Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 12 janeiro 2009

Boca Juniors: 18 títulos em 10 anos

12 de janeiro de 2009 7

Bermúdez, levantando a Libertadores em pleno Morumbi (2000)

Na última década, todos os times argentinos conquistaram 18 títulos. O Boca Juniors também! A última conquista veio de forma dramática, o Apertura`08 vencido em um Triangular Desempate contra o San Lorenzo e o Tigre.

Nos dez anos mais gloriosos da história do time de La Bombonera, o Boca se consagrou como uma das maiores potências futebolísticas do planeta, com conquistas que o equiparam às potências européias de Milan e Real Madrid.

Aliás, contra o time italiano, o Boca segue uma feroz disputa de quem tem mais títulos internacionais. Por enquanto, o resultado final é de empate: 18 a 18. O Milan, ao vencer o Mundial de Clubes em 2007 sobre o próprio Boca, ficou em vantagem mas o time argentino empatou de novo ao conquistar a Recopa Sul-Americana em 2008.

Porém os títulos do Boca Juniors são impressionantes por si só, a maioria conquistada sob o comando de Carlos Bianchi. Ex-craque e treinador do Vélez Sarsfield, que surpreendeu o planeta ao conquistar a Libertadores e a Copa Intercontinental em 1994, “El Virrey de Liniers” assumiu o time em 1998. De cara, foi bicampeão argentino, estabelecendo marca de 40 jogos invicto(recorde!) entre o Apertura 1998 e o Clausura 1999.

O Boca conquistou a Libertadores quatro vezes, e a Copa Intercontinental (em memoráveis partidas contra o Real Madrid e o Milan) duas vezes. Em toda esta sequência, são nove títulos para Bianchi, cinco para Alfio Basile, dois para Carlos Ischia (atual), um para Chino Benítez e outro para Miguel Angel Russo.

O Boca ainda se tornaria um algoz implacável dos brasileiros, eliminando times daqui sistematicamente desde a final da Libertadores de 2000 (Palmeiras) até as oitavas de final da Libertadores de 2008 (Cruzeiro). Entre os diversos times que amargaram eliminações (Cruzeiro, São Paulo, Santos, Vasco da Gama, Palmeiras (2), Paysandú e Corinthians), estão a dupla Gre-Nal.

O Internacional marchou com duas goleadas nas semifinais e quartas-de-final da Sul-Americana em 2004 e 2005, enquanto o Grêmio foi trucidado nas finais da Libertadores de 2007. O Fluminense, nas semifinais, foi o primeiro time brasileiro a derrubar o Boca em uma Libertadores em décadas (OBS: corrigi, afinal o Boca foi eliminado pelo São Paulo na Copa Sul-Americana 2007. Obrigado Alessandro e Daniel pela correção).

Na década atual, o Boca superou marcas como os 12 títulos do Independiente nos anos 60 e 70, e 10 títulos do River Plate nos anos 80 e 90, porém isto foi facilitado pelo fato do Campeonato Argentino ter duas edições anuais.

Nos últimos dez anos, somente o Bayern de Munique e o Porto conquistaram mais títulos que o Boca, mas a maioria destes títulos foi em competições nacionais (o Bayern só conquistou 1 título continental e 1 Intercontinental, enquanto o Porto levou uma Copa da UEFA, uma Liga dos Campeões e outra Intercontinental). Sem comparação.

Em todas estas conquistas, dois jogadores se destacam. Guilhermo Barros Schelotto e Sebastian Battaglia conquistaram impressionantes 16 títulos. Battaglia igualou a marca este ano ao levar o Apertura 08, e planeja a Libertadores 2009 como principal título a ser conquistado. Porém o volante deve ser negociado com a Lazio ainda neste mês de janeiro. Já Schelotto, de 35 anos, está atuando no futebol norte-americano pelo Columbus Crew.

VEJAM TODOS OS TÍTULOS DE 1998 A 2008:
Campeonato Argentino (7): Apertura 1998, Clausura 1999, Apertura 2000, Apertura 2003, Apertura 2005, Clausura 2006, Apertura 2008
Copa Libertadores (4): 2000, 2001, 2003, 2007
Copa Intercontinental (2): 2000, 2003
Copa Sul-Americana (2): 2004, 2005
Recopa Sul-Americana (3): 2005, 2006, 2008
TOTAL: 18 TÍTULOS

Postado por Perin, com dados do I.P.E.

A falência do futebol carioca, parte I

12 de janeiro de 2009 13

Vasco, campeão brasileiro de 2000: o último grande time carioca

Nos próximos três dias, vamos fazer uma análise sobre a queda do futebol carioca. De principal centro do futebol brasileiro nos anos 80, e uma potência até o início deste milênio, os cariocas hoje são coadjuvantes no cenário nacional.

Dirigentes corruptos, falastrões, anti-éticos, ou simplesmente incompetentes deixaram Flamengo, Vasco da Gama, Botafogo e Fluminense em situações ridículas quase todos os anos. Eventualmente algum clube acena com uma reação, mas não são projetos coordenados nem profissionais. E de duração média.

Em resultados na última década, estão sendo largamente superados pelo futebol gaúcho, que levantou 1 Libertadores, 1 Mundial, 1 Copa Sul-Americana, 1 Recopa Sul-Americana e outra Copa do Brasil. Isto além de,3 vice-campeonatos brasileiros, 1 Copa do Brasil, 1 semifinal de Libertadores e 1 vice de Libertadores.

Até mesmo o Cruzeiro, único time mineiro de destaque nos últimos 15 anos e que levou 1 Brasileiro e uma Copa do Brasil neste período. Além disto, o futebol carioca foi rebaixado seis vezes nos últimos 13 anos (uma delas protegida por uma virada de mesa em 1999, favorecendo o Botafogo), e só o Flamengo (apesar do flerte em 2002, 2003, 2004) ainda não caiu.

Todos os times possuem sérios problemas financeiros e deixaram de revelar craques. Hoje, apenas Flamengo e Fluminense formam jogadores e sua participação na Seleção Brasileira caiu consideravelmente (o que é significativo, já que o Botafogo é o time que mais cedeu atletas para Copa do Mundo, por exemplo).

Isto é diametralmente oposto ao que ocorria até o início deste século. As causas são diversas, talvez todos os erros possíveis tenham sido feitos pelos dirigentes cariocas.

Entre 1980 e 2000, todos os times cariocas foram campeões brasileiros, somando-se dez títulos. O Flamengo conquistou impressionantes cinco nacionais, o Vasco da Gama três, o Fluminense e o Botafogo mais um cada. Nestes 21 anos, os times do Rio de Janeiro levantaram mais uma Copa do Brasil, duas Libertadores e foram ainda três vezes vice-campeões brasileiros.

No final daquele ano, o Flamengo tinha uma parceria milionária com a ISL, o Vasco da Gama outro parceiro forte, o Nations Bank, o Botafogo continuava mal das pernas e o Fluminense saía (pelo tapetão) enfim da decadência total de três rebaixamentos seguidos até a Terceira Divisão.

Ah, e o Vasco era o atual campeão brasileiro com um timaço que contava com Romário, Juninho Paulista, Juninho Pernambucano, Viola, Euller, Júnior Baiano, Hélton, Pedrinho, Felipe, etc…

Desde então, os times cariocas só venceram duas Copas do Brasil (e somente depois que os times que vão para a Libertadores deixaram de disputá-la). Além disto perderam finais para times do interior de São Paulo, Santo André (Fla em 2004) e Paulista (Flu em 2005).

Em 2006, o rubro-negro superou o Vasco na final da Copa do Brasil, enquanto o Tricolor foi campeão no ano seguinte, superando o Figueirense na decisão. Muito pouco para o segundo centro nacional do futebol brasileiro.

A melhor colocação de um carioca em um brasileiro de pontos corridos foi 3° lugar (Fla em 2007), mas antes as melhores colocações foram: 8° (Fla em 2003), 9° (Flu em 2004), 5° (Flu em 2005), 6° (Vasco em 2006) e 5° (Fla em 2008).

Na Libertadores, somente o Flu foi bem, sendo vice-campeão em 2008 em uma histórica campanha na qual eliminou os favoritos São Paulo e Boca Juniors. Mas jogou tudo no lixo ao ser goleado pela LDU no jogo de ida das finais. Devolveu o placar no jogo de volta, mas acabou perdendo nos pênaltis para o time equatoriano em pleno Maracanã. Mais uma decepção profunda…

O último título internacional foi do Vasco, campeão da Mercosul em 2000 em uma mítica final na qual virou sobre o Palmeiras por 4×3 fora de casa depois de ficar com um jogador a menos.

O Fla ainda levou a extinta Copa dos Campeões em 2002, mas foi um fiasco em todas as Libertadores que disputou. Em uma delas, caiu na 1° fase, na outra foi eliminado na segunda pelo Defensor-URU. Então, o vexame máximo: eliminado levando 3×0 em casa do América do México no ano passado depois de enfiar 4×2 na capital mexicana.


SÉRIE COMPLETA:

A falência do futebol carioca, parte I

A falência do futebol carioca, parte II – Botafogo e Flu

A falência do futebol carioca, parte III – Flamengo e Vasco da Gama

A falência do futebol carioca, parte IV – Os erros

A falência do futebol carioca, final – O futuro