Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 24 março 2011

OPINIÃO: Oscar se afirma em vitória fácil do Inter

24 de março de 2011 1

Com vários desfalques, o Internacional montou um time misto e conseguiu uma importante vitória de 1×0 sobre o São José pela Taça Farroupilha do Gauchão 2010. Depois de um primeiro tempo fraco, o time de Celso Roth perdeu muitos gols no segundo tempo, mas não correu risco algum de sofrer o empate. O São José, de ótima campanha no primeiro turno, desandou e não teve uma única chance no jogo inteiro.

Dentro da grama sintética do Passo d’Areia, Oscar teve uma ótima atuação e segue cementando seu espaço no time. Comandou a maioria das jogadas de ataque, concluiu diversas vezes e ainda ajudou na marcação. Aos 19 anos, segue em nítida evolução técnica e pode se tornar um dos destaques do futebol brasileiro em 2011. Foi importante em um jogo no qual o Inter se ressentiu da ausência dos poupados Kléber e Nei, suspenso Rodrigo, selecionável Leandro Damião e Bolatti e dos lesionados D’Alessandro e Bolívar.

Graças à falta de atenção da FGF na montagem da tabela do Gauchão, pelo quarto ano seguido o Inter jogou contra o São José no Passo d’Areia, enquanto o Grêmio só enfrentou o mesmo adversário no Olímpico. Mesmo erro que fez o Inter jogar seis vezes seguidas contra times de Santa Cruz do Sul(Santa Cruz e Avenida) no Beira-Rio desde 2008, já analisado no Almanaque em 2010. Passou da hora de uma revisão urgente na área técnica na entidade.

Um imenso e absoluto nada. Assim se resumem os primeiros 20 minutos no gramado artificial do Passo D’Areia, até Cavenaghi girar e chutar cruzado, quase marcando o primeiro gol do jogo. Depois tudo continuou na mesma, mesmo com o São José tendo um gol corretamente anulado por impedimento do bom lateral-direito Suéllinton.

Gradualmente, o Colorado foi assumindo o controle das ações, mesmo com a absoluta ausência de jogadas pelo flanco. Se Daniel notadamente já mostrou suas limitações, Juan outra vez deixou claro que é um promissor zagueiro, mas é um crime colocá-lo na lateral. Talvez por isto, o Internacional esteja praticamente acertado com o lateral-esquerdo Fabrício, da Portuguesa em abril.

Quando nada parecia ocorrer, em uma jogada fortuita o Inter saiu na frente. O
Zequinha estava com 10 em campo, já que o zagueiro Gustavo sentiu batida de cabeça e estava sendo atendido. Daniel rolou na entrada da área e Andrezinho, de péssima atuação até então, fez 1×0 em um chute seco. E foi isto que ocorreu no primeiro tempo.

Já a etapa complementar começou diferente, com o Inter pressionando e o Zequinha dando mais espaços. Índio de cabeça e depois Oscar, arrancando da intermediária de defesa, perderam ótimas chances de ampliar. À esta altura, já era o melhor em campo. Ele de novo aos 25 chutou por cobertura e quase marcou.

Esforçado, mas com pouco resultado em campo, Cavenaghi começou a jogar bem, primeiro em uma jogada individual, chute forte e boa defesa de Rafael, e depois em um belíssimo voleio com uma espetacular defesa do goleiro do São José. Nos últimos 15 minutos, após a entrada de Rafael Sóbis no lugar do apagado Zé Roberto, o Inter ainda teve outras chances, mas não conseguiu ampliar. Em especial, Cavenaghi perdeu dois gols feitos e segue no zero em Porto Alegre.

O Inter venceu depois de dois jogos, mostrou bom futebol e ficou perto das finais.
O São José ficou com poucas chances de passar de fase.

E Oscar segue arrumando um (bom) problema para Celso Roth: tirá-lo do time como?

Post originalmente postado no “Jogo Aberto”, do Lédio Carmona