Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 15 junho 2009

Troca de técnicos: os times recordistas desde 2003

15 de junho de 2009 1

sde que o sistema de pontos-corridos foi adotado em 2003, a dupla Fla-Flu tem sido a recordista em trocar o comando técnico do time.

Com a entrada de Carlos Alberto Parreira no lugar de René Simões, o Fluminense completou 16 trocas e se igualou ao Flamengo neste `ranking da instabilidade`. O cálculo é feito sem considerar treinadores interinos mas contando, claro, interinos que foram efetivados como Marcelo Oliveira no Atlético-MG e Márcio Fernandes, no Santos.

Além das óbvias implicações desta análise, como maus resultados, falta de planejamento, erros nas avaliações de treinadores, o impacto dentro de campo é muito grande. O elenco acaba sofrendo com a instabilidade, sendo constantemente reavaliado sem sucesso ou segurança.

Logo atrás, o Atlético-MG, assolado por décadas sem títulos nacionais e só contabilizando duas Copa CONMEBOL no mesmo período (em 1992 e 1995). Rebaixado no Brasileiro de 2005, o Atlético-MG já trocou 15 vezes de treinador, a última ao substituir Émerson Leão por Celso Roth. Vasco da Gama e Corinthians, também rebaixados neste período, tiveram 13 trocas de comando técnico.

Porém o Corinthians já está com o mesmo treinador há quase um ano e meio. Mano Menezes segue sua trajetória no Grêmio, clube no qual ficou por dois anos e meio.

O Grêmio aliás tem um histórico de estabilidade no comando do time, lembrando dos quase quatro anos comandados pelo histórico Felipão. Desde 2006 foram apenas quatro treinadores e três trocas. O problema é o período imediatamente anterior, do instável ano do Centenário (2003) e do ano do segundo rebaixamento (2004) quando o Tricolor trocou oito vezes de técnico.

Na ponta oposta, vem o tricampeão brasileiro São Paulo, com míseras cinco trocas. Afinal, desde 2006 o treinador é o mesmo: Muricy Ramalho, a despeito de fases muito instáveis sobretudo em 2007 e 2008. Muitos apontam como este ano sendo o fim da “Era Muricy” no Morumbi, mas por enquanto segue tudo como está. O Internacional vem logo atrás com oito trocas no período:

Todos os técnicos do Grêmio:
2003: Tite, Darío Pereyra, Nestor Simionatto e Adílson Batista
2004: Adílson Batista, José Luis Plein, Cuca e Cláudio Duarte
2005: Hugo de León e Mano Menezes
2006: Mano Menezes
2007: Mano Menezes
2008: Vágner Mancini e Celso Roth
2009: Celso Roth e Paulo Autuori

Todos os técnicos do Internacional:
2003: Muricy Ramalho
2004: Lori Sandri, Joel Santana e Muricy Ramalho
2005: Muricy Ramalho
2006: Abel Braga
2007: Abel Braga, Alexandre Gallo e Abel Braga
2008: Abel Braga e Tite
2009: Tite

Acidente terrível mata estrela mexicana da NASCAR

15 de junho de 2009 6

O piloto Carlos Pardo, de 34 anos, faleceu ontem após uma tragédia no autódromo de Amozoc em Puebla, México, na prova mais famosa da NASCAR mexicana. Pardo liderava na última volta quando foi tocado na traseira por Jorge Goeters. Sem controle, acertou de lado o muro interno da pista e nem os galões de água de proteção foram suficientes para que o carro se desintegrasse a mais de 200km/h.

O socorro chegou rápido, mas a equipe de resgate logo percebeu que o caso era crítico. O piloto, campeão da categoria em 2004, ainda foi levado a um hospital em Puebla  de helicóptero mas declarado morto 45 minutos após o acidente. Vejam imagens ao vivo:

Seu irmão, o também piloto Rúben Pardo, não conseguiu verificar como andava o resgate e ficou desesperado. O mesmo ocorreu com a esposa, Ana Estévez, que desmaiou após ver o piloto na ambulância. A cobertura completa da TV mexicana:

Seu irmão, o também piloto Rúben Pardo, não conseguiu verificar como andava o resgate e ficou desesperado. O mesmo ocorreu com a esposa, Ana Estévez, que desmaiou após ver o piloto na ambulância. A cobertura completa da TV mexicana:

Frágeis em sua estrutura lateral, os carros da NASCAR norte-americana e da Stock Car brasileira foram recentemente remodelados, aumentando a segurança das barras de proteção ao lado do piloto. O brasileiro Rafael Sperafico faleceu há três anos em um acidente em Interlagos após ser atingido lateralmente.

Carlos Pardo foi declarado vencedor póstumo da prova, pois liderava uma volta antes da corrida ser interrompida com bandeira vermelha, na volta 97. Ele disputou 74 provas, vencendo 10 e obtendo ainda oito pole-positions

Postado por Perin, de luto…

Libertadores 2009: os três jogos mais dramáticos

15 de junho de 2009 5

Com a reta final da Libertadores 2009 ocorrendo nesta semana com os jogos de volta das quartas-de-final, vamos apresentar os jogos mais emocionantes da competição até o momento.

Partidas nas quais times classificados só foram definidos nos instantes finais. Será que teremos jogos ainda mais dramáticos nesta semana? Não sei, mas vale a pena conferir as três histórias abaixo:

3°) Libertad-PAR 0×2 San Luís-MÉX

O San Luís precisava vencer por dois gols de diferença, fora de casa contra o forte Libertad (que já estava classificado), ou seria eliminado pelo Universitário-PER. O time mexicano passou o jogo inteiro no ataque, levando sustos atrás e contando com a ótima atuação do arqueiro Martínez. O veterano Jairo Patiño fez 1×0 aos do segundo tempo cobrando falta. Martínez operou três milagres antes do gol da classificação, marcado por Ignácio Torres nos acréscimos. Vejam:

2°) Colo-Colo-CHI 0×1 Palmeiras

Depois de um péssimo início, o Palmeiras reagiu na tabela e chegava na última rodada vivo. Porém precisaria vencer o Colo-Colo em seu estádio para garantir a classificação. Perdeu inúmeros gols ao longo de todo o jogo. Empatava em 0×0 e tinha um jogador a menos, após Marcão ser expulso. Faltando quatro minutos, um gol antológico de Cleiton Xavier garantiu a classificação. Confiram:

1°) Defensor Sporting-URU 4×3 Independiente Medellín-COL

Sem dúvida, o jogo mais legal da Libertadores até agora. O Defensor começou o jogo eliminado, com o time colombiano classificado. Fez 1×0 com Álvaro Navarro e estava garantido, mas o Independiente empatou com Luís Arias em menos de dez minutos. O time uruguaio não desistiu e fez 2×1 ainda na etapa inicial, antes de levar o empate já aos 32 do segundo tempo com Andrés Ortiz.

O resultado classificava os visitantes mas Diego de Souza fez o gol da classificação (ou que eles achavam que seria) aos 38 do 2° tempo. Aí ocorreu uma sucessão de gols: aos 45 o Independiente empatou com Diego Cabrera, mas Álvaro Navarro fez o gol do milagre aos 48 da etapa final, Defensor 4×3 Independiente. Incrível, sem dúvida um “Jogos para Sempre”, ao menos no coração da torcida do Defensor… Confiram:

Postado por Perin, dizendo que ainda bem que não sofreu…