Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2009

Leonardo Gaciba vai apitar seu sétimo Gre-Nal

28 de fevereiro de 2009 3

O clássico Gre-Nal 375, a ser disputado neste domingo no estádio Beira-Rio, será o sétimo da carreira do árbitro Leonardo Gaciba. Ele se envolveu em polêmicas em seus três primeiros clássicos (1999, e duas vezes em 2000), e ficou quase quatro anos sem apitar um Gre-Nal. Além disto, entrou com um processo contra o ex-presidente colorado Fernando Miranda, de difamação por ter sido chamado de ladrão após um clássico de 2000.

A primeira confusão ocorreu na final do Gauchão de 1999, primeiro jogo. Um inexperiente Gaciba se complicou nos minutos finais, quando Christian claramente agrediu o gremista Roger e não foi expulso. Depois, não expulsou Scheidt, que impediu clara e manifesta chance de gol, nem deixou o jogo correr em um contra-ataque colorado nos acréscimos. Marcou falta, mas não deu sequer  amarelo para o zagueiro gremista, que assim ficaria fora do clássico seguinte.

No ano seguinte, ele se complicaria e sairia do Beira-Rio duas vezes de camburão. No Estadual, não viu escandaloso toque de mão de Ronaldinho antes do gol de empate gremista no 1×1. Os gremistas reclamaram de uma falta violenta de Tim, que rompeu os ligamentos do zagueiro Nenê, e da não-expulsão de Enciso, que já tinha amarelo e impediu gol gremista cerca de dois minutos após o empate.

No Brasileirão, mais confusão: Gaciba levava bem o jogo até metade do segundo tempo. Em uma confusão entre Fabiano e Danrlei, o árbitro só expulsou o colorado. Além disto, marcou falta inexistente no gol de empate gremista.

Mais sereno, e eleito quatro vezes consecutivas o melhor árbitro do Campeonato Brasileiro, o pelotense de 37 anos terá que superar a última arbitragem de um clássico. Na vitória colorada de 2×1 em Erechim, o árbitro Carlos Simon teve uma péssima atuação, sendo criticado por todo os times e também por mim aqui no Almanaque.

CONFIRAM todos os clássicos de Leonardo Gaciba:

1999 – Internacional 1×0 Grêmio – Gauchão
2000 – Internacional 1×1 Grêmio – Gauchão
2000 – Internacional 1×2 Grêmio – Brasileiro
2004 – Internacional 1×1 Grêmio – Gauchão
2004 – Internacional 2×1 Grêmio – Gauchão
2008 – Grêmio 2×2 Internacional – Copa Sul-Americana

Total: 6 jogos, 1 vitória do Grêmio, 2 do Internacional e 3 empates

Apenas para controle, também achei todos os clássicos de Carlos Simon. Vejam os números:

1995 – Grêmio 2×0 Internacional – Gauchão
1995 – Internacional 0×1 Grêmio – Brasileirão

1997 – Grêmio 0×0 Internacional – Gauchão
1997 – Grêmio 1×1 Internacional – Gauchão
1997 – Internacional 1×0 Grêmio – Gauchão
1999 – Grêmio 1×1 Internacional – Copa Sul
1999 – Grêmio 2×0 Internacional – Gauchão
1999 – Grêmio 1×0 Internacional – Gauchão
1999 – Grêmio 1×0 Internacional – Brasileirão

1999 – Internacional 1×1 Grêmio – Seletiva Pré-Libertadores
2000 – Grêmio 1×0 Internacional – Gauchão
2001 – Grêmio 1×0 Internacional – Brasileirão
2002 – Internacional 0×1 Grêmio – Brasileirão

2003 – Internacional 1×0 Grêmio – Gauchão
2004 – Grêmio 1×2 Internacional – Gauchão
2006 – Grêmio 0×0 Internacional – Gauchão
2006 – Grêmio 0×1 Internacional – Brasileirão
2009 – Grêmio 1×2 Internacional – Gauchão

Total: 19 jogos, 8 vitórias do Grêmio, 5 do Internacional e 6 empates.

Suíços na Fórmula-1: o melhor e o pior

27 de fevereiro de 2009 0

Regazzoni e Déletraz: o melhor e o pior da Suíça na F-1/Arte: Online RBS

Hoje vamos contar duas histórias bem diferentes: Clay Regazzoni e Jean-Diniz Déletraz. Dois suíços que mostraram o melhor e o pior de seu país no automobilismo da Fórmula-1.

Pilotos suíços sempre participaram da Fórmula-1, e em 2009 teremos o jovem Sebastien Buemi defendendo a Toro Rosso. Será o 25° suíço nas pistas da principal categoria do automobilismo. Um piloto de talento um tanto questionável, Buemi vem com forte aporte financeiro, o que lhe garantiu lugar no grid.

A Suíça não tem provas de automóveis em circuitos fechados desde a tragédia de Le Mans em 1955, quando mais de 100 pessoas morreram em um acidente nas 24 horas. Buemi será o primeiro desde 1995 quando Jean-Diniz Déletraz assombrou o mundo…dando vexame. Por causa dele temos a regra dos 107% do tempo do pole para ter direito de largar. Isto eu explico daqui a pouco…

O “pay-per-driver” Déletraz correu no GP da Austrália de 1994 (aquele mesmo que Michael Schumacher se jogou em cima de Damon Hill e foi campeão mundial pela 1° vez). Ele largou em penúltimo com uma tenebrosa Larousse e em menos de 10 voltas já era ultrapassado pelos líderes Schumacher e Hill. Ou seja, fazia OITO segundos mais lento que os líderes.

Sem espaço e dinheiro, Deletraz só teve uma nova chance na F-1 no GP de Portugal de 1995, correndo pela também sofrível Pacific. Nos treinos fez um tempo tão ruim, 12 segundos atrás do pole (David Coulthard, na Williams), que largaria no fim da fila da F-3000!

Durante um treino livre, andou tão devagar na complicada curva “Saca-Rolhas”, que o giro do motor ficou tão baixo que desligou o carro, no meio da pista. Na prova, abandonou na 14° volta com câimbra no braço esquerdo. Detalhe: as curvas eram feitas forçando o braço direito…Na corrida seguinte seu desempenho foi quase tão ruim quanto (levou 10 voltas, largou com tempo 9s mais lento que o pole), e Deletráz deixou a F-1…

Por causa de desempenhos como estes, a FIA instituiu que um piloto para largar deveria fazer um tempo no máximo 7% pior que o do pole position. Déletraz nem era tão ruim, conseguiu ótimos resultados em carros de turismo (incluindo as 24hs de Le Mans), mas na F-1 ele nem deveria ter entrado.

Porém não só de fiascos tem história o automobilismo suíço. Jo Siffert, falecido em um acidente no final dos anos 60, era um talentoso e combativo piloto que venceu dois GP`s. Por causa de seu arrojo, foi instituído um prêmio chamado “Rouge & Blanc”, que homenageia o piloto mais combativo de cada GP. Mas o grande piloto suíço foi Clay Regazzoni.

Ele correu pela Ferrari de 1970 a 1977, com inúmeros pódiuns e quatro vitórias. Rival de Émerson Fittipaldi em 1974, perdeu o título da temporada na última prova em Watkins Glen, EUA. Foi dele a primeira vitória da Williams, GP da Inglaterra em 1979, mas algumas corridas depois sofreu um grave acidente em Long Beach,EUA, e ficou paralítico.

Participou de campanhas em favor de pessoas com dificuldades motoras. Competiu diversas vezes no Rali Paris-Dakar com um carro de corrida especialmente adaptado. Há dois anos, Clay Regazzoni morreu em um acidente automobilístico na Itália. O mundo perdeu um de seus mais carismáticos pilotos

Alex: um ídolo vai embora, na hora certa

25 de fevereiro de 2009 2

`Super Alex`, como ficou conhecido o grande astro colorado, agora na Rússia

Alex Raphael Meschini chegou ao Internacional sob os olhares desconfiados em 11 de março de 2004. Afinal, o clube gastou 1,4 milhões de reais na contratação de uma jovem promessa do Guarani. Ele vai embora com o cartel de 56 gols em 168 jogos, 5 milhões de euros para o clube, dois troféus individuais de artilharia e mais importante do que tudo isto: sete títulos no Museu Colorado. Além de Índio, único atleta presente em todos os principais títulos do clube desde 2006.

Um promissor jogador formado no Guarani de Campinas, Alex foi contratado há quase cinco anos, após o início da 1° fase do Gauchão e também inelegível para a Copa do Brasil (já havia atuado no Bugre). Sua estréia ocorreu somente em abril, uma derrota de 1×0 para o Figueirense na primeira rodada do Brasileirão. O primeiro gol veio uma semana depois, de pênalti no empate de 1×1 com o Coritiba no Couto Pereira.

Em junho, o primeiro título e contando com sua participação: Alex bateu a falta que originou o primeiro gol colorado (de Edinho) na decisão do Gauchão contra a Ulbra. Porém naquele ano sofreu com contusões, uma rotina até 2008, e passou o final da temporada no Departamento Médico.

Em 2005, voltou de lesão no tornozelo e, em seu primeiro lance contra o Veranópolis sofreu lesão no joelho e ficou mais um tempo parado. Voltou no início do Brasileiro e alternou boas e péssimas atuações, sempre na ala-esquerda do 3-5-2 do time Muricy Ramalho. Ainda naquele semestre, outra lesão e Alex ficou mais um tempo parado, jogando pouco na reta final daquela temporada (porém marcando gols), quando o Inter foi vice-campeão brasileiro.

Em 2006, Alex começou a Libertadores sofrendo com sérios problemas no púbis e algumas lesões musculares, sendo uma opção de banco mas não titular e ficou inclusive fora da primeira fase por lesão. Foi voltando aos poucos, e marcou gols bonitos no Brasileirão. Durante a parada da Copa do Mundo, o então meia-esquerda fez tratamento intensivo e voltou para a reta final da Libertadores como titular, jogando na 3° função do meio-campo.

Quase como um volante, liberava os avanços de Tinga e Jorge Wágner. Nas semifinais contra o Libertad, marcou um golaço que abriu o marcador na vitória de 2×0, talvez a mais difícil de toda a competição. Na comemoração e depois do jogo, choro demonstrava as dificuldades físicas do então meia-esquerda colorado. Na final, duas ótimas atuações, participação no 2° gol no Morumbi e Alex estava eternizado: campeão da América com oito jogos e um gol.

Logo depois da conquista, o diagnóstico de que todo o sofrimento no púbis era causado por uma hérnia inguinal. O erro de diagnóstico deixou Alex meses sofrendo, mas finalmente seu principal problema estava curado. Voltou na reta final do Brasileiro, marcando gols e reassumindo a titularidade. No Mundial, entretanto, Alex ainda ressentia-se fisicamente e foi substituído nos dois jogos pelo colombiano Vargas, de atuações bem mais destacadas. Alex, que quase foi vendido em julho por módicos 2 milhões de euros, valeria muito mais três anos depoi

Postado por Perin, saudando o

Liga dos Campeões - Meus palpites

25 de fevereiro de 2009 1

Liga dos Campeões chegando na fase final

Abaixo meus palpites dos classificados para as quartas-de-final da Liga dos Campeões, temporada 2008/09.

Este post era para ter entrado ontem, mas equivocadamente agendei para 2020… Se eu bebesse poderia dizer que tinha bebido…

 

Chelsea v Juventus – Juventus
Villarreal v Panathinaikos – Panathinaikos
Sporting Lisbon v Bayern Munich – Bayern
Atletico Madrid v Porto – Porto
Lyon v Barcelona – Barcelona
Real Madrid v Liverpool – Liverpool
Arsenal v Roma – Roma
Inter Milan v Manchester United – Manchester United

Postado por Perin, que não tem noção do tempo, dã…

Grêmio inicia caminhada rumo ao Tri da América

23 de fevereiro de 2009 3

Times de 1983 e 1995: gremistas querem nova foto nesta coleção.../Montagem: Online RBS

O Grêmio inicia nesta quarta-feira a sua trajetória rumo ao título da Taça Libertadores da América 2009. Campeão em 1983 e 1995, o Tricolor gaúcho foi vice nos anos de 1984 e 2007, e é o terceiro time brasileiro em participações no torneio

O time da Azenha vai para sua 12 disputa, atrás dos paulistas São Paulo e Palmeiras (que possuem 14 participações). Na última vez, em 2007, o Grêmio então treinado por Mano Menezes foi aos trancos e barrancos, com vitórias em casa e derrotas como visitante, eliminando São Paulo, Defensor e Santos na fase de mata-mata até chegar à decisão contra o Boca Juniors. Mas uma goleada de 3×0 em Buenos Aires foi sucedida por outra derrota, 2×0 no Olímpico. Um show de Riquelme, Palacios & Cia.

Fim do sonho, recomeço da trajetória em busca ao retorno à principal competição sul-americana. Isto foi obtido em 2008, com o vice-campeonato brasileiro. Pressionado pela ausência de títulos, o técnico Celso Roth sabe que tem como principal missão conquistar a Libertadores na temporada, e terá liberdade para priorizar esta competição.

O objetivo tricolor é se tornar o segundo time brasileiro tricampeão da competição, se igualando ao São Paulo. Aliás, este é um dos principais rivais dos gremistas na competição, ao lado dos brasileiros Palmeiras e Cruzeiro, do onipresente Boca Juniors (algoz da final em 2007) e de times que podem surpreender. Como a LDU ano passado, que conquistou a América em cima do Fluminense em pleno templo do Maracanã.

O Grêmio vem com reforços expressivos, como os argentinos Herrera e Máxi López, os laterais Jadílson e Ruy (um dos destaques da temporada 2009 até o momento), mantendo a espinha dorsal de 2009, o que inclui o agora valorizado técnico Celso Roth. Na primeira fase, no Grupo 7, o Grêmio enfrentará o boliviano Aurora, o chileno Universidad do Chile e o colombiano Boyacá Chicó.

Confiram os números completos do Grêmio na Libertadores:
Participações: 1982 (12°), 1983 (campeão), 1984 (2°), 1990 (17°), 1995 (campeão), 1996 (3°), 1997 (7°), 1998 (6°), 2002 (3°), 2003 (6°), 2007 (2°)
Jogos – 107
Pontos – 184
Vitórias – 54
Empates – 22
Derrotas – 31
Gols marcados – 164
Gols sofridos – 106
Artilheiros – Jardel (1995 com 12 gols) e Rodrigo Mendes (2002 com 10 gols)

Sobre a campanha de 1983 eu já falei e vejam aqui o especial de 25 anos.

Falta ainda o título em 1995. Disto falaremos nesta quarta-feira.

Postado por Perin, saudando o grande Jardelino!

Liga dos Campeões - Venda de ingressos da final

22 de fevereiro de 2009 0

Estádio Olímpico de Roma, sede da final da Liga dos Campeões 2008/09

Sempre tive a curiosidade de saber como é o sistema de venda de ingressos da final da Liga dos Campeões. Ela é uma competição diferente, já que sabemos aonde será a final mas não temos idéia de quem serão os times até duas semanas antes. Na temporada 2008/09 a final será em Roma, no estádio Olímpico.

O grande amigo Fernando Trein, que escreve no blog Marketing Esportivo aqui no ClicRBS, escreveu recentemente sobre isto. Vale a pena dar uma lida no post dele.

Valor dos ingressos para os abonados que estarão na milenar capital italiana:

Categoria 01: 200 euros (cerca de 580 reais)
Categoria 02: 140 euros (cerca de 400 reais)
Categoria 03: 90 euros (cerca de 260 reais)

Postado por Perin, que sonha em ir em uma final de UCL…

Na Inglaterra: Um russo desce, outro russo sobe

21 de fevereiro de 2009 0

Usmanov, 25% do Arsenal; Abramovich: 100% do Chelsea/Montagem: OnlineRBS

Realidades distintas envolvendo bilionários russos e o futebol inglês. No mês de janeiro, a lista dos mais ricos da Forbes indicou que o magnata do petróleo Roman Abramovich, dono do Chelsea perdeu nada menos que nove BILHÕES de dólares com a recessão global.

De 23 bilhões de dólares e 15° lugar na lista dos mais ricos do planeta, o controvertido russo que comprou o Chelsea em 2003 e fez dele uma potência continental, agora tem “somente” 14 bilhões. Tadinho… hehehe

Se Abramovich está em baixa, seu compatriota Alisher Usmanov, em parceria com seu sócio Farhad Moshiri, comprou mais 1% das ações do Arsenal e agora tem 25% do clube. Seu grupo financeiro se tornou o maior acionista do clube londrino, superando Daniel Fiszman, que tem 24,1% das ações do clube.

Usmanov e seu grupo financeiro tem como objetivo chegar aos 30% das ações, quando será obrigado a fazer uma proposta de compra das ações dos demais acionistas. Estes estão em bloco contra o objetivo do russo, mas recentemente um deles deixou o grupo e negociou sua participação com outras pessoas, inclusive Usmanov, deixando a brecha para mais um investimento do russo.

Nos outros dois grandes da Inglaterra, o  Liverpool pertence a um grupo de investidores norte-americano, que vive problemas financeiros desde a compra em 2007. O grupo inclusive pode vender o clube a qualquer momento, pois não tem conseguido honrar compromissos financeiros criados na compra. Já o Manchester United tem um único dono, o bilionário norte-americano Malcolm Glazer.

Postado por Perin, preocupado com a origem destas divisas…

Lista do Grêmio: mística da camisa 16 de volta!

20 de fevereiro de 2009 13

A mística camisa 16, de Jardel na conquista da Libertadores 1995/Coleção Grêmio Gianfranco

O Grêmio divulgou hoje a lista oficial de 25 jogadores na primeira fase da Taça Libertadores 2009, de novo apostando na mística da camisa 16. Na terça-feira, fiz uma previsão com 25 atletas aqui no Almanaque Esportivo. Comparando com a lista divulgada, percebo que errei em três atletas.

Errei ao achar que o 3º goleiro seria Matheus, ao invés do escolhido Alessandro. Errei Reinaldo ao invés de Perea, já que o colombiano vai ficar mais tempo machucado. E também errei ao apostar no Tiago Dutra ao invés de Júlio César (que começou jogando um jogo e mostrou mais futebol que Tiago). No resto era isto mesmo, sem maiores surpresas.

A prova que a superstição é algo muito forte no Olímpico: a nova estrela gremista Máxi López ficou com a camisa 16. A mesma do ídolo Jardel na Libertadores 1995, artilheiro da competição e símbolo da maior conquista tricolor nos últimos 20 anos. Em 2007 o centroavante Tuta também foi apresentado com a 16, lembram?

Goleiros – (1) Victor, (12) Marcelo Grohe e (22)Alessandro
Zagueiros – (3) Léo, (5) Réver, (4) Rafael Marques, (15) Willian Thiego, (14) Heverton
Laterais – (2) Ruy, (6) Fábio Santos, (13) Jadílson
Volantes – (11) Adilson, (24) Julio Cesar, (17) Orteman, (21) Diogo, (18) Makelele
Meias – (8) Souza, (10) Tcheco, (25) Maylson, (19) Douglas Costa
Atacantes – (20) Herrera, (16) Maxi López, (7) Jonas, (23) Reinaldo e (9) Alex Mineiro

Postado por Perin, direto do túnel do tempo…

Campanha contra a proibição de games violentos!

20 de fevereiro de 2009 6

Realidade x Ficção: Deputados não falem do que não sabem!/Arte Online RBS

Estou entrando na campanha do amigo Diego Guichard, um dos maiores incentivadores de games do Brasil e pai do blog “Canal dos Games”. Existe um projeto de lei, do deputado Kalil Sehbe (que deveria achar outro assunto mais importante) que defende o fim de games violentos.

O Diego tem seus argumentos, muito válidos, como geração de divisas, receita e empregos, diversão, desenvolvimento de uma indústria altamente lucrativa e com forte presença no mercado de informática do Rio Grande do Sul. Eu tenho mais alguns.

Uma das minhas maiores diversões, após dias altamente cansativos na área de Infra-Estrutura do grupo RBS é jogar no computador. Faço isto desde 1987 quando ganhei meu Atari (e não peguei um avião e saí explodindo postos de gasolina e barcos nos rios de Roraima, por influência de “River Raid”). Não me torno mais violento por virar Call of Duty 5 ou jogar GTA IV.

Da mesma maneira, não saio matando todo mundo na rua por ver na TV um filme como o monumental O Poderoso Chefão”. Isto sem falar no livro mais vendido e lido de todos os tempos, há séculos em primeiro lugar nos rankings e que vive entupido de assassinatos e traições…

É apenas meu lazer, gosto dele tanto quanto de ouvir música ou ler um bom livro. E eu leio muito…

Deputado Kalil: vai ser igual para tudo? Ou seja, quando no colégio mostrarem Branca de Neve e os Sete Anões, da Disney, não poderei mostrar para menores (afinal, Madrasta tentando assassinar Branca de Neve, Dragão levando espada no coração é muito violento)? Enquanto isto, o belo filme Cidade de Deus vai para o Oscar e é endeusado por toda a mídia cultural do Brasil…

Ah, Harry Potter então, nem pensar. E aquelas músicas obscenas, bagaceiras e ridículas que entopem as rádios? Vai ser igual ou já tem um projeto proibindo isto porque “incentiva a pornalização da sociedade?

Estamos no mundo do falso moralismo. Realmente deve ser por causa do Counter Strike que vivemos em clima de guerra civil no Morro dos Macacos no Rio de Janeiro. Assim como deve ser graças ao livro de Roberto Saviano, “Gomorra“, que todos os jovens italianos querem virar mafiosos, né?

O fato é que a sociedade exige de seus governantes resposta para a escalada da violência e eles resolvem achar bodes expiatórios.

De vez em sempre acham.

E

Postado por Perin, irritadíssimo com o excesso de leis do país

Van der Sar: 1.302 minutos sem levar gols!

19 de fevereiro de 2009 0

Van der Sar comemora título europeu de 2008

A lenda holandesa Edwin van der Sar está a 89 minutos de superar mais um recorde. Desde 08 de novembro do ano passado, quando levou 2×1 do Arsenal, o goleiro do Manchester United já completou 14 jogos pelo Campeonato Inglês, ou quase impensáveis 1.302 minutos, sem levar um mísero gol!

 

Domingo, o Manchester recebe o Blackburn Rovers em Old Trafford e, caso Van der Sar mais uma vez deixe de levar gols, irá superar o recorde do grande goleiro belga Dany Verlinden, que ficou 1.388 minutos invicto em 1990 pelo Club Brugges. Enquanto isto, vamos curtir mais alguns lances do lendário goleiro de Ajax, Juventus, Fulham, Manchester United:


O recorde mundial é do brasileiro Mazarópi, quando atuava pelo Vasco da Gama entre 1977 e 1978. O goleiro multicampeão pelo Grêmio ficou 1.816 (18 partidas e pouco) minutos sem tomar gols pelo Vasco da Gama entre 1977 e 1978, contando jogos do Campeonato da Guanabara e alguns do Brasileirão (o que diminui a comparação com o feito de Van der Sar, em um torneio de nível infinitamente superior).


Fechando o post, imagens dele defendendo a Seleção Holandesa, time do qual é titular desde 1995:


VEJA TAMBÉM:

Domingo, 01 de fevereiro de 2009


Van der Sar: como o vinho, melhor mais velho

Postado por Perin, aguardando mais recordes do Man Utd