Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 29 abril 2009

Finanças: abrindo a discussão com os leitores

29 de abril de 2009 8

Pessoal,

Mantendo sempre o diálogo aberto aqui no Almanaque Esportivo, estou abrindo espaço para a participação dos leitores.

Enviem e-mail para alexandre.perin@gruporbs.com.br que me comprometo a responder com minhas ponderações. E, em caso de rever uma posição, posto aqui no Almanaque.

Esqueci de comentar que na página 20 da Zero Hora de hoje tem o Balanço Fiscal do Grêmio, ano-base 2008. Em 2007 superávit de 11 milhões de reais, este ano déficit de 10 milhões.

Os dados não são bons, mas uma parte dos gremistas continua apostando na tese de “texto para derrubar o Grêmio”, como se um mísero blog tivesse este poder. Obrigado aos DEMAIS gremistas que não foram por este lado e compreenderam o assunto do texto.

Vejam e leiam (precisa de leitor de flash) link para o Balanço Fiscal do Grêmio, ano-base 2008. E confiram a excelente análise do Émerson Gonçalves no GloboEsporte.com sobre o Balanço de quatro dos grandes clubes brasileiros.

Ele, como eu, gosta de analisar o lado marketing e financeiro do esporte. Ele mora em São Paulo, será que escreve com influência clubística ou simplesmente está se atendo aos fatos demonstrados abaixo?

Finalizando: no Balanço do Grêmio estão descritos as origens da receita no Condomínio de Credores: 20% dos valores líquidos obtidos no “mecanismo de solidariedade por formação de atletas”. 15% do valor líquido a ser recebido na venda de imóveis. 4% dos direitos de transmissão do Brasileiro e de quaisquer outras competições, 6% dos valores líquidos na venda de jogadores

Os números do Internacional em 2008 publicados em seu balanço fiscal são bons em alguns aspectos e ruins nos outros. Vale a pena comparar com 2007, e assim ter uma visão do que mudou. Os valores em 2007 foram maiores graças à astronômica venda de Alexandre Pato e dos maiores investimentos em 2008 na aquisição de atletas.

Postado por Perin, jogando aberto com os leitores

Grêmio erra no planejamento financeiro em 2009

29 de abril de 2009 26

Quando escrevi segunda-feira sobre os problemas financeiros do Grêmio, a maioria concordou e inclusive me defendeu no post. Alguns me xingaram ou criticaram, mas democraticamente aprovei todos os comentários não-ofensivos à minha pessoa. Estão todos lá, podem olhar.

Agora olhem a matéria de hoje “Grêmio aposta no Tri para equilibrar as contas“. Isto é suicídio, pois futebol tu pode ir mal em um jogo e adeus!

Isto era estratégia da funesta gestão José Alberto Guerreiro, que afundou o Grêmio entre 1999 e 2003, a despeito de dois títulos estaduais e uma Copa do Brasil.

O clube tem que buscar sempre receitas ordinárias e despesas compatíveis com isto. É um equívoco pensar em “se chegarmos à final da Libertadores fica empatado”.

Isto nunca deu certo. Procurem saber os problemas financeiros que vive hoje o Milan e o fundo do poço que o Leeds United chegou no início da década após ser eliminado nas semifinais de uma Liga dos Campeões e chegar em 5° no Inglês, ficando de fora da Liga seguinte… Hoje está lutando para sair da Terceira Divisão depois de entrar em falência.

EDITADO: Mais um adendo em relação a este assunto. Em 2006, o Internacional fez uma aposta altíssima na Libertadores. O presidente Fernando Carvalho bancou uma folha salarial muito mais alta que as receitas ordinárias que o clube tem hoje: os sócios estavam entre 30 e 35 mil em dia, marketing, bilheteria e publicidade tinham retornos baixos (na época o clube usava muito o esquema de permuta), e mesmo assim a folha era muito perto da atual.

Se o Inter tivesse sido eliminado pela LDU antes da parada da Copa (lembrem que o segundo jogo  ocorreu depois por um erro da Conmebol), o clube teria tido um enorme endividamento mantendo salários e folha até agosto, quando poderia negociar atletas.

Hoje o clube é muito mais saneado administrativo/financeiramente do que era antes.  

Postado por Perin, dizendo que o Grêmio está errado.