Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Suicídio de treinador abala futebol europeu: veja outros casos

27 de novembro de 2011 1

Gary Speed, ídolo do Leeds United e Newcastle United e atualmente treinador de País de Gales, se suicidou neste domingo. Um dos recordistas de jogos da história da Primeira Divisão Inglesa, Speed se enforcou em casa em um incidente que chocou o futebol europeu neste final de semana. Não existem ainda informações sobre um período depressivo do treinador, que vinha fazendo um ótimo trabalho recentemente pela seleção de seu país. De 42 anos, Speed deixa mulher e dois filhos.

Vejam o emocionante ‘minuto de silêncio’ no jogo Swansea City x Aston Villa, curiosamente um jogo em solo galês, no qual os torcedores, ao invés do magnífico silêncio sepulcral, cantaram “There is only one Gary Speed“: http://news.bbc.co.uk/sport2/hi/football/15910765.stm

Este lamentável fato nos faz lembrar outros casos famosos, todos muito ligados à depressão clínica. No futebol brasileiro, o mais famoso é do goleiro Carlos Castilho, lenda do Fluminense e que se matou em 1987. A Alemanha ficou chocada com o suicídio do goleiro Robert Enke, da Seleção Alemã e do Hannover, que se atirou na frente de um trem em 2009.

O futebol latino-americano lamentos as perdas de Raimundo Tupper (Seleção do Chile, Universidad Catolica), Lester Morgan (Seleção da Costa Rica) e de Ramiro Castillo (Seleção da Bolívia, Bolívar). Também vale ressaltar o espanhol Joan Gamper, o catalão jogou e que fundou três times: os suíços Basel e Zurich, e o gigantesco espanhol Barcelona.

A própria Inglaterra lembra-se dolorosamente do suicídio do atacante nigeriano Justin Fashanu (Norwich City, Notts County e Nottingham Forest), o primeiro jogador gay publicamente assumido enquanto atleta, que se suicidou após ser acusado (sem provas concretas) de ter cometido estupro em um menor, além de Dave Clement (Seleção da Inglaterra e Queens Park Rangers). Os escoceses Hughie Gallacher (Seleção da Escócia, Airdrie, Newcastle United ) e Erich Schaedler (Seleção da Escócia, Hibernians); e o italiano Agostino di Bartolomei (Roma e Milan) são outras trágicas lembranças.

Um tributo ao ótimo Gary Speed:

Comentários (1)

  • Jean Corrales diz: 27 de novembro de 2011

    Perin, outro caso bastante famoso no país vizinho, Uruguai, é o do jogador Abdón Porte, do Nacional, em 1918. Ele estava ameaçado de ir pra reserva em virtude de um talento que despontava pra titularidade. Como não concebia ficar sem defender seu clube de coração (sim, naquela época ainda existia o amor à camisa), saiu da sede do clube (onde estava acontecendo um jantar festivo) e seguiu rumo ao Gran Parque Central, onde, no meio do campo, se matou com um tiro no peito. Uma das tribunas do estádio ganhou o seu nome e, nesta tribuna, hoje se reúne a barra brava do Nacional, La Banda Del Parque, nos jogos da equipe.

Envie seu Comentário