Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de fevereiro 2013

Gauchão pode evoluir: uma proposta de mudança no calendário do estadual

11 de fevereiro de 2013 19

O Almanaque Esportivo segue na luta por uma evolução do Campeonato Gaúcho. Depois de mostrar que, ano após ano, a Federação Gaúcha de Futebol não sabe fazer a tabela do Gauchão e que um Estadual com apenas 12 times, 1o do interior e mais a dupla Gre-Nal seria muito mais rentável, sem mudar nada na formatação do futebol gaúcho, vamos a um passo adiante.

O Maurício Klaser e o Franco Garibaldi, do TodaCancha, me ressaltaram a questão do que fazer com os times do interior no resto do ano. A idéia proposta por mim no post anterior não deixa isto claro.

Sendo assim, as idéias e a campanha lançada em 2012no Blog TodaCancha pode ser posta em prática. Eu defendo a redução de datas e de times na Série A, e isto é perfeitamente atendida na proposta abaixo, que englobaria todas as regiões do estado. Vou repetir então, o que foi proposto em 2012:

O texto abaixo foi retirado do Blog Impedimento e o movimento busca uma conversa com Francisco Noveletto, presidente da Federação Gaúcha de Futebol, para expor nossa idéias e rejuvenescer o futebol do nosso interior, fortalecendo as rivalidades locais e pluralizando o acesso a todas as regiões do estado.

Um campeonato verdadeiramente gaúcho

Há algum tempo temos acompanhado discussões em sites com adeptos do futebol do interior gaúcho acerca de um calendário que permitisse aos clubes pequenos jogar futebol o ano inteiro. Atualmente é comum ver alguns clubes jogarem por quatro meses e fecharem seu departamento de futebol, seja por falta de verba, seja por falta de perspectivas. Aproveitando os mais diversos comentários, o Toda Cancha passou a construir um esboço de um calendário para o futebol gaúcho que agradasse à Dupla Gre-Nal – é preciso sempre levar em consideração sua grandeza – e aos clubes pequenos – que forjaram, ao longo de um século, a identidade do futebol gaudério. A proposta foi feita em cima do “ano” 2013/2014, pois seria quando essa hipótese pudesse, de fato, ser concretizada.

Após muito gritaria, chegamos ao que está detalhado abaixo. Um calendário com três competições: Gauchão – Fase Preliminar, Gauchão – Fase Final e Copa RS. Principal torneio do futebol do Rio Grande do Sul, o Gauchão é desmembrado em dois. Na primeira parte, uma proposta semelhante ao que acontecia até 1960 no Estado: 5 grandes zonais. Não haveria mais Segunda ou Terceira divisões e, sim, um campeonato que contemplasse todos os clubes em atividade e que os permitisse chegar ao título gaúcho no ano seguinte, disputando com quem estivesse nas Séries A, B ou C do Brasileirão. Na segunda parte, os campeões zonais disputariam, de fato, o título gaúcho com os “grandes” do Estado.

Procuramos aumentar a pré-temporada para mais de três semanas – e amenizar a choradeira de alguns – e fazer uma proposta com turno e returno e uma finalíssima, para que nenhum clube se desmotivasse e os “pequenos” pudessem enfrentar a Dupla Gre-Nal em seus estádios, além de realizar mais jogos em suas casas. A terceira competição da nossa proposta seria a Copa RS, com os clubes que não conseguiram vagas na Fase Final do Gauchão – novamente divididos em zonas.

Na Segunda Fase entrariam os “eliminados” do Gauchão Fase Final, propiciando uma segunda chance para que os “pequenos” chegassem à Série D, à Copa do Brasil e ao Gauchão – Fase Final. Embora não tenhamos nenhum estudo econômico acerca desse esboço, acreditamos que a regionalização permitirá a redução de custos, a fomentação de velhas e novas rivalidades, interesse da cobertura televisiva – colocamos os jogos dos times interioranos às segundas e sextas porque não há jogos dos “grandes”, e aos sábados para facilitar a vida do torcedor – e chance de todos ambicionarem o título gaúcho e tirarem uma casquinha da Dupla Gre-Nal. CALENDÁRIO – 2013/2014

Gauchão – Fase Preliminar: 5 grupos com turno e returno, disputados por clubes que não estejam nas Séries A, B ou C. Os campeões de cada turno fazem as finais das zonais. O único imbróglio envolve as duas equipes que disputarão a Série D. Nossa proposta é que caso a equipe seja eliminada até a Segunda Fase, ela dispute o Segundo Turno de sua Zonal. Caso avance até à Terceira Fase da Série D, mas não consiga o acesso, dispute um triangular com os campeões de sua zonal. Utilizamos, para exemplificar, as equipes que estiveram em atividade nas diferentes divisões do Campeonato Gaúcho em 2011 (com exceção do já CLAUSURADO Porto Alegre).

* Os nomes das zonas são meramente ilustrativos. Note ainda que as equipes de Passo Fundo e Carazinho, por questões de tradição e proximidade geográfica, tendem a ficar não no grupo da Serra, mas no da Campanha. A questão aqui é exemplificar a economia de distâncias de uma fórmula regionalizada. No caso do Ypiranga de Erechim, mesmo DESLOCADO, ele percorreria muito menos quilômetros do que faz no Gauchão atual (nos jogos fora de casa, entre ida e volta, seriam em média 429 km/jogo, contra 711 km/jogo feitos atualmente). Em relação ao São Luiz de Ijuí, hoje a equipe mais isolada geograficamente da primeira divisão, e que neste exemplo é colocada num grupo realmente regional, as distâncias percorridas cairiam a menos de um terço do que são hoje: cerca de 208 km/jogo contra os atuais 750 km/jogo.

Abaixo, o mapa do Gauchão atual e o mapa do Gauchão proposto:

O calendário:

JULHO

12-13: Início da Gauchão – Fase Preliminar
19-20: 2ª rodada do Gauchão
26-27: 3ª rodada do Gauchão

AGOSTO

2-3: 4ª rodada do Gauchão
9-10: 5ª rodada do Gauchão
16-17: 6ª rodada do Gauchão
23-24: 7ª rodada do Gauchão
30-31: 8ª rodada do Gauchão

SETEMBRO

6-7: 9ª rodada do Gauchão (Final do 1º Turno)
13-14: 10ª rodada do Gauchão
20-21: 11ª rodada do Gauchão
27-28: 12ª rodada do Gauchão

OUTUBRO

4-5: 13ª rodada do Gauchão
11-12: 14ª rodada do Gauchão
18-19: 15ª rodada do Gauchão
25-26: 16ª rodada do Gauchão

NOVEMBRO

1-2: 17ª rodada do Gauchão
8-9: 18ª rodada do Gauchão (Final do 2º Turno)
15: Primeiros jogos das finais zonais
22: Segundos jogos das finais zonais

Gauchão – Fase Final: disputado por 10 times em dois turnos. Os campeões de cada turno fazem a final. Vaga cativa: quem estiver nas Séries A, B ou C e eventual rebaixado à Série D. Juntam-se a eles os campeões regionais da primeira fase e o campeão e vice da Copa RS.

Caso o número de gaúchos nas três principais divisões brasileiras aumente, o número de participantes pode ser modificado – até 12 – assim como sua forma de disputa – dois grupos com turno e returno.

Os dois melhores colocado fora a Dupla Gre-Nal garantem vagas na Copa do Brasil do ano seguinte. O melhor colocado sem divisão conquista uma vaga à Série D e os demais eliminados entram na Segunda Fase da Copa RS (ver abaixo).

JANEIRO

1-23: pré-temporada
24-25: começo do Gauchão
29-30: 2ª rodada do Gauchão

FEVEREIRO

1-2: 3ª rodada do Gauchão
5-6: 4ª rodada do Gauchão
8-9: 5ª rodada do Gauchão
12-13: 6ª rodada do Gauchão
15-16: 7ª rodada do Gauchão
19-20: 8ª rodada do Gauchão
22-23: 9ª rodada do Gauchão (final do 1º turno)

MARÇO

1-2: 10ª rodada do Gauchão
5-6: 11ª rodada do Gauchão
8-9: 12ª rodada do Gauchão
15-16: 13ª rodada do Gauchão
22-23: 14ª rodada do Gauchão
26-27: 15ª rodada do Gauchão
29-30: 16ª rodada do Gauchão

ABRIL

2-3: 17ª rodada do Gauchão
5-6: 18ª rodada do Gauchão (final do 2º turno)
13: Primeiro jogo da final do Gauchão
20: Segundo jogo da final do Gauchão

Copa RS: 5 grupos com turno e returno dentro das chaves regionais lá de cima.

Passam os 3 melhores de cada chave + os 3 melhores 4º colocados em aproveitamento. Os campeões de cada grupo levam 1 ponto de bonificação à Segunda Fase.

Repescagem: 15 equipes desclassificadas da Primeira Fase. Dividem-se em 4 grupos; três com 4, um com três. Turno e returno e o campeão de cada grupo avança ao Mata-Mata

Segunda Fase: 18 equipes da Primeira Fase + 6 “eliminados” do Gauchão. Essas 24 equipes formam 6 grupos de 4, onde jogarão em turno e returno, passando os 2 melhores por grupo ao Mata-mata. Os cabeças-de-chave serão os campeões dos grupos da primeira fase e o “melhor eliminado” do Gauchão – que também leva 1 ponto de bonificação.

Mata-mata: 4 da Repescagem + 12 da Segunda Fase. Matam-se, em ida e volta, até sair o campeão, que irá à Série D. E tanto o campeão quanto o vice garantem vagas na Copa do Brasil e na Fase Final do Gauchão

FEVEREIRO

31-1: Início da Copa RS
3-4: 2ª rodada da Copa RS
7-8: 3ª rodada da Copa RS
10-11: 4ª rodada da Copa RS
14-15: 5ª rodada da Copa RS
17-18: 6ª rodada da Copa RS
21-22: 7ª rodada da Copa RS
24-25: 8ª rodada da Copa RS

MARÇO

28-1: 8ª rodada da Copa RS
3-4: 9ª rodada da Copa RS
7-8: 10ª rodada da Copa RS
10-11: 11ª rodada da Copa RS
13-14: 12ª rodada da Copa RS
17-18: 13ª rodada da Copa RS
21-22: 14ª rodada da Copa RS
24-25: 15ª rodada da Copa RS
28-29: 16ª rodada da Copa RS

ABRIL

31-1º: 17ª rodada da Copa RS
4-5: 18ª rodada da Copa RS (Final da Primeira Fase)
11-12: Início da Segunda Fase e da Repescagem
18-19: 2ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
25-26: 3ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem

MAIO

2-3: 4ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem
9-10: 5ª rodada da Copa Segunda Fase e da Repescagem
16-17: 6ª rodada da Segunda Fase e da Repescagem (Final de ambas as fases)
23-24: Oitavas-de-Final (ida)
30-31: Oitavas-de-Final (volta)

JUNHO

6-7: Quartas-de-Final (ida)
13-14: Quartas-de-Final (volta)
16-17: Semi-final (ida)
20-21: Semi-final (volta)
24: Final (ida)
28: Final (volta)

Assina a redação do Toda Cancha (assina embaixo a do Impedimento e mais abaixo ainda o Almanaque Esportivo)

Querem acabar com "time reserva", "time B" no Gauchão? REDUZAM PARA 12 TIMES

09 de fevereiro de 2013 18

Ano após ano, sistematicamente, a mesma reclamação proveniente dos dois grandes da capital, e sempre do time pequeno do interior irritado com time reserva, perdendo uma ótima receita no Campeonato Estadual. O Gauchão utiliza TODAS as 23 datas disponibilizadas pela CBF e é exatamente este o principal motivo pelo qual tanto Grêmio quanto Internacional jogam diversas vezes com time reserva, muitas vezes até com o time B (o grupo reserva do reserva, que nem trabalha com os principais).

Grêmio B x Canoas - Jogo inutil - Foto: Félix Zucco

Mas isto ocorre devido ao absurdo número de participantes: 16. Depois do rentável Campeonato Paulista (que tem 20), o pequeno estado do Rio Grande do Sul é o que tem mais times no estadual. O Campeonato Mineiro, de um estado equivalente ao RS, tem só 12 times, mesmo número do Paranaense.

Quando Grêmio e Inter se classificam para a Libertadores, ainda mais via Pré-Temporada, a superposição de datas chega às raias da loucura: em 2010 o Inter jogou um mata-mata do 1º tuno 48h antes da estréia na Libertadores, teve que jogar com time B e foi eliminado. Em 2012, o Inter jogou 24 horas depois de jogo da Libertadores, algo repetido pelo Grêmio 2x este ano!

Mantendo a fórmula, mas reduzindo o número de times, dá para fazer um Gauchão com 17 datas, 12 participantes:

  • Dois grupos de seis times
  • Jogos entre os grupos no 1º turno (6 jogos)
  • Classificam-se os 2 primeiros no 1º turno
  • Semifinal e final, ambas em jogo único na casa do time de melhor campanha
  • Jogos dentro do mesmo grupo no 2º turno (5 jogos)
  • Classificam-se os 2 primeiros no 2º turno
  • Semifinal e final, ambas em jogo único na casa do time de melhor campanha
  • Se o campeão não for o mesmo nos dois turnos (Taça Piratini e Farroupilha), finais com jogos de ida e volta
  • Total: 11 jogos na fase de grupos + 4 nos mata-mata + 2 em uma possível grande decisão = 17 datas.

Lajeadense x Inter reserva - outra inutilidade - Foto: Diego Vara

Simples, não? Imaginem que nos últimos 4 anos, desde 2009 utilizando esta fórmula, em nenhuma vez Grêmio ou Internacional usaram reservas por mais de seis rodadas. Ou seja, exatamente esta a diferença.

Sei que os clubes do interior morrem de medo de, na redução de 16 para 12 times, o time deles seja rebaixado.

Mas não é possível que eles vejam seu próprio produto, talvez o único que eles possuem de ampla exposição de sua marca, seja sistematicamente diminuído por jogos do time reserva.

O que seria mais interessante para o São Luiz, de Ijuí: jogar contra o time B do Grêmio ou contra os titulares? Nem preciso dizer, né?

Mas é necessário coragem para tomar decisões como estas.

E não vejo isto na Federação Gaúcha de Futebol.

Nem nos clubes do Gauchão.

VEJA TAMBÉM

E a Federação Gaúcha segue incapaz de fazer uma tabela decente do Gauchão!

07 de fevereiro de 2013 8

Em mais uma temporada, o Almanaque Esportivo vem aqui mostrar os erros grosseiros da Federação Gaúcha de Futebol em montar uma tabela coerente de jogos.  Desde 2009 a pessoa responsável por montar a tabela é incapaz de acertar distorções como um mesmo time da dupla jogar quatro vezes seguidas como mandante ou visitante contra um time do interior, ao invés de simplesmentar alternar, ano após ano, os mandos de campo.

Ontem tivemos mais um exemplo: foi a terceira vez seguida que o Inter enfrentou o Lajeadense em Lajeado, desde que este time subiu para a Primeira Divisão em 2011. Já o Grêmio semana passada pelo 3º ano de 4 temporadas o São Luiz em Ijuí (OBS: obrigado Rafa Kieling pela correção). A situação mais ridícula ocorreu em Santa Cruz do Sul: o Inter jogou seis vezes seguidas contra os times de lá, Santa Cruz e Avenida, no Beira-Rio, enquanto o Grêmio jogava no interior.

O que é mais estarrecedor é que, de acordo com o presidente da FGF Francisco Novelletto, o Gauchão serve muito para que as comunidades do Interior assistam os times grandes da capital. Então porque ele não satisfaz a todos? O Inter não joga em Pelotas desde 2009, enquanto o Grêmio não joga em Lajeado há quase QUINZE ANOS.

  • 2008 a 2011 - Inter joga seis vezes em Porto Alegre contra times de Santa Cruz do Sul consecutivamente. Às vezes mais de uma vez no mesmo ano (contra o Santa Cruz e Avenida). Enquanto isto, o Grêmio jogava fora de casa contra os mesmos times. Isto foi relatado DUAS VEZES aqui no Almanaque Esportivo, a última em 2010.
  • 2008, 2009, 2011 e 2013 – Inter joga contra o São José no Passo D’Areia, enquanto o Grêmio pegava o mesmo time no Olímpico. Detalhe: o Inter já tinha jogado com o Zequinha em 2006 e 2007 no Passo D’Areia.
  • 2009 a 2012 – FGF não consegue colocar a dupla Gre-Nal com número equilibrado de jogos em casa: às vezes um time joga 10 em POA e o outro 7. Bizarro. Isto foi levantado pelo blog Grêmio 1983 na época.
  • 2010 a 2013 – Internacional enfrenta o Pelotas pela 4º vez consecutiva em Porto Alegre, enquanto o Grêmio joga sempre em Pelotas. Ridículo.
  • 2009 a 2013 – Internacional enfrenta o Juventude 4 vezes consecutivamente em Porto Alegre. O Grêmio em Caxias.
  • 2009 a 2013 – Grêmio enfrenta o Caxias 4 vezes consecutivamente em Porto Alegre. O Inter em Caxias.
  • 2009 a 2012 – Grêmio joga 3 vezes contra o Ypiranga em Erechim e só 1 em POA. Inter em Porto Alegre.
  • 2010 a 2013 – Grêmio joga 3 vezes em 4 anos contra o São Luiz em Ijuí. Já o Inter em Porto Alegre.
  • 2011 – Ciente de que o Grêmio teria que jogar a pré-Libertadores e o Inter teria folga estendida após o Mundial, a FGF mantém data do Gre-Nal em Rivera para final de janeiro. Resultado: o Tricolor jogou com reservas, e o Colorado com seu time Sub-23. 4 mil pessoas no jogo, absolutamente ridículo.
  • 2009 a 2012 – Veranópolis enfrentou Caxias E Juventude em casa na fase regular de jogos.

VEJA TAMBÉM

Sábado, 31 de maio de 2008
Regulamentos idiotas, parte I – O jogo que o time fez gol contra de propósito

Terça-feira, 03 de junho de 2008
Regulamentos Idiotas, parte II – O dia que o Grêmio jogou para perder

Quarta-feira, 04 de junho de 2008
Regulamentos idiotas, parte III – O dia que o Náutico jogou para perder

Sexta-feira, 29 de maio de 2009
Regulamentos idiotas, IV: Série D 2009, ou ‘como comparar laranjas com melancias’