Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2009

Grêmio fica invicto em casa e entra na história dos pontos corridos

30 de novembro de 2009 33

Ao bater o Barueri por 4×2, o Grêmio manteve uma longa invencibilidade no estádio Olímpico. Afinal, desde setembro de 2008 o Tricolor não perde em seus domínios, chegando a quase 40 jogos de invencibilidade.

O jogo de hoje foi ainda mais relevante: o time gaúcho se tornou o primeiro clube a não perder em casa durante toda a competição. O máximo ocorrido anteriormente (e já discutido aqui no Almanaque Esportivo) foram equipes terminando com apenas uma derrota em casa. Nenhuma? Só o Grêmio.

A última derrota foi no 2×1 do Goiás em 13 de setembro do ano passado, pelo returno do Brasileiro. Foi a única derrota do Grêmio em casa naquela temporada. No Campeonato Brasileiro deste ano, o Tricolor venceu 14 vezes e empatou outras cinco partidas, marcando impressionantes 53 gols e sofrendo apenas 14. Aproveitamento de 82%, muito superior ao São Paulo, que tem o segundo melhor aproveitamento com 72%.

O Flamengo, caso derrote o Grêmio e se sagre campeão brasileiro pela sexta vez, ficará com o segundo melhor aproveitamento: 12 vitórias (hoje tem 11), 5 empates e 2 derrotas. Já o Inter está mais atrás, com onze vitórias, quatro empates e três derrotas no Beira-Rio. Vejam os números de momento:

Aproveitamento dos mandantes Fonte: http://tabelasdefutebol.blogspot.com


NÚMEROS DA TEMPORADA NO OLÍMPICO EM 2009:

33 jogos com 24 vitórias, 9 empates, 0 derrotas; 85 gols a favor, 23 gols contra, saldo de +62 gols

Artilheiros no Olímpico em 2009: Jonas (15 gols), Souza (14 gols), Máxi López (13 gols);

Inter não virava desde maio; na Série A desde agosto de 2008

29 de novembro de 2009 5

27 de maio de 2009, Internacional 3×1 Coritiba pelas semifinais da Copa do Brasil. Esta tinha sido a última virada colorada até o sofrido triunfo de hoje sobre o Sport, por 2×1 na Ilha do Retiro.

De lá para cá, o Inter não havia vencido nenhum jogo, em qualquer competição, depois de sair perdendo no placar. O máximo que tinha conseguido foi uma virada para 3×2 sobre o Santos (e começou levando dois gols), mas acabou cedendo o empate em 3×3.

Esta foi a primeira virada no ano como visitante, as outras foram todas no estádio Beira-Rio: 4×1 na Ulbra, 5×1 no Caxias pela Taça Fernando Carvalho (1° turno do Gauchão) e 2×1 sobre o Grêmio na Taça Fábio Koff (2° turno do Gauchão).

O Inter não vencia de virada no Campeonato Brasileiro desde agosto de 2008, quando goleou o Palmeiras de virada por 4×1.

A vitória de hoje marcou o retorno do Internacional à Taça Libertadores (a não ser que alguém ache que o Inter vai levar mais de 13×0 do Santo André).  

Curiosamente a classificação matemática em 2005 foi no sufoco contra um dos últimos colocados: venceu o Brasiliense por um magro 1×0 em pleno Beira-Rio com um gol de Márcio Mossoró aos 47 do 2° tempo.

De volta à Série A, Ceará encerra jejum de 17 anos

27 de novembro de 2009 1

O Ceará Sporting Club está de volta à Primeira Divisão após 17 anos após vencer a Ponte Preta por 2×1 em Campinas. Desde 1993 o time cearense não disputava a elite do futebol nacional. Foram muitos anos de campanhas ruins na Série B ( com melhor resultado um modesto 6º lugar em 1999), e decepção ao ver o arquirrival Fortaleza conseguir duas vezes o acesso, uma delas permanecendo dois anos na Primeira Divisão. 

E olha que na ocasião o “Vovô” jogou pelos grupos C e D, repletos de times que vieram da Segunda Divisão (mas nem todos, como podem ver aqui) e que só davam 1 vaga cada nos dois quadrangulares finais (os grupos A e B tinham três vagas cada), em mais uma virada de mesa vergonhosa dos anos 90 e que felizmente nunca mais ocorreram desde 2000. 

A melhor campanha do Ceará na Primeira Divisão foi em 1985, o ano dos resultados sobrenaturais. Foi também a melhor campanha cearense na Série A: um sétimo lugar

Agora os dirigentes do alvinegro precisam ver os erros cometidos por times nordestinos em seu retorno à Série A: Santa Cruz (2006) e América-RN (2007) pagaram vexames históricos e fizeram campanhas pífias depois de muito tempo fora da Primeira Divisão. Fortaleza e Náutico passaram sufoco todos os anos e até o organizado Sport despencou em 2009, caindo para a Segunda Divisão com várias rodadas de antecedência.

Finais da série D podem ser anuladas: não disse que era tosco o regulamento?

26 de novembro de 2009 0

Li hoje que toda a reta final da Série D pode ser anulada em virtude de um erro na leitura do regulamento, que teria prejudicado o Sergipe e beneficiado o Tupi-MG. No total seriam 14 jogos anulados e isto pode prejudicar Alecrim-RN, Chapecoense-SC, São Raimundo-PA e Macaé-RJ, que subiram para a terceira divisão.

Toda esta confusão ocorreu justamente porque a fórmula de disputa da competição é a mais burra feita na história do futebol brasileiro para uma competição nacional. Bem no ano de estréia da competição, criada em 2008 para regionalizar ainda mais as divisões de elite do futebol nacional.

Reparem no texto da matéria do ClicEsportes:

Desentendimento na regra

O Sergipe foi eliminado na terceira fase após vencer o Alecrim por 3 a 1 na partida de ida e perder na volta por 3 a 0. Com saldo de gols pior, a equipe terminou a fase na segunda posição e não avançou. No entanto, além dos vencedores dos cincos jogos, outras três equipes somaram três pontos (entre elas o Sergipe), o que indicava classificação para a próxima fase.

Mas não foi isso que aconteceu. Na tabela da quarta fase, um dos times classificado era o Tupi (MG), que somou apenas dois pontos na terceira fase. O regulamento diz que “se classificam para a quarta fase somente os vencedores do mata-mata e mais três times que apresentaram os melhores índices técnicos (mais pontos ganhos)”.

Exatamente este ponto foi alvo de minha irritação quando da divulgação da tabela. Fiz um longo post mostrando a burrice que foi este artigo no regulamento feito pela CBF.

Foi uma das decisões mais idiotas da história do futebol brasileiro. E vão fazer o quê com os times que já entraram em férias (ou seja, todos)? Com os contratos ja rescindidos?

Além do Sergipe e dos quatro times que subiram, Araguaia-TO, Cristal-AP, Uberaba-MG também teriam que voltar à atividade para decidir os jogos restantes.

Por todos estes relevantes aspectos extra-campo, o Sergipe provavelmente vai se ralar e perder no STJD.   Mas definitivamente ele tem RAZÃO.

PARABÉNS, DEPARTAMENTO TÉCNICO DA CBF

VEJA:
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/05/29/regulamentos-idiotas-iv-serie-d-2009/

VEJA TAMBÉM:
http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2009/05/29/regulamentos-idiotas-a-serie/

Seleção do Brasileirão 2009 do Almanaque Esportivo

26 de novembro de 2009 5

Abaixo minha seleção do Campeonato Brasileiro 2009, com algumas considerações extras.

Mandem a de vocês!!!!

Goleiro: Victor (Grêmio)
Lateral-direito: Léo Moura (Flamengo)
Zagueiro: Miranda (São Paulo)
Zagueiro: Réver (Grêmio)
Lateral-esquerdo: Júlio César (Goiás)

Volante pela direita: Pierre (Palmeiras)
Volante pela esquerda: Guiñazu (Internacional)

Meia-direita: Diego Souza (Palmeiras)
Meia-esquerda: Petkovic (Flamengo)

Primeiro atacante: Diego Tardelli (Atlético-MG)
Segundo atacante: Adriano (Flamengo)

Treinador: Silas (Avaí)
Revelação: Giuliano (Inter)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)

Surpresa da competição (time): Avaí – de possível rebaixado a quase Libertadores
Decepção da competição (time): Sport – da Libertadores para a lanterna e rebaixamento

Surpresa da competição (jogador): Petkovic – contratado pelo jurídico para abater dívida, se tornou o pilar da recuperação do Flamengo aos 37 anos.
Decepção da competição (jogador): Vágner Love – Contratado por um valor expressivo, fez apenas 4 gols (2 de pênalti) em 10 jogos e teve rendimento ruim. Acusado de estar na ‘balada’.

Surpresa da competição (técnico): Andrade, de interino a possível campeão brasileiro, virtualmente na Libertadores 2010
Decepção da competição (técnico): Paulo Autuori no comando do Grêmio, com rendimento pior que Celso Roth no ano anterior com time inferior

Melhor jogo: Santos 3×4 São Paulo, 2º turno
Pior jogo: Fluminense 0×0 Botafogo, 2º turno
Jogo mais dramático: Corinthians 2×3 Náutico – Virada nos últimos cinco minutos, fora de casa e com um jogador a menos.

Melhor arbitragem: Sandro Meira Ricci em Botafogo 3×2 São Paulo
Pior arbitragem: Djalma Beltrami em Santos 2×3 Atlético-MG

Sarrafo da temporada: Fábio Costa sobre Gustavo Néry, Santo André 3×3 Santos, 1º turno
Golaço da competição: Nilmar em Corinthians 0×1 Internacional, 1º turno

Relembrando: Futebol Filosófico do Monty Python

26 de novembro de 2009 1

Um verdadeiro clássico do humor mundial, o esquete Futebol Filosófico do grupo britânico Monty Python ainda hoje encanta pelo humor inteligente, fino e sarcástico.É um jogo de futebol envolvendo os expoentes da filosofia grega clássica contra a filosofia alemã moderna.

Vale recordar em especial a discussão após o final do jogo e a soberba entrada de Karl Marx no gramado, com uma impagável ironia.

Curtam novamente:

O Futebol Filosófico do Monty Pyhton

Brasileirão 2009: previsões antes da penúltima rodada!

24 de novembro de 2009 14

E segue emocionante o Campeonato Brasileiro 2009, repleto de reviravoltas e resultados inesperados! Com a rodada deste final de semana, incluindo tropeços de cinco dos seis primeiros colocados, o Internacional e o Palmeiras voltaram a ter chances de título, ainda que remotas.

O rescaldo da rodada foi: derrotas de São Paulo (1º), Palmeiras (4º) e Atlético-MG (5º), empates de Flamengo (2º) e Cruzeiro (6º) e vitória do Internacional (3º), o único vitorioso da rodada. Como vocês tem acompanhado aqui no Almanaque Esportivo, tenho atualizado as projeções que fiz no dia 26/10 com os resultados desde então. 

Naquele dia apontava em um G-4 com Cruzeiro, Palmeiras, Internacional e Flamengo, nesta ordem. Em relação à semana passada, errei praticamente tudo: apostei em vitórias do Atlético-MG, São Paulo e Flamengo, empate entre Grêmio e Palmeiras, e também no empate do Cruzeiro (este eu acertei!). 

Agora mudou bastante, e o resultado ficou muito diferente: São Paulo, Internacional, Flamengo e Palmeiras fecham o grupo dos classificados para a Libertadores, nesta ordem. Vejam como estava a original e agora:

Brasileirão - Projeções após a 36º rodada

VEJA TAMBÉM:

SIMULADOR DO BRASILEIRÃO
http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/futebol/simulador-do-brasileirao

Internacional quebra tabu de 14 anos no Mineirão

22 de novembro de 2009 1

Com a excelente vitória de 1×0 sobre o Atlético-MG em pleno Mineirão, o Internacional ficou muito perto de obter vaga na Taça Libertadores 2010. Mais do que isto, ao assumir a 3° colocação no Brasileirão 2009, o Colorado voltou a ter chances, ainda que remotas, de conquistar o título brasileiro.

Giuliano comemorando gol que acabou com jejum de 14 anos no Mineirão (foto: Alexandre Lops/VipComm)

Gol que elimina o tabu no Mineirão após 14 anos de jejum em BH
O resultado também marcou o fim de um longo jejum no Mineirão. Em partidas pelo Campeonato Brasileiro, o Internacional não vencia em Minas desde 1995. Na ocasião, um golaço de Aílton (aquele mesmo que marcou época no futebol alemão) assinalou a vitória de 1×0 sobre o mesmo Atlético-MG pela primeira fase daquele Brasileiro.

Em compensação, o Internacional não perde desde 2002 para o Galo, em qualquer lugar. Em 2003 venceu em BH, mas o jogo foi no Independência. No período de 14 anos entre os triunfos no Mineirão, o Inter empatou 4 vezes e perdeu outras 4. 

Contra o Cruzeiro, o Colorado não vence desde 1987, nas semifinais da Copa União, também 1×0 gol de Amarildo. Desde então, foram três empates e dez derrotas contra o time mineiro em Belo Horizonte. Neste período houve uma vitória do Inter em Minas, contra o Cruzeiro pela Copa Sul-Americana 2004.

Seleção com as revelações do Brasileirão 2009

20 de novembro de 2009 37

Final de ano, início das tradicionais listas de fim da temporada 2009 no futebol brasileiro. No Campeonato Brasileiro marcado por veteranos de grande talento como Petkovic, e de jogadores já manjados no cenário nacional como os são-paulinos Miranda e Hernanes e o atleticano Diego Tardelli, também é legal mostrar uma lista com as revelações da temporada brasileira.

EDITADO: após muitos comentários, algumas considerações: Douglas Costa não merece. Não fez NENHUM gol em 2009, não pode ir pra lista nenhuma. Confesso que tinha esquecido do Fernandinho, do Barueri. Então tiro o Neymar, que foi muito irregular. E perguntaram do Sandro. O Sandro jogou ano passado várias vezes. Revelação em 2008, em 2009 não. Finalizando, esqueceram que a seleção é das revelações, portanto nada de Victor, Réver, etc.

O goleiro poderia ser Glédson, um dos poucos a se salvar no Náutico, mas eu prefiro o goleiro Felipe, do Santos, que depois de um início de carreira muito ruim (doping, falhas grosseiras, empréstimos), se firmou na temporada após a lesão de Fábio Costa e tem agradado.

Na zaga, o gremista Mário Fernandes é jogador de Seleção Brasileira. Mesmo improvisado na lateral-direita, joga muita bola. Rafael Tolói, mesmo com alguns erros e expulsões bobas, tem muito potencial. Ao seu lado, pensei muito e fiz sorteio pra cima: Fabrício do Flamengo me pareceu com menos erros que Wellington do Botafogo. Diego Renan é quase uma unanimidade na lat-esquerda, mas o flamenguista Éverton merecia ser citado.

No meio-campo, um volantão (Uélliton) do Vitória, a não-tão-jovem revelação Léo Gago, grande destaque do movediço Avaí. Como armadores, Giuliano jogaria pela direita e Paulo Henrique, do Santos, na esquerda.

Léo Gago, destaque do Avaí no Campeonato Brasileiro

Léo Gago, um dos melhores volantes do Brasileirão  e na lista de revelações do Brasileirão – Série A 2009 (foto: Flávio Neves)

No ataque faltaram grandes nomes, sem sombra de dúvidas. Nomes do porte de Keirrison em 2008, Éder Luís e Guilherme em 2007, Soares em 2006 ou  Rafael Sóbis em 2005.  Com um pouco de esforço, o santista Neymar e Muriqui, do Avaí merecem entrar nesta lista, sobretudo o segundo. Mas o colorado Marquinhos está próximo deste bloco, merecendo ao menos ser citado, assim como Wallyson, do Atlético-PR. 

O treinador é quase uma obviedade: Silas, do Avaí. E o árbitro foi, para mim, o paulista Sálvio Spínola, que manteve uma boa regularidade neste ano catastrófico de arbitragens no futebol brasileiro.

Mandem suas opiniões!

Felipe (Santos)
Mário Fernandes (Grêmio), Rafael Tolói (Goiás), Fabrício (Flamengo) e Diego Renan (Cruzeiro)
Uélliton (Vitória), Léo Gago (Avaí), Giuliano (Internacional) e Paulo Henrique (Santos)
Neymar (Santos)
Fernandinho (Barueri) e Muriqui (Avaí)

Treinador: Silas

Melhor árbitro: Sálvio Spínola Filho (SP-FIFA)


F-1 2010: Kimi Raikkonen em um 'ano sabático'

20 de novembro de 2009 1

O finlandês Kimi Raikkonen confirmou nesta sexta-feira que não irá disputar a temporada 2010 da Fórmula-1. Campeão mundial em 2007, o ex-piloto da Ferrari disse que irá correr algumas provas de rali e que não sentará em cockpit algum no próximo ano.

Ele informou que só correria se fosse pela McLaren, equipe pela qual conquistou seus primeiros resultados expressivos. A ida do campeão mundial Jenson Button para a escuderia de Woking acabou com estes planos, e Kimi resolveu tirar o chamado “ano sabático“, na prática umas ‘férias forçadas’ por falta de melhores opções.

Não é a primeira vez que pilotos campeões mundiais fazem isto, de ficarem um ano ou mais fora da categoria. Porém não é muito comum voltarem. A primeira vez que eu me recordo foi do austríaco Niki Lauda. Campeão em 1975 e 1977, Lauda não disputou as temporadas de 1980 e 1981.

O australiano Alan Jones, campeão em 1980, também teve indas e vindas. Ficou fora em 1982 e 1984, correu só uma em 1983, correu algumas provas em 1985 e 1986. O francês Alain Prost, campeão mundial em 1985, 1986 e 1989, ficou de fora em 1992 antes de retornar e ser campeão uma última vez.

O mesmo ocorreu com o inglês Nigel Mansell, que ficou de fora em 1993 após ser campeão mundial em 1992, retornando para algumas provas em 1994 e 1995.

Se lembrarem de mais alguns casos de campeões mundiais depois forçados a ficar uma ou mais temporadas de fora e ainda retornarem à categoria, mandem para cá!