Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 19 maio 2010

Supersemana: em 2007, Grêmio superou Santos na Vila e foi à final da Libertadores

19 de maio de 2010 16

Grêmio e Santos decidem hoje quem será um dos finalistas da Copa do Brasil 2010, depois de um histórico 4×3 para os gaúchos no primeiro jogo. Há três anos, estes times também se enfrentaram em um mata-mata e igualmente nas semifinais. Será o primeiro jogo desta “supersemana” do futebol gaúcho, amanhã teremos um texto aqui sobre os embates entre Internacional e Estudiantes pela final da Copa Sul-Americana 2008.

Mas a competição era ainda mais importante: a Copa Libertadores da América. Naquela ocasião deu Grêmio: 2×0 para o time da casa no Olímpico e 3×1 para a equipe paulista na Vila Belmiro. O gol fora decidiu o desempate para os gaúchos.

Também em uma semifinal ocorreu outro encontro, em 2002. Na ocasião um experiente e talentoso time gremista não foi páreo para o jovem Santos de Diego, Robinho, Elano e Renato. 3×0 na Vila Belmiro para o Santos e 1×0 para o Grêmio no Olímpico, Santos na final e futuro campeão.

Tcheco e Patrício comemoram vitória gremista no 1º jogo - Valdir Friolin,RBS

Porém nosso assunto é 2007 e Libertadores. Na ocasião, irregular time do Grêmio treinado por Mano Menezes (que tinha passado no sufoco em todas as fases anteriores), no qual brilhavam Lucas, Diego Souza e Carlos Eduardo enfrentou a caríssima equipe santista, treinada por Wanderley Luxemburgo e com estrelas como Zé Roberto, Cléber Santana, Kléber e Maldonado.

Assim como em 2010, o primeiro jogo foi no Olímpico e o Grêmio era o azarão (até pelo retrospecto ruim naquela Libertadores). Curiosamente, Jonas jogava naquela época pelo Santos, mas teve atuação apagada nos dois confrontos.

Porém em uma atuação soberba, sobretudo nos famosos “10 minutos de pressão” entre os 29 e os 39 do 1º tempo, nos quais o Grêmio fez 2 gols e quase marcou outros tantos, a vitória por 2×0 deixou ampla vantagem para o segundo jogo. Tcheco de pênalti e Carlos Eduardo aproveitando erro de Adaílton marcaram os gols do Tricolor.

Vejam os “10 minutos de pressão” seguidos dos melhores momentos do jogo:

No jogo de volta, o Grêmio controlava bem o jogo e saiu na frente. Diego Souza marcou um golaço da entrada da área, sem chances para Fábio Costa. O Santos precisava fazer QUATRO gols e parecia tarefa impossível. Porém um erro defensiva gremista deixou Renatinho empatar ainda nos acréscimos do primeiro tempo.

No início da etapa final, o time santista precisava de três gols. Equivocadamente (na minha opinião), Mano Menezes recuou demais o time gremista. Aos 15, em outra falha da zaga gremista, Renatinho de novo virou o jogo. Aos 32, após falta inexistente, Zé Roberto pegou rebote e fez 3×1.Diego Souza contra Alessandro e Rodrigo Souto - Mauro Vieira,RBS

Faltava apenas um gol para o Santos, enquanto Mano Menezes empilhava volantes. No final do jogo, o Grêmio jogava em um 4-5-1, sendo que todos os meio-campistas eram volantes (Gavilán, Sandro Goiano, Diego Souza, Lucas, Edmílson) e o ‘atacante’ era o contestadíssimo Ramón, que jogava (e mal) mais de meia-atacante que propriamente como avante. 

O Santos fez uma pressão incrível nos 17 minutos finais, mas não conseguiu o gol da classificação. O Grêmio quase descontou, mas errou nos contra-ataques.   Vejam os melhores momentos do segundo jogo:

Ao Grêmio, o alívio pela vaga na final da Libertadores.

Alívio gremista ao final do jogo na Vila Belmiro - Mauro Vieira,RBS

Seria a quarta decisão do título continental, a primeira em doze anos. No outro dia se saberia que o adversário seria o Boca Juniors. Isto é assunto para outro dia…