Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Especial Copa do Brasil: 1976, 1992 e 2005

16 de junho de 2009 9

1976 – Final do Campeonato Brasileiro

Resultado: Internacional 2×0 Corinthians

Como foi o jogo: Então campeão nacional, o Internacional patrolou a maioria dos adversários ao longo da competição. Melhor ataque, melhor defesa, melhor jogador (Figueroa), Artilheiro (Dario Maravilha). Ninguém parecia páreo. Até a final foram 22 vitórias, 1 empate e só perdeu três vezes: Caxias, Coritiba e… Corinthians! Só que era justamente este último o adversário na decisão…

Assolado por um jejum de 21 anos sem título algum, o Timão tinha uma equipe limitada mas de pura raça, com talentos sobretudo nas laterais com Zé Maria e Wladimir. Nas semifinais, pegou a Máquina Tricolor do Fluminense, comandada pela lenda Didi, e segurou um 1×1 em pleno Maracanã, debaixo de uma chuva torrencial. Venceu nos pênaltis e se classificou para a final, para delírio dos mais de 70 mil corinthianos que invadiram o Rio de Janeiro na célebre “Invasão Corinthiana”.

O Corinthians e até o governador de São Paulo tentaram virar a mesa e colocar em um campo neutro, o Maracanã, mas sem sucesso graças aos esforços do presidente colorado Frederico Arnaldo Ballvê. Em Porto Alegre, foram disponibilizados apenas 10 mil ingressos para os corinthianos, que ainda assim entupiram a cidade. Lotaram todos os hotéis e pousadas, deixando a situação complicadíssima para meus pais fazerem a lua-de-mel (eles casaram no dia anterior à final!).

Dentro de campo, não teve jeito: Aos 28, Valdomiro cobrou falta no travessão, Dario pegou o rebote, ‘parou no ar’ e fuzilou de cabeça, 1×0. Aos 14 do 2º tempo, Valdomiro bateu falta no travessão, a bola quicou logo atrás da linha do gol e saiu. Os jogadores do Corinthians reclamaram muito, a torcida paulista paralisou o jogo e o caos foi instaurado.

O técnico corinthiano Duque inclusive ameaçou tirar o time de campo, quando o capitão Zé Maria (da Seleção Brasileira) disse: “Isto já é demais, chefe, e não vamos fazer”. O gol, legítimo, foi assinalado e fechou o marcador daquela final em 2×0, Internacional bicampeão brasileiro. No final do jogo, a torcida do Corinthians tentou melar a partida, jogando foguetes (então permitidos nos estádios) em direção ao gramado. O jogo ficou parado quase 20 minutos até que os ânimos se acalmassem e a partida reiniciasse até seu término. Inter, bicampeão brasileiro em 1976.

Imagens do fiasco:

INTERNACIONAL: Manga; Cláudio Duarte, Figueroa, Marinho Peres, Vacaria; Caçapava, Falcão, Batista; Valdomiro, Darío, Lula. Técnico: Rubens Minelli

CORINTHIANS: Tobias; Zé Maria, Moisés, Zé Eduardo, Wlademir; Givanildo, Russo, Neca; Vaguinho, Geraldão, Romeu. Técnico: Duque


1992 – Copa do Brasil – segunda fase

Resultado: Corinthians 0×4 Internacional

Em 1992, Corinthians e Internacional novamente se enfrentaram. O jogo era pela segunda fase da Copa do Brasil. Mal no Campeonato Paulista, o Corinthians precisava de um bom resultado para acalmar a fúria da torcida. Porém, em uma inspirada noite colorada e comandada pelo falecido (e bom jogador), centroavante Gérson, o Internacional enfiou uma histórica goleada de 4×0 em pleno Pacaembu.

Foi Gérson, maior artilheiro colorado da Copa do Brasil com nove gols, quem abriu o marcador no primeiro tempo. Em um petardo, o ex-corinthiano Márcio (Bittencourt, hoje treinador) ampliou para 2×0, o seu primeiro gol na carreira. Em dois contra-ataques na etapa complementar, Gérson e Maurício fecharam a goleada: 4×0. Vejam os lances:
O resultado derrubou o técnico corinthiano Basílio. No jogo de volta, um confiante Colorado apenas administrou a enorme vantagem, segurando o 0×0 contra o esforçado time paulistano. O Inter estava classificado e enfrentaria o arquirrival Grêmio, o Corinthians entrava em crise.

  1. gol – Gérson -> http://www.youtube.com/watch?v=k0ME88JIiA0
  2. gol – Márcio -> http://www.youtube.com/watch?v=oDqJ7JzXNRo
  3. gol – Gérson -> http://www.youtube.com/watch?v=RW6dGX3fazk
  4. gol – Maurício -> http://www.youtube.com/watch?v=ZDATWp2bphw

2005 – O jogo da polêmica no Pacaembu

40º Rodada do Campeonato Brasileiro

Resultado: Corinthians 1×1 Internacional

O Campeonato Brasileiro de 2005 foi o mais polêmico da história recente do futebol brasileiro. Um escândalo, comprovado e documentado, envolvendo o ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho, foi exposto no meio da competição. Além do ululante afastamento do corrupto, houve repercussão nos gramados.

Em uma medida inédita no futebol mundial e que causou muita contestação de boa parte dos clubes, todos os onze jogos que o árbitro apitou, inclusive aqueles que ele havia recebido suborno para beneficar o time derrotado, foram anulados pelo então presidente do STJD, Luís Zveiter. Medida que não foi adotada na Série B, já que o árbitro Paulo Danelon também foi acusado de corrupção, com provas documentais sobre o assunto.

O grande beneficiado com isto foi o milionário Corinthians, bancado pela empresa de investimentos MSI e que tinha craques como Carlos Tévez, Nilmar, Javier Mascherano. Ele havia perdido dois clássicos contra o Santos e São Paulo, que foram repetidos com uma vitória e um empate.

Já o Internacional, que também disputava o título, teve que vencer de novo o Coritiba. Isto, aliado a arbitragens desastrosas em dois jogos contra o Paysandú e contra o Cruzeiro e São Caetano, com decisões questionáveis beneficiando o time paulista, gerou um clima todo especial para a antepenúltima rodada do Brasileirão: Corinthians x Internacional no Pacaembu.

Três pontos atrás na tabela, o Inter precisava vencer para ter chances de ser campeão por si só. No primeiro tempo, o Inter teve poucas chances e o Corinthians foi bem melhor: acertou a trave com Gustavo Néry e teve as melhores chances antes de Tévez aproveitar rebatida de Alex e fazer 1×0 no final da primeira etapa. O segundo tempo mal começou e o Corinthians perdeu duas ótimas chances com Carlos Alberto e Tévez. Isto antes de Rafael Sóbis marcar um golaço e empatar aos quatro minutos, 1×1.

O jogo se tornou muito equilibrado até que, aos 29 minutos do segundo tempo, um lance mudaria o destino da competição: Tinga foi lançado por Perdigão, driblava Fábio Costa para marcar o gol quando foi escandalosamente derrubado pelo goleiro corinthiano. O árbitro Márcio Rezende de Freitas, que encerrava sua longa carreira naquela partida, não deu pênalti e aplicou amarelo por simulação. Como já tinha uma advertência, Tinga foi expulso. Neste momento, a torcida do Inter que lotava seu espaço no Pacaembu começou a gritar “vergonha, vergonha”.

A torcida do Corinthians, no início eufórica com a expulsão, aos poucos foi diminuindo o entusiasmo constrangida com o erro capital da arbitragem a seu favor. Cada time ainda perdeu um gol mas o placar final foi mesmo de 1×1. Após o apito final, reparem no silêncio no estádio, algo totalmente descabido em uma situação em que o Corinthians estava em ampla vantagem contra o único rival ao título:
Duas rodadas depois, o Corinthians se sagrou tetracampeão brasileiro. O Inter entraria na justiça, mas ameaças da CBF e CONMEBOL de tirar o clube da Libertadores seguinte obrigaram o clube a desistir. Isto seria a decisão mais acertada da história do clube…

Mas o Brasileirão de 2005 foi do Corinthians.

Se não de direito, de fato.

Com direito a taça e lugar na lista de campeões.

Comentários (9)

  • Leonardo Alves Machado diz: 16 de junho de 2009

    bah, hoje passaram umas 500 vezes esse vídeo na TV (o de 76)…

  • Geraldo colorado diz: 17 de junho de 2009

    Não sei como o Márcio Rezende pode ter expulsado o Tinga. Como um jogador em velocidade poderia se jogar rotacionando o corpo como foi? É claro que houve o choque. O árbitro poderia interpretar que o goleiro Fábio  tocou primeiro na bola, mas simulação de pênalti? Não acho que o juiz roubou. Não, ele era ruim mesmo, um boçal que em 1995 prejudicou o Santos na decisão contra o Botafogo.

  • Marcelo de Oliveira Santos diz: 17 de junho de 2009

    O fato de não terem errado não autoriza a qualificar o pênalti como gol já feito. Roberto Dinamite nunca tinha errado pênalti e perdeu dois em um jogo só. Raí teve dois pênaltis defendidos pelo Dida em um só jogo. Se pênalti fosse gol, não precisaria bater e o Grêmio não teria se classificado na Batalha dos Aflitos, por exemplo.

  • CAMPEÃO DO MUNDO 83 diz: 17 de junho de 2009

    EU QUERIA VER SE O TINGA TIVESSE ERRADO AQUELE PENALTI. NO QUE OS COLORADOS IAM SE AGARRAR PRA FALAR DE INJUSTIÇA.

    EDITADO: Oi, Tiago. Quem bateria seria o Alex ou o Fernandão. Até aquele dia eles nunca haviam errado uma penalidade no Inter. No total, eles e mais o Jorge Wágner erraram um pênalti entre 2004 e 2008

  • Marcelo de Oliveira Santos diz: 17 de junho de 2009

    Quer dizer que todos os jogos apitados pelo Edilson foram jogados novamente, começando 0X0? Quer dizer que o Corinthians teve que ENTRAR EM CAMPO, JOGAR e GANHAR do Santos e EMPATAR com o SPFC? Pela choradeira, dá a impressão de que o STJD simplesmente tomou os pontos de Santos e SPFC e deu para o Corinthians. E o gol irregular do Inter contra o Paysandu? E o gol contra o Palmeiras? O jogador do Inter é autorizado a voltar a campo bem na posição para receber a bola e marcar o gol da vitória.

  • Luciano diz: 17 de junho de 2009

    ta meu.. arruma os caracteres do post.. que nao da pra ler, hehehe abração

    EDITADO: que estranho, vou verificar

    Valeu

  • JOSÉ CARLOS diz: 16 de junho de 2009

    MAS ISTO É OUTRA HISTÓRIA…EM 1983 O GRÊMIO FUTEBOL PÔRTOALEGRENSE FOI O PRIMEIRO CLUBE GAÚCHO A SER CAMPEÃO DA LIBERTADORES,CAMPEÃO MUNDIAL DE CLUBES E CAMPEÃO DA COPA INTERAMERICANA(HOJE DENOMINADA SULAMERICANA).O GRÊMIO É O PRIMEIRO TRÍPLICE COROADO AQUÍ DO RIO GRANDE.AGORA EM 2009 RUMA PARA MAIS UMA CONQUISTA INÉDITA O TRI INVICTO DA LIBERTADORES !!!

  • Leonardo Soares diz: 24 de junho de 2009

    Interessante a declaração do Antônio Lopes, técnico bem visto por aqui. Nos esculhamba e queima o Tinga, idolo dar torcida. Podia ter tido um pouco de dignidade e assumido o que todo mundo viu.

    Espero que a torcida e dirigentes lembrem disso no futuro. Eu nunca vou esquecer o campeonato de 2005 e o que fizeram com a gente para que o corintia fosse campeão…

  • jo diz: 21 de junho de 2009

    jose carlos: só pra esclarecer nunca houve nenhuma copa interamericana!!!Havia a mercosul da qual nunca o gremio chegou a nenhuma final.talvez estivesse confundido com um amistoso nos estados unidos de um jogo só contra o campeão da concacaf mas aquilo nunca foi um campeonato e nem sequer oficial como a mercosul ,era!

    EDITADO: houve sim, veja no site da CONMEBOL
    Copa Interamericana (18 ediciones, 1968 a 1998, actualmente discontinuada)

Envie seu Comentário