Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 9 janeiro 2012

NFL Playoffs: o nascimento de uma lenda? Tim Tebow entra para a história

09 de janeiro de 2012 0

Neste final de semana foi disputada a primeira fase dos playoffs da NFL, a Liga de Futebol Norte-Americano. Os favoritos New Orleans Saints, Houston Texans e New York Giants (meu time) venceram sem dificuldades respectivamente Detroit Lions, Cincinatti Bengals e Atlanta Falcons. Faltava o último jogo, e todos os prognósticos apontavam para um vitória do visitante Pittsburgh Steelers contra o Denver Broncos, em seu primeiro jogo de pós-temporada em muitos anos.

E a zebra imperou neste jogo, com vários recordes e somente decidido na prorrogação. Com uma atuação surpreendente liderada por um quarterback (QB) discutido, os Broncos venceram por 29 a 23 na primeira jogada do tempo extra e estão na semifinal de Conferência, quando enfrentarão o temível New England Patriots (de Tom Brady) fora de casa.

Mesmo como visitante, os Steelers se baseavam na forte defesa (a melhor da temporada regular) e no ótimo quarterback, o temperamental e heróico Ben Roethlisberger, famoso pela raça em campo (já jogou lesionado muitas vezes) e por polêmicas fora de campo: sofreu um acidente de moto e quase morreu, depois foi acusado duas vezes, e inocentado em ambas, de estupro. Campeão duas vezes do SuperBowl (em 2004 e 2007), “Big Ben” tem muitos dos melhores números do esporte em todos os tempos. Foi também o melhor estreante de todos os tempos, completando 13 vitórias em 13 jogos na temporada regular, ainda em 2004.

Do outro lado, o Denver Broncos, com campanha fraca e que tem como principal estrela o jovem Tim Tebow. Quarterback reserva, barrou Kyle Orton depois de um início ruim e levou seu time a impressivas seis vitórias consecutivas, quase sempre decididas nos segundos finais. Na reta final, perdeu três jogos e teve atuações bem ruins, e as contestações iniciais sobre seus números chegaram ao ápice.

Tim Tebow agradecendo aos céus - O cara do momento na NFL -> Foto reprodução site oficial http://www.timtebow.com

Isto porque o estilo de Tebow é baseado em muitas corridas, algo raro para um QB, e passes não tão bons, essência de um jogador desta posição. Com números bem ruins em jogadas aéreas, os Broncos se sobressaem no jogo corrido e o próprio Tebow fez muitos touchdowns (TD) ao longo da temporada. Eu, confesso, não gostei dos primeiros jogos de Tebow.

Porém os números são indiscutíveis: o garoto tem estrela! Em todas as vitórias dos Broncos com ele no comando, Tebow fez jogadas espetaculares no último quarto, depois de um primeiro tempo bastante ruim. Ele mesmo resolveu três jogos, conquistando pontuações da vitória nos segundos finais.

Sua forte religiosidade, orando após cada jogada importante (aos 24 anos, Tebow está ‘se guardando’ para o casamento) também tem causado comentários. Ele já tem uma ONG em prol dos necessitados e gasta boa parte do tempo livre em ações assistenciais.

Ontem, quando a maioria (eu incluso) esperava uma lavada dos Steelers (atuais vice-campeões da Liga), tudo deu errado. Depois de dois field goals (FG), os Steelers venciam por 6×0 no segundo quarto. Tebow acertou três passes de mais de 40 jardas e levou seu time a dois TD’s e dois FG só no segundo quarto, virando para extraordinários 20×6 em favor dos Broncos.

Mesmo com uma notável lesão no tornozelo de Big Ben, os Steelers reagiram no segundo tempo e fizeram 17 pontos, contra apenas 3 dos Broncos. Nos segundos finais, o time visitante teve a chance de vencer, mas uma punição e um snap errado tiraram a chance de um FG e levaram o jogo para a prorrogação, 23 a 23.

O Denver ganhou o sorteio do primeiro tempo extra desde a adoção de novas regras, que deixam menos “morte súbita” a prorrogação. Porém uma das exceções é um time marcar um TD.

E, no primeiro passe depois do chute de kickoff, Tebow acertou um passe de 80 jardas para Demaryius Thomas, que arrancou a “endzone”, garantindo a vitória dos Broncos e uma noite de festa em Denver, no Colorado. Foi o passe mais longo da história da NFL a decidir uma prorrogação, que também foi a mais curta de todos os tempos (durou 11 segundos).

http://www.nfl.com/videos/auto/09000d5d825d5408/GameDay-Steelers-vs-Broncos-highlights

Ao final do jogo, Tebow que só havia completado 6 de 22 passes no último jogo, para ridículas 60 jardas, conquistara 316 jardas em 10 de 21passes, para dois TD e um TD correndo. Sua média de 11 jardas no 2° quarto se transformou para 126! Isto sem contar que o Broncos fez 20 pontos neste mesmo quarto, contra 33 no 2° quarto ao longo de toda a temporada somada.

Provavelmente na próxima semana, contra Tom Brady um dos 10 maiores quarterbacks de todos os tempos, o “sonho” de Tebow e dos Broncos deve acabar. Os Patriots são um time mais experiente, qualificado em todos os setores e com melhores opções ofensivas, sempre comandado pelo maridão da brazuca Gisele Bundchen. Só que, ao contrário do vôlei, o futebol americano é um esporte no qual a zebra ocorre tanto quanto no seu homônimo mais famoso. Nada é garantido.

O que ocorreu no intervalo de uma semana para uma mudança tão radical? Não sei, mas talvez as sábias palavras de John Elway, lenda dos Broncos e hoje dirigente do clube, possam ajudar a esclarecer. O bicampeão do Super Bowl, no Hall da Fama do esporte e (tão bom que o rival Roethlisberger usa a camisa sete em sua homenagem, declarou em apoio ao seu atleta após a semana conturbada: “Tebow, aperte o gatilho”.

O resultado? Todos vimos ontem na gélida noite em Denver.

O milagre pode se repetir… Veremos semana que vem!