Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

OPINIÃO - O preço da covardia

17 de fevereiro de 2011 16

Na vida as pessoas pagam e colhem os frutos de suas escolhas. Quando Celso Roth trocou o claudicante Vasco da Gama pelo Internacional, em junho de 2010, fechou suas portas em São Januário. Pegou um time paradoxalmente em crise, mas nas semifinais da Libertadores. Arrumou o toque de bola do time, optou pelos jogadores certos e foi campeão da América.

De lá para cá, não acertou mais nada. O Inter se tornou um time de 70% de posse de bola e raros chutes a gol. Pior, passou a ser covarde e foi este ‘terror do sucesso’ que lhe sepultou em Abu Dhabi. De tanto medo do Mazembe, o Inter ao invés de atropelar o time africano acabou perdendo.

Começou o ano de 2011 e os velhos erros se repetem. Uma derrota no Gauchão jogando com três volantes, contra o Veranópolis.

A escalação de Tinga hoje contra o EMELEC em Guayaquil era improvável, mas por retrospecto, Roth escalaria o time mais defensivo possível. Foi exatamente o que fez hoje  com três volantes. Contra um adversário todo recuado, um deles esteve nulo em campo (Wílson Mathias). Ainda assim, pela obviedade da superioridade técnica, o Inter perdeu três gols feitos no primeiro tempo: Damião duas vezes e Zé Roberto. O EMELEC? Dois chutes de longe, sem grandes riscos.

No segundo tempo, Damião perdeu mais um gol incrível em uma defesaça do goleiro Kilmowicz e logo depois o (péssimo) árbitro argentino Nestor Pitanga não deu uma penalidade escandalosa em Sorondo.

Aos poucos o domínio colorado foi diminuindo, mas Celso Roth resolveu deixar assim. Quando D’Ale e Zé Roberto ficaram exaustos, este último saiu e Cavenaghi entrou (tarde, aos 32 do 2º tempo).

Em seu segundo lance, o argentino lançou Guinazu que obrigou defesa do goleiro Kilmowicz e escanteio. Na cobrança, D’Alessandro bateu e o estreante Bolatti, de ótima atuação, fez 1×0 de cabeça. Os quatro argentinos participaram do gol.

Então voltamos ao título deste post. Neste momento, Roth tirou Bolatti e colocou Rodrigo, como terceiro zagueiro. A entrada foi desastrosa: o Inter não segurou a bola em mais nenhum momento, recuou para dentro da área e começou a levar o abafa. Rodrigo falhou três vezes em menos de 10 minutos, a penúltima dando condições legais para o EMELEC quase empatar.

No último lance, bola alçada e gol do EMELEC. Falha coletiva da zaga do Inter, incluindo o goleiro Lauro que ia bem até aquele momento.

Resultado injusto pelas chances de gols perdidas pelo Inter.

Por ter jogado melhor. orém merecido pelos erros de seu treinador, que começou com três volantes e terminou com três zagueiros contra o time mais fraco do grupo e candidatíssimo a lanterna da chave.

O medo de ganhar chama a derrota.

Este texto, escrito por mim, foi originalmente publicado no blog “Jogo Aberto”, do Lédio Carmona

Comentários (16)

  • jonatan diz: 17 de fevereiro de 2011

    exatamente a mesma leitura que eu fiz do jogo !
    parece que o medo d perder é maior que a vontade de ganhar.

  • jose oli diz: 17 de fevereiro de 2011

    simplesmente perfeito perin,
    concordo em genero, nº e grau, mas o que faz um cara covarde deste estar no comando de um grupo campeão, nao tem como entender.
    perín comanda aí um agito para este cara ir embora, ele sempre quer provar o impossível e quando acerta inventa novamente, vai roth antes que sejas linchado pela torcida.

  • Emerson de Lima Torres diz: 17 de fevereiro de 2011

    Concordo em muitas coisas, porém o Emelec não é o time mais fraco do grupo.
    O Tal do Jorge não sei o que lá é o bem mais fraco e o Jaguares e do mesmo nível. Me atrevo a dizer que deste grupo vai sair Inter e Emelec.

    O Roth errou feio e o resultado foi ruim pelo que jogamos e pelo gol ter saído no final do Jogo, mas se eu não tivesse visto o jogo e soubesse apenas do resultado diria que foi bom.

    Quanto a eudezar o Fernando Carvalho sou daqueles que endeuza sim, acompanho Inter desde a decada de 80 e antes dele não via o Inter ganhar nada, disputava rebaixamento. Em 8 anos no comando ele conquistou mais que tudo e todos na história do Inter.

  • Luiz Fernando diz: 17 de fevereiro de 2011

    Perfeito texto Alexandre. O prazo do Roth venceu, a tendência é piorar pois ele sabe que está mal com a torcida e isso vai tirar o pouco de confiança que esse covarde tem.

  • Ricardo diz: 17 de fevereiro de 2011

    PErin concordo com tudo, discordo apenas do comentário sobre o Fernanda Carvalho pois NEM TODA torcida do Inter acha ele o cara, eu por ex., acho que ele ja gastou TODOS os créditos possiveis pois se preconizou grandes vitórias também é autor dos maiores fracassos sendo o Mazembe o princapl deles.
    Outra coisa ele é o ‘padrinho’ do Roth, do Alecone, do Matias, do Indio, do Renan…
    Se AINDA temos essas nabas no Inter é por INTEIRA RESPONSABILIDADE do Sr. F. Carvalho – ele é o avalista deles – ja trocou 5 treinadores e o Alecone foi mantido absoluto na posição. O Renan foi ‘patetico’ e arrogante em 2010 comprometeu inumeras vezes, e o Roth nem vou falar porque da raiva de ver como é burro, cagão e teimoso!!!
    Podia pegar eles e nomear o Roth de gerente so estacionamento dele e os demais seriam manobirstas, mas longe do Inter, o tempo deles aqui acabou!
    O problema é que essa ‘pseudo-nova’ direção tem o rabo preso como F. Carvalho que os elegeu então meu amigo vai ficar tudo como está desde antes da chegada do Roth… que só fica no Inter porque é ‘bem mandado’ não vamos nos iludir que é ele quem decide tudo né… ou ja esqueceram de 2010???

  • carlos diz: 17 de fevereiro de 2011

    Comentei em outro blog, e espero que contribua de alguma maneira.
    “Fato um: e jogo de estreia; todo time fica nervoso; jogando na casa do adversario;
    Fato dois: mesmo dominando a partida toda, perdendo gols, o Inter so fez o gol aos 34 do segundo tempo;
    Fato tres: Bolatti “um minuto depois”, ou seja aos 35, e substituido, “certamente por cancaso”;
    Fato quatro: o tecnico poderia por outro volante; poderia recuar um dos volantes e por outro atacante; e, poderia, já que esta ganhando, faltando so 10 minutos, fechar mais ainda e por um zagueiro;
    Fato cinco: como todo time que esta perdendo em casa, diante de sua torcida, independente de sua qualidade, parte pra cima pra tentar empatar;
    Fato seis: as melhores jogadas do Emelec foram, depois de levar o gol, de bola parada;
    Fato sete: de uma falta, ou seja, bola parada, o Emelec consegue o empate, porque o goleiro saiu mal.
    Qual a responsabilidade do Roth nisto?
    Analisem de cabeca fria.”

  • Paulo diz: 17 de fevereiro de 2011

    cONFESSO QUE COMEÇO A ENTENDER A TORCIDA DO cORINTHIANS. PRO ROTH SAIR, SÓ NO PAU.

  • EDUARDO diz: 18 de fevereiro de 2011

    Lamentável este texto, infelizmente é a pura verdade!

  • leonardo diz: 18 de fevereiro de 2011

    Me entristece a torcida Colorada… cresci no Beira-Rio tendo que aguentar corneteiros como meu próprio pai, que passam a vida inteira repetindo, ecoando os mesmos conceitos enlatados em frases prontas. Preguiça de pensar sobre futebol…

    Parece que o mal passou para as outras gerações. Uma pena.

    Eu prefiro comemorar a melhor estreia do Inter em Libertadores desde 1989, que é o ano em que comecei a acompanhar o clube na LA.
    Jogamos bem, contra um time que não é podre, é catimbeiro, corre como se estivesse dopado, e um juiz vergonhosamente contra.

    Nossos reforços deram ótima resposta. Nosso guri/centroavante só não marcou mais três porque o goleiro e o zagueiro fizeram milagres.

    Temos time E TREINADOR para vencer novamente, pena que não temos TORCIDA à altura.

    Triste verdade, mas esse pessoal que passa o ano inteiro jogando contra o clube, comemora com a mesma alegria do que eu!!!

  • Emerson de Lima Torres diz: 18 de fevereiro de 2011

    O leitor tem que concordar contigo para ter a opinião públicada?

  • Jonas diz: 18 de fevereiro de 2011

    Tá grandão hein? Eu já tinha visto esse texto na coluna do Lédio. Sobre o Roth, segundo o que rola na crônica esportiva é que ele está esquentando o Abel, que assim que cumprir seu contrato coms os Sheiks volta pra cá direto. Abel preenche os requisitos de treinador corajoso não? Embora irresponsável na minha opinião.

  • Thiago diz: 19 de fevereiro de 2011

    Parabéns, pois foi o mesmo jogo que eu vi!

    Só te pergunto: onde está a direção do clube que deixa o Roth cometer os mesmos erros de 2010 ou até piorá-los como na substituição de um meiocampista por um zagueiro?

    Ele não percebeu que o d’alessandro (depois de jogar demais) estava morto minutos finais da partida?

    Temos um bom time e um bom grupo, muito mal aproveitado pelo teimoso e incompetente Celso Roth

  • prudente antonio diz: 19 de fevereiro de 2011

    Perin, parabens pelo ótimo texto,eu comentei no blog do Lédio,acrescentando”É impressionante como só a diretoria do Internacional não vê que esse cara não é técnico para o time que tem, é técnico de time do interior que se borra de medo da dupla, retranqueiro dos infernos.Ele além de medroso é teimoso e burro,se queria garantir a grande vitória de um a zero contra o poderoso Emelec ao ver que o juiz tinha dado 4 minutos de acréscimo e com uma substituição a fazer não a fez, foi a coroação de todas as burrices que havia feito, escalou mal, substituiu mal e culminou a obra com a suprema atitude de não fazer a substituição nos acréscimos, mas tambem foi brilhantemente assessorado pelo o juiz que não deu um pênalti escandaloso no Sorondo e deu acréscimo de 4 minutos mas deixou o jogo correr até mais de 50.Apesar dele,vamo, vamo Inter.”Mais uma vez parabens, te acrescentei nos meus favoritos..Abraço colorado.

  • Leandro diz: 22 de fevereiro de 2011

    Grande Alexandre, a algum tempo atrás em um post você chamava atenção pro elenco inchado do Inter
    ( http://wp.clicrbs.com.br/almanaqueesportivo/2011/01/20/inter-nao-tem-dinheiro-porque-tem-54-jogadores-acima-de-21-anos-no-elenco/?topo=2,1,1,,,2 )
    + de 50 jogadores acima de 21 anos, parece que Siegmann também concordava com seu post, só estava esperando a hora certa para fazer a limpa, o problema que a maioria dos jogadores está sendo emprestado e chga no final do ano estão tudo ali na porta do Beira-Rio de novo.
    Ah sim, prabéns pelo post que antecipou muito bem a situação.

Envie seu Comentário