmio possui 20 pontos e está empatado com o Cruzeiro, mas este jogou um jogo a mais como visitante (e perdeu). Os piores visitantes estão justamente na zona de rebaixamento: Vasco da Gama (9 pts), Portuguesa (5 pts), Atlético-PR e Ipatinga (4 pontos).

O aproveitamento de 2008 é pior que o do ano passado, quando o Internacional venceu três jogos e empatou sete, ficando com 28% de aproveitamento.

A melhor campanha como visitante foi em 2006, quando o Colorado terminou vice-campeão com 58% de aproveitamento em 19 jogos como visitante. Em 2005, também vice-campeão, o Inter ficou com 52%.

Os números da gestão Vittorio Piffero são muito inferiores aos obtidos por Fernando Carvalho. Entre 2003 e 2006, o Colorado teve 41% de aproveitamento como visitante. Já Piffero teve apenas 26% de aproveitamento.

Confiram os números desde 2003, quando o campeonato passou a ser em pontos-corridos:

2003: 23J, 7V, 3E, 13D – 34%
2004: 23J, 5V, 3E, 15D – 26%
2005: 21J, 9V, 6E, 6D – 52%
2006: 19J, 10V, 3E, 6D – 58%
2007: 19J, 3V, 7E, 9D – 28%
2008: 16J, 2V, 5E, 9D -23%
 
Gestão Fernando Carvalho (2002/06): 98J, 34V, 21E, 43D -  41%
Gestão Vittorio Piffero (2007/08): 35J, 5V, 12E, 18D – 26%

Postado por Instituto Perin de Estatísticas

Contra o Galo, Inter tem tabu desde 95 no Mineirão

25 de outubro de 2008 2

Aílton, em seu auge atuando pelo Werder Bremen

Neste sábado, o Internacional tenta superar um jejum que já dura mais de uma década. Há treze anos o Colorado não vence o Atlético-MG no Mineirão. Sua última vitória  sobre o Galo no principal estádio mineiro foi em 1995, quando o centroavante Aílton (então desconhecido e que depois marcaria época na Alemanha) fez um golaço com direito a drible no goleiro tetracampeão mundial Taffarel, 1×0 pelo primeiro turno do Brasileiro daquele ano. Confira:

Na ocasião, o time era treinado por Abel Braga e tinha como principais nomes o zagueiro paraguaio Gamarra, o goleiro argentino Goicoechea e o atacante Leandro Machado. Aílton, que tinha sido artilheiro do Gauchão daquele ano, alternou bons e maus momentos e foi negociado para o Guarani, aonde se destacou.

Vendido para o futebol mexicano em 1997 e depois para o Werder Bremen, ele foi campeão alemão, artilheiro e melhor jogador da competição em 2004, além de ter sido campeão da Copa da Alemanha em 1999 e 2004. Depois de passagens pelo Schalke 04, futebol ucraniano, sérvio e suíço, Aílton joga na segunda divisão austríaca, no Rheindorf Altach.

Desde então, o Internacional venceu uma vez em Belo Horizonte, empatou 4 e perdeu 3. Sua única vitória foi em 2003, com dois gols de Nilmar mas jogando no estádio Independência.

Ano passado, vencia por 2×0 com gols de Gil e Fernandão. Mas levou gols aos 41 e 45 minutos do segundo tempo, cedendo um empate de maneira ridícula e sepultando qualquer possibilidade de Libertadores.

Em compensação, o Atlético-MG não vence o Internacional há 9 jogos, com 6 empates e 3 derrotas. A última vez que o Galo superou o Colorado foi em 2002, quando venceu de virada por 3×2 no estádio Independência pelo Campeonato Brasileiro. O jogo ficou marcado pelo milésimo gol colorado em Campeonatos Brasileiros, assinalado pelo lateral-esquerdo Cássio.

Postado por Perin, que não gostava do Aílton

Inter invicto em casa há 23 jogos continentais

23 de outubro de 2008 5

Com a vitória de 2×0 sobre o Boca Juniors, o Internacional manteve uma bela escrita. O Colorado completou 23 jogos invicto em seus domínios em partidas por competições continentais, incluindo Copa Sul-Americana, Recopa Sul-Americana e Copa Libertadores da América.

A última derrota foi na trágica campanha de 1993 pela Libertadores, quando o Inter ficou em último lugar em seu grupo, perdendo para o Nacional de Medellín por 1×0 no Beira-Rio.

De lá para cá, considerando-se um hiato de 10 anos sem jogos oficiais por competições continentais, o Colorado disputou 12 jogos pela Copa Sul-Americana, 10 pela Libertadores e mais 1 pela Recopa Sul-Americana.

São oito jogos contra times brasileiros, cinco contra argentinos, três uruguaios, dois mexicanos, dois equatorianos, um chileno, um colombiano e um paraguaio.

Dois times foram os mais enfrentados neste período: Nacional-URU e Boca Juniors-ARG. Curiosamente, estes times sofreram 2 derrotas e 1 empate. Em todos estes jogos, o Inter deu a volta olímpica duas vezes: campeão da Libertadores em 2006 contra o São Paulo (2×2) e da Recopa Sul-Americana contra o Pachuca (4×0).

Em compensação, o Inter foi eliminado duas vezes. Isto ocorreu nos confrontos contra o Boca Juniors (0×0 em 2004 pela Sul-Americana) e Nacional (1×0 pela Libertadores 2007).

ÚLTIMA DERROTA
1993 – Copa Libertadores – Internacional 0×1 Nacional-COL – 16 de março de 1993

SÉRIE INVICTA
2003 – Copa Sul-Americana – Internacional 3×1 Flamengo
2004 – Copa Sul-Americana – Internacional 1×1 Figueirense
2004 – Copa Sul-Americana – Internacional 2×0 Grêmio
2004 – Copa Sul-Americana – Internacional 3×1 Cruzeiro
2004 – Copa Sul-Americana – Internacional 1×0 Júnior Barranquilla-COL
2004 – Copa Sul-Americana – Internacional 0×0 Boca Juniors-ARG
2005 – Copa Sul-Americana – Internacional 2×1 São Paulo
2005 – Copa Sul-Americana – Internacional 1×1 Rosário Central-ARG
2005 – Copa Sul-Americana – Internacional 1×0 Boca Juniors-ARG (eliminado)
2006 – Copa Libertadores – Internacional 3×0 Nacional-URU
2006 – Copa Libertadores – Internacional 3×2 Pumas-MEX
2006 – Copa Libertadores – Internacional 4×0 Maracaibo-VEN
2006 – Copa Libertadores – Internacional 0×0 Nacional-URU
2006 – Copa Libertadores – Internacional 2×0 LDU-EQU
2006 – Copa Libertadores – Internacional 2×0 Libertad-PAR
2006 – Copa Libertadores – Internacional 2×2 São Paulo – CAMPEÃO
2007 – Copa Libertadores – Internacional 3×0 Emelec-EQU
2007 – Copa Libertadores – Internacional 0×0 Vélez Sarsfield-ARG
2007 – Copa Libertadores – Internacional 1×0 Nacional-URU (eliminado)
2007 – Recopa Sul-Americana – Internacional 4×0 Pachuca-MEX – CAMPEÃO
2008 – Copa Sul-Americana – Internacional 1×1 Grêmio
2008 – Copa Sul-Americana – Internacional 0×0 Universidad Catolica-CHI
2008 – Copa Sul-Americana – Internacional 2×0 Boca Juniors-ARG (em andamento)

Postado por Perin, direto do IPE…