Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2012

Post do Leitor: Equipe Inglesa goleia por 58x0 em torneio amador

30 de março de 2012 0

Imagina seu time vencer por 58×0? Foi isto que vimos em uma liga amadora da Inglaterra, vitória do Wheel Power FC de 58×0 sobre o Nova 2010 FC, pela Torban Sunday League no condado de Devon. O leitor Marcio Victoria mandou a notícia para mim e resolvi postar no Almanaque Esportivo.  Superou o 55×0 do Llogan sobre o Madron, em 2010.

O Nova, vice-lanterna da Torban Sunday League com 4 vitórias e 14 derrotas, 38 gols a favor e 227 gols contra, chegou dizimado à partida. Só cinco jogadores apareceram, e de última hora mais quatro foram obtidos. Com dois a menos o jogo inteiro, sem entrosamento, o desastre foi evidente.

Algumas curiosidades do jogo:

  • No primeiro tempo já foi 20×0. Mais 38×0 no 2º tempo.
  • Stuart e Robbie Bowker, irmãos, fizeram 28 gols (18 por Robbie e 10 Stuart).
  • Quando o placar ficou em 50×0, os jogadores queriam encerrar a partida, mas o árbitro ameaçou os mesmos de serem multados se não fossem até o final do jogo.
  • O Nova só deu um chute a gol, do meio-campo, de uma saída de gol.
  • Um gol a cada 90 segundos, praticamente.
  • Ao final do jogo, envergonhados, os derrotados nem confraternizaram e foram imediatamente para casa.

O Wheel Power já havia goleado o Applebys, lanterna da competição, por 30×0 e 27×0. Já o Nova FC 2010 deu uma melhoradinha na rodada seguinte, perdendo “apenas” de 28×1 do Spartans no último domingo.

Foto do time vencedor:

Wheel Power FC, venceu por 58x0 em liga amadora - Reprodução DailyMail: http://www.dailymail.co.uk/news/article-2118755/Wheel-Power-FC-wins-58-0-Devon-Sunday-league-team-Nova-2010-FC-sets-unwanted-record.html

Os melhores blogs de Esportes: Un café con Serena

26 de março de 2012 0

Serena Navarrete é uma venezuelana viciada em automobilismo, em especial Fórmula-1. Conheci esta simpática pessoa através do twitter (@SerenaRF1) por indicação do grande português Paulo Alexandre Teixeira (@Speeder76), que há anos mantém o já lendário Continental Circus, que também aparecerá neste espaço de divulgação. Ela é autora do blog Um Café com Serena”, no qual fala sobre a categoria máxima do esporte.

Blog Un Café con Serena - Reprodução

Porém ela não se limita a falar sobre as corridas, tampouco a assistir “in loco” os Grandes Prêmios. Serena disserta sobre o que lhe vem à cabeça, desde política, cultura, civilização (leiam este ótimo texto sobre o Rio de Janeiro, escrito dia 1º de janeiro deste ano). Aliás, ela  mora no Brasil e é daí que esta entrevista começa:

Almanaque: Olá, Serena, tudo bem? O que fez uma venezuelana deixar o Caribe para morar no Rio de Janeiro?

Serena: Obrigada pela atenção que me brinda. A gente tinha uma boa oferta de trabalho e devido às condições politicas e sociais na Venezuela hoje em dia, apresentava-se como uma boa oportunidade.

Almanaque:Você trabalha com jornalismo esportivo, ou é um hobby para ti?

Serena: Na verdade é um hobby, mesmo porque sempre quis estudar jornalismo e fazer especialização na matéria de esporte.

Almanaque: De onde partiu a inspiração de escrever em um blog sobre automobilismo?
Serena: Eu já havia escrito em algumas oportunidades para conhecidos na Espanha e Venezuela. Eles me apoiaram a escrever meu próprio blog. Naquele instante eu fiquei receosa, entretanto eles mesmos coordenaram o setup do blog. Como eu aprecio muito café, achamos que era um nome apropriado, E o blog existe graças a esta equipe magnífica que sempre me apoiou.

Almanaque: Desde quando acompanhas o esporte?

Serena: Eu acompanho o esporte desde 1983.

Almanaque: E como tu enxergas tua visão no automobilismo, no qual a presença feminina é ainda menor do que em outros esportes?

Serena: Bom, desde o início da existência da humanidade, o homem sempre desejou demonstrar superioridade sobre a mulher, e acredito que por essa mesma razão a presença feminina é infinitamente menor no mundo a motor, mesmo que seja fascinante para ambos os sexos. Nos dias de hoje, em que o automobilismo envolve tanto dinheiro, segurança ao espectador e ao piloto (mesmo que isto falte em outras categorias) ainda apresenta muitas limitações, coisa que os seguidores atuais da F1 já se acostumaram, mas sinto saudades dos motores turbos. Infelizmente também tenho que mencionar os custos envolvidos entre o piloto, escuderia e talento.

Almanaque: Quantos GP’s você já assistiu presencialmente?

Serena: Só dois: os Grande Prêmios do Brasil em 2010 e 2011

Serena e o coração venezuelano no GP do Brasil de 2011 - Foto: Arquivo Pessoal

Almanaque: Tens o sonho de assistir a algum GP em especial fora do Brasil?

Serena: Com certeza, o Grande Prêmio de Monza é um sonho de todo espectador e amante do esporte a motor, Também o Grande Prêmio da Bélgica, acho que Spa-Francorchamps deve ser um privilégio, assim como Canadá e Mônaco.  Depois disso eu poderia morrer satisfeita.

Almanaque: Como enxergas a atual temporada?

Serena: Até agora a temporada só teve duas corridas, mas elas já demonstram que a briga deste ano vai ser boa, sem aquela coisa do monopólio por uma equipe. Pilotos que vão ter que demonstrar se na verdade eles são bons quanto mostravam, só que agora sem ter o melhor carro no grid.
Almanaque: Quem são os teus favoritos e preferidos?

Serena: Na atual temporada nunca ocultei o meu favoritismo por Alonso, agora com a volta de Kimi Raikkonen também fico de olho. O Jenson Button tem uma maturidade na categoria impressionante, O Sergio Perez e Bruno Senna. Mas posso citar outros grandes nomes que a gente não esquece nunca, como o Juan Manuel Fangio,,Ayrton Senna, Niki Lauda, Mario Andretti, Alain Prost, Jack Braham e o antigo Schumacher.

Almanaque: Finalizando, fora das pistas, como você enxerga o momento do Brasil e de sua Venezuela?”

Serena: O Brasil vive um momento maravilhoso, tem muito crescimento econômico, muito investimento. Tomara que a politica tome consciência também de investir na educação e infraestrutura. A Venezuela já vivenciou tudo isto, só que os políticos e as suas políticas nunca preocuparam-se com o povo que tinha menores recursos.O resultado do pais é o governo que hoje temos. Um país focado só para as rendas petrolíferas, o turismo não faz parte dos planos da economia. A matéria prima é quase toda importada e, alem disso o governo fica destruindo a empresa privada e acabando com as chances de gerar emprego.

Então por hoje é isto. Na próxima semana, o blog “Carta na Manga”, de opiniões fortes e centradas sobre o futebol gaúcho, brasileiro e mundial.

F1-2012 - GP da Malásia: Alonso tira mais um coelho e Pérez brilha de novo!

26 de março de 2012 0

O GP da Malásia começou, para variar, com chuva. Afinal, qualquer pessoa com alguma cultura geral sabe que no final da primavera o vento vira e passa a soprar do mar para o continente nesta região (a Ásia de Monções) e as chuvas são extremamente frequentes no final de tarde. Mas como o Tio Bernie Ecclestone não está nem aí, tivemos uma corrida de 10 voltas, bandeira vermelha por 1h10min, e retorno da ação na sequência, com pista molhada.  O risco de repetir a corrida de 2009, que durou menos que a metade, foi forte.

A corrida foi, digamos, esquisita. Quem, em sã consciência, imaginaria uma vitória do Fernando Alonso com esta Ferrari deprimente? É claro que a parada para trocar os pneus beneficiou Alonso e Sérgio Pérez (o melhor da corrida), mas ainda assim o ritmo de corrida de ambos foi surpreendente. Alonso se deu bem ao ficar mais uma volta com pneus de chuva antes de trocar pelos intermediários!

Mais uma vez Lewis Hamilton foi o mais rápido nos treinos, e não conseguiu manter o ritmo na corrida, enquanto Jenson Button teve uma prova lamentável, que incluiu até erros grosseiros de pilotagem. Já Felipe Massa… Bom, na minha opinião o rendimento dele desde o GP da Alemanha de 2010 é motivo de demissão, jamais teria renovado contrato.

Enquanto isto, a nova geração faz bonito: Jean-Eric Vergne fez outra boa prova e marcou pontos, enquanto David Ricciardo teve seus momentos. Bruno Senna, depois de mais uma péssima largada, fez corrida muito segura em sua boa Williams e terminou em sexto. Teria ficado na frente do companheiro Pastor Maldonado, que também foi bem, mas este novamente teve problemas nas voltas finais (motor).

O campeonato segue totalmente indefinido, sem favoritos. A Red Bull fez uma corrida ruim, com Sebastien Vettel andando apagado no pelotão inicial. Mas a temporada européia, a que normalmente indica tendências, ainda está longe de começar.

Próxima parada? Xangai, China em três semanas!

Show de Fernando Alonso em Kuala Lumpur - Foto: SAEED KHAN / AFP

Vamos aos prêmios?
  • Troféu “Jim Clark” - Sérgio Pérez, disparado, repetindo a premiação do GP da Austrália. Menção honrosa para Fernando Alonso, que levou uma horrível Ferrari à uma inesperada vitória.
  • Troféu “Rouge & Blanc” – Para Bruno Senna, que largou mal, foi lá para trás depois de um toque com Pastor Maldonado, e chegou na ótima sexta colocação.
  • Troféu “Chris Amon” – Repetindo a Austrália, de novo Pastor Maldonado. Desta vez o motor lhe deixou na mão faltando duas voltas.
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Nico Hulkenberg, que fez uma corrida apagada e ainda assim ganhou um pontinho com a quebra de Maldonado no final.
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” - Felipe Massa, em um final de semana humilhante, ‘coroado’ com a vitória do companheiro de equipe.
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - To pensando em excluir este prêmio e só dar ele eventualmente. Se bem que no meio da temporada começam as bobagens.
  • Troféu “Dick Vigarista” - Muito feio, sr. Jenson Button. Mereceu pela batida tosca com a Hispania.

    VEJA TAMBÉM
  • GP DA MALÁSIA 2010: Até que enfim, heinhô Vettel?
  • GP DA MALÁSIA 2009: Button vence a `meia-prova`
  • PREMIAÇÕES ESPECIAIS DO ALMANAQUE ESPORTIVO – F-1 2012

F1-2012 - GP da Austrália, e o passeio das McLaren

22 de março de 2012 0

A temporada 2012 da Fórmula-1 começou de maneira arrasadora para as McLaren-Mercedes. Só não foi um passeio maior pela desastrada estratégia de pit-stops que tirou a dobradinha de Jenson Button e Lewis Hamilton, beneficiando o bicampeão Sebastien Vettel. O time de Woking dominou todos os treinos e a classificação, largando nas duas primeiras posições.

As corridas no Albert Park normalmente são divertidas. Esta foi em nível médio de animação, teve alguns bons momentos mas principalmente um domínio total da McLaren. Uma pena que a ótima corrida do Pastor Maldonado tenha terminado em um acidente, sozinho, na última volta.

E o Felipe Massa, hein? Que corrida horrorosa, desde os treinos, passando pela apática corrida e finalizando com um acidente facilmente evitável com Bruno Senna. Tá correndo sério risco de passar no Departamento Pessoal da Ferrari… E se não melhorar, ainda no meio da temporada.

Só não foi dobradinha porque um safety car beneficiou Vettel e tirou Hamilton do segundo lugar, que teve uma atuação bem apagada e só aproveitou os abandonos à sua frente.

McLarens sobraram na Austrália - Foto: Torsten Blackwood / AFP

PRÊMIOS GP DA AUSTRÁLIA 2012

  • Troféu “Jim Clark” Sérgio Perez, que mostrou ousadia e regularidade saindo da 22º colocação para o 8º lugar. Foi superior inclusive ao inglês Jenson Button.
  • Troféu “Rouge & Blanc” - Pastor Maldonado, que fez ótima corrida e lutou muito pelos pontos, mas bateu no finalzinho e ficou de fora dos dez primeiros.
  • Troféu “Chris Amon”Jean-Eric Vergne, que fez boa corrida com a STR e chegaria em 9º lugar, mas perdeu duas posições com o acidente de Pastor Maldonado e terminou em 11º lugar.
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Justamente para o companheiro de Vergne, Daniel Ricciardo, que fez dois pontos na última volta e terminou em 9º lugar.
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements”Felipe Massa em um dos seus piores finais de semana da carreira. Fez tudo errado, completando com uma batida estúpida com o compatriota Bruno Senna.
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Todo mundo comportado.
  • Troféu “Dick Vigarista” - Pessoal andou comportado, os acidentes foram de corrida.

VEJA TAMBÉM

GAUCHÃO 2013: Campanha por um campeonato verdadeiramente gaúcho!

21 de março de 2012 10

O Almanaque Esportivo está entrando de cabeça em uma campanha por uma mudança radical no futebol do Rio Grande do Sul. Há algumas semanas, foi proposto pelos guapos do blog Toda Cancha e apoiado pelos mestres do blog Impedimento e por mim, um calendário diferente para o estadual do RS. O texto abaixo foi retirado do Blog Impedimento e o movimento busca uma conversa com Francisco Noveletto, presidente da Federação Gaúcha de Futebol, para expor nossa idéias e rejuvenescer o futebol do nosso interior, fortalecendo as rivalidades locais e pluralizando o acesso a todas as regiões do estado.

Um campeonato verdadeiramente gaúcho

Há algum tempo temos acompanhado discussões em sites com adeptos do futebol do interior gaúcho acerca de um calendário que permitisse aos clubes pequenos jogar futebol o ano inteiro. Atualmente é comum ver alguns clubes jogarem por quatro meses e fecharem seu departamento de futebol, seja por falta de verba, seja por falta de perspectivas. Aproveitando os mais diversos comentários, o Toda Cancha passou a construir um esboço de um calendário para o futebol gaúcho que agradasse à Dupla Gre-Nal – é preciso sempre levar em consideração sua grandeza – e aos clubes pequenos – que forjaram, ao longo de um século, a identidade do futebol gaudério. A proposta foi feita em cima do “ano” 2013/2014, pois seria quando essa hipótese pudesse, de fato, ser concretizada.

Após muito gritaria, chegamos ao que está detalhado abaixo. Um calendário com três competições: Gauchão – Fase Preliminar, Gauchão – Fase Final e Copa RS. Principal torneio do futebol do Rio Grande do Sul, o Gauchão é desmembrado em dois. Na primeira parte, uma proposta semelhante ao que acontecia até 1960 no Estado: 5 grandes zonais. Não haveria mais Segunda ou Terceira divisões e, sim, um campeonato que contemplasse todos os clubes em atividade e que os permitisse chegar ao título gaúcho no ano seguinte, disputando com quem estivesse nas Séries A, B ou C do Brasileirão. Na segunda parte, os campeões zonais disputariam, de fato, o título gaúcho com os “grandes” do Estado.

Procuramos aumentar a pré-temporada para mais de três semanas – e amenizar a choradeira de alguns – e fazer uma proposta com turno e returno e uma finalíssima, para que nenhum clube se desmotivasse e os “pequenos” pudessem enfrentar a Dupla Gre-Nal em seus estádios, além de realizar mais jogos em suas casas. A terceira competição da nossa proposta seria a Copa RS, com os clubes que não conseguiram vagas na Fase Final do Gauchão – novamente divididos em zonas.

Na Segunda Fase entrariam os “eliminados” do Gauchão Fase Final, propiciando uma segunda chance para que os “pequenos” chegassem à Série D, à Copa do Brasil e ao Gauchão – Fase Final. Embora não tenhamos nenhum estudo econômico acerca desse esboço, acreditamos que a regionalização permitirá a redução de custos, a fomentação de velhas e novas rivalidades, interesse da cobertura televisiva – colocamos os jogos dos times interioranos às segundas e sextas porque não há jogos dos “grandes”, e aos sábados para facilitar a vida do torcedor – e chance de todos ambicionarem o título gaúcho e tirarem uma casquinha da Dupla Gre-Nal. CALENDÁRIO – 2013/2014

Gauchão – Fase Preliminar: 5 grupos com turno e returno, disputados por clubes que não estejam nas Séries A, B ou C. Os campeões de cada turno fazem as finais das zonais. O único imbróglio envolve as duas equipes que disputarão a Série D. Nossa proposta é que caso a equipe seja eliminada até a Segunda Fase, ela dispute o Segundo Turno de sua Zonal. Caso avance até à Terceira Fase da Série D, mas não consiga o acesso, dispute um triangular com os campeões de sua zonal. Utilizamos, para exemplificar, as equipes que estiveram em atividade nas diferentes divisões do Campeonato Gaúcho em 2011 (com exceção do já CLAUSURADO Porto Alegre).

* Os nomes das zonas são meramente ilustrativos. Note ainda que as equipes de Passo Fundo e Carazinho, por questões de tradição e proximidade geográfica, tendem a ficar não no grupo da Serra, mas no da Campanha. A questão aqui é exemplificar a economia de distâncias de uma fórmula regionalizada. No caso do Ypiranga de Erechim, mesmo DESLOCADO, ele percorreria muito menos quilômetros do que faz no Gauchão atual (nos jogos fora de casa, entre ida e volta, seriam em média 429 km/jogo, contra 711 km/jogo feitos atualmente). Em relação ao São Luiz de Ijuí, hoje a equipe mais isolada geograficamente da primeira divisão, e que neste exemplo é colocada num grupo realmente regional, as distâncias percorridas cairiam a menos de um terço do que são hoje: cerca de 208 km/jogo contra os atuais 750 km/jogo.

Abaixo, o mapa do Gauchão atual e o mapa do Gauchão proposto:

O calendário:

JULHO

12-13: Início da Gauchão – Fase Preliminar
19-20: 2ª rodada do Gauchão
26-27: 3ª rodada do Gauchão

AGOSTO

2-3: 4ª rodada do Gauchão
9-10: 5ª rodada do Gauchão
16-17: 6ª rodada do Gauchão
23-24: 7ª rodada do Gauchão
30-31: 8ª rodada do Gauchão

SETEMBRO

6-7: 9ª rodada do Gauchão (Final do 1º Turno)
13-14: 10ª rodada do Gauchão
20-21: 11ª rodada do Gauchão
27-28: 12ª rodada do Gauchão

OUTUBRO

4-5: 13ª rodada do Gauchão
11-12: 14ª rodada do Gauchão
18-19: 15ª rodada do Gauchão
25-26: 16ª rodada do Gauchão

NOVEMBRO

1-2: 17ª rodada do Gauchão
8-9: 18ª rodada do Gauchão (Final do 2º Turno)
15: Primeiros jogos das finais zonais
22: Segundos jogos das finais zonais

Gauchão – Fase Final: disputado por 10 times em dois turnos. Os campeões de cada turno fazem a final. Vaga cativa: quem estiver nas Séries A, B ou C e eventual rebaixado à Série D. Juntam-se a eles os campeões regionais da primeira fase e o campeão e vice da Copa RS.

Caso o número de gaúchos nas três principais divisões brasileiras aumente, o número de participantes pode ser modificado – até 12 – assim como sua forma de disputa – dois grupos com turno e returno.

Os dois melhores colocado fora a Dupla Gre-Nal garantem vagas na Copa do Brasil do ano seguinte. O melhor colocado sem divisão conquista uma vaga à Série D e os demais eliminados entram na Segunda Fase da Copa RS (ver abaixo).

JANEIRO

1-23: pré-temporada
24-25: começo do Gauchão
29-30: 2ª rodada do Gauchão

FEVEREIRO

1-2: 3ª rodada do Gauchão
5-6: 4ª rodada do Gauchão
8-9: 5ª rodada do Gauchão
12-13: 6ª rodada do Gauchão
15-16: 7ª rodada do Gauchão
19-20: 8ª rodada do Gauchão
22-23: 9ª rodada do Gauchão (final do 1º turno)

MARÇO

1-2: 10ª rodada do Gauchão
5-6: 11ª rodada do Gauchão
8-9: 12ª rodada do Gauchão
15-16: 13ª rodada do Gauchão
22-23: 14ª rodada do Gauchão
26-27: 15ª rodada do Gauchão
29-30: 16ª rodada do Gauchão

ABRIL

2-3: 17ª rodada do Gauchão
5-6: 18ª rodada do Gauchão (final do 2º turno)
13: Primeiro jogo da final do Gauchão
20: Segundo jogo da final do Gauchão

Copa RS: 5 grupos com turno e returno dentro das chaves regionais lá de cima.

Passam os 3 melhores de cada chave + os 3 melhores 4º colocados em aproveitamento. Os campeões de cada grupo levam 1 ponto de bonificação à Segunda Fase.

Repescagem: 15 equipes desclassificadas da Primeira Fase. Dividem-se em 4 grupos; três com 4, um com três. Turno e returno e o campeão de cada grupo avança ao Mata-Mata

Segunda Fase: 18 equipes da Primeira Fase + 6 “eliminados” do Gauchão. Essas 24 equipes formam 6 grupos de 4, onde jogarão em turno e returno, passando os 2 melhores por grupo ao Mata-mata. Os cabeças-de-chave serão os campeões dos grupos da primeira fase e o “melhor eliminado” do Gauchão – que também leva 1 ponto de bonificação.

Mata-mata: 4 da Repescagem + 12 da Segunda Fase. Matam-se, em ida e volta, até sair o campeão, que irá à Série D. E tanto o campeão quanto o vice garantem vagas na Copa do Brasil e na Fase Final do Gauchão

FEVEREIRO

31-1: Início da Copa RS
3-4: 2ª rodada da Copa RS
7-8: 3ª rodada da Copa RS
10-11: 4ª rodada da Copa RS
14-15: 5ª rodada da Copa RS
17-18: 6ª rodada da Copa RS
21-22: 7ª rodada da Copa RS
24-25: 8ª rodada da Copa RS

MARÇO

28-1: 8ª rodada da Copa RS
3-4: 9ª rodada da Copa RS
7-8: 10ª rodada da Copa RS
10-11: 11ª rodada da Copa RS
13-14: 12ª rodada da Copa RS
17-18: 13ª rodada da Copa RS
21-22: 14ª rodada da Copa RS
24-25: 15ª rodada da Copa RS
28-29: 16ª rodada da Copa RS

ABRIL

31-1º: 17ª rodada da Copa RS
4-5: 18ª rodada da Copa RS (Final da Primeira Fase)
11-12: Início da Segunda Fase e da Repescagem
18-19: 2ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
25-26: 3ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem

MAIO

2-3: 4ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
9-10: 5ª rodada da Copa Segunda Fase e da Repescagem
16-17: 6ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem (Final de ambas as fases)
23-24: Oitavas-de-Final (ida)
30-31: Oitavas-de-Final (volta)

JUNHO

6-7: Quartas-de-Final (ida)
13-14: Quartas-de-Final (volta)
16-17: Semi-final (ida)
20-21: Semi-final (volta)
24: Final (ida)
28: Final (volta)

Assina a redação do Toda Cancha (assina embaixo a do Impedimento e mais abaixo ainda o Almanaque Esportivo)

F1-2012: As Premiações Especiais do Almanaque Esportivo voltaram!

19 de março de 2012 0

E os tradicionais prêmios da Fórmula-1 no Almanaque Esportivo estão de volta! Sem editar desde 2010 e o famigerado GP da Alemanha (ler motivos aqui), estou retomando os prêmios mais bizarros da internet esportiva tupiniquim.

A maior parte (senão totalidade) dos prêmios foi inventada nos NewsGroups de Fórmula-1 pelo amigo Carlos Henrique Moyna. Ou seja, o objetivo aqui não é ser criativo e sim ver um lado diferente do esporte.

McLaren, as favoritas em 2012 - Foto: Torsten Blackwood / AFP

Vamos à definição dos prêmios e mais tarde a escolha dos ‘premiados’ do GP da Austrália, disputado ontem em Melbourne.

  • Troféu “Jim Clark” - Para o melhor piloto da corrida
  • Troféu “Rouge & Blanc” – Para o piloto mais combativo da corrida (não necessariamente o melhor).
  • Troféu “Chris Amon” – Para o azarado do final de semana
  • Troféu “Fiofó de Ouro” – Para o sortudo do final de semana
  • Troféu “Didi Mocó Prize For Technical Achievements” – Para o incompetente/lambança do final de semana
  • Troféu “Porquê Eu Não Fiquei Com Minha Boca Fechada” - Para quem “falou demais e deu bom dia a cavalo”
  • Troféu “Dick Vigarista” - Para quem jogou sujo.

Calendário oficial da temporada 2012:

  1. 18/03 – 3h GP da Austrália / Albert Park
  2. 25/03 – 5h GP da Malásia / Sepang
  3. 15/04 – 4h GP da China / Xangai
  4. 22/04 – 9h GP do Bahrein /Sakhir
  5. 13/05 – 9h GP da Espanha / Circuit de Catalunya
  6. 27/05 – 9h GP de Mônaco / Monte-Carlo
  7. 10/06 – 15h GP do Canadá / Gilles Villeneuve
  8. 24/06 – 9h GP da Europa / Valência
  9. 08/07 – 9h GP da Inglaterra / Silverstone
  10. 22/07 – 9h GP da Alemanha / HHockenheim
  11. 29/07 – 9h GP da Hungria / Hungaroring
  12. 02/09 – 9h GP da Bélgica / Spa-Francorchamps
  13. 09/09 – 9h GP da Itália / Monza
  14. 23/09 – 9h GP de Cingapura / Cingapura
  15. 07/10 – 3h GP do Japão / Suzuka
  16. 14/10 – 3h GP da Coreia do Sul / Yeongam
  17. 28/10 – 7h30 GP da Índia /Jaypee
  18. 04/11 – 11h GP dos Emirados Árabes Unidos/Yas Marina
  19. 18/11 – 17h GP dos Estados Unidos /Circuito das Américas
  20. 25/11 – 14h GP do Brasil / Interlagos

VEJA TAMBÉM

Fórmula do Catarinense 2012 pode obrigar time a perder para se classificar!

19 de março de 2012 1

O Campeonato Catarinense 2012 entrou para os anais do futebol mundial. É óbvio que pelos motivos equivocados: seu regulamento pode obrigar um time a perder de propósito. Quem percebeu isto foi o colega Wendell Ferreira Pinto, da Zero Hora e que escreve no blog PrimeTimeZH.

Vejam o absurdo que pode ocorrer: A competição é dividida em dois turnos onde todos jogam contra todos (mas sem eliminatórias a cada turno, como no Gauchão). Se classificam para as semifinais o campeão de cada turno e os dois melhores índices técnicos. Até aí, OK.

Só que se o mesmo time for campeão dos dois turnos, três times vão pras semifinais por índice técnico. Neste ponto já começam os problemas: um time ganha os dois turnos e nem assim é campeão.

Então, se chega na última rodada e o terceiro índice técnico enfrenta o campeão do primeiro turno que ainda briga pelo título do segundo turno, ele precisa da derrota pra se classificar.

Isso porque se ele ganhar o jogo e tirar o título do adversário, entram os dois campeões e dois por índice técnico. Se ele perder e for o mesmo time campeão nos dois turnos, ele entra como terceiro índice técnico.

Simplesmente patético.

PARABÉNS FEDERAÇÃO CATARINENSE DE FUTEBOL!

OBS: O Paulo Evangelista e o Ewaldo Willerding, colegas do DC Esportes, me informam que, como o Figueirense foi campeão do 1º turno e na última rodada pega um time quase rebaixado (o Camboriú), a hipótese aventada acima é quase impossível.

Porém fica ainda a questão da teoria, afinal na última rodada temos Chapecoense x Criciúma. Imaginem se a Chapecoense tivesse vencido o 1º turno, liderando o 2º turno e o Criciúma estivesse em 4º pelo índice técnico? Talvez tivesse que perder e se classificar...!


VEJA TAMBÉM

Os melhores blogs de Esportes: Futebol História

16 de março de 2012 0

Inaugurando uma seção que será fixa em todas as sextas-feiras, vamos falar neste espaço de blogs e sites que eu considero sensacionais e que valem a pena o registro. O primeiro será o do meu amigão Carlos Henrique Oliveira, torcedor do Flamengo e também do CRB-AL. Ele escreve, já há alguns anos, o “Futebol História”, que está hospedado aqui: http://futebolhistoria.blogspot.com.br/

Conheço o CH das listas de discussão de futebol desde 2000, 2001. Fora nossa ETERNA discussão sobre Lúcio (sim, o zagueiraço da Seleção Brasileira), normalmente concordamos em quase tudo. O seu blog, Futebol História, já está há cinco anos abrilhantando o conhecimento sobre o futebol em português. Sobre a história do esporte.

Futebol: uma história para contar - http://futebolhistoria.blogspot.com.br/

Vamos às perguntas?

ALMANAQUE: O que te fez escrever o blog, tão diferente de tua ocupação profissional?

R: Sou funcionário público, trabalho em banco numa área totalmente diferente. Mas sou formando em Comunicação Social e tenho paixão pela crônica esportiva, sobretudo pela história do futebol. Como percebi que pouquíssimas pessoas no país tratam desse assunto tão importante resolvi fazê-lo. Aliando o preenchimento de uma lacuna com o prazer em escrever e pesquisar sobre isso.

ALMANAQUE: Como é a preparação para cada assunto?

R: Primeiramente eu procuro focar em algum assunto em destaque no momento, como alguns recordes batidos, times poucos conhecidos que estão surpreendendo, acontecimento (bons ou ruins) ligados ao futebol, personalidades do mundo da bola, etc. Depois eu faço uma extensa pesquisa apenas em SITES e DOCUMENTOS OFICIAIS, certifico-me das informações com as fontes, quando possível, escolho as fotos na internet (com os devidos créditos, se tiver proprietário) e preparo os textos.

ALMANAQUE: Conheceu pessoas por causa do blog, que geraram amizades depois?

R: Conheci algumas pessoas interessadas no assunto e que compartilham informações. Gerou sim amizade e acabmos nos tornando fontes uns dos outros. As mídias sociais têm esse enorme poder de aproximar as pessoas em um país como o nosso, de dimensões continentais.

ALMANAQUE: Qual post foi o mais polêmico, o que gerou mais comentários?

R: O post mais polêmico é, sem dúvida, a respeito do clube de futebol mais antigo do Brasil ( http://tinyurl.com/7x4owd2). Eu citei o SPAC (São Paulo Athletic Club) e os devidos motivos, mas muitos discordam afirmando ser diversos clubes (Rio Grande/RS, Ponte Preta/SP, entre outros). Gerou muitos comentários, inclusive – e infelizmente – alguns ofensivos que foram devidamente excluídos.

ALMANAQUE:  Que assunto tu ainda não abordou e está na pauta?

R: A história do futebol é muito vasta e vários assuntos importantes ainda não foram tratados no blog. Um que está na pauta, mas não tenho ainda previsão de publicá-lo é um balanço geral da Liga Europa/Copa da UEFA/Taça das Feiras, visto que já fiz isso para a Liga dos Campeões da Europa.

ALMANAQUE: E, para fechar, qual foi o post que mais te deu prazer de escrever?

O fato de apenas escrever no blog me dá muito prazer, apesar do tempo exíguo que tenho fora do meu trabalho. Mas um eu gostei em especial, sobre a polêmica envolvendo São Paulo, Flamengo, Sport e CBF na famigerada Copa União de 1987 e a taça das bolinhas. Como eu entendo que um blog é um espaço de OPINIÕES, não só de informações (isso se deixa para os portais de notícias), comentei sobre o assunto que tanto é repercutido. Publiquei o que realmente aconteceu à época (como várias pessoas já o fizeram) e dei minha opinião, pois achei um absurdo aquilo tudo por trás dos panos. Inclusive porque a esmagadora maioria das pessoas que contestam o título flamenguista de 1987 são torcedores de times rivais, do São Paulo e do Sport. Por motivos meramente clubísticos.

Carlos Henrique Oliveira lá no Santiago Bernabeu - Foto: Arquivo Pessoal

SÉRIE C - Rebaixamento do Brasil de Pelotas: uma ímpia e injusta guerra

16 de março de 2012 0

A revolta dos Xavantes! Este texto foi enviado pelo Pedro Henrique Vieira Ferreira e escrito pelo Bruno Sacramento, ele está muito revoltado com a situação do Brasil de Pelotas. O time da Zona Sul foi rebaixado no tapetão para a Série D do Brasileirão em uma contestada decisão do STJD. Lendo os argumentos do pedro, concordei com todos e resolvi postar o texto:

“O imbróglio começa com a escalação do jogador Cláudio Roberto, lateral direito rubro-negro, na estreia do Campeonato Brasileiro da Série C 2011, em 17/07/2011, justamente contra, o agora beneficiado pelo STJD, o clube paulista Santo André/SP que foi derrotado, em casa, pela equipe gaúcha por 3 a 2.

Ocorre que o jogador, por ter sido expulso na última rodada do Campeonato Brasileiro da Série C 2010, quando atuava pelo Ituiutaba-MG, atual Boa Esporte, e ter recebido pena de suspensão de uma partida a ser cumprida numa competição organizada pela CBF não poderia ter sido escalado pelo clube gaúcho.
Após pedido do clube Joinville, a Procuradoria denunciou o Grêmio Esportivo Brasil por infração do artigo 214 (incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida) do CBJD. Em primeira instância, foi julgado pela 4ª Comissão de Disciplina do STJD, no dia 29/07/2011, quando, numa audiência de quase duas horas, foi absolvido por 4 votos a 1.
A Comissão acolheu os argumentos do clube gaúcho no sentido de que não teve qualquer culpa no caso. Foram apresentados os documentos de transferência do jogador enviados pela Federação Mineira onde não consta qualquer punição pendente. Também foi apresentado documento da Federação Gaúcha informando que na transferência não havia sido informada qualquer punição ao atleta. Por fim, ainda exibiu a ficha de entrada do jogador no clube com sua declaração de que não possuía qualquer punição a cumprir.

Em suma, comprovou que o clube realizou as consultas usuais para o caso e, portanto, agiu de boa-fé sendo que o Código Brasileiro de Justiça Desportiva exige culpa ou dolo no cometimento das infrações. Se há alguém a quem se possa imputar culpa, é a Federação Mineira que deixou de comunicar a punição do atleta. Além disso, a própria jurisprudência do Tribunal era favorável aos argumentos gaúchos.

Em 2010, pela Série B, o Duque de Caxias/RJ foi absolvido em uma situação idênticaA punição do clube carioca o rebaixaria e livraria do descenso o Brasiliense. Em 2006, pela Copa do Brasil, o Santos se livrou da punição pela escalação do zagueiro Domingos que no ano anterior, quando disputava a série B pelo Grêmio, recebeu dois jogos de suspensão e não os cumpriu. A punição do clube paulista beneficiaria o Sergipe.
No entanto, o inesperado aconteceu. Após o transcorrer de quase toda a primeira fase, foi marcado para o dia 15/09/2011 o julgamento do recurso contra o Brasil. Por um capricho, que certamente não foi do destino, faltava apenas dois dias para a última e decisiva rodada do campeonato. Novamente contra a equipe paulista, o Santo André, que, naquele momento, para se livrar do rebaixamento precisava vencer a equipe xavante no estádio Bento Freitas na cidade de Pelotas.
No novo julgamento, bem mais rápido que o anterior, cerca de quarenta minutos, com exceção de um auditor, todos os outros oito auditores se convenceram de que o xavante era culpado. E o clube gaúcho foi derrotado onde menos esperava: no pleno do STJD, justamente o órgão formado pelos auditores que absolveram cariocas (Duque de Caxias) em 2010 e paulistas (Santos) em 2006 .

Embora o quadro narrado já seja capaz de demonstrar a injustiça da decisão, a questão não para por aí. Há outro ponto que foi absolutamente desconsiderado pela decisão do STJD e que é de fundamental importância no caso: a punição do atleta recebida no fim de 2010 (suspensão por um jogo) não possui qualquer validade, pois foi aplicada em processo claramente nulo.
Vejamos os fatos. A expulsão do jogador Cláudio Roberto ocorreu no último jogo válido pela Serie C, na partida em que o seu clube na época – Ituiutaba/MG – disputou contra o ABC/RN. O jogo ocorreu no dia 20/11/2010.
Em 14 de dezembro/2010, ocorreu o julgamento do atleta que acarretou a punição de suspensão por um jogo, que, segundo o STJD, deveria ter sido cumprida em 2011, no jogo entre Brasil e Santo André. Ocorre que o contrato do jogador com o Ituiutaba terminou um dia apenas depois do jogo, ou seja, 21/11/2010, e o julgamento ocorreu em 14/12/2010. A citação, meio pelo qual o denunciado é chamado a se defender, foi dirigida ao Ituiutaba/MG em momento em que o jogador não tinha mais qualquer vínculo com o clube.

O jogador, portanto, não foi avisado do julgamento. Não teve a chance de se defender, direito que lhe é assegurado pelo Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e pela própria Constituição Federal. Em casos como esse, em que o processo ocorre após o término do vínculo do atleta com o clube, este tem o dever de fazer chegar ao jogador da comunicação da justiça desportiva, sob pena, inclusive, de o próprio clube sofrer uma punição.

Para que fique claro, transcreve-se o art. 51 – A, do CBJD:

Art. 51-A. Se a pessoa a ser citada ou intimada não mais estiver vinculada à entidade a que o destinatário estiver vinculado, esta deverá tomar as providências cabíveis para que a citação ou intimação seja tempestivamente recebida por aquela. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
Parágrafo único. Sujeitam-se às penas do art. 220-A, III, a entidade que deixar de tomar as providências mencionadas no caput, salvo se demonstrada a impossibilidade de encontrar a pessoa a ser citada ou intimada. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

No julgamento do atleta Cláudio, nada disso ocorreu. O Ituiutaba não tomou qualquer providência para que a citação ou intimação fosse recebida pelo jogador. Por isso, foi julgado à revelia, não tendo tido oportunidade de apresentar sua defesa, de comparecer ao julgamento e mesmo de recorrer da punição sofrida.
Mas a situação ainda é mais grave: por ser a última partida do campeonato, o atleta teria o direito de requerer a conversão da pena em medida de interesse social, normalmente a doação de cestas básicas, direito que também lhe foi suprimido.

Vejamos o que diz o art. 171, §1º, do CBJD:

Art. 171. A suspensão por partida, prova ou equivalente será cumprida na mesma competição, torneio ou campeonato em que se verificou a infração.
§ 1º Quando a suspensão não puder ser cumprida na mesma competição, campeonato ou torneio em que se verificou a infração, deverá ser cumprida na partida, prova ou equivalente subsequente de competição, campeonato ou torneio realizado pela mesma entidade de administração ou, desde que requerido pelo punido e a critério do Presidente do órgão judicante, na forma de medida de interesse social.

A conversão em medida de interesse social é praxe no tribunal, sendo utilizada por diversos atletas e clubes nesses casos. Apenas para exemplificar, o próprio Grêmio e o Cruzeiro-MG já se beneficiaram da medida .

Não se sustentando a pena recebida pelo atleta, em decorrência, não se pode manter a do Grêmio Esportivo Brasil. O próprio atleta Claudio Roberto recorreu ao STJD demonstrando a nulidade, porém o tribunal mais uma vez desconsiderou a argumentação em decisão datada de 15/03/2012 .

Por todos esses fatos, em assembleia realizada também no dia 15/03/2012, o Grêmio Esportivo Brasil, após esgotar todos os recursos na Justiça Desportiva, decidiu entrar na Justiça Comum, por ser este o único foro disponível fazer valer seu direito de permanecer na Série C – 2012.
O fato de o Santo André/SP estar amargando seguidos rebaixamentos no campeonato brasileiro não lhe dá direito de obter, injustamente, sua salvação nos tribunais.

O Brasil de Pelotas, time centenário, possuidor de uma das mais fantásticas torcidas do futebol brasileiro, não merece sucumbir dessa maneira. O Rio Grande do Sul, que lembra muito bem das decisões do STJD no campeonato brasileiro de 2005, não pode sofrer outra derrota nos tribunais para os clubes paulistas.

Nós, gaúchos, não podemos esperar uma decisão justa por parte da CBF, uma instituição dirigida por longos 23 anos por nada menos do que Ricardo Teixeira e, agora, pelo paulista José Maria Marin, que foi vice-governador do estado de São Paulo durante o governo de Paulo Maluf em 1980 e foi flagrado pela imprensa em um caso de apropriação de uma medalha alheia .

Portanto, se você é gaúcho ou amante do futebol limpo, decidido no campo, compartilhe, divulgue, lute junto com os xavantes nesta guerra!

Autor: Bruno Sacramento

Liga Europa: goleiro do Manchester City perde gol nos acréscimos, Sporting classificado

15 de março de 2012 0

Em uma partida eletrizante, o Sporting Lisboa eliminou o favorito Manchester City na Liga Europa, edição 2011/12, oitavas-de-final. O time português perdeu por 3×2, mas se classificou por ter feito mais gols como visitante, já que no jogo de ida havia vencido por 1×0 em casa.

Além do jogo já ter sido sensacional, com o Sporting abrindo 2×0 e depois cedendo a virada, o time inglês ainda teve uma chance inacreditável nos instantes finais. O goleiro Joe Hart, titular da Seleção Inglesa, cabeceou nos acréscimos e obrigou seu colega de profissão, o arqueiro português Rui Patrício, a operar um milagre no lance derradeiro da partida.

Foi um escanteio batido pelo russo Aleksandar Kolarov, rebatido pelo brasileiro Xandão. A bola sobrou para o holandês Nigel de Jong, que cruzou imediatamente. Hart, que já estava na área, cabeceou mas Rui Patrício tirou com a ponta dos dedos, a bola saiu ao lado da trave e o jogo terminou. Depois da jogada e do fim da partida, Hart é consolado pelo brasileiro Anderson Polga, há uma década jogador do time de Lisboa e campeão mundial pela Seleção Brasileira em 2002, quando atuava pelo Grêmio. Vejam o lance: