Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2011

OPINIÃO: A tarde do goleador Borges, e uma homenagem para Moacyr Scliar

28 de fevereiro de 2011 1
O Grêmio venceu o Cruzeiro por 4×2 e está na final da Taça Piratini. Foi a tarde de Borges, que marcou três gols e comandou o time gremista, com direito a escolher música no Fantástico (ele optou por uma canção gospel). O adversário, algoz do Inter-B na fase anterior, endureceu novamente contra um grande.
Vale destacar um ótimo jogo de Gabriel, um dos melhores laterais/alas do país. E a recuperação de Douglas, de má-jornada contra o Júnior-COL pela Libertadores. Em compensação, Carlos Alberto novamente fracassou ao jogar mais recuado. Caberá a Renato decidir: quer ele no ataque ao lado de um (Borges ou André Lima), ou no banco. Lúcio retorna naturalmente, para dar opções ao lado esquerdo tricolor.
Sem o lesionado Lúcio, Renato escalou o Grêmio com 2 volantes (Rochemback e Adílson) e 2 centroavantes (Borges e André Lima).
A primeira opção se mostrou mais uma vez acertada, com Rochemback aproveitando a liberdade fornecida por Adílson e sendo importante na saída de jogo. Já a segunda claramente prejudicou André Lima, que caiu de produção desde que passou a dividir o ataque com o antigo titular.
Ao time da Zona Leste, que se muda para a vizinha Cachoeirinha em 2011, fica a lembrança do dever cumprido. No dia que perdeu seu mais ilustre torcedor, o escritor Moacyr Scliar, o simpático Cruzeiro mostrou mais uma vez que um trabalho de longo prazo e organizado dá frutos até nos times pequenos. Depois de 30 anos na Segundona, a permanência estará garantida com mais 5 pontos no returno, mantendo a mesma base desde 2009.
Contra um Cruzeiro sólido defensivamente,o Tricolor dominou o primeiro tempo mas sem grandes chances. Aos poucos abriu brechas na defesa cruzeirense e Gabriel acertou o poste de Fábio. Logo depois, o bom meia Diego Torres quase surpreendeu o bom público no Olímpico ao obrigar Victor a fazer ótima defesa. Aos 36 o Grêmio superou a retranca em uma bela jogada envolvendo Douglas e Gabriel, que cruzou para Borges chutar mascado e abrir o marcador.
Na etapa complementar,três em cinco minutos: aos nove, André Lima escorou e Borges ampliou, 2×0. Na saída de bola, a zaga gremista errou no posicionamento e o baixinho Jô descontou para o Cruzeiro. Então foi a vez de Borges ser derrubado na área, pênalti que converteu com categoria, Grêmio 3×1.
Sem nada à perder, contra um Grêmio nitidamente cansado e um tanto displicente, o Cruzeiro foi para cima e, aproveitando outro erro no jogo aéreo gremista, o zagueiro Léo cabeceou cruzado e marcou, 3×2 aos 32 minutos. Com a expulsão justa de Alberto, acabaram as chances do Cruzeiro. E nos acréscimos, Júnior Viçosa fez bela jogada e sofreu pênalti, que Gabriel (o segundo melhor em campo), cobrou e fechou o placar. Final, Grêmio 4×2, finalista da Taça Piratini e já esperando o Caxias.
Ao enlutado Cruzeiro, o esforço e a simbólica homenagem à Scliar.
Ao Grêmio, o cumprimento com o dever. O retorno do goleador. E o talento de um lateral.

Copa da Liga Inglesa: a glória do Birmingham no desastre do Arsenal

28 de fevereiro de 2011 0

Em uma partida histórica, o Birmingham City se sagrou campeão da Copa da Liga Inglesa ao derrotar o poderoso Arsenal por 2×1. Estará na Liga Europa 2011/12 e ainda acabou com um jejum de 48 anos sem conquistas com um gol no finalzinho, da maneira mais bizarra possível.  Ao time derrotado, a lembrança sombria do desastre de 1988, quando perdeu a mesma competição no (quase) mesmo Wembley para um adversário ainda mais modesto, o Luton Town, de maneira tão inacreditável quanto hoje.

Aos torcedores do Arsenal, vice-líder do Inglês e a um empate de tirar o favorito absoluto Barcelona da Liga dos Campeões, foi um duro golpe. De um time com a fama de ‘amarelar‘ em decisões, sem títulos há seis anos. Pior que isto: o jogo marcará para sempre a carreira do zagueiro francês Laurent Koscielny e do goleiro Wojciech Szczesny, protagonistas do desastre que deu o título ao time menos famoso de Birmingham.

Aproveitando os tropeços dos melhores times (que quase sempre jogam com reservas na “League Cup”), o time treinado por Alex McLeish chegou à decisão em Wembley empurrado por quase 30 mil torcedores. Franco favorito, o Arsenal viu que a final não seria fácil aos três minutos, quando o temperamental Lee Bowyer foi lançado e derrubado pelo goleiro Szczesny. Pênalti clamoroso não-marcado graças a um erro do bandeira que assinalou impedimento e salvou o Arsenal. Ao menos por enquanto…

Se defendendo bem, o Birmingham saiu na frente em escanteio que Roger Johnson escorou e o gigantesco sérvio Nicola Zigic (2,02m) só desviou de cabeça para fazer 1×0. Depois de levar uma na trave, o Arsenal empatou dez minutos depois quando o talentoso Jack Wilshere chutou no travessão, e o rebote foi para o russo Andrei Arshavin. Este fez um cruzamento na medida para o holandês Robin van Persie marcar um golaço de voleio e empatar a final, 1×1.

A despeito de uma nova bola na trave do Birmingham em um lance isolado, só deu Arsenal no segundo tempo. Ben Foster, exorcizado do Manchester United e do ‘English Team‘ nos últimos anos, teve uma atuação impecável e parou um bombardeio dos ‘Gunners‘ , Samri Nasri e Nicolas Bendtner. Como prêmio, foi eleito o melhor em campo pela Federação. Nos minutos finais, com coragem, McLeish resolveu suportar a pressão colocando outro atacante e atacando o Arsenal com Zigic no meio, o chileno Beausejour na esquerda e Oba Oba Martins na direita. O prêmio à ousadia veio aos 43 do 2° tempo…

Falta lateral e Zigic faz sinal para o goleiro Foster pedindo a bola na cabeça. O balão vem e Zigic apenas resvala na bola. Então, o desastre: Koscielny não se comunica com o goleiro Szczesny e dá uma furada. O arqueiro não segura e a bola sobra, sem goleiro, para o incrédulo Martins só escorar para as redes, gol do Birmingham e 2×1. Vejam a trapalhada dupla do Arsenal e ainda o tapão que Koscielny leva na cabeça de Beausejour após o gol:


Birmingham City vs Arsenal Wembley [BRMB] Tom… por ChrisWembleyBlue

Fim. O jogo termina, o título é do Birmingham e o pesadelo é londrino. O delírio nas arquibancadas é azul. Uma final com o drama típico de um capítulo inteiro do livro “Febre de Bola”, autobigráfico do escritor britânico Nick Hornby sobre sua paixão pelo Arsenal. Ele detalha a final da Copa da Liga de 88, quando o Arsenal caiu diante do Luton Town. O gigante saiu perdendo e virou para 2×1, antes de errar um pênalti aos 35 do 2° tempo.

Na sequência, o zagueiro Gus Caesar furou em bola e caiu sentado no lance que daria o empate ao Luton Town, 2×2. No último minuto, o Luton virou e venceu por 3×2 em seu único título de todos os tempos. A carreira de Caesar, no Arsenal e no futebol profissional, praticamente acabou neste dia. Confira o compacto aqui deste jogo:

23 anos depois, o pesadelo em Wembley retornou.
Lembrando 1969 (quando perdeu a decisão da Copa da Inglaterra para o Swindon Town) e o citado 1988, o Arsenal deu vexame na final.

Em um lance bisonho, o título foi para o adversário…

Glória aos azuis de Birmingham!

Crônica Inter 4x0 Jaguares - Quando o óbvio não explica tudo

24 de fevereiro de 2011 6

A goleada de 4×0 do Internacional sobre o Jaguares, pela 2º rodada da Libertadores, remete a uma frase: nada é o que parece. Paradoxalmente, o Colorado jogou pior do que no 1×1 da estréia contra o Emelec,  e ainda assim saiu com um resultado muito superior. Três gols em bolas parada e um nos acréscimos podem resumir um jogo no qual o vencedor foi amplamente superior. Porém não foi assim na agradável mas chuvosa noite de quarta-feira no Beira-Rio.

Notadamente sem D’Alessandro, faltou criatividade e posse de bola ao time gaúcho. Por determinação do contestado Celso Roth, o Colorado entrou com dois volantes e Guiñazu jogou de meia-esquerda. Fora uma jogada logo a oito minutos, não deu certo a decisão, e o argentino ficou perdido no meio-campo. Sobrecarregado, Zé Roberto fez bom jogo, ganhando as jogadas individuais pelos flancos, mas sem presença centralizada. Ao baixo time do Jaguares, restou o toque de bola e dois lances perigosos com Frías. No primeiro, Índio (péssimo novamente) não pulou e o centroavante cabeceou para excepcional defesa de Lauro. No segundo, aos 23 minutos,Frías chutou de fora da área e tirou lasca da trave esquerda.

Porém neste instante, o Inter já vencia. Quatro minutos antes, após bate-rebate na área do Jaguares com participação de Sorondo, o inusitado goleador Mario Bolatti havia feito 1×0. Para um volante com sete gols na vida antes do Colorado, dois gols em duas partidas era algo impensável. Isto se tornou ainda mais incrível no finalzinho da primeira etapa em falta na intermediária cobrada por Zé Roberto. Sorondo passou para Cavenaghi e este, sempre no jogo aéreo, triangulou com Bolatti para marcar 2×0. Três gols colorados na Libertadores, três gols de Bolatti. Surreal.

Só que o torcedor do Inter não é cego e via que algo estava muito errado em campo. Ao invés da quase sempre improdutiva troca de passes e posse de bola, o Inter mudou para um jogo repleto de balões. Uma ligação direta que faria inveja aos times de Muricy Ramalho. A bola não passava pelo meio-campo e as dificuldades eram visíveis. Totalmente isolados, Leandro Damião e Cavenaghi sofreram para vencer os 3 zagueiros mexicanos, quase sempre em desvantagem. Era urgente a entrada de um meia com estilo de armador, e não se compreendia porque Andrezinho não estava em campo.

No segundo tempo, o Inter não levou mais sustos do time mexicano, mas também não conseguia jogar. A partida se seguia apática e murmúrios desaprovadores da arquibancada eram nítidos. Pelo esforço, os dois atacantes foram premiados ao participarem do gol da tranqüilidade aos 20 minutos. Foi quando Zé Roberto bateu falta, o fraco goleiro Vilalpando soltou para Cavenaghi chutar na trave. No rebote, Damião desencantou e fez seu primeiro gol na competição.

Mesmo assim, a torcida reclamava de Roth e se ouvia gritos de ‘burro’ da arquibancada. Um pouco de irritação pelos últimos jogos do time, pelo Mundial, pelo Inter-B, pela chuva, por tudo. Mas também pelo apresentado no jogo. Então Oscar entrou e deu vivacidade ao ataque. Sua ousadia foi premiada com um belo chute de fora da área, seco, rasante e 4×0. Seu primeiro gol como atleta profissional. Ele se juntou a Sorondo, Lauro, Zé Roberto e aos isolados Damião e Cavenaghi como destaques. Já Nei, Índio, Guiñazu, Kléber foram bem abaixo do esperado.

Em uma noite estranha, o Inter não jogou bem e goleou.

De novo, o time naufragou taticamente.

Mas Celso Roth respirou.

Estudo indica as 20 ligas mais ricas do mundo - Brasil é a 8º

22 de fevereiro de 2011 0

Estudo do excepcional site Futebol Finance aponta as 20 ligas que mais movimentaram dinheiro no planeta na temporada 2009/10. Ligas que tem o calendário de janeiro a dezembro, caso de Brasil, Argentina, Rússia e Ucrânia, tiveram como ano base 2010.

Como era de se esperar, a maior movimentação foi na Liga Inglesa, com mais de um bilhão de euros transacionados, à frente de Itália, Espanha e Alemanha.

Também a Liga Inglesa teve o maior déficit na relação compra/venda, com 356 milhões de euros de prejuízo. A Rússia, a Turquia e a Ucrânia, outros mercados emergentes, também pontuam este ranking.

Já em relação aos lucros, Portugal é o primeiro lugar disparado, com 90 milhões de euros. Especialistas em buscar jogadores baratos de mercados com menor poder aquisitivo, Porto, Benfica e Sporting são ‘trampolins’ nas negociações internacionais para os grandes da Europa. A Argentina (com um valor bem mais baixo de compras), está em 2º lugar na ‘balança comercial’, seguida de França e Brasil.

Interessante ainda a presença da 2º Divisão inglesa e italianas na lista e a derrocada do futebol grego, apenas o 20º no levantamento. Certamente influenciado pela enorme crise econômica do país mediterrâneo.

Vejam a lista completa

Liga Div Compras Vendas Resultado Movimentado
1 Inglaterra 1 700.415.000 € 343.755.000 € -356.660.000 € 1.044.170.000 €
2 Itália 1 423.980.000 € 356.605.000 € -67.375.000 € 780.585.000 €
3 Espanha 1 311.540.000 € 297.920.000 € -13.620.000 € 609.460.000 €
4 Alemanha 1 217.100.000 € 218.580.000 € 1.480.000 € 435.680.000 €
5 França 1 154.915.000 € 212.685.000 € 57.770.000 € 367.600.000 €
6 Portugal 1 84.940.000 € 176.355.000 € 91.415.000 € 261.295.000 €
7 Rússia 1 179.725.000 € 66.735.000 € -112.990.000 € 246.460.000 €
8 Brasil 1 68.680.000 € 116.055.000 € 47.375.000 € 184.735.000 €
9 Turquia 1 111.985.000 € 29.430.000 € -82.555.000 € 141.415.000 €
10 Argentina 1 37.200.000 € 104.110.000 € 66.910.000 € 141.310.000 €
11 Ucrânia 1 97.470.000 € 32.675.000 € -64.795.000 € 130.145.000 €
12 Inglaterra 2 58.290.000 € 70.345.000 € 12.055.000 € 128.635.000 €
13 Holanda 1 45.750.000 € 78.075.000 € 32.325.000 € 123.825.000 €
14 Itália 2 18.030.000 € 56.085.000 € 38.055.000 € 74.115.000 €
15 Bélgica 1 24.940.000 € 39.600.000 € 14.660.000 € 64.540.000 €
16 Roménia 1 20.670.000 € 38.060.000 € 17.390.000 € 58.730.000 €
17 Escócia 1 18.845.000 € 30.255.000 € 11.410.000 € 49.100.000 €
18 Polónia 1 18.240.000 € 22.370.000 € 4.130.000 € 40.610.000 €
19 Aústria 1 16.535.000 € 20.840.000 € 4.305.000 € 37.375.000 €
20 Grécia 1 19.685.000 € 11.125.000 € -8.560.000 € 30.810.000 €
TOTAL 2.628.935.000 € 2.321.660.000 € -307.275.000 € 4.950.595.000 €

OPINIÃO - O preço da covardia

17 de fevereiro de 2011 16

Na vida as pessoas pagam e colhem os frutos de suas escolhas. Quando Celso Roth trocou o claudicante Vasco da Gama pelo Internacional, em junho de 2010, fechou suas portas em São Januário. Pegou um time paradoxalmente em crise, mas nas semifinais da Libertadores. Arrumou o toque de bola do time, optou pelos jogadores certos e foi campeão da América.

De lá para cá, não acertou mais nada. O Inter se tornou um time de 70% de posse de bola e raros chutes a gol. Pior, passou a ser covarde e foi este ‘terror do sucesso’ que lhe sepultou em Abu Dhabi. De tanto medo do Mazembe, o Inter ao invés de atropelar o time africano acabou perdendo.

Começou o ano de 2011 e os velhos erros se repetem. Uma derrota no Gauchão jogando com três volantes, contra o Veranópolis.

A escalação de Tinga hoje contra o EMELEC em Guayaquil era improvável, mas por retrospecto, Roth escalaria o time mais defensivo possível. Foi exatamente o que fez hoje  com três volantes. Contra um adversário todo recuado, um deles esteve nulo em campo (Wílson Mathias). Ainda assim, pela obviedade da superioridade técnica, o Inter perdeu três gols feitos no primeiro tempo: Damião duas vezes e Zé Roberto. O EMELEC? Dois chutes de longe, sem grandes riscos.

No segundo tempo, Damião perdeu mais um gol incrível em uma defesaça do goleiro Kilmowicz e logo depois o (péssimo) árbitro argentino Nestor Pitanga não deu uma penalidade escandalosa em Sorondo.

Aos poucos o domínio colorado foi diminuindo, mas Celso Roth resolveu deixar assim. Quando D’Ale e Zé Roberto ficaram exaustos, este último saiu e Cavenaghi entrou (tarde, aos 32 do 2º tempo).

Em seu segundo lance, o argentino lançou Guinazu que obrigou defesa do goleiro Kilmowicz e escanteio. Na cobrança, D’Alessandro bateu e o estreante Bolatti, de ótima atuação, fez 1×0 de cabeça. Os quatro argentinos participaram do gol.

Então voltamos ao título deste post. Neste momento, Roth tirou Bolatti e colocou Rodrigo, como terceiro zagueiro. A entrada foi desastrosa: o Inter não segurou a bola em mais nenhum momento, recuou para dentro da área e começou a levar o abafa. Rodrigo falhou três vezes em menos de 10 minutos, a penúltima dando condições legais para o EMELEC quase empatar.

No último lance, bola alçada e gol do EMELEC. Falha coletiva da zaga do Inter, incluindo o goleiro Lauro que ia bem até aquele momento.

Resultado injusto pelas chances de gols perdidas pelo Inter.

Por ter jogado melhor. orém merecido pelos erros de seu treinador, que começou com três volantes e terminou com três zagueiros contra o time mais fraco do grupo e candidatíssimo a lanterna da chave.

O medo de ganhar chama a derrota.

Este texto, escrito por mim, foi originalmente publicado no blog “Jogo Aberto”, do Lédio Carmona

OT/Ajuda: Cachorrinho desaparecido em Porto Alegre

16 de fevereiro de 2011 1

Desculpem o espaço de Esportes para uma questão pessoal, mas conto com a compreensão dos leitores.

O Toby tem 8 anos e vive conosco desde os 45 dias!  Ele é companheirinho da minha sogra que completou 67 anos no dia 29/01.

O cachorrinho estava desde esse dia na Clínica do Veterinário e amigo da família que está arrasado, pois algum descuido a porta do canil foi aberta e o Toby se mandou.

Na grade da frente ele passava por ser pequeno, e no momento que deram falta saíram em busca dele de carro e a pé.

A clínica fica na Rua Engº José Maria de Carvalho, próximo ao Hospital Banco de Olhos, uma paralela da Av do Forte aqui em Porto Alegre!

A única explicação é que alguém tenha levado ele! Alguém que pode ter visto ele, até mesmo com um vizinho.

Qualquer ajuda é bem vinda!

Agradeço desde já! Estamos muito tristes!

Mariane Batista

51 91460714

'Mais com Menos': Análise dos reforços 2011 da dupla Gre-Nal

15 de fevereiro de 2011 3
No futebol brasileiro, a cada início de temporada cada time recebe uma dúzia de reforços. Por exemplo: em 2009 e 2010 a dupla Gre-Nal contratou 10 ou mais jogadores no primeiro semestre. Este ano ocorreu um fenômeno curioso em Porto Alegre: mesmo com a proximidade da Copa Libertadores para Grêmio e Internacional, os reforços foram em quantidade menor, mas qualidade superior. Então, a frase comum nas grandes empresas pode ser aplicada no futebol gaúcho: “Fazer mais com menos”.
Rodolfo, Escudero, Carlos Alberto, Vinícius Pacheco e Lins (Grêmio); Bolatti, Cavenaghi, Zé Roberto e Alex (Inter). Os motivos que geraram a redução nos reforços são diferentes: o Grêmio confia na base de 2010, enquanto o Inter mudou a política de futebol, apostando em jovens do time B e das categorias de base para rechear o restante do elenco.
Quem será reserva: Vinícius Pacheco é uma opção para a posição de Douglas no meio-campo gremista, enquanto Lins veio como aposta. Já Alex veio de contrapeso para o Beira-Rio na ida de Edinho para o Fluminense. Vamos a uma breve análise dos demais:
RODOLFO: mesmo sem jogar, já é o melhor zagueiro do futebol gaúcho. Léguas superior a todos no Olímpico, também é melhor que o quarteto trintão do Beira-Rio. Técnico, sabe se impor no jogo aéreo e ainda é uma arma mortal nas cobranças de falta. Melhora consideravelmente o miolo defensivo do Grêmio, ponto fraco na minha opinião com os comuns Vílson, Paulão e Rafael Marques.
ESCUDERO: uma contratação da diretoria, sobre a qual Renato Portaluppi não deu muitos palpites. Se jogar o que jogava no Vélez, será um acréscimo técnico e versátil, pois joga no meio e ataque. Contra si, as últimas duas temporadas ruins e sua notória timidez. Pode ser o companheiro de ataque do camisa 9 tricolor, ainda indefinido entre André Lima e Borges (eu prefiro o primeiro).
CARLOS ALBERTO: um negócio de ocasião para o Tricolor, que pode dar certo. Além da fama gremista de recuperar jogadores em má-fase no futebol carioca (Caju, Paulo Nunes, Jardel, Roger), o fato é que Carlos Alberto parece estar com muita vontade. Muita. Se superar o temperamento (Renato ajudará) e as lesões, pode ser uma grande arma tricolor em 2011.
BOLATTI: com o indiscutível fracasso de Wílson Mathias, caberá ao argentino esquecido na Fiorentina resolver a camisa 5. Diferentemente de Sandro, Bolatti joga mais simples, é mais eficiente no jogo aéreo, posicionamento defensivo e chutes de longa distância.
ZÉ ROBERTO: Em dezembro falei que seria uma péssima para o Inter, e em janeiro mantive a posição. Com histórico ruim fora de campo, não percebia um acréscimo de qualidade. Porém jogou muito bem nas partidas que atuou, se movimentando bastante e buscando a jogada individual, hoje exclusividade de D’Alessandro. Como Escudero, joga no ataque e no meio.
CAVENAGHI: contratado para ser o titular da camisa 9, pode acabar jogando ao lado de Leandro Damião. Foi contratado pelos gols da 2° temporada no Bordeaux e especialmente no River Plate, quando fez dupla temível com o ídolo colorado D’Alessandro (o Corinthians que o diga, na Libertadores 2004). É raçudo e tem bom chute à distância, sendo mais movediço que Damião e Alecsandro.
Os reforços colorados resolvem dois problemas: primeiro volante e ataque, mas não suprem a carência de velocidade da equipe. Já no Grêmio, o acréscimo de qualidade é na zaga e nos meias-atacantes. Falta ainda um meio-campo mais forte fisicamente para eventuais embates complicados na Libertadores.
Mas, sem dúvida alguma, as direções de Grêmio e Internacional acertaram.
Se os jogadores darão certo, não passa pelas gestões da dupla Gre-Nal.
texto originalmente publicado no Jogo Aberto – Lédio Carmona

Cavenaghi será normalmente liberado pela FIFA para jogar no Inter

11 de fevereiro de 2011 4

O Internacional está totalmente seguro a respeito da inscrição de Fernando Cavenaghi. Como disse o Vice-Presidente de Futebol Roberto Siegmann, a liberação ficou pendente em ‘amarelo’ no novo sistema de transferências online da FIFA por causa do fato de Cavenaghi estar indo para sua terceira transferência internacional em menos de um ano, depois de jogar no francês Bordeaux e no espanhol Mallorca.

Mas não existe nenhum problema, pois o artigo 5, parágrafo 3 do Regulations on the Status and Transfer of Players (2008) exemplifica exatamente o caso de Cavenaghi. O texto abaixo s ele explicita a situação de jogadores que trocaram calendário europeu pelo calendário sul-americano, do Leste Europeu ou ainda do futebol asiático.

Vejam o artigo original: “Players may be registered with a maximum of three clubs during  one season. During this period, the player is only eligible to play official matches for two clubs. As an exception to this rule, a player moving between two clubs belonging to associations with overlapping seasons (i.e. start of the season in summer/autumn as opposed to  winter/spring) may be eligible to play in offi cial matches for a third club during the relevant season, provided he has fully complied with  his contractual obligations towards his previous clubs.

A pedidos, tradução livre: “Os jogadores só podem ser registrados em até três clubes durante uma só temporada. Durante este período, o jogador só é elegível para atuar emd ois clubes. Como exceção para esta regra, uma transferência envolvendo clubes de associações com calendários simultâneos (com início de temporada no verão/outono em oposição a inverno/primavera) pode ser elegível para atuar em um terceiro clube durante a temporada, desde que ele tenha cumprido integralmente as obrigações contratuais com seus clubes anteriores”.

Como o sistema da FIFA agora é automático, mostrou o “warning” (alerta) na transferência.

Mas sem nenhum risco de ‘melar’.

VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS:

Gaúcho de Passo Fundo: o retrato de um lutador agonizante

08 de fevereiro de 2011 1

Vejam a comovente história atual do Gaúcho de Passo Fundo, um dos mais tradicionais clubes do interior do estado, foi espetacularmente contada pelos jovens Iuri Müller e Maurício Brum para o blog Impedimento.

Para ilustrar isto, vejam uma foto do estádio Wolmar Salton em Passo Fundo: uma FLORESTA.

A floresta, outrora gramado do Wolmar Salton - Cedido pelo S. C. Gaúcho

A floresta, outrora gramado do Wolmar Salton – Cedido pelo S. C. Gaúcho

MATÉRIA COMPLETA:

Los de Abajo – S.C. Gaúcho

Time gaúcho de Futebol Americano está fazendo seleção de atletas! Participe!

03 de fevereiro de 2011 0
Alô fãs de futebol americano: o Porto Alegre PUMPKINS está fazendo uma seleção de novos atletas para a temporada 2011. Eu, como fã incondicional e praticante do esporte, faço questão de fazer esta divulgação.
O “Try Out” será nos dias 12 e 19 de fevereiro no Parque Marinha do Brasil, campo principal que fica exatamente na frente do Shopping Praia de Belas às 15h. Para participar, basta preencher a ficha de inscrição no site http://www.poapumpkins.com.br com seus dados pessoais e aptidões para o esporte. Maiores detalhes com o Anderson Fauri pelo e-mail anderson_fauri@yahoo.com.br ou pelo telefone: 51-9106-0440. “
Neste momento, o time está de férias mas retomará os treinos para a disputa do 2º Campeonato Brasileiro de Futebol Americano.

Porto Alegre PUMPKINS Try OutNeste momento, o time está de férias mas retomará os treinos para a disputa do 2º Campeonato Brasileiro de Futebol Americano.