Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 3 novembro 2010

Grêmio pede empréstimo de quase R$ 12 mi; clubes devem rever modelo financeiro de gastos

03 de novembro de 2010 28

Um empréstimo de 12 milhões de reais servirá para pagar as contas no término da Gestão Duda Kroeff no Grêmio. A notícia foi divulgada hoje, e preocupa a nova gestão de Paulo Odone, que assume em dezembro, pois as receitas de 2011 já foram antecipadas. Nada que não tenha ocorrido na sua gestão (Odone também antecipou receitas), mas o ponto a ser discutido é o nível de comprometimento das finanças gremistas.

O empréstimo em si será quitado em cinco anos, com juros mais baixos e direitos federativos de Victor, Mário Fernandes, Adilson e Jonas como garantias. Se estes forem vendidos antes, outros jogadores serão incluídos.

A questão que fica é: qual é o macro planejamento financeiro do Grêmio? Se por um lado, o Condomínio de Credores (que chegou até a atrasar), foi bastante reduzido nos últimos meses em ações magistralmente conduzidas pelo Vice-Presidente de Finanças Irany Sant’Anna Jr. , em contrapartida os gastos no futebol realmente foram exagerados, sobretudo em 2010.

Irany Sant`Anna em entrevista à Grêmio Rádio, dirigente exemplar/site Grêmio.Net

Isto gerou inclusive atritos públicos entre a então Vice-Presidência de Futebol de Luiz Onofre Meira e o próprio Irany. Além disto, nesta temporada a folha superou 4,5 milhões de reais mensais por vários períodos, dinheiro gasto em atletas com baixo ou quase nulo potencial de revenda (Souza, Borges, Douglas, Leandro, Hugo).

No Internacional,  a folha este ano bateu recordes, chegando próxima ou superando cinco milhões de reais mensais. Muitos jogadores, inclusive reservas, recebem salários muito altos e o clube ainda tem diversos jogadores emprestados/encostados (apostas que equivocadamente foram contratadas por longo tempo ao invés de contratos curtos, como Jonas, Luís Carlos, Mineiro, entre outros).

Defendo, e isto há muito tempo, que os clubes brasileiros utilizam um modelo absolutamente equivocado de planejamento financeiro com gastos no futebol. Um valor anual deve ser definido, de acordo com os objetivos da temporada e as receitas a serem destinadas ao futebol. Este valor é flexível, de acordo com receitas ou despesas que se apresentem ao longo da temporada.

Sendo assim,a contratações sem investimentos pesados na aquisição liberam uma folha salarial superior, enquanto vendas de atletas (inclusive aquelas inesperadas, como por exemplo a saída de Danilo Silva em fevereiro no Internacional) tem percentual da receitas destinadas ao departamento  de futebol. Da mesma maneira, uma aquisição pesada com salários elevados diminui a ‘sobra orçamentária’ para o restante da folha e encerra os investimentos do ano.

Acredito que os clubes devem, urgentemente, modificar sua política de investimentos/gastos e sobretudo planejamento dentro do Departamento de Futebol. Para isto, devem contratar profissionais com experiência de mercado e principalmente foco em resultados.

VEJA TAMBÉM:

Como Grêmio tenta driblar caos financeiro (agosto/2009)

Finanças: abrindo a discussão com os leitores (abril/2009)

Grêmio atrasa condomínio de credores: folha alta? (abril/2009)