Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 20 novembro 2008

Bela homenagem à Arthur Dallegrave

20 de novembro de 2008 6

Anúncio do Inter em homenagem à Dallegrave/Marcelo Pimentel, agência Escala

Conheci Arthur Dallegrave há uns 5 anos. Sempre bem arrumado, algumas vezes bravo com alguém (normalmente jogadores folgados), mas sempre de um humor fino, educado e respeitoso Especialmente com o arquirrival. Dallegrave era um símbolo de amor ao Internacional, com mais de meio século ligado ao clube da Beira-Rio (estádio que, aliás, ajudou a construir).

Assim que soube da morte do grande dirigente colorado, o Grêmio Foot-Ball Portoalegrense colocou sua bandeira oficial a meio mastro e decretou luto oficial de três dias, mostrando que o futebol pode unir duas coisas tão rivais como Grêmio e Inter.

Hoje saiu uma peça publicitária oficial do Internacional citando este fato. Estou reproduzindo a mesma aqui no Almanaque Esportivo.

Em uma matéria sobre sua vida, vi uma foto dele com um jovem Paulo Odone e um igualmente jovem Fábio Koff. O ano era 1982 e Dallegrave tratava os dirigentes do co-irmão (como gostava de falar) como sempre: com educação, elegância e uma sempre presente “flauta“. Aliás, o maior presidente da história Tricolor, é grande amigo de Fernando Carvalho, igualmente o maior dirigente colorado em todos os tempos.

Em um momento que a violência ganhou de novo da civilidade, como vimos no Olímpico no último domingo, a morte de Dallegrave nos lembrou coisas lindas do futebol.

Sentimentos como a esportividade, a camaradagem e, acima de tudo, RESPEITO.
RESPEITO ao adversário, inimigo imortal em quase um século de rivalidade. Mas dentro do campo. Na bola.

E não em tiroteios, brigas, violência organizada e planejada. Fora dela, somos todos irmãos, seres humanos, homo sapiens. É verdade que alguns menos “sapiens” que outros…

Afinal existem casais separados no futebol, pais e filhos que torcem para times diferentes, irmãos divididos pela paixão. Mas que seguem suas vidas se amando.

Isto vale para todos. Futebol é um esporte. Não uma guerra…

Que o exemplo dado pela diretoria do Grêmio e lembrado pela diretoria do Internacional ajude a iluminar a mente de quem pode agir.

A impunidade é a mãe de todas as injustiças, em especial a violência.

 

Postado por Perin, saudando o grande Dallegrave