Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

GAUCHÃO 2013: Campanha por um campeonato verdadeiramente gaúcho!

21 de março de 2012 10

O Almanaque Esportivo está entrando de cabeça em uma campanha por uma mudança radical no futebol do Rio Grande do Sul. Há algumas semanas, foi proposto pelos guapos do blog Toda Cancha e apoiado pelos mestres do blog Impedimento e por mim, um calendário diferente para o estadual do RS. O texto abaixo foi retirado do Blog Impedimento e o movimento busca uma conversa com Francisco Noveletto, presidente da Federação Gaúcha de Futebol, para expor nossa idéias e rejuvenescer o futebol do nosso interior, fortalecendo as rivalidades locais e pluralizando o acesso a todas as regiões do estado.

Um campeonato verdadeiramente gaúcho

Há algum tempo temos acompanhado discussões em sites com adeptos do futebol do interior gaúcho acerca de um calendário que permitisse aos clubes pequenos jogar futebol o ano inteiro. Atualmente é comum ver alguns clubes jogarem por quatro meses e fecharem seu departamento de futebol, seja por falta de verba, seja por falta de perspectivas. Aproveitando os mais diversos comentários, o Toda Cancha passou a construir um esboço de um calendário para o futebol gaúcho que agradasse à Dupla Gre-Nal – é preciso sempre levar em consideração sua grandeza – e aos clubes pequenos – que forjaram, ao longo de um século, a identidade do futebol gaudério. A proposta foi feita em cima do “ano” 2013/2014, pois seria quando essa hipótese pudesse, de fato, ser concretizada.

Após muito gritaria, chegamos ao que está detalhado abaixo. Um calendário com três competições: Gauchão – Fase Preliminar, Gauchão – Fase Final e Copa RS. Principal torneio do futebol do Rio Grande do Sul, o Gauchão é desmembrado em dois. Na primeira parte, uma proposta semelhante ao que acontecia até 1960 no Estado: 5 grandes zonais. Não haveria mais Segunda ou Terceira divisões e, sim, um campeonato que contemplasse todos os clubes em atividade e que os permitisse chegar ao título gaúcho no ano seguinte, disputando com quem estivesse nas Séries A, B ou C do Brasileirão. Na segunda parte, os campeões zonais disputariam, de fato, o título gaúcho com os “grandes” do Estado.

Procuramos aumentar a pré-temporada para mais de três semanas – e amenizar a choradeira de alguns – e fazer uma proposta com turno e returno e uma finalíssima, para que nenhum clube se desmotivasse e os “pequenos” pudessem enfrentar a Dupla Gre-Nal em seus estádios, além de realizar mais jogos em suas casas. A terceira competição da nossa proposta seria a Copa RS, com os clubes que não conseguiram vagas na Fase Final do Gauchão – novamente divididos em zonas.

Na Segunda Fase entrariam os “eliminados” do Gauchão Fase Final, propiciando uma segunda chance para que os “pequenos” chegassem à Série D, à Copa do Brasil e ao Gauchão – Fase Final. Embora não tenhamos nenhum estudo econômico acerca desse esboço, acreditamos que a regionalização permitirá a redução de custos, a fomentação de velhas e novas rivalidades, interesse da cobertura televisiva – colocamos os jogos dos times interioranos às segundas e sextas porque não há jogos dos “grandes”, e aos sábados para facilitar a vida do torcedor – e chance de todos ambicionarem o título gaúcho e tirarem uma casquinha da Dupla Gre-Nal. CALENDÁRIO – 2013/2014

Gauchão – Fase Preliminar: 5 grupos com turno e returno, disputados por clubes que não estejam nas Séries A, B ou C. Os campeões de cada turno fazem as finais das zonais. O único imbróglio envolve as duas equipes que disputarão a Série D. Nossa proposta é que caso a equipe seja eliminada até a Segunda Fase, ela dispute o Segundo Turno de sua Zonal. Caso avance até à Terceira Fase da Série D, mas não consiga o acesso, dispute um triangular com os campeões de sua zonal. Utilizamos, para exemplificar, as equipes que estiveram em atividade nas diferentes divisões do Campeonato Gaúcho em 2011 (com exceção do já CLAUSURADO Porto Alegre).

* Os nomes das zonas são meramente ilustrativos. Note ainda que as equipes de Passo Fundo e Carazinho, por questões de tradição e proximidade geográfica, tendem a ficar não no grupo da Serra, mas no da Campanha. A questão aqui é exemplificar a economia de distâncias de uma fórmula regionalizada. No caso do Ypiranga de Erechim, mesmo DESLOCADO, ele percorreria muito menos quilômetros do que faz no Gauchão atual (nos jogos fora de casa, entre ida e volta, seriam em média 429 km/jogo, contra 711 km/jogo feitos atualmente). Em relação ao São Luiz de Ijuí, hoje a equipe mais isolada geograficamente da primeira divisão, e que neste exemplo é colocada num grupo realmente regional, as distâncias percorridas cairiam a menos de um terço do que são hoje: cerca de 208 km/jogo contra os atuais 750 km/jogo.

Abaixo, o mapa do Gauchão atual e o mapa do Gauchão proposto:

O calendário:

JULHO

12-13: Início da Gauchão – Fase Preliminar
19-20: 2ª rodada do Gauchão
26-27: 3ª rodada do Gauchão

AGOSTO

2-3: 4ª rodada do Gauchão
9-10: 5ª rodada do Gauchão
16-17: 6ª rodada do Gauchão
23-24: 7ª rodada do Gauchão
30-31: 8ª rodada do Gauchão

SETEMBRO

6-7: 9ª rodada do Gauchão (Final do 1º Turno)
13-14: 10ª rodada do Gauchão
20-21: 11ª rodada do Gauchão
27-28: 12ª rodada do Gauchão

OUTUBRO

4-5: 13ª rodada do Gauchão
11-12: 14ª rodada do Gauchão
18-19: 15ª rodada do Gauchão
25-26: 16ª rodada do Gauchão

NOVEMBRO

1-2: 17ª rodada do Gauchão
8-9: 18ª rodada do Gauchão (Final do 2º Turno)
15: Primeiros jogos das finais zonais
22: Segundos jogos das finais zonais

Gauchão – Fase Final: disputado por 10 times em dois turnos. Os campeões de cada turno fazem a final. Vaga cativa: quem estiver nas Séries A, B ou C e eventual rebaixado à Série D. Juntam-se a eles os campeões regionais da primeira fase e o campeão e vice da Copa RS.

Caso o número de gaúchos nas três principais divisões brasileiras aumente, o número de participantes pode ser modificado – até 12 – assim como sua forma de disputa – dois grupos com turno e returno.

Os dois melhores colocado fora a Dupla Gre-Nal garantem vagas na Copa do Brasil do ano seguinte. O melhor colocado sem divisão conquista uma vaga à Série D e os demais eliminados entram na Segunda Fase da Copa RS (ver abaixo).

JANEIRO

1-23: pré-temporada
24-25: começo do Gauchão
29-30: 2ª rodada do Gauchão

FEVEREIRO

1-2: 3ª rodada do Gauchão
5-6: 4ª rodada do Gauchão
8-9: 5ª rodada do Gauchão
12-13: 6ª rodada do Gauchão
15-16: 7ª rodada do Gauchão
19-20: 8ª rodada do Gauchão
22-23: 9ª rodada do Gauchão (final do 1º turno)

MARÇO

1-2: 10ª rodada do Gauchão
5-6: 11ª rodada do Gauchão
8-9: 12ª rodada do Gauchão
15-16: 13ª rodada do Gauchão
22-23: 14ª rodada do Gauchão
26-27: 15ª rodada do Gauchão
29-30: 16ª rodada do Gauchão

ABRIL

2-3: 17ª rodada do Gauchão
5-6: 18ª rodada do Gauchão (final do 2º turno)
13: Primeiro jogo da final do Gauchão
20: Segundo jogo da final do Gauchão

Copa RS: 5 grupos com turno e returno dentro das chaves regionais lá de cima.

Passam os 3 melhores de cada chave + os 3 melhores 4º colocados em aproveitamento. Os campeões de cada grupo levam 1 ponto de bonificação à Segunda Fase.

Repescagem: 15 equipes desclassificadas da Primeira Fase. Dividem-se em 4 grupos; três com 4, um com três. Turno e returno e o campeão de cada grupo avança ao Mata-Mata

Segunda Fase: 18 equipes da Primeira Fase + 6 “eliminados” do Gauchão. Essas 24 equipes formam 6 grupos de 4, onde jogarão em turno e returno, passando os 2 melhores por grupo ao Mata-mata. Os cabeças-de-chave serão os campeões dos grupos da primeira fase e o “melhor eliminado” do Gauchão – que também leva 1 ponto de bonificação.

Mata-mata: 4 da Repescagem + 12 da Segunda Fase. Matam-se, em ida e volta, até sair o campeão, que irá à Série D. E tanto o campeão quanto o vice garantem vagas na Copa do Brasil e na Fase Final do Gauchão

FEVEREIRO

31-1: Início da Copa RS
3-4: 2ª rodada da Copa RS
7-8: 3ª rodada da Copa RS
10-11: 4ª rodada da Copa RS
14-15: 5ª rodada da Copa RS
17-18: 6ª rodada da Copa RS
21-22: 7ª rodada da Copa RS
24-25: 8ª rodada da Copa RS

MARÇO

28-1: 8ª rodada da Copa RS
3-4: 9ª rodada da Copa RS
7-8: 10ª rodada da Copa RS
10-11: 11ª rodada da Copa RS
13-14: 12ª rodada da Copa RS
17-18: 13ª rodada da Copa RS
21-22: 14ª rodada da Copa RS
24-25: 15ª rodada da Copa RS
28-29: 16ª rodada da Copa RS

ABRIL

31-1º: 17ª rodada da Copa RS
4-5: 18ª rodada da Copa RS (Final da Primeira Fase)
11-12: Início da Segunda Fase e da Repescagem
18-19: 2ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
25-26: 3ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem

MAIO

2-3: 4ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
9-10: 5ª rodada da Copa Segunda Fase e da Repescagem
16-17: 6ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem (Final de ambas as fases)
23-24: Oitavas-de-Final (ida)
30-31: Oitavas-de-Final (volta)

JUNHO

6-7: Quartas-de-Final (ida)
13-14: Quartas-de-Final (volta)
16-17: Semi-final (ida)
20-21: Semi-final (volta)
24: Final (ida)
28: Final (volta)

Assina a redação do Toda Cancha (assina embaixo a do Impedimento e mais abaixo ainda o Almanaque Esportivo)

Comentários (10)

  • Gilberto diz: 21 de março de 2012

    Parece ser uma ideia bem melhor do que a do atual calendário, inclusive, para a própria dupla GRENAL… Para o público que gosta de futebol, seria bem interessante ter alternativas de jogos às segundas e sextas na TV.

  • Delcy diz: 21 de março de 2012

    alexandre, grande análise… concordo plenamente com isso… mas acho difícil que as pessoas que decidem concordem… a ideia não teria partido deles… parabéns!

  • Delcy diz: 21 de março de 2012

    alexandre, grande análise… concordo plenamente com isso… mas acho difícil que as pessoas que decidem concordem… a ideia não teria partido deles… parabéns!

  • snascentef diz: 22 de março de 2012

    Eu acredito que essas competições não precisam da dupla grenal, acho que criar um campeonato gaúcho forte, sem a dupla e que durasse o ano inteiro não seria má ideia.

  • Samuel diz: 22 de março de 2012

    apoiado.

  • cleber santana diz: 22 de março de 2012

    Notei, por cima, que esqueceram do Caxias.
    A ideia central é fazer com que os clubes joguem todo o ano. Ou seja, mesmo que a equipe seja a última em qualquer destas fases, estará sempre jogando.
    Esqueceram da Copa do Brasil e da Libertadores que possuem jogos coincidentes com a fase quente do Gauchão.
    E o mais importante: olharam para o interior e esqueceram, como sempre, da dupla GreNal, que continuará sobrecarregada, jogando quarta e domingo.
    O torneio diminuirá o número de participantes, mas o número de jogos continuarão praticamente os mesmos.
    E, uma semana a mais na preparação não é lá grande coisa.
    Mirem-se no campeonato mineiro, que possui 12 equipes e os jogos são somente aos domingos.
    Na verdade, piorou para a Dupla GreNal, que é o carro chefe do campeonato. Com esta proposta, os clubes do interior continuarão mandando no gauchão, pois Grêmio e Inter colocarão seus times reservas, etc, já que o torneio terá jogos as quartas e aos domingos, como eu já frisei.
    Para a dupla, que não foi contemplada nesta mudança, e este não era o objetivo, restará jogar com os titulares somente para aprimorar o conjunto, pois, com esta fórmula, todo jogo será decisivo.
    Vocês fizeram o bolo e esqueceram o recheio.

  • cleber santana diz: 22 de março de 2012

    Ah, esqueci de uma coisa que é fundamental. Se não houver público, ou melhor, se o “espetáculo” der prejuízo, toda esta fórmula será em vão.
    Eu desconfio que a FGF não faça algo semelhante, justamente por causa disto. Renda, público são fundamentais para se ter sucesso.

  • Leandro diz: 11 de outubro de 2012

    Acho que o campeonato deve continuar do jeito que está mas deveriam ter menos clubes: 12
    Duas chaves de 6 com Taça Farroupilha e Piratini, o modelo atual é bom mas tem muitos clubes
    Já a Copa FGF (RS) deveria ser o ano todo e sem a dupla grenal. Deveria dar vagas pra série D e Copa do Brasil ao campeão.
    Copa do Brasil
    3 melhores Gauchão+campeão Copa FGF
    Série D
    melhor Gauchão+campeão Copa FGF
    o Acesso poderia ser pela Copa FGF, pelo desempenho das equipes que não disputaram a divisão principal.

  • leo diz: 11 de outubro de 2012

    Chave 1:
    Grêmio
    Juventude
    Brasil (PE)
    Esportivo
    Santa Cruz
    Cerâmica
    Chave 2
    Internacional
    Caxias
    Pelotas
    Passo Fundo
    Novo Hamburgo
    Canoas

  • LEONEL NEIDE FERREIRA diz: 4 de maio de 2013

    PARABÉNS. ESTÃO RECLAMANDO DA SOBRECARGA DA DUPLA GRE-NAL, QUE A DUPLA É O CARRO CHEFE DO CAMPEONATO GAÚCHO… TUDO BEM. CADA UM DEFENDE SEU LADO. AO CONTRÁRIO DA DUPLA, ALGUNS CLUBES DO INTERIOR FICAM MUITO TEMPO EM INATIVIDADE. ALÉM DO MAIS, A QUESTÃO DA QUALIDADE DAS EQUIPES, É PREJUDICADA PELA DESCONTINUIDADE E FALTA DE RECURSOS. MUITAS PESSOAS DO INTERIOR AJUDAM MAIS A DUPLA DO QUE O CLUBE DA PRÓPRIA CIDADE. SEI LÁ.CADA UM FAZ O QUE QUER COM SEU DINHEIRO. MAS A IDÉIA DE MANTER OS CLUBES EM ATIVIDADE O ANO INTEIRO, FARÁ SURGIR MAIS NOVOS TALENTOS E REDUZIRÁ A ROTATIVIDADE E DESEMPREGO DOS PROFISSIONAIS DO FUTEBOL. TORÇO PARA QUE ESTA IDÉIA SE PROPAGUE PELO PAÍS INTEIRO.ESTE NEGÓCIO DO PROFISSIONAL TRABALHAR ALGUNS MESES E FICAR O RESTANTE DO ANO DESEMPREGADO, FAZ COM QUE MUITAS PESSOAS MUDEM DE PROFISSÃO.

Envie seu Comentário