Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2009

Sem as duas pernas, Alex Zanardi pilota moto a 240km/h em Monza!

31 de dezembro de 2009 1

Uma mensagem positiva, de superação de limites e de nunca desistir, encerra este ano do Almanaque Esportivo. O ex-piloto de F-1 e multicampeão da CART Alessandro Zanardi conseguiu mais uma proeza neste ano que termina.

Corrida de Cadeirantes do ex-campeão mundial da F-CART - Foto: Kathy Williens, APEle, que perdeu as duas pernas em um acidente horrível no circuito de Lausitz na Alemanha em 2001, andou em uma moto especialmente preparada a mais de 240km/h no circuito de Monza, na Itália. Fez o teste em uma promoção da revista italiana Riders Italian, em parceria com a BMW, correu em uma moto HP2 Sport adaptada, com controles manuais e um suporte para que ele pudesse apoiar os joelhos.

Ao final do teste, que ocorreu no último dia 11 de dezembro, muito emocionado o piloto chorou. “Obrigado a quem esteve envolvido e à BMW Motorrad Itália por esta tentativa aparentemente complicada. Vivi um dia fantástico que me permitiu experimentar novamente esses sentimentos maravilhosos que já não lembrava mais”, declarou o piloto, campeão na CART em 1997 e 1998.

Bicampeão na CART depois de uma fracassada passagem pela Fórmula-1 no início dos anos 90, Zanardi novamente foi mal na F-1 em 1999, na Williams. Voltou para a F-CART e liderava o GP da Alemanha, quando perdeu o controle de seu carro na saída dos boxes e rodou. Foi então violentamente atingido pelo canadense Alex Tagliani e a frente do seu cockpit se desintegrou. Zanardi teve as duas pernas amputadas no impacto, logo acima do joelho.

Desde o acidente, o carismático italiano tem participado de provas com carros adaptados, ganhando inclusive corridas do Campeonato Mundial de Turismo entre 2004 e 2009, quando encerrou a carreira. Também simbolicamente correu as últimas 13 voltas que restavam no dia do acidente, pilotando um F-CART no mesmo circuito alemão e finalmente encerrando sua carreira em monopostos.

Nos últimos anos, venceu provas de maratona para cadeirantes, incluindo Veneza e ainda desenhou suas próprias próteses, mais leves que o normal e com um design mais confortável. Mostrando que pessoas com deficiência física não precisam desistir da vida e podem realizar seus sonhos.

E é por isto que vou fechar meus posts de 2009 (estamos chegando ao milésimo post !!!) com este assunto. Agradeço aos mais de meio milhão de internautas que visitaram o blog. Que contribuíram com dicas, correções, sugestões de pautas, opiniões, críticas. Que me fizeram continuar com este hobby, que é escrever aqui, mas sempre com o objetivo de engrandecer discussões.

Então, encerro o ano com estas imagens da carreira deste popular piloto italiano, incluindo a lendária ultrapassagem na Corkscrew Curve em Laguna Seca(1996, última volta da última prova da temporada sobre Bryan Herta, também disponível com a narração ao vivo da ESPN). Sem dúvida, um cara especial

Com vocês, o Tributo à Alessandro Zanardi:

FELIZ 2010 A TODOS!

QUE SEJA MELHOR QUE 2009 E PIOR QUE 2011!

Internacional, estatísticas 2009: jogos, gols, assistências

28 de dezembro de 2009 7

Depois de falar dos números do Grêmio, agora é a vez do Internacional na temporada 2009, a do seu Centenário. Se um grande título faltou, restando um vice na Copa do Brasil e outro no Brasileiro, ao menos dos números o torcedor colorado não pode se queixar. Afinal, o Colorado foi o time que ficou invicto mais tempo (3 meses ou 26 jogos), fez mais gols no Brasil (156 gols) e ainda a goleada mais impressionante, o 8×1 sobre o Caxias na final do Gauchão.

O artilheiro na temporada 2009 foi um jogador que começou reserva. Alecsandro marcou 28 gols e se aproveitou da saída do craque Nilmar e da péssima fase de Taison, se sagrando o maior goleador do ano. Ele fez dois a mais que Taison, que fez 20 gols antes do mês de maio e depois parou, sem fazer nenhum gol desde agosto. O terceiro foi Nilmar, com 19 tentos.

Já nas assistências, o líder foi Kléber. O experiente lateral-esquerdo deu passe para 19 gols no ano, seguido de perto por Andrezinho (16 assistências) e Taison (15 assistências). Ocorreram ainda 17 gols em rebotes, 8 de pênalti e 8 de faltas, um percentual baixíssimo de gols de bola parada. Vejam os números:

NÚMEROS

Jogos: 76

Vitórias: 45

Empates: 14

Derrotas: 17

Gols pró: 156 (recorde brasileiro)

Gols contra: 74

Saldo: +82

Maior goleada: Internacional 8×1 Caxias, 2º turno do Gauchão

Pior derrota: Flamengo 4×0 Internacional, Brasileirão 1º turno

Maior série invicta: 26 jogos (recorde brasileiro no ano)

Maior sequência de vitórias: 10 jogos

Maior série sem vencer: 6 jogos

Maior sequência de derrotas: 3 jogos

Artilheiro: Alecsandro, 28 gols

Gol mais bonito: Nilmar, contra o Corinthians no 1º turno do Brasileirão

Momento crucial da temporada: a venda de Nilmar no final do 1º turno do Brasileirão, sem reposição à altura

Decepção da temporada: D’Alessandro (meia)

Revelação da temporada: Giuliano (meia)

Contratação furada de 2009: Bolaños (atacante)

Contratação acertada de 2009: Kléber (lateral-esquerda)

Pior jogo: Internacional 0×1 L.D.U, jogo de ida da Recopa Sul-Americana

Melhor jogo: Avaí 0×2 Internacional, 2º turno do Brasileirão

Momento brilhante: o 8×1 sobre o Caxias na final do Gauchão, repetindo o escore da temporada anterior sobre o Juventude

ARTILHARIA COLORADA

#

Jogador

Gols

1

Alecsandro

28

2

Taison

26

3

Nilmar

19

4

Andrezinho

17

5

D’Alessandro

11

6

Magrão

7

7

Giuliano

6

Índio

6

9

Alex

3

Bolaños

3

Kléber

3

Marcelo Cordeiro

3

Marquinhos

3

Wálter

3

14

Danilo Silva

2

Edú

2

Fabiano Eller

2

Guiñazu

2

Sorondo

2

Talles Cunha

2

21

Álvaro

1

Bolívar

1

Danny Morais

1

Leandrão

1

Rosinei

1

26

Sandro

1

Total

156

ASSISTÊNCIAS COLORADAS

#

Jogador

Assistências

1

Kléber

19

Rebote

17

2

Andrezinho

16

3

Taison

15

4

Alecsandro

13

5

Giuliano

11

6

D’Alessandro

9

Marcelo Cordeiro

9

Nilmar

9

 

Pênalti

8

Falta

8

9

Magrão

5

10

Guiñazu

4

11

Danilo Silva

2

Wálter

2

13

Álvaro

1

Bolívar

1

Daniel

1

Danny Morais

1

Edú

1

Marquinhos

2

Sandro

1

20

Talles Cunha

1

Total

156

VEJA TAMBÉM:

Grêmio, estatísticas 2009: jogos, gols, assistências


Estatísticas do Inter 2008 - Parte I

Estatísticas do Inter 2008 – Parte II

Grêmio, estatísticas 2009: jogos, gols, assistências

28 de dezembro de 2009 2

O ano de 2009 terminou para o Grêmio sem títulos, mas o desempenho nas competições será analisado em post de amanhã. Hoje é dia de ver algumas curiosidades relacionadas aos números do time dentro dos gramados. Vamos aos números, gols, destaques, artilheiros, assistências, maiores vitórias, empates, derrotas do Tricolor nesta temporada que se encerra neste mês.

O meia Souza terminou a temporada 2009 como o grande jogador gremista. Os números são incontestáveis, afinal o meia gremista terminou a temporada como artilheiro (24 gols) e recordista em assistências (16 gols).  Souza provavelmente só ficou à frente de Jonas (23 gols) graças a lesão do atacante na reta final do Brasileiro, ele que estava à frente nesta lista. O caro atacante argentino Máxi López, que sofreu com algumas lesões, ficou em 3º lugar com 17 gols.

Nas assistências, depois de Souza veio o meia Tcheco, que foi para o Corinthians e passou para 12 gols. A terceira posição é surpreendente: Fábio Santos, mesmo lesionado por vários meses, ficou em 3º lugar com 9 passes para gols. Tivemos ainda 13 gols em rebotes, 10 de pênalti e 8 de falta.

NÚMEROS

Jogos: 69

Vitórias: 32

Empates: 17

Derrotas: 20

Gols pró: 126

Gols contra: 76

Saldo: +50

Maior goleada: Grêmio 6×1 São José, Gauchão, 2º turno

Pior derrota: Caxias 4×0 Grêmio, Gauchão, 2º turno

Maior série invicta: 6 jogos (duas vezes)

Maior sequência de vitórias: 4 jogos

Maior série sem vencer: 6 jogos

Maior sequência de derrotas: 2 jogos (três vezes)

Artilheiro: Souza, 24 gols

Gol mais bonito: Souza, contra o Santo André pelo 1º turno do Brasileirão

Momento crucial da temporada: os gols perdidos no 1º tempo contra o Cruzeiro, partida de ida das semifinais da Libertadores

Decepção da temporada: Paulo Autuori (treinador)

Revelação da temporada: Mário Fernandes (zagueiro)

Contratação furada de 2009: Herrera (atacante)

Contratação acertada de 2009: Mário Fernandes (zagueiro)

Pior jogo: Barueri 1×0 Grêmio

Melhor jogo: Grêmio 4×1 Atlético-MG

Momento brilhante: os 19 jogos invictos e as sucessivas goleadas no Olímpico pela Série A, invicto em casa há quase 18 meses

ARTILHARIA TRICOLOR:

# Jogador Gols
1 Souza 24
2 Jonas 23
3 Máxi López 17
4 Tcheco 11
5 Herrera 7
Rafael Marques 7
7 Réver 6
8 Alex Mineiro 5
9 Léo 4
Makelele 4
Perea 4
12 Fábio Santos 3
Reinaldo 3
Ruy 3
15 Adílson 1
Douglas Costa 1
Orteman 1
18 Róberson 1
Cássio (contra) 1
Total 126

ASSISTÊNCIAS TRICOLORES:

# Jogador Assistências
1 Souza 16
Rebote 13
2 Tcheco 12
Pênalti 10
3 Fábio Santos 9
Máxi López 8
Falta 8
5 Alex Mineiro 6
6 Herrera 6
Jonas 5
8 Adílson 4
Jadílson 4
Ruy 4
11 Douglas Costa 4
12 Fábio Rochemback 4
Maílson 2
Túlio 2
13 Isael 1
Joílson 1
Léo 1
Makelele 1
Mário Fernandes 1
Reinaldo 1
Réver 1
20 Róberson 1
Gol Contra 1
Total 126


VEJA TAMBÉM

Internacional 2009: jogos, gols, assistências

Grêmio: estatísticas 2008, parte I

Grêmio: estatísticas 2008, parte II

Nova 'Lei Beckham' afetará apenas os cinco jogadores mais bem pagos na Espanha

28 de dezembro de 2009 0

Os cinco maiores salários do futebol espanhol vão ter que renegociar contratos. Em novembro, falei que a ‘Lei Beckham’, que isentava os grandes salários de estrangeiros na Espanha (em particular das grandes estrelas do futebol espanhol) de alíquotas elevadas no Imposto de Renda, seria modificada. E com ela desapareceriam as grandes regalias para Barcelona e Real Madrid competirem com vantagens contra times de outros países.

A lei recebe este nome pois o astro inglês David Beckham foi o primeiro beneficiado pela introdução desta regulamentação, em 2004, recebendo alíquota reduzida sobre seu milionário salário no Real Madrid.

De fato, ocorreu a mudança citada por mim no mês passado, mas a lei não foi abolida como o governo queria. Por pressão dos clubes, que imaginavam perdas estratosféricas. Apenas todos os atletas que ganham mais de 600.000 euros MENSAIS serão afetados.

Parece muito? E é mesmo, tanto que apenas cinco jogadores serão afetados. São eles: o argentino Lionel Messi, o brasileiro Kaká, o português Cristiano Ronaldo, o sueco Zlatan Ibrahimovic e o francês Thierry Henry. A medida apenas irá prejudicar as contratações “galáticas” de Barça e Real Madrid, sem no entanto afetar compras de “segundo escalação”. 

VEJA TAMBÉM:

Mudança no regime tributário pode tirar estrelas da Espanha

Ajax humilha na Copa da Holanda: 14x1

23 de dezembro de 2009 4

O Ajax, que tem sido elogiado por ter o melhor ataque do futebol europeu, arrasou mais um. Nas oitavas de final da Copa da Holanda, contra o W.H.C (Wezep Hattemerbroek Combination), o Ajax enfiou históricos 14×1 em uma das maiores goleadas de todos os tempos na Copa da Holanda. O time de Wezep-Hattemerbroek, que tem um estadiozinho de 500 lugares, não irá esquecer desta quinta-feira, antevéspera de natal.

OBS: o próximo que copiar meu post do GloboEsporte (matéria em cache ou copiada para um terceiro site AQUI).com favor DEIXAR O CRÉDITO. Copiaram minha pesquisa sobre a Zaterdag hoofklasse, que eu achei em holandês, tão somente. Copiaram minha pesquisa sobre a maior goleada da história da Copa da Holanda (idem). Propositadamente não abreviei os nomes deste jogo da goleada, apesar de serem conhecidos como HFC e ACH. E, pasmem, repetiram no plágio. OBRIGADO.

O Ajax já fez 55 gols no Holandês, 15 na Europa League (antiga Copa da UEFA) e mais 18 na Copa da Holanda, totalizando 88 gols em menos da metade da temporada. É muito!

O adversário é da quarta divisão, da “Zaterdag hoofdklasse C”, liga que reúne times amadores. tanto que só jogam nos sábados (Zaterdag é sábado em holandês), quando estão livres dos compromissos profissionais. O WHC, que até tem um site bonitinho, mas um time que deve ser uma beleza…

Foi 6×1 no 1º tempo e 8×0 no 2º tempo, e o uruguaio Luís Suárez foi o comandante, com SEIS GOLS. o jogo disputado no estádio profissional do FC Zwolle, bem pertinho de Wezip, teve ainda gols de Mario Pantelic (2), Kennedy Bakircioglu (2), Ismail Aissati (2), Demy de Zeeuw, Jeffrey Bosch (contra), descontando J.Set para o WHC.

A maior goleada da história foi há mais de 100 anos, quando o Koninklijke HFC enfiou 25×0 no Amsterdamse Cricket & Hockeyclub pela Copa da Holanda 1903/04.

TJD-AL e TJD-MA acabam com a farra: time rebaixado tem que disputar segundona no ano seguinte

23 de dezembro de 2009 5

Parabéns aos Tribunais de Justiça Desportiva de Alagoas e do Maranhão! Respeitando uma das mais básicas normas da Legislação esportiva brasileira, contra uma imensa pressão política dos mais variados lados da sociedade alagoana e maranhense, estes dois órgãos da Justiça Desportiva mandaram que o artigo 10, parágrafo 4 do Estatuto do Torcedor, fosse cumprido.

O alagoano CSA e o maranhense Moto Clube, times de imensas torcidas em seus respectivos estados, não queriam ficar de fora da Primeira Divisão em 2010 mesmo depois de serem rebaixados em 2009. É claro que o ‘jeitinho brasileiro’ pode resolver, sobretudo em Alagoas que está bem forte a pressão, mas acho improvável.

Isto não é permitido pelo Estatuto do Torcedor, que exige que um clube rebaixado dispute na temporada seguinte a divisão inferior. Os dois tribunais ANULARAM as participações de Moto Clube e CSA, que irão disputar a Segunda Divisão no Maranhão e em Alagoas na próxima temporada.

No passado isto era uma prática bem comum, sem contar as confusões de dar vagas em fases decisivas para times de divisões inferiores (exemplo é o São Paulo no Paulista de 1991, o Vitória e o Guarani nos grupos C e D do Brasileirão 1993 e ainda o caos chamado Copa João Havelange em 2000). Mas hoje não pode.

ALAGOAS:

O CSA, 33 vezes campeão estadual e detentor de mais títulos e torcida em Alagoas, foi rebaixado para a Segunda Divisão em 2003. Em uma profunda crise institucional, só voltou em 2006. Foi campeão em 2008 depois de nove anos de jejum, mas ridiculamente caiu de novo para a segundona na atual temporada ao ficar em 9º lugar de 10 times, à frente apenas do Capelense.

Aí o Igaci, oitavo colocado, resolveu desistir do Alagoano 2010 e o CSA queria a vaga. Para variar, a bagunça da Assembléia de Clubes alagoana aceitou o pedido, ao invés de subir o 3º colocado da Segundona Alagoana (o Sport Atalaia), ou simplesmente jogar com um time a menos. Mas o TJD-AL rechaçou a idéia, e o CSA desistiu de apelar para o STJD, pois ia perder igual. Já começou o planejamento para 2010. Na Segundona.

MARANHÃO:

O caso do Maranhão foi mais famoso. Na última rodada da segundona 2009, o Moto Clube ficou sem chances pois o Viana enfiou 11×0 no Chapadinha, com NOVE GOLS EM NOVE MINUTOS. Claramente os jogadores do Chapadinha entregaram o jogo, pois o saldo de gols faria diferença.

Com o resultado, o Moto Clube perdeu a chance de subir para a primeira divisão maranhense em 2010. Ele tinha vencido o Santa Quitéria por 5×1, com quatro gols de pênaltis (outro joguinho bem estranho). Vejam os lances dos dois jogos que correram o mundo:

MOTO CLUBE 5X1 SANTA QUITÉRIA:

VIANA 11X0 CHAPADINHA:

SÓ TEM UM GRANDE DETALHE: O Moto Clube SEQUER deveria estar disputando a segundona!

Ele foi rebaixado na Série A 2009 do Maranhense e fizeram uma maracutaia para que ele pudesse disputar a Série B no mesmo ano, o que contraria o artigo 10 do estatuto do torcedor. O TJD-MA já anulou a participação do Moto Clube na Segundona, baniu o Chapadinha pela entregada de jogo e os que estavam em campo no segundo tempo foram suspensos por 180 dias.

O Viana, que nada tinha a ver com isto, para disputar contra o Santa Quitéria o título da Série B Maranhense em 2009, jogo que deve ocorrer apenas em 2010. Por causa desta confusão danada, o Estadual de lá foi para o segundo semestre.

Rodrigo Possebon: do Man. United a encostado no Sporting Braga

22 de dezembro de 2009 13

A história de hoje é sobre Rodrigo Possebom, formado no Internacional e hoje no ostracismo do futebol português. Mas também é sobre jogadores que caem na lábia de empresários incompetentes ou mal intencionados. 

Já vimos casos de astros como Kaká, Nilmar e Robinho serem prejudicados por empresários que podem até deixá-los mais rico, mas com opções toscas na carreira. Exemplos claros de Wágner Ribeiro e Orlando da Hora. Reparem que hoje estes empresários ou só tem um jogador de renome (Nilmar, para Orlando da Hora), ou perdem seus pupilos (Ribeiro perdeu Kaká e Robinho com suas confusões)

E também vimos empresários bandidos deixarem garotos como Edinho (ex-Inter e hoje no Lecce) perdidos na Europa passando fome, levados de maneira irresponsável aos 18 anos para a França (voltou com a ajuda de Fernandão, então no Olympique Marseille). Recentemente, assistimos jogadores que saíram de maneira litigiosa de clubes como Grêmio e Internacional, indo para um grande clube europeu na condição de ilustres desconhecidos e, obviamente sem espaço, acabam mofando em empréstimos atrás de empréstimos.

Lembram do Felipe Mattioni? Saiu incomodando no Grêmio para o Milan e hoje é banco no Mallorca. A explicação é simples: o Milan abrir mão de um jogador que gastou uma merreca de euros é fácil na primeira oportunidade. Diferente se tivesse gasto uma boa grana com ele.

E esta é a história de Rodrigo Possebon. Que iremos contar agora:

Ele é um garoto da mesma geração de Luís Adriano, Alexandre Pato, Carlos Eduardo, Léo, Cássio, Muriel, Ramón, etc. Formado no Internacional, disputou a final do Brasileirão Sub-20 em 2006. 

Bem ou mal assessorado por seu ‘empresário’, não fez a renovação após o término do primeiro contrato profissional (o famigerado que só pode ser assinado aos 16 anos e que tem no máximo três anos de duração). Com passaporte comunitário, jogador de Seleção Italiana de base, seu futuro parecia brilhante no exterior: o Manchester United o queria. 

Apesar de esforços do Internacional, ao longo de todo o ano de 2006 e 2007, não renovou contrato. Seis meses antes de encerrar seu contrato, o Inter liberou por 500 mil euros e Possebon foi para a fantástica estrutura de Carrington, próximo a Manchester.

Com menos de 20 anos, já estava no atual campeão europeu e um dos clubes mais ricos do mundo.

Logo no primeiro ano já recebeu chances e agradou. Porém sofreu uma grave lesão ano passado em um jogo da Copa da Liga Inglesa (normalmente usada para jogos do time B) e desde então não conseguiu se firmar. Sem espaço, foi para o Sporting Braga, clube afiliado do United em Portugal.

Surpreendentemente, o Braga faz magnífica campanha na atual temporada e lidera a competição portuguesa. Seria a sorte da vida? Ir para um time pequeno que está brilhando muito mais que o esperado?

Que nada! Possebom sequer participou de uma partida oficial, e já estamos na metade da temporada. Incomodou o técnico Domingos Paciência, até o ponto deste quase perder o sobrenome… Criou caso, queria jogar como titular e foi devidamente afastado no elenco. O West Brommich Albion e o Middlesbrough, ambos da Segunda Divisão Inglesa, já prospectaram sobre um possível retorno à Inglaterra.

Mas a lição que fica é: será que valeu a pena? Possebon seria aproveitado muito antes que o Sandro, provavelmente já teria jogado no elenco principal do Internacional. Teria chances de ir para o Exterior em condições muito mais vantajosas. 

Nada impede, claro, do jogador retornar ao Brasil e se recuperar. Aconteceu algo semelhante com Juan, lateral-esquerdo formado no São Paulo e que foi parar cedo no Arsenal, antes dos 18 anos. Mas este conseguiu se recuperar no futebol brasileiro após boas passagens no Fluminense e sendo campeão brasileiro no Flamengo em 2009.

Fica o aprendizado.

Às vezes a cobiça gera um prejuízo irreparável.

VEJA TAMBÉM:

Nilmar e Orlando da Hora: mais uma vez

Real Madrid pedala Robinho e empresário

Chegadas Sensacionais: GP da Espanha de 1986 e vitória de Senna por 93cm

22 de dezembro de 2009 2

O GP da Espanha foi disputado na pista de Jerez de la Fronteira em 1986. Como o nome já diz, fica na fronteira da Espanha com Portugal e Marrocos ao lado do Estreito de Gibraltar, em um lugar que o sempre espirituoso tricampeão brasileiro Nélson Piquet dizia que ficava “lá aonde o vento faz a curva…”. A pista sempre foi um porre, mas teve ao menos um momento especial na Fórmula 1.

Foi no duelo final entre Nigel Mansell, então em uma poderosa Williams, e o então jovem Ayrton Senna, correndo na instável Lotus-Renault. Senna largou na frente, comboiado por Nélson Piquet e Alain Prost. No meio da prova, Senna foi ultrapassado por Mansell, que passou todo mundo e aproveitou uma confusão entre Senna e o retardatário Marc Surer.

O brasileiro não desistiu e seguiu tentando dar o troco em Mansell, o que finalmente ocorreu. Prost, que vinha espreitando, aproveitou e passou o inglês no mesmo momento. Algumas voltas depois, Mansell recuperou a segunda posição e foi para cima de Senna. Na última volta, o inglês tentou o bote final na reta de chegada, e passou a apenas 0,014s do brasileiro (ou 93cm), na segunda chegada mais apertada da história da categoria. Vejam o compacto:

Aquela foi a terceira vitória na carreira de Senna, que tinha vencido antes no GP de Portugal em Estoril em 1985 e no GP da Bélgica do mesmo ano, em Spa-Francorchamps. Foi também a primeira vez que Ayrton Senna assumiu a liderança do Mundial de Pilotos na categoria.

VEJA TAMBÉM:

GP da Itália de 1971: a chegada mais apertada da F-1 em todos os tempos

Chegadas sensacionais: GP da Áustria de 1982 e triunfo italiano

Ainda sobre o Sub-20

21 de dezembro de 2009 45

Algumas considerações sobre meu post anterior, “Finalista, Grêmio deve se preocupar com a qualidade no Sub-20. Inter nem tanto“:

  • Todos os comentários educados, criticando ou não, foram aprovados.
  • Sou da tese que categorias de base servem para formar jogadores. Um time Sub-20 fraco como o do Grêmio 2008 foi campeão e um mais fraco ainda em 2009 pode vir a ser bicampeão. Mas vale muito menos que o belo time de 2006, que perdeu na final de goleada mas tinha jogadores do quilate de Cássio e Carlos Eduardo.

    Para ilustrar, olhem a escalação daquele jogo:

    Internacional: Muriel; Diogo, Cauê, Cristian e Edinho; Possebom (Rodrigo César), Fernando, Abu (Taianan) e Ramon (Farias); Luiz Adriano e Alexandre (Wellington). Técnico: Osmar Loss

    Grêmio: Cássio; Luís Felipe, Caçapa, Léo e Ânderson Pico (Revison); William Magrão, Marcelo (Vasco), Itaqui (Elton), Diogo (Aloísio); Fernando Genro (Jeisson) e Carlos Eduardo. Técnico: Julinho Camargo

  • Tem certas coisas que são difíceis de entender. Deixei claro que os 11 desfalques do Inter são por causa do Inter-B. Em nenhum momento contabilizei jogadores já no plantel profissional, casos de Douglas Costa, Giuliano, Maylson, etc. Mesmo assim um monte de gente citou os mesmos como se eu estivesse “distorcendo”.
  • Aliás, o post nada tem a ver com ‘choro’. E sim com o mau futebol nos seis jogos que vi da Dupla Gre-Nal no Brasileirão Sub-20 2009. E na Copa SP de Juniores, com este mesmo time, o Inter deve dar um fiasco como nos tempos da era Záchia e Asmuz.
  • É evidente que se todos os possíveis colorados estivessem em campo o resultado poderia ser até pior. Mas é muito menos provável, a diferença entre os zagueiros, laterais e meias de cada time, por exemplo, é notável. 
  • O cerne do post é a falta de qualidade dos dois times. Sobretudo o do Grêmio. Para mim, nenhum tem potencial de futuro titular.
  • Finalizando, em nenhum momento nos mais de dois anos e meio de Almanaque Esportivo, escondi minha preferência clubística. Já escrevi aqui, mais de uma vez, que qualquer pesquisa de cinco segundos no Google deixa claro a preferência. Só não tem a ver com o Almanaque Esportivo, blog que escrevo por vontade e não por obrigação.

    Aliás, acho uma tremenda bobagem o patrulhamento que se faz na imprensa (na qual não me incluo) de “esconder o time”, coisa que não ocorre em nenhum outro estado da Federação (já morei em Minas, conheço muito bem o Rio e SP, por exemplo).

    Por exemplo, um comentarista que torce para o mesmo time que eu me faz discordar em 90% dos comentários. Já meu narrador preferido é torcedor do time adversário.

Finalista, Grêmio deve se preocupar com a qualidade no Sub-20. Inter nem tanto

21 de dezembro de 2009 35

O Grêmio está na decisão do Brasileiro Sub-20 ao superarInternacional nas semifinais, na disputa de penalidades. Agora, luta contra o Atlético-MG pelo bicampeonato da competição, vencido pela primeira vez em 2008. Pode parecer paradoxal, mas a verdade está na manchete deste post: os gremistas devem se preocupar mais do que os colorados com o péssimo futebol apresentado ao longo da competição.

A qualidade técnica dos dois times foi horrorosa, sobretudo a colorada. Mas o Grêmio estava com força máxima e ficou devendo. A explicação é a seguinte: o Internacional jogou sem 10 atletas cedidos ao Inter-B, que irá disputar o Gauchão 2010. Deixo claro ainda que Daniel, Giuliano e Marquinhos já estão no grupo principal, assim como Mário Fernandes e Bruno Collaço, então não considero ‘desfalques‘ do Sub-20.

A transmissão da TV falou em 13 jogadores no Inter-B, mas confesso que não imaginei quem seriam os ausentes que faltaram na minha lista. Talvez Lucas Roggia, mas este não está no Inter-B por causa de problemas com a demora na renovação de contrato, o que finalmente ocorreu no último mês. Marcos Bambam está machucado, mas Pessali também pelo Grêmio, e isto não conta.

Mesmo jogadores já integrados ao grupo principal gremista, como Saimon e Bérgson, jogaram no Sub-20. Se o time colorado fosse o titular, com Agenor; Kléber, Wágner Silva, Juan e Kaoê; Élton, Natan, João Paulo e Lima; Léo e Samuel Rosa (o único que seria titular do time atual), a diferença técnica seria notável. E se jogasse tão mal quanto o time colorado que jogou, aí sim a preocupação seria válida.

Do Grêmio gostei, como sempre, da categoria do zagueiro Saimon, acho um dos melhores de sua geração. Aliás, é tradição azul revelar zagueiros, mesmo aqueles que não começaram no clube como Léo (que veio do Ipatinga) e Mário Fernandes (do São Caetano). Hoje o Grêmio é referência de bons ou excelentes zagueiros (para mim, o Mário Fernandes vai ser cracasso de Seleção Brasileira, podem me cobrar).

Porém não sou de mesmice e não vou elogiar o Busatto como grande goleiro. Já vi falhas feias dele nos juniores e juvenis, foi muito mal na Copa SP-2009. Ontem mesmo ele cometeu dois pênaltis desnecessários além de errar em algumas saídas de bola. Mais uma vez o Tricolor peca nos atacantes, ambos muito fracos.

Do Inter? Não gostei de ninguém, fora o goleiro Rafael Copetti. E fim.

Jogadores do Inter da categoria 1990 ou superior que estão no Inter B:
GOLEIROS: Agenor, William
ZAGUEIROS: Wágner Silva, Juan
LATERAIS: Kléber, Kaoê
VOLANTES: Élton, Natan
MEIA: Lima, João Paulo
ATACANTE: Léo