Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2013

Golaço de calcanhar marca rodada do Paranaense: veja gols semelhantes

12 de março de 2013 0

Neílson, do Londrina, entrou nas manchetes deste final de semana após um golaço de calcanhar no Campeonato Paranaense. No jogo Toledo 0×1 Londrina, o jogador marcou após aparar cruzamento, sem a bola cair e de costas para o gol. Vejam o lance:

Imediatamente lembrei de outros dois lances parecidos, ocorridos no Campeonato Italiano. Em 1999, o atacante italiano Roberto Mancini, hoje técnico do Manchester City, fez um gol antológico contra o Parma, jogando pela Lazio. Em escanteio, Mancini fez isto:

Já em 2003, na temporada 2003/04, foi a vez do brasileiro Mancini (curioso, né? Mesmo nome!). Jogando pela Roma, ele marcou um golaço  na vitória de 2×0 sobre a arquirrival Lazio. O gol ficou famoso pelo apelido “Tacco di Dio“:


Em 2012 eu citei outros três gols parecidos: um na Copa da Liga Francesa, outro no Campeonato Brasileiro Série C e mais um, desta vez na final da Copa dos Campeões de 1987. Confiram:

Lance absurdo no Campeonato Escocês reabre polêmica sobre chip na bola

11 de março de 2013 0

O clássico de Edimburgo entre Hibernians e Hearts terminou em 0×0 no último sábado e causou muita polêmica, com comentários sobre a urgente adoção do chip na bola, algo que a FIFA já liberou nestes últimos meses.

Isto por causa da cegueira do trio de arbitragem comandado por Euan Norris no derby escocês. O árbitro e seus assistentes não viram uma bola que entrou pelo menos meio metro após falta cobrada por Leigh Griffins, do Hibs, aos 32 do segundo tempo.

Chute de Griffins entrou meio metro, mas juiz não viu - Foto: captura de vídeo

A belíssima cobrança bateu no travessão, caiu atrás do goleiro Jamie MacDonald, e entrou no gol. Seria a primeira vitória do Hibernians desde 2009 no segundo clássico mais importante do futebol escocês:

O lance imediatamente lembrou o chute de Frank Lampard em 2010, na Copa do Mundo contra a Alemanha, crucial para a eliminação dos ingleses naquele Mundial:

Nos anos 90, um lance grotesco também marcou uma partida do Campeonato Escocês entre Dundee United e Partick Thistle: um atacante chutou, a bola entrou e saiu na rede e o juiz disse que não tinha entrado. Pior, achando que era gol, um zagueiro pegou a bola com a mão para retornar ao meio-campo, e o juiz ainda assim não deu o pênalti! Confiram neste post de 2008:

Já em 2008, uma arbitragem calamitosa de Evandro Rogério Roman no jogo Londrina 2×1 Engenheiro Beltrão também marcou época:

Fechando a cota, uma coletânea de erros graves de Carlos Simon em um momento particularmente ruim do mesmo na arbitragem, em 2009:

Em Ijuí, Inter conquista Taça Piratini e mantém escrita de não perder finais de turno

10 de março de 2013 2

A goleada de 5×0 sobre o São Luiz em Ijuí manteve uma estatística favorável ao Internacional: o time jamais perdeu uma final de turno desde 2009, quando foi implantado o atual regulamento do Gauchão. Com o triunfo na Taça Piratini, são seis conquistas de turno em seis finais disputadas. Além disto, outra estatística favorável: o Inter conquistou todos os segundo turnos do Gauchão disputados desde então, sendo campeão estadual em 3 dos 4 anos.

Em 2009, o Inter ganhou os dois turnos, sendo campeão invicto por antecipação. No primeiro turno, um 2×1 sobre o Grêmio no Beira-Rio e o título da então chamada taça Fernando Carvalho. Já no segundo turno, o histórico (porém não inédito) 8×1 sobre o Caxias, levando a conquista da Taça Fábio Koff e o título gaúcho.

Colorados comemoram Taça Piratini - Foto: Diego Vara/Agência RBS

Em 2010, o Inter venceu o segundo turno batendo o Pelotas por 3×2, levantando a taça Fábio Koff. Já em 2011, com a nova nomenclatura, o Colorado superou o Grêmio nos pênaltis por 4×2, depois de um 1×1 no tempo normal. Finalizando, em 2012 nova vitória, desta vez no segundo turno também sobre o Grêmio pelo placar de 2×1.

O Grêmio conquistou dois turnos desde então: o primeiro turno de 2010 (a Taça Fernando Carvalho), vitória de 1×0 sobre o Novo Hamburgo. Em 2011, em um jogo dramático, um 2×2 no tempo normal e 4×1 nos pênaltis sobre o Caxias.

O outro time a conquistar um turno foi o Caxias, que bateu o Novo Hamburgo por 3×2 nos pênaltis, depois de 1×1 no tempo normal em pleno estádio do Vale. Novo Hamburgo e Pelotas já chegaram na final de turno e nunca venceram (o Nóia 2x).

Confira abaixo todas as conquistas e confrontos:

  1. Internacional – 6 vitórias (1º e 2º turnos em 2009, 2º turno em 2010, 2011, 2012 e 1º turno em 2013)
  2. Grêmio – 2 vitórias (1º turno em 2010 e 2011), 3 derrotas (1º turno em 2009, 2º turno em 2011 e 2012)
  3. Caxias – 1 vitória (1º turno em 2012), 2 derrotas (1º turno em 2011, 2º turno em 2009)
  4. Pelotas – 1 derrota (2º turno em 2010)
  5. São Luiz – 1 derrota (1º turno em 2013)
  6. Novo Hamburgo – 2 derrotas (1º turno em 2010, 2º turno em 2013)

Todas as nove finais:

2009

  • Internacional 2×1 Grêmio – Taça Fernando Carvalho
  • Internacional 8×1 Caxias – Taça Fábio Koff

2010

  • Grêmio 1×0 Novo Hamburgo – Taça Fernando Carvalho
  • Internacional 3×2 Pelotas – Taça Fábio Koff

2011

  • Grêmio (4) 2×2 (1) Caxias – Taça Piratini
  • Internacional (4) 1×1 (2) Grêmio – Taça Farroupilha

2012

  • Novo Hamburgo (2) 1×1 (3) Caxias - Taça Piratini
  • Internacional 2×1 Grêmio – Taça Farroupilha.

2013

  • São Luiz 0×5 Internacional - Taça Piratini

OBS: matéria sugerida após comentário do tuiteiro @juniorcolorado5

Enquanto a CONMEBOL dá vexame, um belo exemplo de esportividade na Europa

07 de março de 2013 8

Enquanto a CONMEBOL hoje divulgou a lamentável decisão da retirada da punição ao Corinthians pelos incidentes que causaram a morte do boliviano Kevin Espada, de apenas 14 anos no jogo contra o São José em Oruro, um momento marcante de civilidade ocorreu ontem no jogo Juventus 2×0 Celtic Glasgow, pela Liga dos Campeões da Europa.

Dois torcedores, um italiano e o outro escocês, trocaram cachecóis pelo vidro de separação das torcidas. Vejam a bonita cena, ocorrida ontem em Turim:

Ninguém aqui está dizendo que os europeus são santos (apesar do histórico de excepcional comportamento dos escoceses em todas as competições).  Ao longo da história, as maiores violências em estádios de futebol e fora deles envolvendo este esporte ocorreram no continente europeu, fora os atos de fascismo, xenofobia e racismo.

Mas há esperança.

Para a CONMEBOL, a morte do garoto Kevin custou 210 mil dólares, 200 mil de multa ao Corinthians e 10 mil ao San José.  Inúteis, descompromissadas e desesperadas por valores financeiros, CBF e FIFA nada fazem para mudar esta triste realidade. Se vê algo diferente na UEFA, mas ainda é muito pouco.

Porém… Imagens como estas lembram que o futebol, afinal, não está perdido.

E que a humanidade ainda tem uma chance…

VEJA TAMBÉM

ESTATÍSTICAS - Dados e mais dados de Grêmio e Internacional desde 2005!

04 de março de 2013 7

Quando comecei a escrever o Almanaque Esportivo (lá em 2007, olhem o post de estréia), sempre me ressenti da ausência de dados básicos de estatísticas de Grêmio e Internacional:

Sendo assim, comecei um paciente e trabalhoso estudo sobre os dados da Dupla Gre-Nal. Primeiro contabilizei os resultados, mais gols e assistências. Desde 2011, ainda registro a escalação, para saber o desempenho dos atletas de maneira ainda mais organizada.

Exemplo das estatísticas disponibilizadas - Arquivo Pessoal

Também tenho outras estatísticas: uma de categorias de base,  outra de média de público e uma terceira com aproveitamento de times campeões brasileiros.

No primeiro, os resultados da Dupla Gre-Nal em quase todos os principais torneios desde a categoria Sub-10.

No segundo, os dados que consegui sobre média de público comparativa entre Grêmio e Inter nos Campeonatos Brasileiros.

Na planilha final, o aproveitamento dos times campeões brasileiros desde 1971: quem foi a melhor campanha da história? e a pior?

Aceito colaborações dos internautas!

Golaço de Forlán em Caxias lembra gols nas Copas de 2002 e 2010

04 de março de 2013 1

O golaço de canhota do uruguaio Diego Forlán, na vitória de 2×0 do Internacional sobre o Esportivo, me fez lembrar gols magistrais do atacante em Copas do Mundo. Ambidestro, Forlán sempre marcou muitos gols de fora da área, mas ainda não havia concluído assim no Internacional. Até este domingo, quando marcou duas vezes desta maneira.

Diego Forlán comemora o primeiro dos dois golaços contra o Esportivo - Foto: Mauro Vieira, RBS

O primeiro gol que me veio a mente foi no empate de 3×3 do Senegal com o Uruguai, Copa de 2002. Forlán marcou o primeiro na “remontada” da Celeste, insuficiente para a classificação mas mostrando um talento inegável:

Já em 2010 o gol foi tão bonito quanto. Na semifinal contra a Holanda, Forlán empatou o jogo com este chutaço, em jogo que os sul-americanos perderiam por 3×2: