Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2012

VÔLEI: Vivendo um Sul Americano no Peru como espectadora 'in loco'

28 de dezembro de 2012 6

O próximo post não é de minha autoria. Há cerca de dois meses, minha esposa Mariane Batista foi para o Peru acompanhar o Campeonato Sul-Americano de Vôlei Feminino Infanto-Juvenil. De lá, saiu impressionada com a relação entre o Peru e o Vôlei, especialmente o feminino, já que o país sul-americano foi medalhista olímpico nos anos 80. E é esta história que ela irá nos contar:

Mariane Batista torcendo pelo Brasil no Sul-Americano de Vôlei - Arquivo Pessoal

Em meados de agosto por meio de uma brincadeira surgiu a oportunidade de irmos, eu e minha irmã Márcia, até Lima (Peru) assistir ao Campeonato Sul Americano de Voleibol Infanto Juvenil Feminino. Teríamos a oportunidade de ver de perto minha sobrinha-afilhada atleta, Lyara, jogar pela Seleção Brasileira. Pesquisamos, conversamos, entramos em contato com um ótimo site de vôlei, o Vive Voley e através dele confirmamos as datas e posteriormente as tabelas de jogos.

Mari e a sobrinha Lyara Batista Medeiros, atleta da Seleção - Arquivo Pessoal

No tempo entre a decisão de ir e o campeonato, aconteceu o Campeonato Sul Americano Juvenil Feminino. Acompanhava o desempenho do Brasil através das redes sociais e consegui assistir à final entre Brasil e Peru pela internet… Após esse jogo tive certeza que não seria nada fácil estar lá, pois percebi que os peruanos gostam bastante de Vôlei, gostam não, são fanáticos e pelas categorias de base, uma vez que hoje eles não tem força na categoria adulta. A torcida de quase 6000 pessoas no ginásio no dia da grande final (uma segunda feira, 18h…) que vibrava a cada ponto conquistado por sua seleção, calou-se quando o time juvenil Brasileiro sagrou-se Campeão. Mas o canal de TV peruano que transmitiu on line o jogo, mostrava sempre a sua bela torcida, suas atletas guerreiras e seu povo…
Organizamos nossas datas de forma a estar lá para assistir ao 3º jogo da fase classificatória e fase final, incluindo a semi e a final. Com a certeza que a final seria entre os times mais fortes, o favorito Brasil e o dono da casa Peru, precisava muito ter os ingressos garantidos para o espetáculo. Contatando o site, fiz um novo amigo, Nano Gonzales que foi muito paciente na interminável troca de e-mail’s e em esclarecer todas as dúvidas que eu tinha. Sempre se mostrou solícito e muito educado e no meu desespero nos e-mail’s a dois dias da ida para o Peru, ofereceu-se para comprar os ingressos para nós.
Chegando o grande dia de assistir o primeiro jogo, um sábado a tarde, nos deslocamos até o Coliseo Miguel Grau em Callao e lá já na entorno do complexo esportivo percebi que não seria fácil…   Entrando no ginásio, sentamos no meio da torcida peruana e assistimos a um jogo que acontecia antes do “nosso”… E mesmo sem ser a Seleção da casa jogando a torcida vibrava bastante. O jogo que assistimos era Brasil X Argentina e a torcida peruana torcia SEMPRE contra nós, mesmo que fosse seu próximo adversário, eles até vibravam com os belos lances, mas nunca assumiam torcer para o “favorito”.
Eu me questionava: Quem é esse pessoal que está aqui assistindo a esses jogos? Será que moram aqui perto? (Callao é um município da Grande Lima) Será que suas familiares estarão em quadra pela Seleção Peruana? Que nada, são pessoas que gostam de vôlei, são novos, crianças, adultos, idosos… gente de todo tipo e classe social.
Após a vitória das nossas meninas sobre as “hermanas” Argentinas, assistimos ao jogo entre Peru X Chile, agora já sentadas mais afastadas da torcida mais eufórica. Nesse momento observei a grande torcida peruana que levaram seus tambores e cornetas para torcer com seus rostos pintados de vermelho e branco. O Brasil passeou sobre o Chile na semi final e após aconteceu o jogo entre Peru e Argentina, ganhando os donos da casa no tie break em um jogo muito emocionante.
No dia da grande final, senti um arrepio ao entrar no Miguel Grau, ginásio dito amaldiçoado pelos peruanos, uma vez que havia alguns Campeonatos que o Peru estava disputando títulos e não ganhava.  Eles tiveram três eliminações em torneios internacionais desde 2008 nesse ginásio. Acredito que dizem ter fantasma porque o Complexo Miguel Grau fica em frente a dois enormes Cemitérios.
A grande final foi um lindo e emocionante jogo. Acredito que além das 12 atletas e comissão técnica, estavam lá torcendo pela Seleção Brasileira, Rafael Petry, técnico da Seleção Colombiana que além de brasileiro é Gaúcho, o técnico Antonio Rizolla que é Diretor de Seleções da CBV, uma moça da imprensa brasileira e nós, eu a minha irmã Marcia.

Os outros 6000 presentes eram torcedores peruanos que viram seu Peru ser Campeão Sul Americano após 32 anos sem nenhuma vitória, 3×2 na decisão! Para eles foi ganhar a Copa do Mundo… o país parou, todos sabiam do jogo, todos assistiram ao jogo e inclusive a sua reprise 24 horas após… 80% dos jornais tinham o Peru Campeão em sua capa, enfim, eles respiram o Vôlei!

Todos os jornais peruanos no dia seguinte à vitória - Arquivo Pessoal

Foi uma experiência única e inesquecível, claro que a idéia era trazer o Ouro para casa, mas não foi possível por diversos fatores. É capaz de eu ser  “mal entendida” pelo que vou escrever, porém mesmo que o “preço” tenha sido ver nossas meninas tristes, eu posso dizer que estive num evento desportivo que entrou para a história do Peru.  Fiquei triste também, é claro, mas no esporte é assim, um vence e o outro perde, e naquele 26 de novembro foi o dia do Peru vencer e fazer o país parar e comemorar seu título!
TODAS as mídias no momento seguinte, e nos dias seguintes ao término do jogo tinham esse assunto, rádios, canais de TV, inclusive com transmissão ao vivo da frente do hotel de las Campeonas…

Dia seguinte, e a final ainda era o assunto do país - Foto Arquivo Pessoal

Foi bonito, foi mágico, foi emocionante!

Ranking brasileiro de eleições em clubes de futebol - dez/2012

17 de dezembro de 2012 5

A eleição deste sábado no Internacional se tornou a terceira maior da história do futebol brasileiro. Apesar de ter sido apenas para a escolha dos respresentantes no Conselho Deliberativo do clube, mais de 11 mil colorados participaram neste calorento 15 de dezembro em Porto Alegre.

Mesmo sem a possibilidade de escolha do presidente, já que Giovanni Luigi foi reeleito ainda no primeiro turno, o total de presentes ficou atrás apenas da eleição colorada para presidente em 2010 (também com Giovanni Luigi como vencedor), e a eleição gremista que conduziu Fábio Koff este ano.

Eleição para o Conselho Deliberativo 2012 - Fotos: Jefferson Bernardes/Preview.com

Fora a dupla Gre-Nal, que tem os dois maiores quadros associados do país, apenas Atlético-PR (em 6º lugar) e Sport (em 10º) estão entre os maiores pleitos da história.

CONFIRA O RANKING ATUALIZADO

  1. Internacional - 2010 – 16.924 votos – Eleição de Giovanni Luigi
  2. Grêmio - 2012 – 13.547 votos – Eleição de Fábio Koff
  3. Internacional -2012 – 11.714 votos – Eleição proporcional do Conselho Deliberativo
  4. Internacional - 2008 – 7.473 votos – Reeleição de Vittorio Píffero
  5. Grêmio - 2008 – 5.365 votos – Eleição de Duda Kroeff
  6. Atlético-PR – 2011 – 4.794 votos – Eleição de Mário Celso Petraglia
  7. Grêmio - 2010 - 4.624 votos – Eleição proporcional do Conselho Deliberativo
  8. Internacional - 2001 – 4.171 – Eleição de Fernando Carvalho
  9. Internacional - 2004 - 3.977 votos – Reeleição de Fernando Carvalho
  10. Sport - 2008 – 3.457 votos – Eleição de Sílvio Guimarães

VEJA TAMBÉM

Grêmio 2012: Os números finais, recordistas e mais dados estatísticos da temporada!

05 de dezembro de 2012 9

A temporada 2012 terminou para o Grêmio com um gostinho de decepção. Afinal, o time fez uma temporada muito boa, foi protagonista em todas as competições (Gauchão, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e Campeonato Brasileiro), mas fracassou nos momentos cruciais e termina a temporada tal qual 2011: sem títulos. Pior, sem chegar a uma única final.

A “Era Olímpico” acabou e quando o Grêmio entrar oficialmente em campo pela próxima temporada, já estará instalado na novíssima e moderna “Arena do Grêmio”, no bairro Humaitá aqui em Porto Alegre. Foi um ano nostálgico para todos os gremistas, que se despediram de sua casa após 58 anos de história.

Velho Olímpico em seu último ano de existência - Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

A nova casa gremista terá a chance de sediar jogos da Libertadores em 2013, fruto do 3º lugar no Brasileirão. O técnico também, já que mesmo com a mudança de diretoria (entrando o mítico Fábio Koff no lugar do sempre polêmico Paulo Odone), a comissão técnica foi mantida, sob comando de Wanderley Luxemburgo.

E quanto aos números? Bem, a temporada 2012 mostra um Grêmio extremamente eficiente. Fez 126 gols em 75 jogos, um número considerado bom, mas o resultado final foi excelente: 66% de aproveitamento em 2012. 25 gols saíram de rebotes ou roubadas de bola, 8 de falta, 8 de pênalti e 3 gols foram contra.

O volante Fernando foi quem mais jogou, impressivos 67 de 75 jogos, seguido de longe pelo também volante Souza (60 jogos), Léo Gago, Marquinhos e Marcelo Moreno (todos com 55 partidas).

O artilheiro foi Marcelo Moreno, com 21 gols, seguido de longe por Kléber (15 gols) e André Lima (13), porém Kléber fez a maioria dos gols no 1º semestre. Já nos passes para gol, o especialista em bola parada Marco Antônio liderou com 10 assistências, seguido por Elano (9), Kléber e Moreno (ambos com 7).

Com a torcida empolgada, uma ótima base de time e um estádio novo, os prognósticos são alvissareiros para 2013. Vamos conferir.
NÚMEROS

  • Jogos: 75
  • Vitórias: 45
  • Empates: 15
  • Derrotas:15
  • Gols pró: 126
  • Gols contra: 67
  • Saldo: 59
  • Esquema tático mais usado: 4-4-2 por 63 vezes (em 17 jogos com 3 volantes), depois 4-3-3 e 4-5-1 (4 vezes cada)
  • Maior goleada: Grêmio 5×0 Novo Hamburgo, Campeonato Gaúcho
  • Pior derrota: Corinthians 3×1 Grêmio, Campeonato Brasileiro/Millionários-COL 3×1 Grêmio, Copa Sul-Americana
  • Maior série invicta: 15 jogos
  • Maior sequência de vitórias: 7
  • Maior série sem vencer: 3 (duas vezes)
  • Maior sequência de derrotas: 2 (duas vezes)
  • Quem mais jogou: Fernando, 67 partidas
  • Artilheiro: Marcelo Moreno, 21 gols
  • Maior assistente: Marco Antônio, 10 passes para gol
  • Gol mais bonito: Marco Antônio, Fortaleza 0×2 Grêmio, Copa do Brasil
  • Craque da temporada: Zé Roberto
  • Decepção da temporada: Kléber
  • Revelação da temporada: Werley
  • Total de contratações (grupo principal): 20 atletas
  • Total de liberações (grupo principal):  21 atletas
  • Contratação furada de 2012: Sorondo
  • Contratação acertada de 2012: Zé Roberto
  • Pior jogo: São José 2×1 Grêmio, Campeonato Gaúcho
  • Melhor jogo: Grêmio 1×0 Fluminense, Campeonato Brasileiro
  • Momento crucial da temporada: derrota para o Palmeiras no Olímpico pelas semifinais da Copa do Brasil
  • Momento brilhante: A chegada de Elano e Zé Roberto na metade da temporada
# Jogador Gols
1 Marcelo Moreno 21
2 Kléber 15
3 André Lima 13
4 Werley 9
5 Elano 8
Leandro 8
7 Fernando 7
Léo Gago 7
9 Bertoglio 5
Marco Antônio 5
11 Miralles 4
Naldo 4
Zé Roberto 4
14 Marquinhos 3
Souza 3
16 Douglas Grolli 2
Gabriel 2
18 Anderson Pico 1
Gilberto Silva 1
20 Vílson 1
Perlaza (contra) 1
Fernando Belém (contra) 1
Wágner (contra) 1
Total 126
# Jogador Assistências
1 Marco Antônio 10
2 Elano 9
3 Kléber 7
Marcelo Moreno 7
5 Zé Roberto 6
6 Bertoglio 5
Marquinhos 5
8 Edílson 4
Fernando 4
Léo Gago 4
Souza 4
12 Gabriel 3
Miralles 3
14 Felipe Nunes 2
Pará 2
16 Douglas Grolli 1
Gilberto Silva 1
Guilherme Biteco 1
Leandro 1
Naldo 1
Rondinelly 1
22 Tony 1
Rebote/Roubada 25
Pênalti 8
Falta 8
Gol Contra 3
# Atleta/Jogo TOTAL
1 Fernando 67
2 Souza 60
3 Léo Gago 55
4 Marcelo Moreno 55
5 Marquinhos 55
6 Pará 54
7 André Lima 53
8 Gilberto Silva 52
9 Marco Antônio 51
10 Kléber 49
11 Werley 49
12 Leandro 38
13 Marcelo Grohe 38
14 Victor 36
15 Zé Roberto 34
16 Naldo 33
17 Elano 30
18 Gabriel 29
19 Vílson 27
20 Anderson Pico 26
21 Edílson 21
22 Júlio César 17
23 Bertoglio 15
24 Miralles 15
25 Rondinelly 14
26 Tony 11
27 Douglas Grolli 9
28 Saimon 8
29 Bruno Collaço 6
30 Felipe Nunes 6
31 Mário Fernandes 5
32 Douglas 3
33 Guilherme Biteco 3
34 Felipe Guedes 2
35 Yuri Mamute 2
36 Dener 1
37 Pablo 1
TOTAL

VEJA TAMBÉM

  • Grêmio estatísticas 2011: Douglas tem 55 jogos na temporada
  • Grêmio, estatísticas 2010: jogos, gols, assistências – 136 gols em 70 jogos!
  • Grêmio, estatísticas 2009: jogos, gols, assistências
  • ESPECIAL: Estádio Olímpico e suas estatísticas finais de 58 anos de história!

    03 de dezembro de 2012 13

    Ontem encerrou-se o capítulo oficial da história do estádio Olímpico Monumental. Palco de 58 anos dos jogos do Grêmio Foot-Ball Portoalegrense, a velha casa Tricolor deixará de existir em 2013.

    Se despediu com um 0×0 tumultuado, contra seu arquirrival Internacional em um jogo decisivo do Campeonato Brasileiro, depois de ter iniciado a sua trajetória em um 2×0 sobre o Nacional de Montevidéu, Torneio de Inauguração do estádio em 1954

    O Almanaque Esportivo compilou as mais significativas (ou não) estatísticas da história do Grêmio.  Foram  1764 jogos, 1156 vitórias, 382 empates e e sofreu 226 derrotas. Marcou 3498 gols e sofreu 1303 (dados do @tribunagremista, o grande Bruno Coelho).

    Em Gre-Nais foram 123 jogos, 41 vitórias, 48 empates e 34 derrotas, 152 gols marcados e 132 gols sofridos.


    Primeiro jogo: Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeira vitória: Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeiro gol: Vítor (Grêmio), em Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeiro gol gremista: Vítor (Grêmio), em Grêmio 2×0 Nacional-URU, torneio de inauguração do estádio em 19/09/1954
    Primeira derrota: Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol sofrido: Jerônimo (Inter), em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeira vitória em Gre-Nais: Grêmio 2×1 Internacional, Campeonato Citadino 1955 em 24/07/1955
    Primeira derrota em Gre-Nais: Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol marcado em Gre-Nais: Sarará (Grêmio),em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol gremista em Gre-Nais: Sarará (Grêmio),em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro gol colorado em Gre-Nais: Jerônimo (Inter), em Grêmio 2×6 Internacional, torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Maior público oficial: Grêmio 0×1 Ponte Preta, Brasileiro de 1981 – 98.421 (85.751 pagantes) em 26/04/1981- OBS: sobre este jogo existe uma polêmica, já que nas sociais era necessário 4 ingressos dos ditos “normais” e todos foram contabilizados como torcedores individuais. A prova da confusão é que o segundo maior público do Olímpico é de simplesmente 24 mil torcedores a menos, 74,238 torcedores em Grêmio 0×0 Flamengo pela final do Brasileiro de 1982. Quem quiser contribuir, informe. O Renato Rangel Torres fez um ótimo comentário, olhem mais abaixo.
    Primeiro título no estádio: Internacional, campeão do torneio de inauguração do estádio em 26/09/1954
    Primeiro título do Grêmio na “Era Olímpico”: Campeonato Gaúcho de 1956, batendo o Pelotas fora de casa na final
    Primeira finalíssima do Grêmio em seu próprio estádio: Grêmio 3×0 Guarany-Bagé, Campeonato Gaúcho 1958 em 11/03/1959
    Primeiro jogo internacional oficial: Grêmio 0×0 São Paulo, Copa Libertadores 1982 em 03/09/1982
    Primeiro jogo de Copa Libertadores: Grêmio 0×0 São Paulo, Copa Libertadores 1982 em 03/09/1982
    Primeiro jogo da Seleção Brasileira: Brasil 3×0 Bulgária, amistoso em 28/10/1981
    Último jogo: Grêmio 0×0 Internacional, Campeonato Brasileiro em 02/12/2012
    Última vitória: Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 20120 em 12/11/2012
    Último gol: Marcelo Moreno (Grêmio), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Último gol gremista: Marcelo Moreno (Grêmio), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Última derrota: Grêmio 1×2 Portuguesa, Campeonato Brasileiro 2012 em 13/08/2012
    Último gol sofrido: Rogério Ceni (São Paulo), Grêmio 2×1 São Paulo, Campeonato Brasileiro 2012 em 12/11/2012
    Último gol marcado em Gre-Nais: Bolívar (Inter), Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Último gol gremista marcado em Gre-Nais: Marcelo Moreno, Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Último título no estádio: Internacional, Campeonato Gaúcho 2011 em 15/05/2010
    Último título gremista da “Era Olímpico”: Grêmio, Campeonato Gaúcho 2010 em 02/05/2010
    Último título gremista no estádio: Grêmio, Campeonato Gaúcho 2010 em 02/05/2010
    Último gol colorado em Gre-Nais: Bolívar (Inter), Grêmio 2×2 Internacional, Campeonato Gaúcho 2012 em 05/02/2012
    Menor público do Olímpico: 55 pagantes em Juventude 2×1 Portuguesa, Campeonato Brasileiro 1997 em 03/12/1997 - OBS: O menor público do Grêmio foi de 271 pagantes no jogo Grêmio 2×0 Esportivo, Campeonato Gaúcho em 07/07/1994
    Último jogo internacional oficial: Grêmio 1×0 Millionários-COL, Copa Sul-Americana 2012 em 30/10/2012
    Último jogo de Copa Libertadores: Grêmio 1×2 Universidad Católica-CHI, Copa Libertadores 2011 em 26/04/2011
    Último jogo da Seleção Brasileira: Brasil 2×0 Paraguai, Eliminatórias para o Mundial 2002 em 15/08/2001
    Observações finais: em caso de erros ou omissões, mandem e-mail ou deixem  comentários!

    Adeus, velho Olímpico! - Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS