Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2009

Em casa e fora: as melhores campanhas desde 2003 na Série A

21 de dezembro de 2009 3

Encerrando a temporada 2009, vamos mostrar um levantamento com as melhores e piores campanhas de mandantes e visitantes no Campeonato Brasileiro desde o início da era ‘pontos-corridos’, em 2003.

Na ocasião, o Cruzeiro foi o melhor time em casa e também como visitante, confirmando sua avassaladora campanha naquela temporada. Somente em 2007 outro time foi o melhor como mandante e visitante: o São Paulo, que conquistaria o pentacampeonato nacional.

No Brasileirão 2009, a melhor campanha em casa evidentemente foi do Grêmio, único invicto da história dos pontos corridos em casa e aproveitamento de 82,46% no Olímpico. Já como visitante, o melhor foi o Cruzeiro, invicto há 12 jogos fora do Mineirão. O time mineiro conquistou 56,14% dos pontos como visitante.

O pior aproveitamento da história de um mandante foi do América-RN em 2007, com pífios 15,78% de aproveitamento. O time potiguar era o único a ter pior campanha em casa e como visitante até o Sport igualar esta marca, na atual temporada.

Apesar de ser o único invicto como mandante de um Brasileirão de pontos corridos, o Grêmio divide a primazia de ter o melhor aproveitamento da história ao lado do Cruzeiro (2008) e do Santos (2006), todos com 47 pontos em 19 jogos, perfazendo 82,45% de aproveitamento.

Como visitante, o melhor de todos é o Cruzeiro de 2003, com 63,76% de aproveitamento. O pior é o Ipatinga, com míseros 8,77% de aproveitamento ano passado.

MANDANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 81,15 %
– PIOR: PONTE PRETA – 44,92 %
2004 – MELHOR: SANTOS e SÃO PAULO – 81,15 %
– PIOR: GRÊMIO – 42,02 %
2005 – MELHOR: PALMEIRAS – 73,01%
– PIOR: ATLÉTICO-MG – 34,92 %
2006 – MELHOR: SANTOS – 82,45 %
– PIOR: FORTALEZA – 35,08 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 73,68 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 15,78 %
2008 – MELHOR: CRUZEIRO – 82,45 %
– PIOR: VASCO DA GAMA – 43,85 %
2009 – MELHOR: GRÊMIO – 82,46%
– PIOR: SPORT – 42,11%

Classificação do time mandante - http://tabelasdefutebol.blogspot.com

VISITANTE

2003 – MELHOR: CRUZEIRO – 63,76 %
– PIOR: BAHIA – 10,14 %
2004 – MELHOR: PALMEIRAS – 55,07 %
– PIOR: VITÓRIA – 10,14 %
2005 – MELHOR: CORINTHIANS – 61,90 %
– PIOR: PAYSANDÚ – 14,28 %
2006 – MELHOR: INTERNACIONAL – 57,89 %
– PIOR: SANTA CRUZ – 10,52 %
2007 – MELHOR: SÃO PAULO – 61,40 %
– PIOR: AMÉRICA-RN – 14,03 %
2008 – MELHOR: SÃO PAULO – 50,87 %
– PIOR: IPATINGA – 8,77 %
2009 – MELHOR: CRUZEIRO – 56,14%
– PIOR: SPORT – 12,28%

2009 - Visitantes no Brasileirão

Barcelona: campeones de todo em 2009

19 de dezembro de 2009 19

Ao bater de virada, na prorrogação, o bravo Estudiantes por 2×1, o Barcelona conquistou seu sexto título na temporada. Por isto, 2009 entrou para a história do Barcelona, do futebol espanhol, do mundo da bola. Pela primeira vez um time de futebol conquistou TODOS os títulos possíveis em uma única temporada.

SEIS vezes Barça campeão! Isto fica bem claro na manchete do jornal Marca.com, da arquirrival Madrid:

Barça comemorando seu sexto título no ano de 2009
foto: reprodução Marca.com

O Fútbol Club Barcelona, quando completou 110 anos de história, acabou com todos os fantasmas de seu fracassado centenário. Entre janeiro e dezembro, o clube da Catalunha, treinado pelo jovem Josep Guardiola, venceu: o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Liga dos Campeões, a Supercopa Européia, a Supercopa da Espanha e, agora, o Mundial de Clubes da FIFA.

O Barça tem o talento de jogadores superiores como Lionel Messi, Thierry Henry, Xavi, Iniesta, Daniel Alves. Novos jogadores como o defensor Gerard Piqué, o talento cintilante de Busquets e a jovem promessa de craque Pedro. A solidez tática de Abidal e Touré ao lado do capitão Puyol foram uma equipe fortíssima, equilibrada no ataque e na defesa. Em suma, UMA EQUIPE SOBERBA.

O Barça se consolida como o grande time da década no futebol mundial ao lado do argentino Boca Juniors.
Desde 2001, nenhum time venceu a Liga dos Campeões duas vezes, exceto o Barcelona.

PARABÉNS, BARCELONA! CAMPEÃO DE TUDO

Chegadas sensacionais: GP da Áustria de 1982 na 'maiden victory' de Elio de Angelis

18 de dezembro de 2009 1

O GP da Áustria de 1982 ficou marcado pela primeira vitória do bom piloto italiano Elio de Angelis. No veloz circuito de Zeltweg, de Angelis travou um magnífico duelo com Keke Rosberg, futuro campeão daquela temporada, e venceu por meio segundo de vantagem. De Angelis estava bem à frente, mas o finlandês chegou rápido e mais 100m passaria o italiano. Vejam as últimas cinco voltas:

Filho de um bilionário italiano que passou anos sequestrado pela Máfia, o constante de Angelis venceria mais uma vez antes de perecer em um acidente no ano de 1985. Isto ocorreu em testes da Brabham no circuito francês de Le Castellet, em Paul Ricard na França.

VEJA TAMBÉM:

GP da Itália de 1971: a chegada mais apertada da F-1 em todos os tempos

Chegadas Sensacionais: GP da Espanha de 1986 e vitória de Senna por 93cm

Ex-piloto de F-1, Katayama quase morre em escalada no Monte Fuji

18 de dezembro de 2009 0

O ex-piloto de Fórmula-1 Ukyo Katayama, de 45 anos, foi resgatado nesta sexta-feira do Monte Fuji, o vulcão extinto e montanha mais alta do Japão. Montanhista profissional há alguns anos, Katayama subiu com mais dois colegas de alpinismo quando tiveram problemas na escalada.

Ele se preparava para uma expedição ao Pólo Sul, na Antártida e resolveu escalar a montanha no auge do inverno japonês. Porém a barraca se desmanchou e o frio polar de 25 graus abaixo de zero matou um dos companheiros e deixou em estado grave seu outro colega, o que gerou o pedido de resgate à polícia japonesa.

Reprodução: F1-Rejects: http://www.f1rejects.com/centrale/katayama/index.html

Ukyo Katayama no GP do Brasil de 1994

Katayama foi um piloto de certa maneira injustiçado na Fórmula-1. Correu quase 100 GP’s entre 1992 e 1997 e de fato não teve graaaandes resultados, mas fez uma temporada sensacional em 1994. Curiosamente neste ano teve azares que nunca teve na carreira, quebrando mais de uma vez quando chegaria ao pódium.

Se acham exagero, leiam este artigo do F-1 Rejects (em inglês), em especial a definição final:

“…In Formula One, the saying goes that you’re only as good as your last race, or, more to the point, you’re only as good as your last result. How sad, then, that most still remember Katayama as the guy who spun and crashed his way to six useless and undeserved seasons in F1, who was there by dint of cash rather than ability.

For one incredible and consistent season, though, Ukyo was one of the best drivers in the world, mixing with the cream of the crop, not only matching them but beating them on occasions…”

The Rising Son – Ukyo Katayama’s 1994 season

Mas também vale o susto histórico no GP de Portugal em 1995, na saudosa pista de Estoril:

As maiores goleadas da dupla Gre-Nal na Série A: as duas com Celso Roth no comando!

17 de dezembro de 2009 5

Celso Juarez Roth, um dos treinadores mais detestados pela dupla Gre-Nal na última década, pode comemorar um feito. Foi no comando deste técnico as duas maiores goleadas de Grêmio e Internacional na história do Brasileirão, Série A. São os jogos Internacional 7×0 Bragantino, pelo Brasileirão de 1997; e Figueirense 1×7 Grêmio, Brasileirão 2008.

- INTERNACIONAL 7 X 0 BRAGANTINO, BRASILEIRÃO 1997

A primeira ocorreu na noite de 09 de novembro de 1997, Internacional 7×0 Bragantino. É a maior goleada de um time gaúcho na Série A em todos os tempos. Segundo colocado na primeira fase, o Internacional aproveitou-se da enorme ruindade do time paulista, exorcisando fantasmas de anos anteriores.

Um massacre comandado por Christian, autor de três gols e contribuindo para três assistências. Depois de 2×0 no primeiro tempo, o massacre consolidou-se na etapa final: 7×0. Sandoval, Régis e Sílvio (2) marcaram os outros gols.

Foi a primeira vitória do Inter sobre o Bragantino, que havia derrotado o Inter na última rodada do Brasileirão de 1996, eliminando o colorado da competição.  A curiosidade é que neste jogo, o Bragantino já estava rebaixado e mesmo assim o Colorado cometeu a suprema incompetência de perder e ficar fora dos oito classificados, após uma incrível sucessão de resultados paralelos positivos e vitórias seguidas.

Outro ponto interessante é que mesmo levando sete, o Bragantino comemorou a fuga do rebaixamento. Fechando a lista de fatos curiosos: uma eventual derrota colorada prejudicaria o Grêmio, que lutava contra o rebaixamento no mesmo dia.

FICHA DO JOGO:

INTERNACIONAL (7): André; Enciso (Gustavo), Marcão, Régis e Espínola; Ânderson, Fernando, Sandoval e Arílson (Marcelo); Paulo Diniz (Sílvio) e Christian. Técnico: Celso Roth.

BRAGANTINO (0): Alex; Ayupe, Nei, Gino e Charles; Pereira, Édson Baiano, Geraldo e Ronaldo Alfredo; Sandro Pires (Ricardo) e Paulinho. Técnico: Cassiá.

Data: 08/11/1997 – Árbitro: Cláudio Cerdeira (RJ). Renda: R$ 33.158,00. Público: 4.646 (2.790 pagantes) no estádio Beira-Rio.

GOLS: Christian (5 min e 19 min do 1º tempo e 33 min do 2º tempo); Sandoval (1 minuto do 2º tempo), Régis (22 minutos do 2º tempo), Sílvio (27 e 29 do 2º tempo).

- FIGUEIRENSE 1 X 7 GRÊMIO, BRASILEIRÃO 2008

Já a segunda é muito mais recente, um 7×1 do Grêmio sobre o Figueirense. Este jogo ocorreu dia 24 de julho de 2008 e surpreendentemente no estádio Orlando Scarpelli em Florianópolis, palco de sucessivas derrotas do Grêmio. Com aquela vitória, depois de uma sucessão de bons resultados, o Grêmio assumia a liderança do Campeonato Brasileiro na reta final do primeiro turno. Curiosamente, no final do segundo turno seria este mesmo Figueirense, rebaixado na temporada passada, o algoz tricolor com um inesperado empate em 1×1 no Olímpico, dando a liderança para o futuro campeão São Paulo.

O Tricolor terminou o primeiro tempo vencendo por apenas 2×1. O colombiano Perea marcou aos 17 do primeiro tempo. Dez minutos depois, o mesmo Perea ampliou para 2×0 e o Figueira descontou com Cleiton Xavier aos 35 do primeiro tempo.

Na etapa complementar, depois de levar 3×1 com Marcel aos sete minutos, o técnico Paulo César Gusmão tirou os dois volantes e colocou dois atacantes, tática ousada que se mostrou desastrosa para o Figueira. Aproveitando-se disto, o rápido time gremista de 2008 ampliou com Perea aos 21 minutos. Nos 20 minutos finais, o reserva Reinaldo entrou e deu show: marcou aos 24, 35 e 38 minutos do segundo tempo. Final, Grêmio 7×1 Figueirense, na goleada mais estrondosa da temporada 2008 do Campeonato Brasileiro.

FICHA DO JOGO:

FIGUEIRENSE (1): Wilson, Anderson Luís (Wellington Amorim), Asprilla, Bruno Aguiar e Leandro Soares; Diogo (Ramón), Magal (Leandro Carvalho), Marquinho e Cleiton Xavier; Tadeu e Rafael Coelho. Técnico: Paulo César Gusmão

GRÊMIO (7): Victor; Jean, Pereira e William Thiego (Makelelê); Paulo Sérgio (Bruno Teles), William Magrão, Rafael Carioca, Tcheco e Anderson Pico; Perea e Marcel (Reinaldo). Técnico: Celso Roth

Data: 24/07/2008 – Árbitro: Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa/SP). Renda: R$ 156.117,00. Público: 14.931 pagantes no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

VEJA TAMBÉM:

As maiores goleadas do Brasileirão na história

GP da Itália de 1971: a chegada mais apertada da F-1 em todos os tempos

16 de dezembro de 2009 3

GP da Itália de 1971: Esta é, até tecnicamente falando, a vitória mais apertada da Fórmula-1. Apenas 0,010s separaram o vencedor Peter Gethin, do segundo colocado Ronnie Peterson. Mais incrível: apenas 0,61s separaram o vencedor do QUINTO colocado, Howden Ganley. Entre eles: François Cevért e Mike Hailwood. Foi também a corrida mais rápida da história da categoria, com média de 241,61 km/h, até o GP da Itália de 2003, vencido por Michael Schumacher com média de 247,58 km/h.

A corrida foi emocionante do início ao fim, pois Jackie Stewart, Clay Regazzoni e ainda Jacky Ickx também disputaram a liderança antes de abandonarem, assim como Chris Amon (o sexto colocado), que teve problemas com a viseira e superaquecimento do motor.

Faltando duas voltas, o líder era Peterson, enquanto Gethin era o quarto. Depois, Cevért saiu na frente da penúltima volta, e Gethin já estava em terceiro, separado por Peterson. Ao final daquele giro, as mudanças finais que determinaram o resultado da prova (reparem que Gethin vira líder na Parabólica, a última curva!).  Vejam um fantástico vídeo com imagens da prova, incluindo a lendária chegada:

VEJA TAMBÉM:

Chegadas sensacionais: GP da Áustria de 1982 e triunfo italiano

Chegadas Sensacionais: GP da Espanha de 1986 e vitória de Senna por 75cm

Dobradinha Mundial-Jogos Olímpicos? Já ocorreu antes!

15 de dezembro de 2009 0

Com a escolha do Rio de Janeiro para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2016, ficou caracterizada mais uma sequência com a realização, no mesmo país-sede, de uma Copa do Mundo, que será disputada no Brasil em 2014. A dica foi do sempre participante leitor portoalegrense Vinicius Santos, que ressaltou ser a quarta vez que isto ocorre.

A primeira foi no México, que sediou os Jogos Olímpicos em 1968 na capital Cidade do México e depois o Mundial de futebol em 1970. Em 1972 a mesma coisa: a então Alemanha Ocidental sediou os jogos de Munique em 1972 e o Mundial em 1974. A terceira vez que ocorreu uma dobradinha Mundial-Olimpíada foi nos Estados Unidos, que sediou a Copa do Mundo de 1994 e os Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996.

E o legado destas competições? O México aproveitou de maneira razoável as instalações, enquato a Alemanha utilizou bem a já ótima infra-estrutura esportiva de Munique. Em compensação, Atlanta foi um desastre: além de não ter sido usada na Copa do Mundo, toda a infra olímpica era ‘temporária’ e a maioria já foi demolida.

Os melhores ataques e defesas da história do Brasileirão

15 de dezembro de 2009 8

Hoje falaremos dos melhores ataques e defesas da história do Campeonato Brasileiro desde seu início, em 1971. Dos times que tiveram a melhor média de gols da história, e aqueles que tiveram o sistema defensivo menos vazado de cada competição, dados cortesia do sempre participante leitor Edison Klein.

O time que mais marcou gols em uma só edição foi o Cruzeiro, de 2003, que marcou 102 gols. Porém não é dele a melhor média, e sim do Guarani, autor de 53 gols em apenas 20 partidas na temporada de 1982, média de 2,65. Algo esperado para um time com ataque de Capitão, Careca e municiado pelo sempre talentoso, mas já veterano Jorge Mendonça.

O “pior melhor ataque”, ou seja, a menor média de gols de um “melhor ataque” foi do Flamengo de 1990, uma competição de horrorosa lembrança, que teve apenas 1,2 gols por partida. A síntese de um ano fraquíssimo que viu ainda o Olímpia campeão da América, o horrível Corinthians campeão brasileiro e uma Copa do Mundo lamentável, com meia dúzia de bons jogos na Itália.

Já a melhor defesa da história é do super Palmeiras de 1973, que sofreu míseros 13 gols em 40 partidas. Em compensação, a “pior melhor defesa” é do Internacional de 2005, vice-campeão no polêmico Brasileiro do “Zveitaço”, que sofreu 1,16 gols por partida.

Ao longo da história, o Grêmio foi quatro vezes a melhor defesa  e duas vezes o melhor ataque, incluindo a atual temporada. Já o Internacional foi uma vez o melhor ataque, e duas vezes a melhor defesa. Vejam os números.

ANO  MELHOR ATAQUE    MEDIA / JOGOS  MELHOR DEFESA   MEDIA / JOGOS
1971 ATLETICO-MG      1,4444 / 27    SANTOS         0,6400 / 25
1972 SÃO PAULO        1,7500 / 28    PALMEIRAS      0,6333 / 30
1973 SANTOS           1,5135 / 37    PALMEIRAS      0,3250 / 40
1974 ATLETICO-MG/FLAMENGO 1,7083 / 24 GREMIO         0,4583 / 24
1975  FLUMINENSE      1,8214 / 28    INTERNACIONAL  0,4000 / 30
1976  INTERNACIONAL   2,5652 / 23    PALMEIRAS      0,5238 / 21
1977  ATLETICO-MG     2,6190 / 21    CORINTHIANS    0,3684 / 19
1978  VASCO DA GAMA   2,0333 / 30    PALMEIRAS      0,5937 / 32
1979  PALMEIRAS       3,2000 /  5    CAMPINENSE-PB  0,5000 / 16
1980  CORINTHIANS     2,3888 / 18    SANTOS         0,6666 / 18
1981  VASCO DA GAMA   2,1578 / 19    SAO PAULO      0,6521 / 23
1982  GUARANI         2,6500 / 20    PONTE PRETA    0,6428 / 14
1983  PALMEIRAS       2,2000 / 20    BOTAFOGO-SP    0,5000 /  6
1984  PALMEIRAS       2,1428 / 14    FLUMINENSE     0,5000 / 26
1985  SAO PAULO       1,8000 / 20    SPORT RECIFE   0,5714 / 28
1986  SAO PAULO       1,8235 / 34    GUARANI        0,5294 / 34
1987  SPORT               1,4500 / 20    CRUZEIRO       0,4117 / 17
1988  VASCO DA GAMA   1,4400 / 25    VASCO DA GAMA  0,7200 / 25
1989  NAUTICO         1,5000 / 18    PALMEIRAS      0,7222 / 18
1990  FLAMENGO        1,2631 / 19 GREMIO         0,6956 / 23
1991  ATLETICO-MG     1,4285 / 21    SAO PAULO      0,6521 / 23
1992  BOTAFOGO        1,7037 / 27    BRAGANTINO     0,6800 / 25
1993  CORINTHIANS     1,9000 / 20    PARANA         0,7500 / 16
1994  PALMEIRAS       1,8709 / 31    PORTUGUESA     0,8000 / 25
1995  SANTOS          1,9259 / 27    PALMEIRAS      0,8260 / 23
1996  GREMIO          1,7931 / 29    GUARANI        0,6800 / 25
1997  VASCO DA GAMA   2,0909 / 33    PALMEIRAS      0,8484 / 33
1998  PALMEIRAS       1,9615 / 26    VASCO DA GAMA  1,0434 / 23
1999  CRUZEIRO        2,1739 / 23    PONTE PRETA    0,9583 / 24
2000  SAO CAETANO     2,2500 /  8    PARANA         1,0000 /  4
2001  ATLETICO-PR     2,1935 / 31    SAO CAETANO    1,0000 / 31
2002  SAO PAULO       2,1851 / 27    GREMIO         1,1034 / 29
2003  CRUZEIRO        2,2173 / 46    SAO CAETANO    0,8043 / 46
2004  SANTOS          2,2391 / 46    SAO PAULO      0,9347 / 46
2005  CORINTHIANS     2,0714 / 42    INTERNACIONAL  1,1666 / 42
2006  SÃO PAULO       1,7368 / 38    SAO PAULO      0,8421 / 38
2007  CRUZEIRO        1,9210 / 38    SAO PAULO      0,5000 / 38
2008  FLAMENGO        1,7631 / 38    GREMIO         0,9210 / 38
2009  GREMIO          1,7631 / 38    SAO PAULO      1,1052 / 38

COMPARANDO A DUPLA GRENAL.
MELHOR ATAQUE : GREMIO          2 VEZES, EM 1996 E 2009
INTERNACIONAL   1 VEZ, EM 1976

MELHOR DEFESA : GREMIO          4 VEZES, EM 1974, 1990, 2002 E 2008
INTERNACIONAL   2 VEZES, EM 1975 E 2005

INTERESSANTE OBSERVAR, TAMBÉM, QUE SOMENTE UMA EQUIPE FOI CAMPEÃ, POSSUINDO MELHOR ATAQUE E DEFESA (SÃO PAULO, EM 2006), E QUE APENAS UMA VEZ UM TIME FOI MELHOR ATAQUE, MELHOR DEFESA E NÃO FOI CAMPEÃO (VASCO DA GAMA, 1988)

O 'clube dos cinco': quem ainda nunca foi rebaixado na Série A

14 de dezembro de 2009 118

Cruzeiro, Flamengo, Internacional, São Paulo e Santos. Estes cinco times jamais foram rebaixados no Campeonato Brasileiro. Além disto, apenas Cruzeiro, Flamengo e Internacional disputaram todas as edições. Por divergências com a CBD, que virou CBF em setembro de 1979, São Paulo e Santos não disputaram aquele Brasileiro, mas jamais foram rebaixados.

Porém todos levaram sustos. O Cruzeiro quase caiu em 1994 e 1997, enquanto o Inter penou em 1999 e 2002. O Flamengo levou sustos na década atual: 2001, 2004, 2005 e 2007. O Santos já viveu maus momentos nas últimas temporadas, em especial no ano passado. O São Paulo foi mal em 1998, mas sem riscos maiores, porém já foi rebaixado em um Campeonato Estadual, o Paulistão de 1990(ao menos existe uma enorme polêmica sobre isto, sem uma conclusão formal).

Vejam abaixo

BRASILEIRÃO:
Cruzeiro – todas as edições
Flamengo – todas as edições
Internacional – todas as edições
São Paulo – só não disputou a edição de 1979
Santos – só não disputou a edição de 1979
Atlético – desde 1996
Fluminense – desde 2000
Goiás – desde 2000
Botafogo – desde 2004
Palmeiras – desde 2004
Grêmio – desde 2006
Atlético-MG – desde 2007
Vitória – desde 2008
Barueri – desde 2009
Corinthians – desde 2009
Avaí – desde 2009
Vasco da Gama – desde 2010
Guarani – desde 2010
Ceará – desde 2010
Atlético-GO – desde 2010

Veja também times que subiram para a Primeira Divisão dos respectivos estaduais e disputaram todos desde então. Vou registrar os de Santa Catarina e Rio Grande do Sul:

CATARINENSE:
1974: Chapecoense
1976: Joinville
2005: Metropolitano

GAUCHÃO:
1994: Veranópolis
2004: Ulbra/Universidade
2010: Porto Alegre

Ranking da CBF - A dissecação de um erro grosseiro

14 de dezembro de 2009 4

Ano passado escrevi um artigo essencialmente técnico, analisando os esdrúxulos e grosseiros ‘critérios técnicos” do Ranking da CBF, atualizado esta semana. Felizmente o diretor-técnico da CBF (para mim, uma pessoa totalmente inadequada para o cargo), Virgílio Elísio, diz que ‘talvez, quem sabe’ ocorram mudanças nos critérios. Custa admitir que todo o ranking é uma piada?

Um estudo estatístico mostrando que este sistema é muito ruim e prejudica sobretudo as equipes que disputaram a Libertadores em cada temporada, sob a impossibilidade de garantirem pontos na Copa do Brasil.

Outros erros grosseiros como dar pontos em excesso para times em divisões inferiores distorcem radicalmente o ranking. O Grêmio este ano, por ter disputado a Libertadores, fez uma pontuação muito inferior ao Corinthians e ao Internacional, que foram até a final da Copa do Brasil. Mesmo o rebaixado Coritiba ficou à frente do Tricolor Gaúcho. 

O São Paulo, hexacampeão brasileiro, tetra vice-campeão e finalista também de Copas do Brasil, é apenas o QUINTOno ranking. Tudo porque é prejudicado disputando sistematicamente a Libertadores, ano após ano desde 2004.

1º Grêmio . . . . . . .2092
2º Corinthians . . . .2079
3º Flamengo . . . . . .2039
4º Vasco . . . . . . . . . .2031
5º São Paulo . . . . . .1997
6º Atlético-MG . . . .1979
7º Palmeiras . . . . . .1956
8º Internacional .1942
9º Cruzeiro . . . . . . . .1891
10º Santos . . . . . . . .1746

VEJAM A ANÁLISE COMPLETA, PUBLICADA EM 2008: