Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Reitero a opinião: A "Janela de Transferências" deve ser invertida!

20 de julho de 2010 13

Depois de todo o imbróglio envolvendo a antecipação da Janela de Transferências, achei coerente reforçar uma opinião já demonstrada antes aqui no Almanaque Esportivo sobre a inversão dos períodos de registro de atletas provenientes ou sendo transferidos para o futebol do Exterior.

Defendo a idéia de que a Janela de Transferências curta seja empurrada para janeiro, e a Janela de Transferências longa seja transferida de janeiro a março para o período entre Junho e Agosto. Isto deixaria de acordo com os principais mercados da Europa e não prejudicaria nenhum dos clubes principalmente no REFORÇO de atletas.

Vão dizer: “ah, mas também aumenta o período da janela que os jogadores podem deixar os clubes”. Errado, afinal o conceito da janela vale para o time que contrata e não para o que vende.

Explicação simples:Hoje o Inter pode vender o Giuliano em 1º de julho para o Arsenal porque a janela inglesa já está aberta. Porém não pode comprar o Deivid em 1º de julho porque a janela brasileira está fechada.

Com a alteração sugerida por mim, o 1º continuaria ocorrendo, mas a segunda hipótese seria contemplada.

Mais detalhes sobre a minha tese aqui:


VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

    VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

      Comentários (13)

      • Matias Schuler Guenter diz: 20 de julho de 2010

        Meu ponto segue o mesmo: Não se deve alterar as regras no decorrer de uma competição! O nome disso é virada de mesa!!!

        Daí tu vai dizer que beneficia varios clubes…

        Dizem que o Grêmio só voltou da serie B na primeira queda pq mudaram as regras no meio da competiçao, ou seja, via virada de mesa. Não acompanhava futebol na ´poca (muito guri), mas meu pai jura de pé junto que mudaram antes do inicio, mas não é esse meu ponto. Meu ponto é que essa alteração beneficiou varios clubes que subiram junto para a serie A, o que é válido segundo tua teoria.

        EDITADO: escrevi sobre isto, pode procurar… http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2010/04/11/esclareca-a-duvida-virada-de-mesa-de-1992-sim-ou-nao/?topo=77,1,1

      • gaucho bom diz: 20 de julho de 2010

        Olá Amigo… Sou Gremista… Mas nos bate-papos com amigos, sempre defendi esta abertura para inscrição de jogadores que atuam no exterior… Simples: Vende um jovem jogador, faz caixa e ainda tras outro na mesma função… Se a diretoria do Grêmio sabia dessa possível antecipação e não contratou ninguém… azar. Mas. se a diretoria do Gremio sabia que poderia ter essa antecipação e mesmo assim não foram em busca de reforços… SÃO UNS INCOMPETENTES.

      • vanio jose dendena diz: 20 de julho de 2010

        Por que nao pode, e so esperar como fazem com o sandro, o que nao pode e viver com esta
        amnesia intencional de que so e bom quando favorece determinado clube, e convenhamos,
        dizer que a federaçao gaucha quis a abertura da janela, em parte e verdade, pois ela e nada
        mais nada menos do que uma filial dos interesses exclusivos dos gauchos vermelhos.

      • MacacoFifa diz: 20 de julho de 2010

        Exato, Périn!!! E também terminaria com a choradeira dos tricolinos gaúchos e paulistas… kkk

        Saudações!

      • Renan diz: 20 de julho de 2010

        Discordo, não acho que devemos mudar a janela apenas para servir de ‘pau-mandado’ pros clubes europeus. Eles tem 3 meses no verão, 1 durante a temporada, aqui é a mesma coisa mas muda a epoca por conta do hemisferio.
        E as transferencias com clubes sul-americanos? E a libertadores? Como fica dai? Se um jogador for contratado no final do verão, só podera ser inscrito no meio do ano desse jeito.
        Prefiro como está

        EDITADO: O que tem a ver com as férias, calendário? Continua tudo igual. Se um jogador for contratado no final do verão, não poderá ser inscrito para a 1º fase da Libertadores. Se ele for contratado no final do verão, só poderá ser proveniente do mercado asiático. Mas respeito a tua opinião

      • marco diz: 20 de julho de 2010

        Se o Flamengo ficar em 18 no campeonado irão rebaixar somente o 19 e o 20…isso é virada de mesa…mudar uma regra para beneficiar TODOS os clubes brasileiros não é.
        se não tem competência e grana para contratar, azar. Clube rico, competente e influente tem que fazer a sua parte…quem não é assim que dispute a segundona.

      • alexandre diz: 20 de julho de 2010

        Para Matias Guenter, teu pai te mentiu 2 x então, ele tá sofrendo muito por isso, tem medo que vc vira colorado.

      • Matias Schuler Guenter diz: 20 de julho de 2010

        Tu escreveu: “NÃO HOUVE VIRADA DE MESA! O regulamento foi o mesmo no início e fim do campeonato.” ou seja, mudar regulamento no meio da competição = virada de mesa!

      • Alexandre Bittervides diz: 20 de julho de 2010

        O que houve foi o relaxamento de uma burocracia desnecessária da FIFA que atende somente aos intersses do calendário de futebol europeu e prejudica os clubes sul americanos que estão em meio a competições muito importantes, enquanto que na Europa tá todo mundo de férias em alguma praia do mar Mediterrâneo. Virada de mesa é quando um clube muda um resultado de campo ou o regulamento da competição a seu favor no tribunal, o que não é o caso. O regulamento da Libertadores diz que todos jogadores que estiverem regulares perantes suas federações estarão aptos a serem inscritos na Libertadores. Depois qual é a preocupação que tem o SPFC? Por acaso o Inter vai poder entrar com 14 jogadores em campo? Ou é medo de tomar outra sova? Sou colorado e não vejo o Inter como favorito por causa de 3 jogadores que ainda vão ter que mostrar futebol pra me convencer de que foram bons reforços. Vai ser um grande clássico !!!

      • rafael colorado diz: 20 de julho de 2010

        concordo, e não entendo o ponto de vista do Renan de ser “pau mandado”. “pau mandado” é como é agora, onde se contrata jogador no fim de maio e tem que esperar meses pra poder usá-los.

      • Thiago diz: 20 de julho de 2010

        Os gremistas secam e choram a antecipação da janela e esquecem que o clubeco Grêmio foi beneficiado, em 2008, com a inscrição do Tcheco para disputa do Brasileirão, no qual o Grêmio foi vice-campeão e garantiu vaga para a Libertadores. Esquecem que essa janela nunca foi cumprida integralmente, pois em 2009 o Adriano foi inbscrito e liberado para jogar pelo Flamengo em maio, quase dois meses antes da janela abrir.

      • Ronaldo diz: 20 de julho de 2010

        Algumas correções:
        O Tcheco não foi liberado pela CBF, mas por uma ação na Justiça do Trabalho, algo que foi tentado agora também e foi indeferido.
        O Tcheco teve o contrato com o clube árabe encerrado dois meses antes da janela. O Adriano, que foi liberado por autorização da própria CBF, havia rescindido o contrato com a Inter em maio. Nestes dois casos não se tratava exatamente de transferência, pois eram jogadores livres sem vínculo com clube, segundo a Fifa (e que estariam desempregados segundo a ótica da Justiça Trabalhista). A própria regulamentação da Fifa, no artigo que trata dos períodos (janelas) de transferência, considera a situação do jogador sem contrato como uma exceção à regra, facultando às confederações nacionais autorizar ou não. Foi o que a CBF fez no caso do Adriano e como poderia ter feito no caso do Tcheco, sem que fosse preciso recorrer à Justiça. Dos 3 jogadores do Inter, o único que estava nessa situação era o Tinga que havia encerrado em maio seu vontrato com o Borussia Dortmund. Os outros dois tem contrato em vigor com seus clubes de origem e vieram por empréstimo. Então, dentro das regras existentes, sem alteração da janela, o Tinga poderia receber uma autorização especial da CBF, como ocorreu com o Adriano. O Sobis e o Renan, não.

        EDITADO: exatamente o meu ponto, não existe nenhum motivo pelo qual a Justiça do Trabalho aceitou em 2008 e rejeitou em 2010, a não ser a notória opção clubística do juiz envolvido nas duas ações. Caso Tinga e Tcheco são idênticos, porém não existe uma análise assim. Especialmente dos gremistas. Pergunta: Tcheco reestreou em julho e fez o gol da vitória contra a Portuguesa. Isto impugnaria o título de 2008?

      • Ronaldo diz: 21 de julho de 2010

        Perin, eu acho temerário dizer que as decisões das foram motivadas por opção clubística, isso seria acusar o judiciário de deliberada parcialidade. Primeiro por que as ações não foram decididas pelo mesmo Juiz. Segundo, por que o Direito não é ciência exata, o que explica decisões diferentes em casos idênticos ou semelhantes, dependendo do posicionamento do magistrado acerca da matéria. Em qualquer dos casos, cabe ao juiz avaliar a situação de emprego do trabalhador (atleta), se está ou não sendo negado seu direito ao trabalho. Alguns magistrados se detém na questão formal, se o contrato de trabalho está em vigor, com o jogador recebendo salários. Outros vão mais além e enxergam no fato do jogador estar sendo impedido de jogar um empecilho ao exercício pleno do seu trabalho. É questão de interpretação.
        Agora as diferenças: se o Inter conseguisse a liberação dos 3 jogadores na Justiça, seria uma decisão judicial, que não se discute, se cumpre. Se a CBF desse uma autorização especial somente para o Tinga, estaria dentro das regras do jogo. O que está errado é a CBF alterar as regras pré-estabelecidas.

        EDITADO: digamos que eu tenho umas fontes quentes para embasar a questão da opção clubística…

      Envie seu Comentário