Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Hooligans ingleses reeditam anos 70 em Londres

26 de agosto de 2009 4

Cenas lamentáveis no jogo West Ham United 3x1 Milwall, pela Copa da Liga Inglesa/Nick Potts, AP

A barbárie venceu de novo. Os tempos obscuros de extrema violência entre facções de torcedores ingleses tiveram um amargo regresso na noite de ontem em Londres. Tempos nos quais o hoje bilionário, multinacional e organizado futebol da Inglaterra era mais conhecido pela violência fora dos gramados e pelo péssimo futebol dentro deste.

Ao ver as cenas era como se um “Túnel do Tempo” tivesse se aberto e voltássemos ao período entre os anos 60 e o final dos anos 80, cujos ápices ocorreram em Heysel-1985, e Hillsborough-1989. Tempos dos “Special Services“, como eram chamados os decrépitos trens nos quais eram levados os torcedores mais violentos para partidas importantes.

Ontem pela inexpressiva Copa da Liga Inglesa, o sorteio da segunda fase marcou o confronto entre West Ham United e Millwall FC. Times com parcos títulos e nulos resultados, as equipes londrinas disputaram mais uma edição do “East London Derby”, o clássico de maior rivalidade e violência do futebol inglês. Os confrontos entre os “Inter City Firm” (West Ham) e Bushwackers (Millwall) ecoam desde meados do século passado.

E isto tudo apesar de míseras 25 edições em jogos oficiais, uma única vez na Copa da Inglaterra e outras duas na antiga Primeira Divisão em 1989. Para vocês verem, o principal incidente foi em um AMISTOSO em 1973 marcado por uma pancadaria generalizada em uma estação de trem na qual um torcedor morreu ao ser jogado para fora de um trem em movimento pelos rivais.

A violência é tão famosa no dérbi londrino que virou a história principal de um filme, Green Street Hooligans, com Elijah Wood (“O Senhor dos Anéis”) como protagonista. Infelizmente a partida desta terça-feira no estádio Upton Park (aliás, o único de grande porte na Inglaterra que tem uma boa distância do gramado e muros mais altos na lateral justamente para evitar invasões ou minimiza-las) não foi diferente.

Antes do jogo a confusão foi maior do que durante. Centenas de torcedores do West Ham cercaram a polícia nas imediações do estádio jogaram objetos e avançaram contra os policiais. Em qualquer lugar que se encontravam torcedores do Millwall perdidos, ocorriam brigas. Lojas fecharam, o trânsito parou. Caos. Um torcedor, do West Ham, foi esfaqueado e dezenas ficaram feridos. Vejam cenas da reportagem da Sky News:

Relatos de torcedores dos dois times, de todas as idades, são assustadores. Torcedores do West Ham informaram que muitos foram cercados por grupos de torcedores dos rivais, o mesmo ocorrendo com integrantes da torcida visitante. Haviam quase 2.900 torcedores do Milwall presentes, mas só 2.300 lugares disponíveis para ele no estádio, e muitos ficaram do lado de fora fazendo mais confusão.

O resultado do jogo? Ah, pois é, teve futebol. Três a um para o West Ham United de virada com gol de empate no final e dois na prorrogação. Cada gol comemorado com uma invasão de campo, a segunda parou o jogo por seis minutos após a conversão de um pênalti. Vejam as cenas e reparem que outros torcedores vaiaram a invasão:

Os ânimos só serenaram após a meia-noite, depois de mais alguma confusão na saída do estádio. A polícia londrina e os clubes estão trabalhando para identificar os principais envolvidos e bani-los do futebol para sempre.

Até o Ministro do Interior, Alan Johnson, lamentou os incidentes e prometeu rigor. Os dois clubes lamentaram profundamente as cenas e estão trabalhando para banir os envolvidos.

Em uma declaração oficial em seu site, o West Ham United “lamenta profundamente as cenas ocorridas no “Boleyn Ground” (nome carinhoso do estádio) ontem e que trabalhará intensamente para que isto nunca mais ocorra”.

A Federação Inglesa também irá tomar providências, já que incidentes como este prejudicam a campanha da Inglaterra pela Copa de 2018.

Uma pena que nenhum destes imbecis pense na letra da música “I’m forever blowing bubbles“, que fala sobre a vida, algo tão fugaz e que por isto mesmo deveria ser valorizada.

“I’m forever blowing bubbles

I’m dreaming dreams,
I’m scheming schemes,
I’m building castles high.
They’re born anew,
Their days are few,
Just like a sweet butterfly.
And as the daylight is dawning,
They come again in the morning.


I’m forever blowing bubbles,
Pretty bubbles in the air.
They fly so high,
Nearly reach the sky,
Then like my dreams,
They fade and die.
Fortune’s always hiding,
I’ve looked everywhere,
I’m forever blowing bubbles,
Pretty bubbles in the air. “

Comentários (4)

  • Douglas diz: 26 de agosto de 2009

    Up the Irons!!!

  • Thiago cardoso diz: 31 de agosto de 2009

    UNITED!!!UNITED!!!ABSOLUT!!!! O GRANDE TIME DA RUA VERDE!!!! IFC RULES!!! ESSA FOI PRA AQUELES QUE ACHAM QUE HOOLIGANS ESTÃO MORTOS, NÃO ESTÃO!!! A MENTIRA “DOS MOBRAUS” SE ACABOU!!! E SÓ IR A LONDRES E COMPROVAR!

    EDITADO: hooligans estão mortos, só esqueceram de deitar… Zero, Zero…

  • João Gremista diz: 26 de agosto de 2009

    Isso me lembou muito o acontecido no jogo GREMIO x Cruzeiro, pela volta da libertadores no Olimpico.
    A situação fora do estádio foi bem parecida, porém a Policia Inglesa deu uma aula na gaúcha. Administraram a situação,e nao sairam batendo em quem estava por perto, como fizeram e fazem por aqui.

  • Rafael Kafka diz: 27 de agosto de 2009

    West Ham DEUS!MITO!THE ACADEMY OF FOOTBALL!Torcida DEUSA!SUPREMA!FIEL!

    “I remember Wembley,
    When West Ham beat West Germany.
    Peters one and Geoffrey three,
    And Bobby got his OBE!”

    É o Santos Britânico, a alma do melhor futebol da história inglesa, algo que nem décadas de resultados ruins apagarão um dia!

    A música “I`m forever blowing bubbles” é muito mais sobre fidelidade eterna, fé, esperança!

    WEST HAM!

    COME ON YOU IRONS!

Envie seu Comentário