Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2008

Falta de profissionalismo do jogador brasileiro

31 de dezembro de 2008 1

Jogador brasileiro muitas vezes é acusado de ter uma péssima atitude profissional. É negociado por valores expressivos e, ao chegar em um novo clube (normalmente no exterior), começa a arranjar desculpas ridículas para voltar ao Brasil ou mudar de time.

Isto ocorre porque os dirigentes brasileiros, em sua maioria, são paternalistas e encobrem erros profissionais dos atletas daqui. Quando chegam na Europa, levam nas costas.

Lembro do Luís Fabiano, com dificuldades de comunicação no Porto (?!), ou de Viola, com “saudades do feijão” na belíssima Valência (?!?!?!). São por caprichos assim que jogadores menos talentosos (especialmente os argentinos), valem mais em suas primeiras negociações com a Europa: a chance de dar errado dentro de campo é igual, mas a chance de dar errado por falta de profissionalismo é bem menor…

Agora mais um exemplo: o jovem Marquinhos, formado no Vitória, está claramente forçando sua desconvocação para se apresentar ao Palmeiras, ficando de fora do Campeonato Sul-Americano Sub-20.

É o típico atleta que nunca mais deve ser convocado por treinador de Seleção Brasileira em qualquer categoria, para aprender a ter mais profissionalismo e correção dentro e fora dos gramados.

 

Postado por Perin, que se irrita com estas babaquices…

Gascoigne: a morte anunciada de um craque

30 de dezembro de 2008 4

Paul Gascoigne, um gênio dentro de campo e louco fora

Um dos mais talentosos meias que eu vi atuar na vida se chama Paul Gascoigne.  “Gazza“, como ficou conhecido entre os ingleses.

Hoje li uma matéria na qual seu filho de 12 anos, Regan Gascoigne, afirmou duramente: “Ele provavelmente, morrerá em breve. Não acho que sirva de nada ajudá-lo. É uma perda de tempo. Se pudesse pedir um desejo, desejaria que nos deixasse”. Reflexo de anos sem apoio paterno e de incontáveis problemas dentro e fora dos gramados.  O fim de um craque.

Definir Gascoigne é fácil. Pegue um extremo e leve a outro. Misture verbos. Incontrolável dentro e fora dos gramados.
Sanguíneo, raçudo, emotivo.
Talentoso, mortal, chute poderoso, habilidade incomum e grande visão de jogo.

Tudo para se tornar um dos maiores da história. Mas não foi bem assim… Vejamos agora as manchetes dos últimos meses sobre o ex-craque inglês, de 41 anos:
- Desapareceu da clínica de reabilitação que estava internado e na qual havia sido liberado para passar o Natal com a família (dezembro)
Internado em uma clínica de recuperação para alcóolatras (novembro)
- Condenado a pagar quase 700 mil reais de impostos e multa ao Governo Britânico (novembro)
- Bateu em um fotógrafo que registrava suas desesperadas tentativas de entrar em um bar fechado (setembro)
- Internado com overdose de álcool e drogas em Portugal (setembro)
- Sumiu após acompanhar parte de uma turnê da banda de rock `Iron Maiden` (agosto)
- Detido pela polícia por confusões em dois hotéis (fevereiro)

Chocante? Não mais se soubermos da trajetória deste craque dos gramados, capaz de lances geniais e confusões homéricas. Alcóolatra convicto, Gazza tem ainda problemas de peso (bulimia), depressão e transtorno bipolar. Problemas legais e financeiros complementam a vida desregrada do ex-craque de Newcastle, Tottenham, Lazio, Glasgow Rangers, Middlesbrough e Everton, além de times menores nos quais encerrou a carreira aos 37 anos.

Nascido em uma família pobre, com várias histórias de mortes acidentais envolvendo-o profundamente até a vida adulta, Gascoigne viveu sempre entre a glória e a sarjeta.

Surgido no final dos anos 80 no Newcastle United, Gascoigne foi o jogador mais caro do futebol inglês até 1987 ao ser negociado com o Tottenham Hotspur (pela vultosa soma de 2.3 milhões de libras). Ele estava acertado verbalmente com o Manchester United, mas preferiu a equipe de Londres, na época muito mais poderosa financeira e tecnicamente. E que comprou uma casa nova para sua paupérrima família.

Ao lado de craques como Gary Lineker (artilheiro da Copa de 1986), Gascoigne brilhou no time treinado por Terry Venables e era o principal jogador da excepcional Inglaterra de 1990 (para mim, um time melhor que a eventual campeã Alemanha). Foi justamente ele quem comandou o “English Team” na memorável partida contra Camarões, o 3×2 inesquecível do melhor jogo da Copa.

Nas semifinais, a primeira grande decepção da carreira de Gazza: ele foi o melhor em campo, ofuscou completamente o astro alemão Lothar Matthaus mas foi incapaz de garantir a classificação para a final, perdendo nos pênaltis em Turim. Em 1991 estava negociado com a

Postado por Perin, saudando Paul Gascoigne

O dilema de Amauri: Itália ou Brasil?

30 de dezembro de 2008 1

Amauri, artilheiro no futebol italiano/site oficial da Juventus

Nas últimas semanas, um dos assuntos mais debatidos na imprensa esportiva brasileira é a utilização do centroavante Amauri, da Juventus. Vice-artilheiro do Campeonato Italiano pela poderosa Juventus com 11 gols, ele já havia se destacado nas três temporadas anteriores, mantendo uma média de 1 gol a cada 2 jogos na dura Série A italiana jogando por times modestos como Chievo Verona e Palermo.

A imprensa italiana e o próprio técnico Marcello Lippi desejam que Amauri, casado com uma brasileira que deve obter cidadania italiana até junho, aceite ser convocado pela Seleção Italiana após sua naturalização.

Amauri, em contrapartida, já deixou bastante claro que deseja jogar pela Seleção Brasileira, sem no entanto negar enfaticamente que não irá atuar pela Itália, atual campeã mundial.

Pressionado pela imprensa brasileira e recebendo a indicação até do goleiro titular Júlio César (rival atuando pela Internazionale), Dunga já admite convocar Amauri.

Ele afirmou que o centroavante terá que obter espaço contra Luis Fabiano, Alexandre Pato e Adriano. Até aí tudo bem, afinal Luís Fabiano tem correspondido (e muito bem), apesar de ser um jogador mais veloz, baixo e técnico que Amauri. Já Adriano vive em sua interminável crise interna e por enquanto não seria rival.

O que fica curioso é que quando Alexandre Pato (comparado a Ronaldo pelo próprio Dunga recentemente) é convocado, o treinador do Brasil não coloca ele em campo enquanto os fraquíssimos Afonsão, Vágner Love e Jô são bem mais aproveitados. Aliás, as contínuas chamadas de Jô devem ser para cumprir acordo (financeiro?) com o Manchester City, que precisava de convocações para liberar sua contratação perante a Justiça do Trabalho britãnica.

Surgido no futebol catarinense, o gigante de 1.90m nascido no interior de São Paulo começou a se destacar em 2000, no torneio de juniores em Villaregio, Itália. Foi negociado pelo Santa Catarina (um time de empresários) para o Bellinzona, da Suíça. De lá, Amauri foi comprado pelo Parma que o repassou ao Napoli e depois sucessivamente ao Piacenza, Empoli e Messina, onde teve relativo destaque.

Ele foi para o Chievo Verona e neste time, 4° colocado no Italiano 2005-06, foi um dos melhores jogadores da temporada, fazendo 11 gols.  Nos dois anos seguintes, mesmo ficando seis meses parado por lesão no joelho, Amauri brilhou pelo Palermo marcando quase 30 gols na Série A e chamando a atenção da poderosa Juventus.

De boa técnica, chute poderoso, exímio cabeceio e enorme faro de gol, ele é muito comparado com o holandês Ruud van Nistelrooy, um dos maiores goleadores do futebol europeu na última década. Já na primeira temporada, brilha marcando gols decisivos em clássicos (fez dois contra o Milan recentemente) e sendo um dos melhores jogadores da vice-líder do Italiano 2008-09.

Amauri, nascido no Brasil, criado aqui até os 20 anos e filho de brasileiros, é um brasileiro nato. Sua convocação pela Azzurra, atuando por um país no qual reside há sete anos, só teria sentido se ele não tivesse qualidade para defender a Seleção Brasileira (o que não é o caso). Um exemplo disto é Roger GuerreiroPostado por Perin, que torce pela convocação de Amauri

`A BARCA VAI LEVAR`: quem está saindo na Dupla

29 de dezembro de 2008 2

Bruno Teles, um dos que não ficam no Grêmio em 2009/site oficial do Grêmio

Confira uma lista mais completa com destino de jogadores da dupla Gre-Nal que foram dispensados, além daqueles que aguaram igual destino no Beira-Rio e Olímpico.

São atletas que não estão nos planos e, em alguns pouquíssimos casos, jogadores que estão sendo emprestados para ganharem experiência e ritmo de jogo.

A lista inclui jogadores que saíram em definitivo, atletas que saíram emprestados e atletas que foram emprestados mas não estão nos planos de Grêmio e Internacional.

Aliás, com um inchado elenco, o Colorado deve ser um dos recordistas brasileiros em dispensas para a temporads 2009: 16 jogadores já arranjaram destino e outros 11 atletas devem deixar o clube nas próximas semanas.

No Tricolor, são 7 profissionais sem previsão de uso para 2009 enquanto 9 jogadores já foram dispensados/negociados ou retornaram de empréstimo

Então confiram as `barcas de dispensas` da dupla Gre-Nal:

INTERNACIONAL
A SEREM DISPENSADOS OU EMPRESTADOS – 11 jogadores

Jonas (volante e lateral-direito), Ji-Paraná (volante), Gil (atacante), Luís Carlos (atacante), Wellington Monteiro (volante), Eduardo Gottardi (goleiro), Abu (meia-atacante), Bustos (lateral-direito), Maycon (volante), Ramon (lateral-esquerdo), Josimar (volante)

JÁ DISPENSADOS OU EMPRESTADOS – 16 jogadores
Daniel Carvalho – atacante – CSKA Moscou-RUS (retorno)
Ricardo Lopes – lateral-direito – sem clube
Orozco – zagueiro – Nacional-COL
Ângelo (ADAP) – lateral-direito – ADAP-PR (retorno)
Adriano Gabiru – meia – sem clube
Adriano – atacante – Málaga-ESP
Titi – zagueiro – Vasco da Gama (*)
Guto – atacante – Náutico (*)
Michel – atacante – sem clube
Chiquinho – lateral-esquerdo – sem clube
Diogo – meia-atacante – sem clube
Fernando – volante – Fortaleza (*)
Ricardo – goleiro – Fortaleza
Derley – volante – Náutico (*)
Rodrigo Paulista – atacante – Náutico (*)
Pessanha – zagueiro – Boavista-POR
OBS: (*) – Empréstimos

GRÊMIO
A SEREM DISPENSADOS OU EMPRESTADOS – 7 jogadores
Jonas (atacante), Tadeu (atacante), Peter (meia), Ramon (meia-atacante), Rudinei (volante), Bruno Teles (lateral-esquerdo), Nunes (volante)

JÁ DISPENSADOS OU NEGOCIADOS – 9 jogadores
Rafael Carioca – volante – Spartak Moscou-RUS
Jean – zagueiro – Corinthians
Amaral – volante – Vasco da Gama (retorno)
Soares – atacante – Cruzeiro
Makelele – volante – Palmeiras (retorno)
Paulo Sérgio – lateral-direito – Vasco da Gama
André Luís – atacante – Cruzeiro
Pereira – zagueiro – Coritiba
Marcel – atacante – Vissel Kobe-JAP

P.S. Explicação sobre a origem da expressão `a barca está partindo`: Morei muitos anos em Juiz de Fora-MG e acostumei a ler o “Jornal dos Sports” para pescar informações sobre o futebol gaúcho. Naquelas priscas eras pré-internet, a sorte é que o editor do dia tivesse espaço para colocar alguma migalha de coluninha sobre a Dupla Gre-Nal

Postado por Perin, com informações caçadas na internet…

Análise: transferências internacionais em 2008

28 de dezembro de 2008 2

Fabiano Eller foi em 2007 e não 2008, CBF!!!/Site Oficial do Internacional

Mais uma prova da incompetência da CBF é esta listagem do “registro de transferências para o exterior” divulgado ano após ano no site oficial da entidade.

Na edição de 2008, foi destacado que 1.176 jogadores foram embora do país, contra 676 retornos. Inclusive está explícito, e foi utilizado em várias matérias, que o Internacional e o Grêmio foram os principais `exportadores` de talentos.

Porém uma análise mais aprofundada deixa claro vários erros da entidade. Jogadores já transferidos no ano passado estão na lista deste ano (um exemplo grosseiro é o de Fabiano Eller, que deixou o Internacional em 2007 mas só teve seu registro efetuado em 2008).

Tem ainda o zagueiro Gustavo Tormenta, que atua na Bélgica e foi negociado pelo Juventude, clube que defendeu em suas categorias de base entre 2005 e 2008. Porém no registro de transferências está… Internacional, clube que jogou até 2004. Dã…

Também é importante separar “joio do trigo” nesta análise: na lista de 14 jogadores do Grêmio, por exemplo, estão claros os retornos de atletas emprestados, como foi o caso de Herrera, Marcel, Diego Souza e Diego Saja. Ou seja, o Grêmio negociou 10 jogadores e não 14.

Outro fato curioso são as transferências envolvendo atletas desconhecidos. Conheço um monte de jogadores e times das categorias de base da dupla Gre-Nal, mas existem atletas que eu nunca ouvi falar: Tiago Silva, Rogério Antônio (Inter), Julio Colares, Jorge Silva, Tiago Farias, Alex Gonçalves (Grêmio).

INTERNACIONAL
Wellington – centroavante – Hoffenheim-ALE
Gustavo – zagueiro – Germinal Beerschot-BEL (ele tava no Juventude desde 2005, erro da CBF)
Pinga – meia-atacante – Al-Wahda-EAU
Renan – goleiro – Valencia-ESP
Rodrigo Possebom – volante – Manchester United-ING
Alexandre Pato – atacante – Milan-ITA (oficialmente só foi contratado em janeiro)
Léo – atacante – Lecce-ITA
Tiago Silva – zagueiro – Alba Borga-ITA (desconheço)
Mineiro – zagueiro – Gamba Osaka-JAP
Bruno Grassi – goleiro – Marítimo-POR
João Guilherme – zagueiro – Marítimo-POR
Márcio Mossoró – meia-atacante – Braga-POR
Sídnei – zagueiro – Benfica-POR
Fernandão – meia – Al-Gharafa-CAT
Cauê – zagueiro – Politehnica Lasi-ROM
Fabiano Eler – zagueiro – Trabzonspor-TUR (este é cagada da CBF, sem dúvidas)
Rogério Antônio – goleiro – Benfica-POR (desconheço)

GRÊMIO
Marcelinho – atacante – Wolfsburg
Diego Saja – goleiro – San Lorenzo (retorno)
Herrera – atacante – Gimnasia La Plata (retorno)
Julio Colares – defensor – Chaleroi-BEL (desconheço)
Jorge Silva – desconheço – Daegu-COR (desconheço)
Edmílson – volante – Galatics-EUA
Luciano Fonseca – atacante – Iraklis-GRE
Amoroso – atacante – Aris Salonica-GRE
Bruno Coutinho – volante – Jagiellonia Bialystok-POL
Alex Gonçalves – desconheço – Partizan Belgrado-SER
Aloísio – atacante – FC Chiasso-SUI
Tiago Farias – desconheço – Real Sport Clube-POR
Diego Souza – volante – Benfica-POR
Marcel – atacante – Benfica-POR
Marcelo Labarthe – volante – Sporting-POR

Postado por Perin, com dados do I.P.E.

Ranking de eleições no futebol brasileiro

23 de dezembro de 2008 2

O Internacional, clube com mais sócios no futebol sul-americano, também já possui o maior pleito da história dos grandes clubes de futebol do Brasil.

Os 7.400 eleitores que compareceram há duas semanas, de um universo de 25 mil sócios aptos para votar, fizeram da eleição de 2008 para Presidente e formação do Conselho Deliberativo a maior do futebol brasileiro.

Na eleição anterior em 2004, aproximadamente 4 mil de quase 9 mil aptos compareceram ao Gigantinho no dia de votação. Em um clima de paz eleitoral, os últimos anos nada se parecem com os pleitos entre 1996 e 2002 no Beira-Rio, em épocas de vacas magras no futebol e forte pressão popular.

Na eleição mais tumultuada da história recente do clube foi em 1998. Então unidos na Oposição, Fernando Miranda e Fernando Carvalho conseguiram 1.392 votos para sua chapa no Conselho Deliberativo, contra 1.046 votos da chapa de Situação, comandada pelo finado e então presidente Paulo Rogério Amoretty. Como na época a eleição não era proporcional, uma chapa inteira de novos conselheiros de oposição entrou no clube.

No ano seguinte, a Oposição rachou e apresentou dois candidatos, Fernando Carvalho e Jarbas Lima. Deu o ex-deputado federal do PDS e PPB por 12 votos na última eleição indireta do clube.

Jarbas Lima, que nunca tinha se envolvido com o clube de maneira integral, foi acusado por muitos (inclusive por mim) de ser um mero “testa-de-ferro” do grupo comandado por Miranda (que sofria de forte rejeição interna no conselho e entrou como 1º vice-presidente eleito). Após um ano de mandado, renunciou por razões ditas de saúde, assumindo Miranda em seu lugar.

No ranking abaixo, das sete maiores eleições que eu consegui informações, cinco são da dupla Gre-Nal. Com gigantescos quadros sociais, Grêmio e Inter estão muito à frente dos rivais. Nas duas maiores torcidas do país, o Flamengo já tem eleições diretas desde 2001, enquanto o Corinthians só chegará a este estágio a partir de 2008, com primeira eleição marcada para o ano que vem.

Clubes como São Paulo, Palmeiras e Atlético-PR, com quadros sociais relativamente grandes, não tiveram eleições diretas. O Palmeiras recentemente teve uma eleição do Conselho Deliberativo com cerca de 1.400 sócios presentes.

RANKING DAS MAIORES VOTAÇÕES

Internacional – 2008 – 7.473 votos – Reeleição de Vittorio Píffero
Grêmio – 2008 – 5.365 votos – Eleição de Duda Kroeff
Internacional – 2001 – 4.171 – Eleição de Fernando Carvalho
Internacional – 2004 – 3.977 votos – Reeleição de Fernando Carvalho

Grêmio – 2004 – 2.427 votos – Eleição de Paulo Odone
Flamengo – 2001 – 2.367 votos – Eleição de Edmundo Santos Silva
Flamengo – 2003 – 2.058 votos – Eleição de Márcio Braga

Postado por Perin, com dados do I.P.E.

A África pede socorro... Há centenas de anos!

23 de dezembro de 2008 1

Quem pode ajudar, nada faz. /AP

Fugindo do assunto de Esportes… Cresci lendo a coluna “Bola Dividida” do Mario Marcos de Souza na Zero Hora. Sim, eu sou daqueles que lê o jornal “de trás para frente”. Tenho muitas colunas de sábado do Mário Marcos salvas e catalogadas em meus organizados artigos sobre futebol. 

Semana passada li que uma de suas memoráveis colunas (Flores para a pequena Senyo“), recebeu uma justa menção honrosa no prêmio ARI, categoria Reportagem Esportiva.

A coluna fala da visita do craque inglês (e astro midiático internacional) David Beckham e de seu encontro com uma pequena menina chamada Senyo a um dos lugares mais miseráveis do planeta: a África Subsaariana e seu expoente, o violento e paupérrimo Serra Leoa.

Caro Mario Marcos, existe um prêmio maior que você pode receber. Aliás, todos nós, seres humanos, podemos.

A melhor premiação existente seria que o mundo não precise da visita de David Beckham, da Princesa Diana, de uma campanha como a “USA for Africa“, de 1985, para saber que existe uma catástrofe humanitária, sanitária e social na África. 

Ele já sabe. Há muito tempo, tantos filmes como “O Jardineiro Fiel”, “Diamantes de Sangue” (este justamente em Serra Leoa), “O Senhor das Armas”, “Hotel Rwanda”. Livros como “Muito Longe de Casa”, de Ishmael Beach, ou a história de Paul Rusesabagina no genocídio de Ruanda foram mais do que suficientes para esta visão.

Parafraseando o filme “A Volta do Planeta dos Macacos”:

“Em uma das incontáveis bilhões de galáxias do universo, existe uma estrela de porte médio, o Sol.

Em um de seus planetas, um insignificante planeta azul denominado Terra por seus habitantes, existem pessoas que possuem o poder de mudar o destino da África.

Mas não fazem. “

A África pede ajuda. Há séculos

Postado por de NEGREIROS Perin, em silêncio…

Projeção de elenco para 2009 - Grêmio, v.2

22 de dezembro de 2008 8

OBS: post atualizado em 18/03 – Confira elenco atualizado aqui

Na semana passada, fiz uma projeção com o elenco do Grêmio para a temporada 2009.

Agora, com as diversas contratações tricolores, o time previsto do Tricolor para a próxima temporada é um 3-5-2 com: Victor; Réver, Rafael Marques e Léo; Ruy, William Magrão, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Reinaldo (Perea) e Alex Mineiro.

ELENCO GRÊMIO 2009

GRUPO REMANESCENTE
Victor, Marcelo Grohe, Matheus, Anderson Pico, Hélder, Réver, William Thiego, Héverton, Willian Magrão, Adílson, Maylson, Tcheco, Orteman, Souza, Douglas Costa, Perea, Reinaldo, Morales

A SEREM PROMOVIDOS
Wágner, Roberson, Paulinho, Tiago Dutra

A DISCUTIR
Léo, Felipe Mattioni

CONTRATADOS
Ruy (Náutico), Fábio Santos (Cruzeiro), Alex Mineiro (Palmeiras), Fabio Ferreira (Corinthians), Rafael Marques (Goiás), Diogo (Figueirense)

A SEREM DISPENSADOS OU EMPRESTADOS
Jonas, Tadeu, Peter, Ramón, Rudinei, Marcel, Bruno Telles, Nunes

JÁ DISPENSADOS OU NEGOCIADOS
Rafael Carioca, Jean, Amaral, Soares, Makelele, Paulo Sérgio, André Luís, Pereira

RESUMO POR POSIÇÃO:

Goleiros (4): Victor, Marcelo Grohe, Matheus, Caio Venâncio
Laterais (4): Anderson Pico, Hélder, Ruy, Fábio Santos
Zagueiros (6): Réver, William Thiego, Héverton, Wágner, Rafael Marques, Fábio Ferreira
Volantes (5): William Magrão, Adílson, Paulinho, Tiago Dutra, Diogo
Meias (6): Tcheco, Souza, Douglas Costa, Maylson, Roberson, Orteman
Atacantes (4): Morales, Perea, Reinaldo, Alex Mineiro
Total: 29 jogadores

CONTRATAÇÕES
1 atacante (titular ou reserva)
1 lateral (para uma eventual saída de Felipe Mattioni)

Postado por Perin, atualizando as informações

Projeção de elenco para 2009 - Internacional

22 de dezembro de 2008 14

Inter campeão invicto em 1979: 30 anos é tempo demais...

Limpeza geral! Assim pode ser considerado futuro do elenco do Internacional para a temporada 2009, que terá poucas contratações e uma enorme quantidade de dispensas.

No ano de seu Centário, o clube colorado irá disputar seis competições: o Campeonato Gaúcho, a Copa do Brasil, o Campeonato Brasileiro, a Copa Suruga Bank, a Recopa Sul-Americana e a Copa Sul-Americana, defendendo os títulos do Gauchão e da Copa Sul-Americana.

Fora da Libertadores em 2009, o maior objetivo do clube na temporada que se avizinha é a reconquista do Campeonato Brasileiro, competição que não vence há quase 30 anos.

Vice-campeão brasileiro em 87, 88, 2005 (no ano do `Zveitão`) e 2006, o Colorado fez uma péssima campanha em 2007 (11º lugar, a pior desde 2002) e foi apenas regular em 2008 (6º lugar, mas muito longe do título e da briga por vagas na Libertadores).

Para a próxima temporada, continuando a tríade Píffero-Carvalho-Luigi no comando do clube e do futebol, e também mantendo o técnico Tite, o Inter já deixou claro que está enxugando fortemente o elenco. 

Para evitar os problemas de 2008,  quando mudou completamente o elenco na metade da temporada, o objetivo colorado é vender no máximo uma das estrelas do elenco. Como D`Alessandro não irá sair agora, Nilmar, Guiñazu e Alex são os candidatos, com grandes chances do último deixar o clube.

Até agora, o Inter não anunciou oficialmente nenhuma contratação, mas deixou claro que as laterais e o ataque são prioridades. Para o gol, volantes e zagueiros, não haverá reforços (salvo uma negociação inesperada).

Os nomes mais próximos do Beira-Rio são Marcelo Cordeiro (lateral-esquerdo, do Vitória)), Giuliano (meia-atacante de 18 anos do Paraná) e de Ricardo Noir (atacante argentino, do Boca Juniors). Além destes, virtualmente assinados com o Inter, deveremos ver ainda contratações de um lateral-direito e de um novo atacante, um brasileiro proveniente do exterior.

O que mais chama a atenção é a quantidade de jogadores que estão fora dos planos, a serem liberados ou dispensados. Existe ainda a possibilidade dos titulares EdinhoÍndio serem negociados para o Exterior na janela de janeiro, mas até agora nenhuma proposta chegou. Se isto ocorre, a reposição será dentro do grupo, sem novos reforços para estes setores.

Doze jogadores já foram emprestados, liberados ou assinam recisão em breve. Destaques para Adriano Gabiru, autor do gol do Mundial em 2006, e para Daniel Carvalho, a decepção do ano colorado. Outros quatorze atletas ainda aguardam empréstimos ou negociações em definitivo, como Bustos, Maycon e Gil. São mais de 25 atletas totalmente fora dos planos!

A folha salarial, que já baixou em 300 mil reais, deve reduzir-se em até 700 mil reais após as dispensas finais. E istojá considerando o fato de que alguns dos  emprestados continuarão com parte dos vencimentos pagos pelo Internacional.

O time-base do técnico Tite está muito próximo disto: Lauro; contratação, Índio, Sorondo e Marcelo Cordeiro; Edinho, Magrão, Guiñazu

Postado por Perin, projetando o ano do Centenário Colorado

Livros sobre futebol: "Febre de Bola", parte II

19 de dezembro de 2008 3

Um trecho que eu acho sensacional no livro “Febre de Bola” do autor inglês Nick Hornby será citado abaixo. Me identifico muito com ele, no capítulo: “ADEUS ÀQUILO TUDO – Arsenal vs. Manchester City -04/10/1975″.

Nesta época, com 18 anos, Hornby via um time fraco do Arsenal, sem seus ídolos de infância e com futuras estrelas no início de carreira. Sua desilusão era grande, poucos jogos no estádio e um mundo novo pré-universidade: amigos intelectuais, novas leituras, uma música diferente. No jogo citado acima, ele levou seu primo Michael, de 13 anos, sofrer em uma derrota de 3×2 para o time visitante.

“ADEUS ÀQUILO TUDO – Arsenal vs. Manchester City -04/10/1975″.

“(…)Sentado ali, percebi que para mim tudo aquilo, o lance todo de Highbury, já era. Eu não precisava mais daquilo. É claro que foi triste, porque aqueles seis ou sete anos haviam sido muito importantes para mim, haviam salvo a minha vida de várias maneiras; mas chegara a hora de ir em frente, de realizar meu potencial acadêmico e romântico, de deixar o futebol para quem tivesse um gosto menos sofisticado ou menos desenvolvido (…)

Não mencionei nada para meu tio nem para Michael(…), mas quando saímos do estádio fiz uma despedida particular e sentimental. (…)Minha infância estava morrendo, de form limpa e decende, e se você não consegue lamentar direito uma perda de tal ressonância, o que é que consegue lamentar? Aos 18 anos de idade, eu finalmente crescera. A vida adulta não podia comportar o tipo de obsessão com o qual eu vinha convivendo, e se tivesse que sacrificar Terry Mancini ou Peter Simpson para poder comprender Camus adequadamente e dormir com um monte de alunas de arte nervosas, neuróticas e vorazes, que assim fossse. A vida estava prestes a começar, de modo que o Arsenal tinha que partir(…)

FIM DE CAPÍTULO

MINHA SEGUNDA INFÂNCIA – Arsenal vs. Bristol City – 21/08/1976″ -

“Acabou que minha frieza em relação a tudo que dizia respeito ao Arsenal não tinha nada a ver com ritos de passagem, garotas, Jean-Paul Sartre ou Van Morrison, e muito a ver com a incompetência da dupla de ataque Kidd/Stapleton. Quando Mertie Mee pediu demissão em 1976 e seu substituto Terry Neill trouxe Malcolm MacDonald do Newcastle por £ 333.333, minha devoção ressucitou misteriosamente, e no começo da nova temporada lá estava eu de volta a Highbury, tão estupidamente otimista com o clube e tão faminto para ver um jogo quanto no começo dos anos 70, quando minha obsessão antigira um pique febril. Se eu estivesse certo ao presumir anteriormente que minha indiferença demarcava a chegada da maturidade, então esta maturidade durara apenas dez meses, e à idade de 19 anos eu já estava na minha segunda infância…”

Ao longo da infância e da adolescência, todo o torcedor fanático passa por estas fases. Quer se desligar do futebol. Mas isto é uma droga, da qual não podemos nos separar. Relacionamentos passam, alguns ficam. Mas a paixão por seu time vem desde criança, e não muda.

Eu sou assim. Futebol está no meu sangue. As pessoas me entendem, ou não. Me compram assim mesmo.

É um vício. Eterno. Sem cura.

Postado por Perin, fechando a seção literária no Almanaque