Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 junho 2010

Jogador ruim não se machuca: Teoria da Seleção Natural no futebol

04 de junho de 2010 11

Existe um princípio básico do futebol: jogador ruim quase nunca se machuca. E por não se machucar, ele entra em campo sempre que não pode. E que justamente por isto deve ser dispensado, sob risco de deixar o time na mão.

Eu levo isto mais além. Para mim é um exemplo claro da “teoria das espécies” do cientista inglês Charles Darwin, que mudou completamente a maneira de ensinar a evolução humana no mundo ocidental. É a seleção natural aplicada no mundo do futebol.

Imagina se um jogador ruim se machuca? O bom pode passar dois anos machucado que ainda terá espaço em algum lugar, como ocorreu com Ronaldo e Nilmar após sucessivas lesões no joelho. Mesmo jogadores eternamente lesionados como Pedrinho tiveram ampla e irrestrita possibilidade de se recuperar.

Agora e o ruim? Este não pode se machucar nunca, senão não ‘sobrevive’ na carreira. Perde o espaço, é dispensado, ninguém quer contratá-lo, justamente por ser ruim. Também por ser ruim, é uma opção no elenco atrás dos considerados ‘bons’. Então não pode estar lesionado quando a oportunidade surgir, e ela irá surgir.

Estamos vendo isto na dupla Gre-Nal. O contestadíssimo Bruno Collaço, a quinta opção da lateral-esquerda, tem jogado sistematicamente no Grêmio. Afinal o titular Lúcio, o reserva Fábio Santos, o improvisado zagueiro Neuton e até mesmo o novo contratado Uendel estão machucados.Até pode ser que o muito jovem Bruno Collaço se recupere na carreira, mas agora não serve para o Tricolor.

No Internacional não é muito diferente, a não ser pelo fato de que o segundo jogador mais contestado pela torcida ser titular, Alecsandro. Só sofreu uma lesão desde que veio para o Inter e foi justamente em seu melhor jogo, quando marcou 3x contra o Santos na Vila Belmiro. O contestado-mor é Edú, claro. E que, aliás, só se machucou quando ainda era visto como solução para o ataque.

Mas o maior exemplo ocorre sempre antes da Copa do Mundo. Temos reservas machucados e que ficaram fora da Copa, claro. Mas a Alemanha, Inglaterra, Costa do Marfim, Gana, Paraguai, Portugal e até mesmo a Eslováquia estão perdendo seus principais jogadores.

Brasileiros, argentinos e italianos estão incólumes, até agora. Nestes países, ironicamente os torcedores pedem por lesões dos menos populares como Camoranesi, Josué e Kléberson. Mas há pouco li que Andrea Pirlo sente dores musculares e sua situação é ‘preocupante’, segundo o departamento médico italiano

Os casos históricos mais famosos envolvem a Itália, que perdeu o goleiro titular Angelo Peruzzi antes da Copa de 1998 e da Eurocopa 2000, vendo o sortudo reserva Gianluca Pagliuca atuar. E a Alemanha, que perdeu o talentoso Mehmet Scholl antes de DUAS Copas do Mundo. Melhor jogador de sua geração, Scholl brilhou apenas na Eurocopa de 1996.

Alemanha: Michael Ballack, principal meia alemão.E seu reserva imediato Christian Traesch.

Inglaterra: David Beckham e Rio Ferdinand, o capitão de 2002 e 2006 e quem seria o capitão de 2010.

Costa do Marfim: Didier Drogba, maior jogador da história do país. Vejam o lance:

Eslováquia: Miroslav Karhan, principal defensor do time.

Gana: Michael Essien, melhor jogador do time

Paraguai: Salvador Cabañas, artilheiro do time nas Eliminatórias e que levou um tiro na cabeça em boate.

Portugal: José Bosingwa, lateral-esquerdo titular.

A Seleção Brasileira ainda não teve nenhuma lesão, apesar dos sustos de Júlio César e Michel Bastos, e da situação um tanto preocupante de Juan e Kaká.

Apenas em 2006 não tivemos um corte por lesão nas vésperas do Mundial. (Como lembrou o Fernando nos comentários, o Edmílson foi cortado em 2006 e convocado o Mineiro em seu lugar)

Será?