Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2012

Campeonato Brasileiro: Recordes e maiores goleadas desde 1971

17 de maio de 2012 5

Em 41 anos de história (não vou considerar a unificação dos títulos), o Campeonato Brasileiro teve muitos campeões: 17 equipes. A principal competição nacional também já teve um número quase insano de fórmulas, bizarras em sua maioria (uma delas tinha como critério de classificação a média de público, em 1974!) até a estabilização com os pontos corridos desde 2003. Mas e as goleadas? E os recordes? Todas as infos estatísticas foram obtidas com o sempre atento colaborador Edison Klein.

No Campeonato Brasileiro foram 2011 goleadas em 15.250 jogos desde 1971, totalizando 13,18%. Na “era pontos corridos” (isto é de 2003 em diante), a frequência de goleadas aumenta: 14,45% de goleadas, 556 em 3846 jogos. Sempre considerando goleada por 3 gols ou mais.

O time que mais goleou neste período é o Santos. A equipe paulista sapecou 113 goleadas até o momento, superando por muito pouco o São Paulo, que tem 112. Na sequência, o Cruzeiro com 107 goleadas, o Internacional com 103 e três times empatados com 95: Flamengo, Vasco da Gama e Atlético-MG. Em casa, o recordista de surras também é o Santos com 85, à frente de Cruzeiro e São Paulo com 81. Já como visitante, o São Paulo tem 31 goleadas, o Santos tem 28 e o Palmeiras 27.

No quesito negativo, o inglório líder das estatísticas é o Vitória com 67 goleadas sofridas, à frente de Goiás (61), Flamengo (57), Botafogo (54) e Cruzeiro (52). Em casa o time mais goleado da história é o Corinthians, com 20 derrotas. Depois, o Vitória com 19 e, empatados, Cruzeiro e Goiás com 14 derrotas por goleada. Já fora de seus domínios, o ‘líder’ é o Vitória com 48, à frente de Goiás com 47, Flamengo e Paysandú com 45.

As maiores goleadas de todos os tempos no Brasileirão:

  1. 09/02/1983 – Corinthians 10×1 Tiradentes/PI
  2. 14/02/1984 – Vasco da Gama 9×0 Tuna Luso/PA
  3. 02/10/1986 – Guarani 8×2 Piauí/PI
  4. 05/12/1993 – Guarani 8×2 Remo/PA
  5. 16/09/1976 – Flamengo 8×1 Sampaio Corrêa-MA
  6. 23/03/1980 – Vitória/BA 8×1 América/RN
  7. 07/02/1982 – Guarani 8×1 Ceará
  8. 04/02/1982 – Guarani 8×0 River/PI
  9. 04/02/1981 – Flamengo 8×0 Fortaleza
  10. 08/11/1997 – Internacional 7×0 Bragantino (OBS: valeu, Otávio!)

Brasileirão em POA: Grêmio terá 300% de jogos a mais que o Inter no meio de semana!

16 de maio de 2012 0

A CBF, talvez em algum século ainda não catalogado nos calendários universais de tempo, um dia conseguirá organizar decentemente uma tabela do Campeonato Brasileiro por dois anos consecutivos. Assim, terá cumprido o objetivo de igualar a cada time o número jogos no meio e finais de semana.

Repetindo os anos de 2008 e 2009 (quando o Internacional foi prejudicado), e 2010 (quando o Grêmio levou a pior), ocorre um desequilíbrio nos jogos como mandante nos finais de semana, normalmente datas com públicos superiores

Ano passado ocorreu até uma surpreendente correção do péssimo Departamento Técnico da entidade, mas este ano voltou à estaca zero… Além disto, a maioria dos jogos noturnos ocorre no rigoroso e chuvoso inverno, prejudicando gaúchos, catarinenses e paranaenses.

Todas estas questões referentes à confecção da tabela do Brasileirão em outras temporadas já foram abordadas no Almanaque Esportivo (links ao final da página).

No caso específico da Dupla Gre-Nal em 2012, quem se dá mal nesta confecção de tabela é o Grêmio. Quem me alertou disto foi o leitor Clademir Guielcer de For, que me forneceu os dados.  Parece que a FGF segue fazendo escola.

GRÊMIO

  • 8 JOGOS EM CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 11 JOGOS EM CASA NO FINAL DE SEMANA
  • 2 JOGOS FORA DE CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 17 JOGOS FORA DE CASA NO FINAL DE SEMANA

INTERNACIONAL

  • 2 JOGOS EM CASA NO MEIO DE SEMANA
  • 17 JOGOS EM CASA NO FINAL DE SEMANA
  • 8 JOGOS FORA NO MEIO DE SEMANA
  • 11 JOGOS FORA NO FINAL DE SEMANA

VEJA TAMBÉM

Inter completa 11 temporadas com títulos: Cruzeiro e Santos são os recordistas!

15 de maio de 2012 2

No futebol brasileiro, ninguém supera o Internacional na atual década, com 15 títulos. Com duas Libertadores, um Mundial, uma Copa Sul-Americana, duas Recopas Sul-Americanas, uma Copa Suruga Bank e oito Estaduais nas últimas onze temporadas, o Colorado levanta ao menos um caneco desde 2002.

Curioso é que todos os títulos são estaduais ou internacionais, nenhum título nacional. Nesta contabilização só são considerados os títulos oficiais do clube, descartando-se torneios amistosos como a Copa Dubai.

Internacional entre 2002 e 2012 – 11 anos e 15 títulos

  • Estadual (8): 2002, 2003, 2004, 2005, 2008, 2009, 2011, 2012
  • Taça Libertadores da América (2): 2006 e 2010
  • Mundial de Clubes da FIFA (1): 2006
  • Copa Sul-Americana (1): 2008
  • Recopa Sul-Americana (2): 2007 e 2011
  • Copa Suruga Bank (1): 2009
  • O Gauchão de 2002 e o Gauchão de 2012 -> 15 títulos oficiais em 11 anos

Com a conquista do Gauchão no último domingo, o Colorado superou dois decacampeonatos do futebol brasileiro: o América-MG, campeão mineiro entre 1915 e 1924, e o ABC, campeão potiguar entre 1932 e 1941.

Dois clubes tem o recorde de títulos no futebol brasileiro. O Santos foi campeão por doze temporadas consecutivas entre 1958 e 1969. São absurdos 26 títulos no auge da era Pelé, o que incluem 2 Libertadores, 2 Copas Intercontinentais, 6 títulos nacionais (entre Taça Brasil e Robertão), entre outros.

Santos entre 1958 e 1969 – 12 anos e 26 títulos

  • Estadual(9): 1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969
  • Torneio Rio-SP (4): 1959, 1963, 1964, 1966
  • Taça Brasil (5): 1961, 1962, 1963, 1964, 1965
  • Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1): 1968
  • Taça Libertadores  da América (2): 1962, 1963
  • Copa Intercontinental (2): 1962, 1963
  • Recopa Sul-Americana (1): 1964
  • Supercopa Sul-Americana (1): 1968
  • Recopa Intercontinental (1): 1968

Porém o recordista em títulos por temporadas consecutivas é o Cruzeiro. O time mineiro passou 15 anos consecutivos comemorando taças. A série começou em 1990 e só terminou em 2004. Nisto incluem-se praticamente todos os títulos, com exceção do maior de todos: a Copa Intercontinental e seu sucessor, o Mundial de Clubes da FIFA.

Cruzeiro entre 1990 e 2004 – 15 anos e 25 títulos

  • Estadual (9): 1990, 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 2002, 2003, 2004
  • Copa dos Campeões Mineiros (2): 1991, 1999
  • Copa do Brasil (4): 1993, 1996, 2000, 2003
  • Copa Centro-Oeste (1): 1999
  • Copa Sul-Minas (2): 2001, 2002
  • Taça Libertadores  da América (1): 1997
  • Supercopa da Libertadores (2): 1991, 1992
  • Campeonato Brasileiro (1): 2003
  • Recopa Sul-Americana (1): 1998
  • Copa Master da Supercopa (1): 1995
  • Copa Ouro (1): 1995

Futebol Bizarro: "Briga" inventada engana a todos e ajuda em gol de falta!

14 de maio de 2012 0

Os jogadores do Hapoel Ra’anana, da 2º divisão de Israel, enganaram a todos e conseguiram marcar um gol importante em um jogo do Campeonato Israelense contra o Hapoel Ramat Gan. Dois deles fingiram uma discussão na cobrança de falta, criando um ‘corta-luz’ suficiente para que um terceiro batesse (com perfeição, aliás) e marcasse o gol. A dica foi do colega e amigo Wendell Ferreira, do Blog PrimeTime.

Enquanto Shahar Simantov empurrava Yosef Asayag, Avi Knafo batia falta com categoria e fazia 1×0 aos 36 minutos do 1º tempo.

Porém não adiantou nada, pois o Ramat Gan virou para 3×2 com dois gols no finalzinho. O resultado foi crucial para garantir a classificação do Ramat Gan em 1º lugar no seu grupo para as fases finais da Leumit League, como é chamada a Segunda Divisão em Israel.

Se fosse aqui, era capaz de algum “comentarista de arbitragem” dizer que o gol foi irregular, por qualquer motivo inexistente.

Há 10 anos - "Hoje não, Hoje não... HOJE SIM": a maior vergonha da Ferrari

12 de maio de 2012 0

Há dez anos, uma das mais patéticas cenas da história da Fórmula-1 ocorreu. Foi no dia 12 de maio de 2002, na histórica pista de Zeltweg. Jamais, em 15 anos acompanhando o automobilismo, tinha escutado vaias tão estrondosas na Fórmula-1 até o GP da Áustria de 2002. Sim, foi aquela corrida que Rubens Barrichello deixou Michael Schumacher passar na última curva e ganhar a prova.

Nem os apupos contra o fascista francês Jean-Marie Balestre, no GP do Brasil de 1990, tinha sido tão escandalosa. Aquela era um sentimento de revolta maturado por meses desde os incidentes que tiraram Ayrton Senna da disputa do título no GP do Japão de 1989.

Porém o que ocorreu ao final da corrida disputada no A1-Ring foi algo espontâneo… Imediato… Sem nenhuma preparação.

Rubinho e Schumacher na reta de chegada...

Com o alemão disparado na liderança da temporada, Rubinho fazia um final de semana perfeito, culminando com uma corrida magnífica liderando de ponta a ponta a corrida em Zeltweg. Faltando oito voltas, com o alemão em segundo lugar, Rubinho começa a ser contactado pela equipe e ordenado por Jean Todt a deixar o alemão passar. Na última volta, na última curva, isto acontece.

O resultado? Uma vaia imensa no circuito, de maioria alemã e torcedora de Schumacher, que não aceita o que acabou de ver e reprova a atitude. Um pódio ridículo, com Schumacher deixando Barrichello subir para o primeiro lugar e um olhar simplesmente destruidor de Ralf Schumacher contra seu próprio irmão. Vejam as imagens e lembrem-se:

E uma entrevista em 2007 sobre isto:

Minha opinião: foi um erro grosseiro da Ferrari. Schumacher não precisaria, seria líder isolado de qualquer maneira. A equipe italiana liderava com tanta vantagem que aquilo foi um desgaste desnecessário.

Rubinho errou também. Ficou com a imagem de capacho eterno, poderia ter sim segurado a posição. Que arrumasse uma confusão, azar. Ficou com a imagem de medroso, de covarde.

Para todo o sempre.

Leia o resumo da Liminar na Justiça Comum que colocou o Brasil na Série C

11 de maio de 2012 1

Leia abaixo a íntegra da decisão judicial que recolocou o Brasil de Pelotas na Série C do Campeonato Brasileiro 2012, informação dada na última quinta-feira aqui no ZH Esportes. Bruno Sacramento, Conselheiro do Xavante, me enviou o conteúdo da súmula com um resumo, ele se chama “dispositivo”.

A íntegra será publicada nos próximos dias e tem 19 páginas, com diversas referências à desorganização da CBF e STJD, entre outros

OBS: saiu a decisão completa -> DECISÃO DO AGRAVO DE INSTRUMENTO

Resumo da Liminar - Clique para ampliar

DISPOSITIVO.1. Com base no disposto pelo art. 461, parágrafo 3º. do CPC, é lícito ao juiz conceder a tutela liminarmente, quando razoáveis os fundamentos do pedido, razão por que defiro a pretensão da associação agravante, que pugna por comando judicial aos requeridos no sentido do cumprimento de obrigação de fazer, consistente na sua imediata inclusão no certame nacional da série “C”.

É, nesse sentido, a definição liminar.

2. Na efetivação da tutela específica – inclusão na série “C” – o juiz, a requerimento da parte ou mesmo de ofício, poderá impor multa por dia de atraso no descumprimento da decisão. Assim, com base no permissivo do art. 461, parágrafo 5º, do mesmo dispositivo legal, fixo, de forma solidária a todos os réus, a multa diária por descumprimento em valor equivalente a R$ 100 mil (cem mil reais).

3. Reconheço a autonomia da CBF na organização de seus campeonatos. E, pelas exigências do Estatuto do Torcedor – art. 5º, parágrafo 1º, II, redação dada pela Lei n° 12.299/2010, poderá, eventualmente, a definição liminar ser de impossível provimento para o presente campeonato.

Em havendo obstáculo intransponível na imediata inclusão da agravante no certame de 2012, sinalizo, desde logo, com a possível conversão futura da obrigação – art. 461, § 1º, do CPC – em perdas e danos, em valor a ser estimado em eventual sentença de procedência, observada a limitação no valor de R$ 36 milhões (trinta e seis milhões de reais), o equivalente a um ano de atraso no cumprimento da obrigação, pela perda da oportunidade de disputar a atual competição. Antecipo, ainda, que a eventual ineficácia imediata da medida não significa perda do seu objeto, porque, via reflexa, poderá ser forma de assegurar o provimento judicial buscado para o certame de 2013, com a almejada inclusão do Grêmio Esportivo Brasil no certame nacional da série C.

4. Assim, concedo o efeito suspensivo ativo, nos termos das disposições supra, com base na regra do art. 527, III, do CPC.

5. Oficie-se ao juízo de origem.

6. Intimem-se os agravados, para, querendo, oferecerem contrarrazões no prazo legal (endereços constantes à fl. 23 do instrumento).

Porto Alegre, 04 de maio de 2012.

Des. José Aquino Flôres de Camargo, Relator.

LEIA TAMBÉM:


Jogos do Passado, 09/05: duelos entre gaúchos e cariocas na C. Brasil

09 de maio de 2012 0

Inaugurando a série “Jogos do Passado”, vamos falar sobre alguns jogos ocorridos na data de hoje, 09 de maio, desde 1971 em Campeonatos Brasileiros e Copas do Brasil. Os dados são repassados pelo amigo Edison Klein. Este espaço será interativo: os leitores poderão incluir comentários sobre os jogos.

09/05 na História - Foto: arquivo Edison Klein

OBS: Cliquem na foto para obter a imagem em tamanho ampliado

COPA DO BRASIL

  • 09/05/1996 - Internacional 3×2 Flamengo – Um jogo épico no Beira-Rio, com duas viradas e uma atuação espetacular do obscuro reserva Márcio Tigrão, que anulou Romário naquela noite. Válido pelas quartas-de-final daquela Copa do Brasil
  • 09/05/2001 – Juventude 2×1 Flamengo – Time de Caxias do Sul devolve placar de ida, mas perde nos pênaltis para o time carioca.
  • 09/05/2001 – Fluminense 0×0 Grêmio – Em um jogo muito travado, o Grêmio segurou a vantagem de 1×0 e se classificou para as quartas-de-final da Copa do Brasil, na qual se sagraria campeão meses depois.

CAMPEONATO BRASILEIRO

  • 09/05/2010 - Avaí 6×1 Grêmio Prudente-SP – Time catarinense estréia em alto estilo no Brasileirão, depois de uma magnífica campanha no ano anterior. Porém a maionese ‘desandaria’ ao longo da competição e o time catarinense só escaparia do rebaixamento na penúltima rodada.
  • 09/05/2010 – Internacional 1×2 Cruzeiro – Atuação horrorosa do colorado de Jorge Fossati, com muitos reservas. Kléber, hoje no Grêmio, marcou um belo gol ainda no primeiro tempo.

Jogos do Passado: Série Especial no Almanaque Esportivo

09 de maio de 2012 0

Uma nova série se inicia no Almanaque Esportivo. Com a ajuda do principal colaborador do blog, o amigo Edison Klein, estaremos inaugurando uma seção que irá mostrar jogos ocorridos nas datas dos posts, e algum comentário especial caso o jogo seja digno de atenção. Estão contemplados jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil desde 1971.

Dentro do possível, conforme eu tiver tempo e disponibilidade, teremos posts com este enfoque. Espero que gostem!

Autor de gol histórico na Copa de 1994, nigeriano Yekini morre aos 48 anos

04 de maio de 2012 3

Rashid Yekini, autor do primeiro gol da Nigéria na história das Copas do Mundo, morreu hoje na cidade de Iraa aos 48 anos. Ele sofria de uma doença rara não-informada e estava recluso há alguns anos, desde que encerrou sua carreira em 2005. Yekini foi protagonista de uma das cenas mais belas do Mundial dos Estados Unidos: ao marcar, chorou copiosamente agarrado às redes.

Yekini surgiu com brilho no modesto Vitória de Setúbal, mas não teve um grande sucesso em sua carreira de clubes, à exceção da temporada 1993-94, quando foi o melhor jogador africano (o primeiro em seu país), e artilheiro do Campeonato Português.

Porém sua história se confunde com o futebol da Seleção Nigeriana, aonde fez 38 gosl em 58 jogos, o maior artilheiro de todos os tempos. Em sua primeira Copa do Mundo, em 1994 nos Estados Unidos, o time foi bem e passou para a segunda fase, mesmo caindo em um grupo difícil com a magnífica Argentina de Maradona, a forte Bulgária de Stoichkov e a também novata Grécia.

Na ocasião com 31 anos, Yekini vivia seu auge e recebeu um lindo cruzamento de Finidi George (ídolo no Ajax), para apenas escorar e marcar.

Rashid Yekini - autor do 1º gol da Nigéria - Reprodução site FIFA

E entrar para a história…

Yekini, Rashid – 1963-2012

Antecipação da janela de transferências - Defesa da tese em 2010

03 de maio de 2012 0

Hoje li a matéria do ilustre colega Alexandre Ernst: “CBF estuda antecipação da janela e pode beneficiar Zé Roberto e o Grêmio”. Acredito que esta discussão seja extremamente válida e benéfica para os clubes do futebol brasileiro. Em maio de 2010, escrevi o artigo “OPINIÃO: As janelas de transferência no Brasil deveriam ser invertidas” (reproduzido ao final deste post) e fui massacrado por me acusarem de “oportunismo” e “clubismo”. Na ocasião, os times brasileiros na Libertadores (São Paulo e Internacional), seriam os beneficiados.

Depois disto, escrevi que a antecipação da janela, ocorrida em 2010, beneficiou mais da metade dos times daquela Série A. Como bem lembrou o amigo Filipe Feijó, a discussão não é mudar todo o ano e sim definir um novo período permanentemente, mesma tese que este blogueiro adota.

Porém vale lembrar o motivo pelo qual o Zé Roberto não pode jogar antes da janela ser liberada. Seu contrato encerra-se em maio, após o término da última janela de transferências. Como diz claramente o artigo 6.1 do Regulamento de Transferências Internacionais da FIFA (link em inglês), Zé Roberto só poderia ser inscrito imediatamente se o contrato dele com o Al-Gharafa tivesse encerrado-se no período da última janela, que foi de 1º de janeiro a início de abril.

Reprodução site oficial da FIFA - Arquivo Pessoal

Reprodução site oficial da FIFA - Arquivo Pessoal

Alguns seguidores do meu twitter lembraram do caso Tcheco, que conseguiu liminar da Justiça do Trabalho e jogou antes da janela se abrir. Mesma coisa com  Adriano, com contratos encerrados em maio/2008 e abril/2009, respectivamente. A FIFA ficou ciente destas situações e exigiu maior rigor da CBF, sob pena de punir a entidade brasileira se ela não punisse os clubes descumpridores.

A lei trabalhista liberaria o atleta para assinar contrato sem nenhum problema, mas ele não poderia atuar (do mesmo jeito que jogador expulso tem que cumprir automática e cada clube só pode entrar com 7 a 11 atletas em campo).

A FIFA é uma entidade privada com confederações e clubes associados, e estes devem cumprir suas regras. Isto não estava sendo feito, mas passou a ser cumprido, basta ver que Tinga (em 2010), tinha contrato encerrado com o Borussia Dortmund desde maio, foi apresentado no Beira-Rio dia 13/05 e só pode reestrear depois do dia 19 de julho, depois da antecipação da Janela.


OPINIÃO: As janelas de transferência no Brasil deveriam ser invertidas

24 de maio de 2010

Estou, a partir de agora, defendendo a tese que a Janela de Transferências para a Europa deve ser INVERTIDA. Hoje temos o período longo entre janeiro e março, e o período curto em agosto. Minha idéia é que a janela longa deveria ocorrer entre junho e agosto e a curta em janeiro, e vou apresentar minhas argumentações logo abaixo.

Li em uma matéria que o Clube dos 13 quer antecipar a abertura da janela de transferências de agosto para julho. Os motivos até são válidos (reforços trazidos da Europa Ocidental não podem jogar e os clubes sofrem um prejuízo financeiro e técnico. Porém ao analisarmos o documento que regula transferências internacionais da FIFA, artigo 6.1 e 6.2, fica bem claro que uma janela não pode exceder 12 semanas e a outra 4 semanas. Então, sem nenhum “jeitinho brasileiro”, é impossível que isto seja liberado.

Entretanto para resolver isto, basta mudar o período. O longo passaria a ser entre junho e agosto e o curto em janeiro. Quais seriam as vantagens?

  • Jogadores contratados no exterior nos grandes centros logo após as temporadas européias (que terminam em maio) poderiam jogar antes.
  • Não perderiam o ritmo de jogo por ficarem parados entre junho e 1° de agosto
  • Clubes não pagariam salários para jogadores sem poder atuar.
  • Clubes brasileiros ficariam mais fortes na janela mais “perigosa”, na qual os europeus investem mais porém pagam melhores valores para jogadores brasileiros, dando a chance de reforçar os times
  • Janela longa durante o Brasileiro ao invés da fase de estaduais e pouco atrativas da Copa do Brasil.

E quais seriam as desvantagens?

  • Jogadores contratados de países do Leste Europeu, Oriente Médio e Ásia só poderiam chegar até 31 de janeiro, contra final de março como ocorre hoje.
  • Clubes na Libertadores também só poderiam trazer atletas do exterior até 31 de janeiro.

E vocês, o que acham? Tem outras alternativas?

VEJA TUDO QUE SAIU NO ALMANAQUE SOBRE JANELA DE TRANSFERÊNCIAS: