Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 5 maio 2010

PENALIDADES: Fiasco no Serra Dourada já ocorreu no Olímpico

05 de maio de 2010 11

Nesta quarta-feira, um show de horrores em cobranças de pênalti marcou a classificação do Atlético-GO sobre o Palmeiras, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2010. O Atlético venceu por 1×0 no tempo normal no estádio Serra Dourada, e como o Palmeiras havia vencido pelo mesmo escore no Palestra Itália, a decisão foi para a disputa de pênaltis.

Na disputa, o bizarro: de dez cobranças, apenas três foram convertidas. Sim, TRÊS! O goleiro Márcio, do Atlético-GO, pegou três pênaltis e um chute foi para fora. Já o veterano Marcos, do Palmeiras, pegou outras três penalidades. Apenas o palmeirense Ewerthon e os atleticanos Márcio (sim, o goleiro!) e Elias acertaram. Vejam as cobranças:

O curioso é que um aproveitamento tão ruim já havia ocorrido antes, em pleno estádio Olímpico. Na Copa Libertadores de 1997, pelas oitavas-de-final, o Grêmio surpreendentemente havia sido derrotado pelo inexpressivo Guarany-PAR por 2×1.

No jogo de volta, o Tricolor vencia por 1×0, gol de Paulo Nunes e levava o jogo para os pênaltis. Aos 42 do segundo tempo, o paraguaio Hugo Ovelar aproveitou erro defensivo do Grêmio e empatou, resultado que classificava o time visitante.

Uma confusão enorme ocorreu, com o time gaúcho reclamando de impedimento no lance (não ocorreu), com o treinador Evaristo de Macedo invadindo o campo, um caos. Nesta confusão toda, o jogo recomeçou e Rodrigo Gral, oportunista, fez o gol que levou o jogo para a disputa de pênaltis, Grêmio 2×1.

Na disputa de pênaltis, o mesmo aproveitamento ridículo do Serra Dourada: 2×1! Apenas três cobranças convertidas, justamente as três primeiras: duas do Grêmio e uma do Guarany. Os sete pênaltis seguintes foram desperdiçados, e o Grêmio passou de fase. 

Grêmio contra o Guarany-PAR em 1997 na Libertadores: um show de horror - Reprodução ZH, blog Grêmio 1983 http://gremio1983.blogspot.com

A campanha da Libertadores terminaria na fase seguinte, sendo eliminado pelo irregular Cruzeiro. Porém este gol de Rodrigo Gral e a posterior classificação nas penalidades foi de vital importância para o Grêmio na conquista da Copa do Brasil daquele ano. Isto porque ao contrário de 1989, 1994 e 2001, quando teve campanhas espetaculares, em 1997 o Grêmio vinha apresentando um futebol muito irregular. Era nítida a decadência técnica e a “fadiga dos metais” após a saída do técnico Luiz Felipe Scolari.

O ânimo foi grande, pois três dias depois, o Tricolor bateu o Corinthians por 2×1 em pleno Morumbi, no famoso jogo do “um chute e dois gols”. O Grêmio só chutou uma vez e marcou com Paulo Nunes, já que o outro gol foi contra (do lateral-direito Rodrigo). O terceiro goleiro Sílvio ainda pegou uma penalidade discutível marcada por Márcio Rezende de Freitas (novidade?) no finalzinho do jogo cobrada por Marcelinho Carioca (me corrijam se a minha memória falhou). Este jogo eu achei os gols:

<