Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 26 maio 2009

"Camino a Roma" - Manchester United

26 de maio de 2009 0

O Manchester United tentará nesta quarta-feira seu quinto título em sete possíveis na temporada 2008/2009. Apenas a Copa da Inglaterra e a Supercopa Européia não foram conquistadas pelo time de Old Trafford, que já levou para casa a Supercopa Inglesa, o tricampeonato Inglês, a Copa da Liga Inglesa e o Mundial de Clubes da FIFA.

O caminho para o time do técnico Alex Ferguson foi complicado. O time passou sufoco nas quartas-de-final contra o Porto, passando bem da primeira fase e também dos demais mata-matas, sobretudo contra o Arsenal.

Sólido na defesa, o Manchester alternou bons e maus momentos no setor ofensivo, mas na reta final acabou contando com o ótimo futebol de Cristiano Ronaldo, eleito o melhor do mundo na temporada passada e autor de gols decisivos nos ‘mata-matas’. Esta será a quarta final dos “Red Devils“, que jamais foram derrotados em uma final de Liga dos Campeões.

Dotado de um estilo de jogo diferente do adversário na finalíssima, a equipe inglesa é a mais equilibrada do continente: tem defesa, meio e ataques de alto nível, e reservas superiores. Veteranos como Ryan Giggs e Paul Scholes, em busca do tricampeonato europeu, são ótimas armas no banco de reserva. A defesa é a melhor da competição com míseros seis gols sofridos,

Na primeira fase, o Manchester mostrou muita…preguiça! Em um grupo mediano, com o sempre chato Villarreal, o perigoso em casa Celtic Glasgow e o fraco AaB. Porém o time dinamarquês foi bem e embolou o grupo, eliminando o Celtic e engrossando contra o resto. O resultado foi benéfico para o Manchester, que terminou uma primeira fase invicta de duas vitórias e quatro empates, com um futebol apenas competente.

Já na segunda fase a coisa encrespou. Logo de cara, a favorita e tricampeã italiana Internazionale. E o resultado foi espetacular: um 0×0 em Milão no qual o melhor em campo foi o brazuca Júlio César. E no jogo de volta, 2×0 ao natural em Old Trafford mostrou que o atual campeão estava no rumo…

Porém um drama viria na partida seguinte. O Porto, algoz de 2004 então treinado pelo jovem José Mourinho (justamente o treinador da Inter, eliminado nas oitavas), abriu o marcado no início do jogo. O United virou mas no finalzinho o time visitante empatou de novo, um 2×2 indigesto. Porém no jogo de volta, um golaço antológico de Cristiano Ronaldo resolveu a parada, 1×0 no Estádio do Dragão. Vejam o gol:

Nas semis, o arquirrival mas freguês dos últimos anos Arsenal foi facilmente batido. No primeiro jogo, 1×0 no qual o melhor em campo foi o goleiro Manuel Almunia, do Arsenal. Na partida de volta, 3×1 em pleno Emirates Stadium muito fácil, sem sustos.

O Manchester só tem um desfalque para a decisão: Darren Fletcher, suspenso após ser expulso contra o Arsenal. Anderson deve ficar no banco e Sir Alex Ferguson provavelmente jogará com um único atacante (Cristiano Ronaldo) e um meio movediço, no 4-3-2-1 consagrado na temporada européia atual.

Os números: 12J, 6V, 6E, 0D, 18GP, 6GC
Artilheiros: Dimitar Berbatov, Cristiano Ronaldo e Wayne Rooney (4 gols)
Assistências: Ryan Giggs e Wayne Rooney (3 passes)
Desfalques para a decisão: Darren Fletcher (suspenso)
Brasileiros na decisão: Anderson e Rafael (banco)
Campeão em: 1967, 1999 e 2008 (atual campeão)

Time provável(4-3-2-1): Edwin Van der Sar; John O’Shea, Rio Ferdinand, Nemanja Vidic e Patrick Evra; Michael Carrick, Paul Scholes, Ryan Giggs; Ji-Park Sung e Wayne Rooney; Cristiano Ronaldo. Técnico: Sir Alex Ferguson

"Camino a Roma" - Barcelona

26 de maio de 2009 0

O Barcelona chega pela sexta vez à decisão da Liga dos Campeões da Europa, e de novo como favorito. Apesar do adversário ser o atual campeão europeu e mundial, cabe ao Barça o fato de ter mostrado o futebol mais espetacular desta Liga.

O trio de ataque de Lionel Messi, Samuel Eto’o e Thierry Henry é o mais letal da Europa em 2008/09, com mais de 100 gols marcados. Foram cinco goleadas, mas contra si o retrospecto apenas regular como mandante: 4 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

Por ter ficado em terceiro no último espanhol, o time catalão teve que jogar a fase pré-classificatória, aonde eliminou facilmente o polonês Wisla Krakow vencendo por 4×0 em Barcelona e perdendo por 1×0 em Cracóvia.

Na primeira fase, o Barça passou fácil por um grupo fraco, com Sporting Lisboa, Shakthar Donetsk e Basel. Venceu os três primeiros jogos, empatou com o Basel em casa em 1×1 e depois ganhou do Sporting fora de casa por goleada: 5×2. Classificado, jogou com reservas e levou 3×2 do Shakthar em pleno Camp Nou. Aliás, o time ucraniano, que ficou em terceiro, na semana passada conquistou a Copa da UEFA.

Nas oitavas-de-final, o Barça empatou com o decadente Lyon fora por 1×1, e surrou o adversário no Camp Nou: 5×2. Nas quartas, o adversário seria o Bayern de Munique, que havia enfiado históricos 12×1 no Sporting após os dois jogos. Mas o confronto terminou ainda na primeira partida: 4×0 no Camp Nou, seguido por um formal 1×1 na Alemanha.

Porém o drama viria nas semifinais, quando o Barcelona foi amarrado pelo Chelsea em casa: 0×0. O time do técnico Pep Guardiola, lenda do clube nos anos 90 e que tem valorizado jogadores da base catalã, simplesmente não conseguiu jogar.

No jogo de volta, em Stamford Bridge, a segunda partida mais dramática de toda a competição, um jogo épico que só perdeu para o, talvez inigualável, Chelsea 4×4 Liverpool (aqui os gols: http://www.youtube.com/watch?v=cjy19c56cMw&hd=1). O Chelsea saiu na frente com um golaço de fora da área no início do jogo marcado pelo ganês Michael Essien. O Barcelona passou a pressionar, assim como o time inglês, que reclamou muito de quatro pênaltis claros (dois então, escandalosos) não marcados pelo árbitro norueguês Tom Henning Øvrebø:

O panorama se manteve o mesmo na etapa final, com a equipe catalã lutando desesperadamente pelo gol da classificação e o Chelsea nos contra-ataques e reclamando do juiz. No finalzinho dos acréscimos, Andrés Iniesta pegou um passe de Messi após furada de Essien e meteu no ângulo, 1×1. O time da casa quase empatou aos 50 minutos, mas o placar se manteve: Barcelona na final depois de três temporadas (foi o campeão europeu de 2006).

Com um futebol ofensivo, o Barça aposta no talento do trio de ataque, sobretudo pelo futebol superior de Messi, favorito disparado ao título de melhor do mundo em 2009. Eles jogam auxiliados pelos talentosos Xavi e Iniesta no meio, ao lado da grata revelação Sergi Busquets (filho do goleiro reserva dos anos 90). Porém Guardiola não terá o brasileiro Daniel Alves, suspenso pelo segundo amarelo.

Os números: 14J, 7V, 5E, 2D, 34GP, 14GC
Artilheiros: Messi (8 gols, artilheiro do torneio) e Henry (5 gols)
Assistências: Xavi (6 passes, líder do torneio) e Messi (5 passes)
Desfalques para a decisão: Daniel Alves (suspenso), Henry (dúvida)
Brasileiros na decisão: Sylvinho (banco)
Campeão: 1992 e 2006
Vice-campeão:
1961, 1986 e 1994

Time provável: Victor Valdéz; Carles Puyol, Gerard Piqué, Yayá Youré e Eric Abidal; Sergi Busquets, Xavi Hernández e Andrés Iniesta; Lionel Messi; Samuel Eto’o e Thierry Henry. Técnico: Pep Guardiola

Liga dos Campeões - Finais de 2005, 2006 e 2007

26 de maio de 2009 1

2005 – Gerrard recoloca o Liverpool no topo da Europa – Liverpool (4) 3×3 (3) Milan

Desacreditado, o Liverpool conquistou a Europa pela quinta vez da maneira mais espetacular deste século XXI. Isso ao superar o Milan na final da Liga dos Campeões 2005/06, disputada no estádio Ataturk, em Istambul. O time treinado por Rafa Benítez perdia por 3×0 do Milan no segundo tempo, mas conseguiu empatar e depois vencer nos pênaltis. O Liverpool atropelou o Bayer Leverkusen nas oitavas, bateu a Juventus nas quartas e o, agora sim bilionário, Chelsea nas semis. Já o Milan bateu Manchester United, Internazionale (de novo!) e PSV antes da final.

O jogo: Antes de dois minutos, já estava 1×0 para os italianos, gol da lenda Paolo Maldini. O pesadelo inglês continuaria com dois gols do argentino Hernán Crespo, aos 38 e 44 minutos. Game, set and match para o Milan? Que nada, comandado por uma soberba atuação do capitão Steven Gerrard, o Liverpool conseguiu uma histórica reação. O próprio Gerrard descontou aos 6 minutos, o tcheco Smicer aos 11 e o espanhol Xabi Alonso, em rebote de pênalti, fechou a reação aos 15 minutos. Em seis minutos, três gols e a igualdade! Muito cansados e nervosos, os dois times pouco criaram até a prorrogação. No tempo extra, o Milan teve duas chances incríveis, mas a sorte do goleiro polonês Jerzy Dudek estava em dia. Nas penalidades, John Arne Riise errou para o Liverpool, enquanto o brasileiro Serginho, o italiano Andrea Pirlo e o ucraniano Andriy Shevchenko desperdiçaram e deram o título para os ingleses mais uma vez. Sem sombra de dúvida, a mais saborosa de todas.


LIVERPOOL – MILAN 3-3 ( 3-2 penalties… por sylar335

2006 – Ronaldinho é o dono da Europa! – Barcelona 2×1 Arsenal

Favorito, o Barcelona acabou confirmando o seu segundo título europeu ao derrotar por 2×1, de virada, o Arsenal no estádio Stade-de-France. Neste ano, os gaúchos em especial acompanharam atentamente a final da Liga dos Campeões, pois o Internacional fazia boa campanha na Libertadores e podia pegar (como de fato ocorreu), o Barcelona no Mundial FIFA de Clubes. O time catalão tinha o melhor jogador do mundo disparado de então: o brasileiro Ronaldinho, além de jogadores como Deco e Eto em excepcional fase. Depois de um passeio na primeira fase, o Barça pegou o poderoso Chelsea nas quartas e arrancou a classificação fora de casa. Nas quartas, o Barça superou a surpresa Benfica, e despachou o vice-campeão Milan nas semis. Enquanto isto, o Arsenal tinha um caminho mais duro: Real Madrid, Juventus e, de forma dramática, o Villarreal nas semis. O time inglês contava com muito conjunto, uma grande fase do francês Thierry Henry e do jovem espanhol Césc Fábergas.

O jogo: a partida foi bastante atípica. Considerado azarão, o Arsenal do excepcional técnico Arséne Wenger ainda perdeu o goleiro Jens Lehmann, expulso no 1° tempo aos 18 minutos. Mesmo assim, o zagueiro Sol Campbell fez 1×0 de cabeça aos 37 minutos, deixando os londrinos (em busca de um título inédito) em vantagem. Dali em diante, o jogo foi o seguinte: o Barcelona fazia uma blitz e o Arsenal especulava em contra-ataques com Henry, que inclusive perdeu um gol feito. Muito mal no jogo, Ronaldinho viu o show ser roubado pelo veterano sueco Henrik Larsson. O reserva entrou e deu o passe para os dois gols da virada catalã: Samuel Eto’o aos 31 e o brasileiro Belletti aos 36 minutos, dando o título ao Barcelona, que repetia 1992. E, de novo, enfrentaria um brasileiro no Mundial mas esta é uma outra história…


FC Barcelona – Champions Final 2006 FC… por danielrn5

2007 – “La vendetta dei rossoneros” – Milan 2×1 Liverpool

A vingança italiana demorou dois anos, mas o Milan se sagrou heptacampeão europeu ao bater o Liverpool por 2×1 na final disputada no estádio Olímpico de Atenas, na Grécia. Foi o troco de 2005, quando os dois times também decidiram a competição. E, mais uma vez, os gaúchos assistiram com atenção a partida pois o Grêmio brilhava na Libertadores e poderia pegar o campeão europeu no Mundial da FIFA de Clubes. Depois de uma primeira fase tranquila, o Milan bateu apertado o Celtic Glasgow, passou fácil pelo Bayern de Munique e ganhou com sobras do então favorito Manchester United (em um show especial de Kaká e Seedorf no 2° jogo). Já o Liverpool ganhou do então campeão Barcelona, dos holandeses do PSV e do rival Chelsea nas semis (assim como em 2005). Tudo parecia encaminhar-se para um repeteco.

O jogo: Porém a partida não foi do jeito que os ingleses esperavam. Mesmo com um time até superior ao de 2005, o Liverpool não conseguiu superar o esquema defensivo do Milan e foi dominado no meio-campo. Seedorf e Kaká tiveram outras atuações soberbas, assim como o veterano centroavante Filippo Inzaghi. Este fez 1×0 aos 45 do 1° tempo, e repetiu a dose em um contra-ataque aos 39 do 2° tempo. Quase no final, o grandalhão holandês Dirk Kuyt descontou mas isto foi insuficiente para evitar o título italiano. Pela sétima vez, o Milan conquistava a Europa.


2007 (May 23) AC Milan (Italy) 2-Liverpool… por sp1873

Amanhã: os caminhos de Chelsea e Manchester United até a decisão em Moscou

Invasão de treino: rotina no Rio de Janeiro...

26 de maio de 2009 2

Diguinho, sendo covardemente agredido no treino/Julio Cesar Guimaraes, Lancepress

Ano passado escrevi após torcedores do Flamengo invadirem um treino na Gávea e jogarem uma bomba dentro do gramado:

Terça-feira, 05 de agosto de 2008

Opinião: A baderna do futebol no Rio e SP

Quarta-feira, 06 de agosto de 2008

Violência no treino do Fla: consequências

Agora os torcedores foram ainda mais longe: marginais da Força Flu agrediram o jogador Diguinho, do Fluminense nesta tarde.

Até quando isto vai continuar? Os torcedores envolvidos deveriam ter sido PRESOS por desordem e lesões corporais!

Dirigentes comprometidos e de rabo preso com organizadas deveriam ser demitidos sumariamente.

Postado por Perin, revoltado

Liga dos Campeões - Finais de 2002, 2003 e 2004

26 de maio de 2009 0

2002 – Zidane e Casillas: supremos! – Real Madrid 2×1 Bayer Leverkusen

Real Madrid e Bayer Leverkusen chegavam à decisão no lindíssimo Hampden Park, em Glasgow, vivendo momentos diferentes. O Bayer era líder do Alemão, finalista da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, mas conseguiu perder as decisões domésticas e só a Liga poderia salvar uma derrocada final do time do zagueiro brasileiro Lúcio, do meia Michael Ballack e do atacante Oliver Neuville. Nas quartas, o Bayer eliminou o Liverpool. E nas semifinais, em um jogaço, bateu o Manchester United. Já o Real, octacampeão europeu, vinha embalado por ótima campanha na Liga, no primeiro ano dos ‘Galáticos’ de Florentino Pérez. Jogadores do quilate de Zinedine Zidane, Figo, Raúl, Roberto Carlos e Fernando Morientes defendiam o time merengue. Nas quartas, o Real superou o então campeão Bayern e nas semis, o arquirrival Barcelona, com sobras.

O jogo: foi um jogaço! Para compensar a chatice de 2001, Real e Bayer fizeram uma partida fenomenal, de alta ofensividade e muitas conclusões a gol. Logo no início do jogo, Raúl fez 1×0 para os madrilenhos. Mas o brasileiro Lúcio empatou logo depois, 1×1. Então, no final do primeiro tempo, o momento mágico: Zidane pega de sem-pulo, da entrada da área e acerta o ângulo do goleiro Hans Butt. O francês assina uma obra-prima e faz o gol mais bonito das finais de Liga deste milênio. No segundo tempo, o goleiro espanhol César sai machucado, entrando o então jovem Iker Casillas, ainda se firmando no time principal. Com três defesas monumentais, o garoto segura a pressão dos alemães e garante a vitória do Real Madrid, campeão europeu pela nona (e até agora, última), vez.

Gol antológico de Zinedine Zidane, garantindo o título:


2002 (May 15) Real Madrid (Spain) 2-Bayer… por sp1873


Casillas fechando o gol após entrar no Segundo tempo:

2003 - Mais italiano (e chato), impossível! - Milan (4) 0×0 (3) Juventus

Pela primeira vez na história, dois times italianos decidiram o título da Liga no Old Trafford, em Manchester. Milan e Juventus fizeram um dos jogos mais chatos de todos os tempos, um 0×0 murrinha decidido somente nas penalidades. O Milan começava naquela temporada a base da equipe que seria vice-campeã européia em 2005 e campeã da Europa e do Mundial em 2007. Já a Juventus não estava tão forte tecnicamente, e dependia muito do talento do eterno Alessandro Del Piero,do tcheco Pavel Nedved e da sólida defesa bianconera. Nas quartas, os “rossoneri” bateram o Ajax e a arquirrival Internazionale nas semis, enquanto a Juventus superou a dupla espanhola Barcelona e Real Madrid

O jogo: a decisão foi tão ruim que eu só vou por os melhores momentos da disputa de pênaltis. Durante 120 minutos, Milan e Juventus alternaram um “catenaccio” horroroso, ambos com medo de perder. Nas penalidades, um show do brasileiro Dida, que pegou as cobranças de Trezeguet, Birindelli e Montero. Pelo Milan, Seedorf e Nesta desperdiçaram, mas o ucraniano Andriy Shevchenko converteu a quinta cobrança e selou a conquista. Milan, campeão europeu pela sexta vez. Seedorf e Ancelotti comemoraram de maneira especial: o craque holandês foi o 1º a conquistar a Europa por três times diferentes (havia vencido por Ajax e Real Madrid), enquanto o treinador sentiu-se vingado, pois havia sido demitido da Juventus dois anos antes.


2004 – O que está acontecendo aqui? – Porto 3×0 Monaco

Quando terminou o ano de 2004, a pergunta era: até quando vão continuar as zebras? Afinal, a Grécia era campeã européia, o Santo André campeão da Copa do Brasil, o Once Caldas era campeão da Libertadores. Mas tudo isto havia começado lá na Liga dos Campeões, quando as surpresas foram muito longe. Já na primeira fase, caíram Internazionale e Lazio. Nas oitavas, o Porto e o Deportivo La Coruña eliminaram Manchester United e Juventus. Nas quartas, o Monaco, o La Coruña e o Chelsea (então ‘pobre’) se classificaram sobre Real Madrid, Milan (de maneira incrível, revertendo um 4×1 para 4×0) e Arsenal. Nas semis: Porto x La Coruña e Monaco x Chelsea. Portugueses e franceses se classificaram para a final na Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen. E deu a ‘menos’ zebra, o Porto.

O jogo: Treinado pelo estrategista José Mourinho, o Porto não deu nenhuma chance para o Monaco, do novato treinador Didier Deschamps. Ainda no início do jogo, Ludovico Giuly (o principal jogador do time francês ao lado de Fernando Morientes) saiu de campo com lesão muscular. O Porto, que tinha o zagueiro Ricardo Carvalho e o meia Deco como principais destaques, fez 1×0 com o também brasileiro Carlos Alberto aos 39 do 1º tempo. Na etapa complementar, o Monaco se atirou para o ataque e foi castigado em dois lances: Deco fez 2×0 aos 26 minutos, e o russo Dmitri Alenichev fechou o placar quatro minutos depois. Reprisando 1987, a Europa era lusitana novamente. E do Porto.


2004 (May 26) Porto (Portugal) 3-AS Monaco… por sp1873

Ainda hoje – Finais de 2005, 2006 e 2007