Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2009

O fim do reinado, I: AZ e Van Gaal campeões

30 de abril de 2009 0

Jogadores, Van Gaal e torcida do AZ Alkmaar: primeiro título em décadas/Montagem TI RBS

O Campeonato Holandês já acabou e com uma enorme surpresa. O AZ Alkmaar, treinado pelo polêmico Louis Van Gaal se sagrou campeão com três rodadas de antecedência. Antes do AZ, o último título sem representar o “Trio de Ferro” foi do hoje amador D.W.S (Door Wilskracht Sterk), em 1964.

Foi o primeiro título do time desde 1981, o único até então. Depois disto o futebol holandês foi amplamente dominado pelo PSV, de Eindhoven e com o suporte financeiro da gigante Phillips, o Ajax, de Amsterdã e o Feyenoord, este em menor escala. Foram 14 títulos do PSV, 10 do Ajax e 3 do Feyenoord. 
 
O time da industrial cidade ao norte da Holanda já havia batido na trave em 2007, quando chegou líder mas perdeu o título na última rodada ao ser derrotado pelo vice-lanterna e já rebaixado Excelsior Rotterdam, caindo para terceiro. Para completar o desastre, perdeu ainda nos pênaltis a vaga na Liga dos Campeões e também o título da Copa da Holanda neste mesmo ano.

No ano passado, foi muito mal e ficou em 11° lugar. Van Gaal pediu demissão, mas voltou atrás após pedidos dos jogadores, dirigentes e torcedores. 
E não é que deu certo? Depois de começar mal, o AZ ficou incríveis 28 partidas invicto, 11 delas sem tomar um único gol. De quebra, viu Ajax e PSV perderem pontos ridículos contra times pequenos. Tanto é que o vice-líder é o mais modesto ainda Twente, de Enschede.

Um prêmio para Van Gaal, que foi do céu no Ajax e início de Barcelona, ao inferno depois de ter comandado o fiasco holandês nas Eliminatórias de 2002. Ele começou a carreira de treinador justamente no AZ em 1986, antes de ser campeão europeu pelo Ajax em 1995.

Os anos ruins em Barcelona, na Holanda pareciam ter colocado a carreira de Van Gaal, de péssimo relacionamento com grandes astros, no ostracismo.

Mas ele conseguiu a redenção na pequena Alkmaar, no noroeste da Holanda.

Postado por Perin, saudando o futebol da querida Holanda

As grandes transferências de 2008/09: raio-x

30 de abril de 2009 6

Jô (E) e Robinho (D): contratações milionárias sem o retorno certo

O site Futebol Finance divulgou a lista das 10 maiores transferências européias na temporada 2008/09. Faltando menos de dois meses para o ano europeu acabar, já dá para termos um diagnóstico sobre qual foi o resultado das transferências.

Abaixo o que eu penso, e vale notar que poucos jogadores deram o retorno realmente esperado por seus clubes. É curioso perceber que dois já foram reemprestados e outro já foi revendido para o clube de origem!

1. Robinho (Manchester City / Inglaterra) – 43.000.000 €
Avaliação: NEUTRO – Robinho é o artilheiro do time, mas tem tido muita irregularidade assim como o Manchester City. Ambos muito abaixo do esperado, especialmente pelos valores envolvidos.

2. Dimitar Berbatov (Manchester United / Inglaterra) – 38.000.000 €

Avaliação: NEUTRO – Apesar de estar fazendo gols, o futebol de Berbatov não tem sido superior ao de Carlos Tévez, que está insatisfeito em seu banco.

3. Daniel Alves (FC Barcelona – Espanha) – 32.000.000 €
Avaliação: POSITIVO – O brazuca é um dos melhores jogadores da equipe, que tem dado show no futebol europeu e é o favorito ao título continental desta temporada.

4. Danny (Zenit St. Petersburgo / Rússia) – 30.000.000 €
Avaliação: POSITIVO - Apesar da forte desconfiança, o venezuelano naturalizado português e contratado como sucessor do astro Andrey Arshavin tem jogado muito bem. É a referência técnica do time. 

5. Ricardo Quaresma (Internazionale – Itália) – 24.600.000 €
Avaliação: NEGATIVO – Um fracasso rotundo, tal qual sua passagem pelo Barcelona. Tanto que, em menos de seis meses, foi emprestado ao Chelsea, aonde igualmente não se destacou.

6. Robbie Keane (Liverpool FC / Inglaterra) – 24.000.000 €
Avaliação: NEGATIVO – Tão mal que o Liverpool revendeu ao mesmo Tottenham Hotspurs seis meses depois. Keane `voltou para casa` e tem jogado bem mais que nos tempos de Anfield Road.

7. Jô (Manchester City / Inglaterra) – 24.000.000 €
Avaliação: NEGATIVO – Tão mal que o fraco e supervalorizado Jô foi emprestado ao Everton. Lá tem jogado muito bem e é um bom valor do segundo semestre europeu.

8. Amauri (Juventus / Itália) – 22.800.000 €
Avaliação: NEUTRO – Com uma lesão, Amauri tem tido uma fase ruim nesta reta final de Italiano. Mas fez um número considerável de gols no primeiro turno do Italiano e segue na polêmica sobre tua convocação ou não para a Seleção Brasileira.

9. David Bentley (Tottenham Hotspurs / Inglaterra) – 22.000.000 €
Avaliação: NEUTRO – O valor da negociação foi absurdo como normalmente ocorre entre jogadores ingleses de nível médio vendidos entre clubes do mesmo porte. Porém Bentley tem jogado bem e é um dos melhores jogadores do time.

10. Ronaldinho Gaúcho (AC Milan – Itália) – 21.000.000
Avaliação: NEGATIVOPostado por Perin, analisando os micos europeus da temporada..

Finanças: abrindo a discussão com os leitores

29 de abril de 2009 8

Pessoal,

Mantendo sempre o diálogo aberto aqui no Almanaque Esportivo, estou abrindo espaço para a participação dos leitores.

Enviem e-mail para alexandre.perin@gruporbs.com.br que me comprometo a responder com minhas ponderações. E, em caso de rever uma posição, posto aqui no Almanaque.

Esqueci de comentar que na página 20 da Zero Hora de hoje tem o Balanço Fiscal do Grêmio, ano-base 2008. Em 2007 superávit de 11 milhões de reais, este ano déficit de 10 milhões.

Os dados não são bons, mas uma parte dos gremistas continua apostando na tese de “texto para derrubar o Grêmio”, como se um mísero blog tivesse este poder. Obrigado aos DEMAIS gremistas que não foram por este lado e compreenderam o assunto do texto.

Vejam e leiam (precisa de leitor de flash) link para o Balanço Fiscal do Grêmio, ano-base 2008. E confiram a excelente análise do Émerson Gonçalves no GloboEsporte.com sobre o Balanço de quatro dos grandes clubes brasileiros.

Ele, como eu, gosta de analisar o lado marketing e financeiro do esporte. Ele mora em São Paulo, será que escreve com influência clubística ou simplesmente está se atendo aos fatos demonstrados abaixo?

Finalizando: no Balanço do Grêmio estão descritos as origens da receita no Condomínio de Credores: 20% dos valores líquidos obtidos no “mecanismo de solidariedade por formação de atletas”. 15% do valor líquido a ser recebido na venda de imóveis. 4% dos direitos de transmissão do Brasileiro e de quaisquer outras competições, 6% dos valores líquidos na venda de jogadores

Os números do Internacional em 2008 publicados em seu balanço fiscal são bons em alguns aspectos e ruins nos outros. Vale a pena comparar com 2007, e assim ter uma visão do que mudou. Os valores em 2007 foram maiores graças à astronômica venda de Alexandre Pato e dos maiores investimentos em 2008 na aquisição de atletas.

Postado por Perin, jogando aberto com os leitores

Grêmio erra no planejamento financeiro em 2009

29 de abril de 2009 26

Quando escrevi segunda-feira sobre os problemas financeiros do Grêmio, a maioria concordou e inclusive me defendeu no post. Alguns me xingaram ou criticaram, mas democraticamente aprovei todos os comentários não-ofensivos à minha pessoa. Estão todos lá, podem olhar.

Agora olhem a matéria de hoje “Grêmio aposta no Tri para equilibrar as contas“. Isto é suicídio, pois futebol tu pode ir mal em um jogo e adeus!

Isto era estratégia da funesta gestão José Alberto Guerreiro, que afundou o Grêmio entre 1999 e 2003, a despeito de dois títulos estaduais e uma Copa do Brasil.

O clube tem que buscar sempre receitas ordinárias e despesas compatíveis com isto. É um equívoco pensar em “se chegarmos à final da Libertadores fica empatado”.

Isto nunca deu certo. Procurem saber os problemas financeiros que vive hoje o Milan e o fundo do poço que o Leeds United chegou no início da década após ser eliminado nas semifinais de uma Liga dos Campeões e chegar em 5° no Inglês, ficando de fora da Liga seguinte… Hoje está lutando para sair da Terceira Divisão depois de entrar em falência.

EDITADO: Mais um adendo em relação a este assunto. Em 2006, o Internacional fez uma aposta altíssima na Libertadores. O presidente Fernando Carvalho bancou uma folha salarial muito mais alta que as receitas ordinárias que o clube tem hoje: os sócios estavam entre 30 e 35 mil em dia, marketing, bilheteria e publicidade tinham retornos baixos (na época o clube usava muito o esquema de permuta), e mesmo assim a folha era muito perto da atual.

Se o Inter tivesse sido eliminado pela LDU antes da parada da Copa (lembrem que o segundo jogo  ocorreu depois por um erro da Conmebol), o clube teria tido um enorme endividamento mantendo salários e folha até agosto, quando poderia negociar atletas.

Hoje o clube é muito mais saneado administrativo/financeiramente do que era antes.  

Postado por Perin, dizendo que o Grêmio está errado.

Inter vs. Náutico: como foi em 2008 no Brasileiro

28 de abril de 2009 1

Ângelo fez gol mas não agradou aqui. Foi para Recife mas já foi dispensado no Náutico/Jefferson Botega/Grupo RBS

Tudo pronto para os dois jogos entre Náutico e Internacional pela Copa do Brasil. O primeiro é amanhã nos Aflitos, estádio aonde o Colorado jamais venceu. Mas também nunca perdeu: sete empates em sete partidas. E como foram os jogos do ano passado pelo Campeonato Brasileiro?

É curioso ressaltar que ano passado os dois jogos foram parecidos e com resultados idênticos. No primeiro, um embalado Inter no início da “era Tite” empatou em 1×1 com o Náutico depois de perder uma dezena de gols no primeiro tempo, quatro chances incríveis só com Nilmar, em péssimo dia. Já o time da casa meteu uma na trave, em uma das raras chances de gol.

No segundo tempo, o Inter não voltou bem. O Náutico fez 1×0 com uma penalidade inventada pelo péssimo árbitro Rodrigo Cintra no início do segundo tempo. Radamés cobrou e marcou. O gol do Inter de empate foi no finalzinho, em impedimento escandaloso, marcado por Nilmar de rebote após jogada de Guto (hoje no Sport) que acertou o travessão. Vejam a crônica do jogo.

NÁUTICO (1): Eduardo; Vágner, Negrete e Everaldo; Radamés (1), Ticão (Eduardo Erê), Alceu, Paulo Santos e Piauí (Luisão); Felipe (Anderson) e Gilmar. Técnico: Pintado

INTERNACIONAL (1): Renan; Jonas (Ângelo), Índio, Danny Morais e Marcão; Maycon (Guto), Magrão, Guiñazu e Taison (Andrezinho); Wálter e Nilmar (1). Técnico Tite.

No jogo em Porto Alegre, um desmotivado Inter (envolvido com a Sul-Americana e longe dos líderes no Brasileiro) pegou o desesperado Náutico, que lutava para não cair.

De novo, o Inter perdeu uma quantidade inacreditável de gols, meteu 3 bolas na trave. Talvez tenha sido o jogo que o Colorado, um dos piores ataques do Brasileiro 2008, tenha criado mais chances de gol.

Quando o empate parecia certo, faltando cinco minutos, Wálter cruzou da esquerda e Ângelo fez 1×0 para o Internacional.

No último lance da partida, o goleiro Eduardo (ex-Grêmio e Atlético-MG) foi pro ataque em uma cobrança de escanteio. A zaga do Inter errou, ele deu uma casquinha na bola, o zagueirão Vágner chutou forte. A bola ia para muito longe, mas no meio do caminho bateu em Marcão e entrou, final 1×1. Veja a crônica do jogo:

INTERNACIONAL (1): Lauro; Ângelo (1), Índio, Bolívar e Marcão; Edinho, Guiñazu, Andrezinho (Taison) e D`Alessandro; Daniel Carvalho (Luís Carlos) e Guto (Wálter). Técnico: Tite

NÁUTICO (1): Eduardo; Ruy, Vágner (1), Everaldo e Anderson Santana (Alessandro); Adriano Alves, Ticão, Reinaldo e andré Oliveira (Clodoaldo); Wiilian( Geraldo) e Gilmar. Técnico: Roberto Fernandes

Postado por Perin, direto do Túnel do Tempo

NASCAR: milagre evita tragédia e reabre discussão sobre segurança

27 de abril de 2009 2

Sequência de imagens do acidente de ontem/AP (Rainer Earnhardt, Glenn Smith e Ron Sanders)

Um incrível acidente marcou a última volta da etapa deste domingo da Aaron`s 499, prova da NASCAR em Talladega. Na pista mais rápida do esporte, Carl Edwards e Brad Keselowski disputavam a liderança faltando duas voltas para o final.

Edwards vinha na frente, quando foi tocado por Keselowski e rodou. Pegou ar embaixo do carro e decolou, acertando violentamente a tela de proteção dos torcedores. Por milagre, a tela de proteção segurou a maior parte do impacto, apesar de ter se rompido com o acidente. Edwards não se machucou, mas saiu do carro e correu até a linha de chegada, mostrando bravura apesar de saber que nada valeria.

O saldo pior ocorreu depois: sete torcedores sofreram ferimentos leves após serem atingidos por pedaços do carro e da tela. E uma mulher quebrou a mandíbula e machucou o rosto. Edwards disse que o acidente foi de corrida e não culpou o novato Keselowski, mas criticou fortemente a NASCAR, pedindo ações para evitar “uma tragédia e que alguém morra“. Ryan Newman, que chegou em 3º lugar, também fez críticas à segurança dos carros e se dizendo “feliz por ter chegado inteiro à linha de chegada”, declarações posteriormente rechaçadas pela organização da categoria.

A batida reabriu uma discussão: os carros estão indo muito rápidos em Talladega e Daytona, os “Superspeedways” utilizados na NASCAR. Nestas pistas, os bólidos chegam até 200 milhas por hora, algo em torno de 320km/h.

Em 1987, uma decolagem idêntica envolvendo Bobby Allison na mesma pista feriu dezenas de espectadores. O acidente causou uma profunda mudança na categoria, a NASCAR criou elementos de restrição aerodinâmica para diminuir as velocidades nestas pistas. Vejam o acidente de 1987:

O problema é que neste anos os novos carros da categoria estão limitados aerodinamicamente. Sendo assim, somente andando “grudados” na traseira, os pilotos conseguem pegar vácuo.

O dramático é que foi em um acidente muito parecido que ocorreu a maior tragédia da história do esporte automotor: nas 24h de Le Mans em 1955, momento já revistado e debulhado aqui no Almanaque Esportivo. Na ocasião, um carro decolou e foi parar nas arquibancadas, matando 86 espectadores e o piloto francês Pierre Levegh.

VEJA TAMBÉM:

Quarta-feira, 11 de junho de 2008
Postado por Perin, preocupado com possíveis tragédias

Grêmio atrasa condomínio de credores: folha alta?

27 de abril de 2009 28

Paulo Odone e Túlio Macedo: idealizadores do condomínio de credores

A Zero Hora de sábado divulga que o Grêmio está com muito atraso no pagamento do condomínio de credores: conjunto de ex-jogadores e treinadores com os quais o Tricolor acumulou milhões de reais em dívidas trabalhistas, de execução imediata. A maioria absoluta da gestão de José Alberto Guerreiro, mas muitas dívidas ainda são da gestão de Cacalo.

O valor em atraso chegaria a mais de cinco milhões de reais, e a regularização dos pagamentos só ocorreria em alguns meses. Sem a existência deste condomínio, acerto magistralmente organizado pelo venerável ex-vice presidente de finanças Túlio Macedo, o clube se invabilizaria financeiramente.

É exatamente este artifício criado por Túlio Macedo que resume a diferença do Grêmio para o Corinthians e todos os clubes cariocas, afundados em milionárias execuções judiciais trabalhistas. Com grandes dívidas com o Governo Federal, o perfil da dívida do Internacional é diferente e praticamente inexistem questões trabalhistas.

O déficit gremista no primeiro trimestre foi de um milhão de reais. E isto que o clube já antecipou toda a cota de televisionamento de 2009 com a Rede Globo. A folha está próxima a 3 milhões de reais mensais, algo que deve aumentar com os possíveis reforços de Renato Abreu e Renato Carioca.

A pergunta que fica é: será que os gastos com salários não estão muito altos. Acostumados, especialmente na “Era Paulo Odone” a se posicionar como “irmãos pobres” em relação á alta folha salarial do rival, o Grêmio tem gastos sim bastante expressivos. Tcheco (120 mil), Souza (150 mil), Herrera (120 mil), Máxi López (ver abaixo), Alex Mineiro (150 mil) ganham muito bem.

Máxi López, a despeito de seu quase inexistente cartaz no exterior, recebe assombrosos 208 mil reais mensais. O demitido técnico Celso Roth, de poucos títulos, ganhava 220 mil reais, bem mais que o colorado Tite. O novo, muito provavelmente Paulo Autuori, multicampeão e vindo do milionário futebol árabe para montar toda a filosofia de futebol do clube ganhará menos? Duvido.

  1. Estaria o Grêmio próximo de seu limite financeiro?

  2. A nova diretoria não estaria gastando em demasia, contanto com um sucesso na Libertadores?

  3. Em caso de fracasso, o clube ficaria em sérias dificuldades até o final do ano.

  4. Perguntas para a diretoria tricolor…

Postado por Perin, analisando os números gremistas

Há três anos, Camp. Mineiro é decidido em goleada

26 de abril de 2009 1

Mais uma vez, Cruzeiro e Atlético-MG decidiram o Campeonato Mineiro. E, pela terceira vez consecutiva, uma surra no primeiro jogo decide a competição. Morei cinco anos em Juiz de Fora-MG, a menos mineira de todas as cidades. E justamente por gostarem tanto do Rio de Janeiro, passei a simpatizar com os dois grandes times da capital: Atlético Mineiro e Cruzeiro.

Ontem a Raposa goleou o Galo por 5×0, repetiu o escore do ano passado e virtualmente definiu mais um título, o bicampeonato mineiro. Falhas de goleiros, gols de jogadores contestados e ainda desespero da torcida derrotada mais uma vez repetiram a história das últimas duas decisões.

Hoje foi a vez do goleiro atleticano Juninho falhar duas vezes, e do vaiado lateral-direito Jonathan comemorar dois gols, especialmente o que selou o massacre. O polêmico Kléber abriu o marcador e imitou um Galo, provocando os atleticanos. É o décimo primeiro jogo entre as duas equipes sem vitórias do Galo. Vejam os gols:

O mais incrível é que este é exatamente o MESMO escore do ano passado, quando o Cruzeiro venceu no primeiro jogo por iguais 5×0 e ficou com uma mão e meia na taça. No jogo de volta, um 1×0 de novo em favor do Cruzeiro definiu a conquista de mais um Estadual. Nos dois primeiros gols, duas falhas de Juninho, vilão de hoje. Vejam como foi ano passado:

Isto foi um troco com juros e correção monetária, pois em 2007, o Atlético-MG enfiou 4×0 no Cruzeiro no primeiro jogo e depois se sagrou campeão estadual. Isto com direito a um gol inacreditável sofrido pelo goleiro cruzeirense Fábio, que não percebeu que o jogo havia recomeçado após levar 3×0 de pênalti no finalzinho do jogo e ainda levou um quarto gol estando de costas para o atacante Vanderlei. Absolutamente patético, resultado que causou a saída do técnico Paulo Autuori. Confiram:

Se aqui no RS as finais entre a dupla

Postado por Perin, que manda um abraço pros amigos mineiros

Goleiro agride dirigente e inicia greve no Uruguai

26 de abril de 2009 6

Navarro Montoya brigou com dirigente e iniciou greve no Uruguai

O veterano goleiro colombiano Navarro Montoya, por quase uma década arqueiro titular do Boca Juniors, iniciou verdadeira revolução no Campeonato Uruguaio ao dar um soco em um dirigente. Tudo começou no início da semana, quando ao indagar o presidente do modestíssimo Tacuarembó, do interior do Uruguai, sobre os muitos meses de salários e prêmios atrasados, o goleiro de 43 anos recebeu xingamentos e críticas de Daniel Albernaz, dirigente máximo do time que está em antepenúltimo lugar no Clausura 2009.

Revoltado, Montoya deu um soco no rosto do presidente e foi imediatamente colocado para treinar em separado. Irritados com a diretoria e a favor de seu capitão e mais famoso jogador, todos os demais atletas do Tacuarembó entraram em greve em solidariedade a Navarro Montoya.

O presidente da AUF (Associação Uruguaia de Futebol) tentou intervir e enviou um delegado para diminuir a confusão, mas os jogadores estão irredutíveis. O jogo contra o Montevideo Wanderers estava marcado para sábado, foi adiado em um dia. Baltasar Silva, outro líder do grupo, disse ontem: “El Mono”, como capitão, falou por todo o time, e não aceitamos que ele fique em separado. O time não treinou, jogadores estão abaixo do peso e a situação está muito complicada dentro do clube.

Depois de muitas negociações, os atletas resolveram jogar neste domingo desde que o presidente Albernaz renunciasse, como compensação à saída de Montoya. O goleiro Montoya aceitou a rescisão de contrato, e fez sua parte no acordo. Porém Albernaz mudou de idéia e ficou no cargo, gerando um impasse. Revoltada, a torcida está do lado dos atletas e fez ontem uma grande manifestação na sede do clube pedindo a saída do `ditador` Albernaz.

Com 25 anos de trajetória profissional, está claro que não vim para Tacuarembó por motivos econômicos. Mas os companheiros mais jovens estão me dando uma lição de vida com a atitude ética e muito solidária que vêm demonstrando!, disse Montoya ao “El País“, principal jornal do Uruguai. Os dirigentes estão com respaldo da AUF, enquanto os atletas estão sendo defendidos pelo sindicato dos jogadores profissionais.

O Tacuarembó, clube de cidade a 450 km de Montevidéu, jogará com um time de juvenis nesta tarde para evitar o W.O., que custaria pesada sanção desportiva ao clube. Recentemente o Central Española fez greve, e até mesmo o multicampeão Peñarol vive profunda crise econômica.

Postado por direto da Redação da Central Perin de Notícias

GP DA CHINA: show de Vettel na água

25 de abril de 2009 3

Vettel, dando show e a 1° vitória da RBR

Com o mesmo atraso, vamos aos prêmios especiais do GP da China, disputado semana passada em uma corridaça no belo circuito de Xangai. Sob dilúvio, venceu o mais talentoso da nova geração: o alemão Sebastien Vettel.

Pole-position, conquistou a primeira pole e vitória da sua nova equipe, a RBR, repetindo o seu feito histórico na STR ano passado no GP da Itália. De quebra, dobradinha com uma ótima corrida do nem tão bom australiano Mark Webber. Fechando o pódium, o inglês Jenson Button, logo à frente de Rubens Barrichello.

O campeão Lewis Hamilton, que cometeu cinco erros sozinho, ficou atrás até de Heikki Kovalainen, o que não é nada muito agradável. Uma lástima o término de corrida do alemão Adrian Sutil.

Ele aquaplanou faltando meia dúzia de voltas, quando estava na ótima sexta colocação e à frente das McLaren. Destaque para Rubinho, que fez pontos pela terceira corrida seguida, algo impensável nos tempos de Honda, e ainda de quebra fez a melhor volta da prova, algo que não ocorria desde 2005. Detalhe: andando 20 voltas com 1 disco de freio a menos.

Lista completa de prêmios aqui:
ALMANAQUE ESPORTIVO – PREMIAÇÕES ESPECIAIS F-1 2009

Troféu “Jim Clark”: Sebastien Vettel, sem dúvida. Brilhante na chuva, o jovem de 21 anos é o novo “pato” da Fórmula-1, obtendo suas duas vitórias em dilúvios.

Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”: Nelsinho Piquet, errou diversas vezes e terminou em último dos que completaram a prova. Menção honrosa para a Ferrari, pelas três provas sem pontos

Troféu “Chris Amon”: Felipe Massa, problema elétrico na 20° volta quando estava em quarto lugar após grande corrida de recuperação. Menção honrosa para a aquaplanagem de Sutil, que estava completando seus primeiros pontos na carreira.

Troféu “Rouge & Blanc”: Rubinho, que correu sem um disco de freio por quase metade da corrida.

Troféu “Dick Vigarista”: em uma corrida na chuva, todos os pilotos se mostraram ousados, mas com correção. Ninguém leva.

Troféu “Porquê Não Fiquei Com Minha Boca Fechada”: Nelsinho Piquet. Muito mal na temporada, ainda arranjou tempo entre o GP da Malásia e o da China para criticar a Renault. Fez outro fiasco e tá de saída.

Troféu “Fiofó de Ouro”: para Sebastien Buemi, que aproveitou abandonos nas voltas finais das corridas, completou sua terceira prova em 3 GP`s e marcou pontos novamente. Tá indo bem o garoto.

Postado por Perin, aguardando Sakhir amanhã…