Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pontos corridos no último jogo, parte II

28 de novembro de 2008 2

Verón, o herói do Estudiantes e da Lazio nas histórias de hoje

Depois de contar duas histórias sensacionais do futebol alemão, hoje mais exemplos de campeonatos em pontos corridos que foram atirados pelo ralo no último instante, dando títulos inesperados para azarões nas rodadas finais.

Serão abordados o Campeonato Apertura do Argentino em 2006 e o Campeonato Italiano de 2000, conquistados por Estudiantes de La Plata e Lazio, respectivamente.

CAMPEONATO ARGENTINO APERTURA 2006 – Estudiantes de La Plata campeão

Em 2006 o Boca Juniors era o virtual campeão argentino, em um campeonato com mortes, muita violência e confusão fora dos gramados. Faltando apenas 2 rodadas, o arrogante técnico Ricardo La Volpe falou: “peço demissão se o Boca não for campeão”.

Tal confiança era válida: 4 pontos na frente, o Boca só perderia o título para o Estudiantes se tropecasse nos fracos Belgrano e Lanús, este em “La Bombonera”. O Boca ainda estava invicto há 17 jogos, mas o Estudiantes vinha de 11 vitórias seguidas e no encalço do time da capital.

Pois bem, no primeiro jogo em Córdoba o Boca jogou muito mal e levou 1×0 do medíocre Belgrano. Porém o Estudiantes, que vencia de virada o Argentino Juniors por 2×1, enfiou no lixo a vantagem ao levar um gol nos acréscimos e empatar.

Com este resultado, um mísero empate na última rodada daria o título para o Boca, adiando o sonho de acabar com 23 anos de jejum sem títulos nacionais para o Estudiantes.

Na última rodada, me sentei para ver Boca Juniors x Lanús, em VT de jogo que eu fiz questão de não ver na internet para saber os resultados. O Boca saiu na frente com um gol de Martín Palermo (de pênalti, pasmem!).

Porém o Lanús empatou no primeiro tempo e virou na etapa complementar. Para desespero do Boca, o Estudiantes fez 2 gols no finalzinho e bateu o Arsenal de Sarandí por 2×0. Tudo empatado e teríamos jogo extra! Vejam os gols do desastre da Bombonera:

No jogo extra, brilhou o talento do craque argentino Juan Sebástian Verón, de volta ao time de seu pai (Juan Ramón Verón, tricampeão da América nos anos 60), e do técnico Diego Simeone, em início de carreira. O Boca saiu na frente com um gol de Palermo logo a quatro minutos. Com muita raça e bom futebol, o Estudiantes virou no segundo tempo com gols de José Sosa e do matador Mariano Pavone. Vejam os gols no compacto da partida:

Enfim o ano de 1983 acabara. O Estudiantes de La Plata se sagrou campeão argentino depois de 23 anos. De quebra, quebrou um jejum de nove anos e 21 jogos sem vencer o Boca Juniors. E La Volpe, claro, pediu demissão.

CAMPEONATO ITALIANO 2000 – Lazio campeã
Nos anos 80 e 90, eram notórias as reclamações de todos os times do futebol italiano contra as arbitragens. Quase sempre o Milan e especialmente a Juventus eram beneficiadas. Em 1998, a Internazionale virtualmente perdeu o título em um jogo que não deram um pênalti em Ronaldo Nazário e na sequência Alessandro Del Piero marcou um gol irregular.


Dois anos se passaram e a Juve liderava em ABRIL com NOVE pontos de vantagem sobre a Lazio. O título era iminente… Mas o time de Zidane e Del Piero caiu muito de rendimento na reta final da competição, perdendo para Milan, Lazio e Verona nas últimas rodadas.


Na penúltima rodada, em Turim, a Juve vencia o Parma por 1×0 quando, nos acréscimos, o árbitro Massimo De Sanctis anulou inexplicavelmente o gol do time visitante. Mais bizarramente, ele anunciou os “motivos” (inexistentes) menos de 30 minutos depois do jogo em uma entrevista exclusiva para um único jornalista, algo que deixou todos muito desconfiados.


Três anos depois, a Juventus seria rebaixada para a Série B por causa de um escândalo de arbitragens a seu favor, justificando toda a paranóia construída no futebol italiano ao longo das décadas.


Com um timaço com os astros Pavel Nedved, Marcelo Salas, Alessandro Nesta e Juan Sebástian Verón, a Lazio começava a última rodada com dois pontos de desvantagem: 72 a 70. Precisava vencer a Reggina em casa e torcer por um empate da Juventus fora contra o Perugia para levar a decisão a um jogo extra, ou uma improvável derrota bianconera para conquistar o título italiano.


A Lazio fez sua parte com fáceis 3×0, mas as atenções foram para o estádio Renato Curi, em Perugia. Lá, depois de 0×0 no primeiro tempo com gramado encharcado, o legendário árbitro Pierluigi Collina esperou 82 minutos no intervalo até que a chuva diminuísse.


Isto ocorreu e na saída do segundo tempo, o zagueirão Alessandro Calori marcou um golaço e fez 1×0 para o Perugia. Descontrolada, a equipe treinada por Carlo Ancelotti não conseguiu empatar e jogou fora um título que era certo. Vejam cenas da loucura que foi aquela última rodada, decidida e acompanhada pelo radinho:

Lazio campeã italiana pela segunda e última vez. Um prêmio para a lenda Roberto Mancini, que se despediu dos gramados com o título. E um castigo divino para uma campanha altamente suspeita da Juventus…

Amanhã: o inigualável Campeonato Inglês de 1989

Comentários (2)

  • Vladi diz: 29 de novembro de 2008

    Ah… mais um gremista… coitado… Só faltou contar a batalha dos aflitos…

  • Rafael diz: 29 de novembro de 2008

    Parabéns pelo blog Perin. Trazendo sempre informações interessantes e curiosidades, ao contrário de muitos coleguinhas teus q adoram manchetes sensacionalistas e polêmicas q provocam grande número de comentários.Continue assim!

Envie seu Comentário