Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 2 dezembro 2009

Inter-B no Gauchão 2010? Como não repetir 2007, parte I

02 de dezembro de 2009 9

A volta do Inter-B: ontem o vice-de-futebol Fernando Carvalho confirmou que em 2010 o Colorado será representado no início do Gauchão pelo time de aspirantes, campeão domingo da Copa Artur Dallegrave. Até a quinta rodada, incluindo o Gre-Nal de 31 de janeiro em Erechim, o Colorado será defendido pelo time reserva. Isto já ocorreu e não foi legal. 

Em 2007, campeão mundial há menos de um mês, o Internacional começou o Gauchão com o Inter-B. Na prática, ex-juniores sem nenhuma possibilidade de serem aproveitados, jogadores de péssima qualidade ou apostas duvidosas.

Sem um objetivo e projeto  definido, o resultado foi catastrófico. Custou a entrada de titulares em jogos desnecessários, aumentando o desgaste e prejudicando o time na Libertadores. No final, os titulares também deram vexame e o 7° lugar no Gauchão, eliminado na 1° fase na pior campanha da história vermelha em um estadual.

Foto: Alexandre Lops/VipComm
Crédito: Alexandre Lops/VipComm

Em 2007, o Inter-B só venceu um jogo em cinco partidas, contra o Glória no Beira-Rio. Empatou com o Novo Hamburgo, foi derrotado de maneira ridícula pela Ulbra e Santa Cruz, e perdeu ainda para o Juventude em um jogo que até mereceu melhor sorte.

Venceu outro jogo, 1×0 no Gaúcho em Passo Fundo, mas na prática não era um Inter-B pois a maioria dos jogadores era reserva do time titular. Mesmo jogadores que depois tiveram boas passagens, como Renan, Wílson, Danny Morais, ou reservas razoáveis como Maycon, Titi, Ramón e Mossoró, foram péssimos. Danny Morais era jogador totalmente descartado, mas bons jogos contra Santos e Cruzeiro no Brasileiro reaqueceram sua carreira.

Como curiosidade os zagueiros Rafael Santos e Gum, de triste memória no Beira-Rio mas que foram bem no Atlético-PR e Fluminense na Série A
deste ano. Outra curiosidade foi o gol de Martin Carvalho, filho do presidente Fernando Carvalho, na vitória de 2×1 sobre o Glória. Ficha dos cinco jogos:

Inter 0×0 Novo Hamburgo – Renan; Fabinho (Abu, aos 20min2ºT), Gum, Rafael Santos e Chiquinho; Maycon, Pierre (Josimar, aos 34min2ºT), Pinga e Ramon; Mossoró (Gustavo, aos 15min40seg2ºT) e Ricardo Jesus. Técnico: Lisca.


Ulbra 3×1 Inter – Renan; Gum, Wilson (Pierre, 27min2ºt) e Rafael Santos; Josimar (Fernando, 14min2ºt), Maycon, Ramon (Abu, intervalo), Pinga e Chiquinho; Mossoró e Gustavo. Técnico: Lisca.


Santa Cruz 3×1 Inter – Renan; Gum, Wilson (Diego) e Danny Morais; Fabinho, Maycon, Pierre (Ricardo Jesus), Fernando e Ramon; Mossoró (Martin) e Gustavo. Técnico: Lisca.


Inter 2×1 Glória – Renan; Fabinho, Danny Morais, Titi e Ramon (Márcio Mossoró); Maycon, Fernando (Pierre) e Ji-Paraná; Abu, Gustavo (Cristian Borja) e Martin. Técnico: Lisca.


Juventude 2×1 Inter – Renan; Diego, Danny Morais, Titi e Ramon; Maycon, João Guilherme, Fabinho (Mossoró) e Fernando (Roger); Martin e Abu (Cristian Borja). Técnico: Lisca.

Bom, feita esta recordação, o que deve mudar para 2010. Isto veremos amanhã

Inter é o 2º time que menos chuta. Lat-direitos participaram de 6 de 152 gols

02 de dezembro de 2009 7

Desde o início do Brasileirão, o Internacional é um dos times que menos chuta em gol. Hoje é o 19º, com média inferior a 10 conclusões por jogo, à frente somente do Náutico, o pior neste quesito. O ataque, antes eficaz, agora sofre com a ausência de gols especialmente nas partidas disputadas fora de Porto Alegre. 

Outro problema é o rendimento quase nulo dos laterais e nem o gol do Danilo Silva contra o Santos mudou muito este panorama. Com os zagueiros improvisados Bolívar e Danilo Silva na maioria dos jogos, o Internacional só construiu cinco gols pela lateral-direita: são quatro assistências e dois gols. 

Foram dois passes para gols de Danilo Silva, uma assistência de Bolívar e outra de Daniel. Dois gols: Bolívar no 5×0 sobre o Guarani-SP pela Copa do Brasil e Danilo Silva há 3 semanas contra o Santos. Um mísero aproveitamento de 3,94% nos 152 gols da temporada em 75 jogos. 

Para efeito de comparação, os dois laterais-esquerdos de 2009, Kléber e Marcelo Cordeiro, deram 27 assistências e marcaram seis gols. Participação em 21,71% dos gols.