Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2013

Especial Liga dos Campeões 1999 a 2009 no Almanaque Esportivo

25 de maio de 2013 1

Como aquecimento para a grande final entre os alemães Bayern de Munique e Borussia Dortmund, que chegaram na final da Liga dos Campeões 2012/13 em Wembley. Com campanhas empolgantes e semifinais devastadora, o futebol alemão comprovou sua força na atualidade e tem agradado até os mais fervorosos críticos.

Borussia Dortmund é o azarão - Foto: JOHN MACDOUGALL - AFP

Nada melhor que recuperar as melhores histórias do Almanaque Esportivo ao longo destes anos envolvendo a final da Liga dos Campeões da Europa. Vamos então repetir as histórias de 1999 a 2009? Recontamos a história de dois títulos do Real Madrid, dois do Barcelona, dois do Manchester United, um do Bayern de Munique, outro do Milan, um do Liverpool e finalizando um do Porto. Fico na dívida com 2010 (Internazionale campeã), 2011 (Barcelona campeão) e 2012 (Chelsea campeão), mas prometo que farei um especial sobre elas no início da próxima temporada.

Bayern de Munique é o favorito na final da Liga dos Campeões - Foto: Pierre-Philippe Marcou/AFP

Especial Finais de 1999 a 2007
  • As finais de 1999, 2000 e 2001 – A virada nos acréscimos do Manchester United, o passeio do Real Madrid e o sofrido título do Bayern de Munique
  • As finais de 2002, 2003 e 2004 – O gol antológico de Zidane, a modorrenta vitória nos pênaltis do Milan e o inesperado título do Porto de Mourinho
  • As finais de 2005, 2006 e 2007 – A histórica “remontada” do Liverpool em Istambul, o herói Belletti dá o título ao Barcelona e a “vendetta” do Milan

Especial Final de 2008:

Especial Final de 2009:

EXCLUSIVO - Todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971!

24 de maio de 2013 1

Com exclusividade, o Almanaque Esportivo publica a lista de todos os estádios de futebol já utilizados no Campeonato Brasileiro desde 1971. São 131 estádios divididos em quase todos os estados do país, exceto Rondônia, Tocantins, Acre, Roraima e Amapá. Todo o extenso levantamento foi feito pelo pesquisador Edison Klein ao longo das últimas quatro décadas em seus arquivos pessoais.

O Rio Grande do Sul está representado por nove estádios de seis cidades diferentes: Beira-Rio e Olímpico (Porto Alegre), Centenário e Alfredo Jaconi (Caxias do Sul), Aldo Dapuzzo (Rio Grande), Santa Rosa (Novo Hamburgo), Baixada Melancólica (Santa Maria), Colosso da Lagoa (Erechim) e Bento Freitas (Pelotas). A Arena do Grêmio será o décimo estádio gaúcho no Campeonato Brasileiro.

Maracanã, Mineirão e Morumbi - Estádios mais usados no Brasileirão - Foto: Montagem sobre Arquivo Grupo RBS

O Beira-Rio é o quinto estádio mais utilizado, com 570 jogos e 1395 gols, e certamente será superado pelo Serra Dourada (também com 570 jogos) nesta temporada, já que não irá sediar jogos do Brasileirão (salvo mudança radical nos planos). Já o Olímpico terminou sua história no Brasileirão com 537 jogos e 1316 gols, mas não será superado por ninguém. Os líderes de utilização são, como eu imaginava, Maracanã, Mineirão e Morumbi. Dos cinco primeiros, o Beira-Rio é o que mais foi utilizado por um único time, pois tivemos ainda um jogo do Brasil de Pelotas no Beira-Rio.

Vejam a lista completa nos meus arquivos públicos disponibilizados via Google Drive: 1971 – 2012 – Estádios utilizados no Campeonato Brasileiro

# Estádio/Cidade/Estado Jogos % do Total Gols % do Total Média de Gols
1 Maracanã/Rio de Janeiro-RJ 1.282 8,26% 3.212 8,30% 2,5055
2 Mineirão/Belo Horizonte-MG 1.034 6,66% 2.730 7,05% 2,6402
3 Morumbi/São Paulo-SP 775 4,99% 2.004 5,18% 2,5858
4 Pacaembu/São Paulo-SP 639 4,12% 1.591 4,11% 2,4898
5 Beira-Rio/Porto Alegre-RS 570 3,67% 1.395 3,60% 2,4474
6 Serra Dourada/Goiânia-RJ 570 3,67% 1.512 3,91% 2,6526
7 Couto Pereira/Curitiba-PR 552 3,56% 1.302 3,36% 2,3587
8 Fonte Nova/Salvador-BA 543 3,50% 1.244 3,21% 2,291
9 Olímpico/Porto Alegre-RS 537 3,46% 1.316 3,40% 2,4507
10 Arruda/Recife-PE 419 2,70% 1.065 2,75% 2,5418
11 São Januário/Rio de Janeiro-RJ 415 2,67% 1.170 3,02% 2,8193
12 Vila Belmiro/Santos-SP 400 2,58% 1.142 2,95% 2,855
13 Palestra Itália/São Paulo-SP 347 2,24% 998 2,58% 2,8761
14 Brinco de Ouro/Campinas-SP 346 2,23% 866 2,24% 2,5029
15 Ilha Do Retiro/Recife-PE 312 2,01% 724 1,87% 2,3205
16 Orlando Scarpelli/Florianópolis-SC 262 1,69% 627 1,62% 2,3931
17 Castelão/Fortaleza-CE 260 1,68% 659 1,70% 2,5346
18 Moisés Lucarelli/Campinas-SP 258 1,66% 718 1,86% 2,7829
19 Arena da Baixada/Curitiba-PR 255 1,64% 717 1,85% 2,8118
20 Canindé/São Paulo-SP 241 1,55% 590 1,52% 2,4481
21 Alfredo Jaconi/Caxias do Sul-RS 220 1,42% 529 1,37% 2,4045
22 Machadão/Natal-RN 205 1,32% 491 1,27% 2,3951
23 Barradão/Salvador-BA 203 1,31% 611 1,58% 3,0099
24 Vivaldo Lima/Manaus-AM 196 1,26% 418 1,08% 2,1327
25 Rei Pelé/Maceió-AL 179 1,15% 418 1,08% 2,3352
26 Engenhão/Rio de Janeiro-RJ 178 1,15% 487 1,26% 2,736
27 Pedro Pedrossian/Campo Grande/MS 165 1,06% 360 0,93% 2,1818
28 Batistão/Aracajú-SE 156 1,01% 348 0,90% 2,2308
29 Engenheiro Araripe/Vitória-ES 151 0,97% 295 0,76% 1,9536
30 Pinheirão/Curitiba-PR 149 0,96% 377 0,97% 2,5302
31 Aflitos/Recife-PE 146 0,94% 356 0,92% 2,4384
32 Baenão/Belém-PA 141 0,91% 326 0,84% 2,3121
33 Caio Martins/Niterói-RJ 140 0,90% 364 0,94% 2,6
34 Presidente Vargas/Fortaleza-CE 138 0,89% 281 0,73% 2,0362
35 Albertão/Teresina-PI 137 0,88% 296 0,76% 2,1606
36 Mangueirão/Belém-PA 135 0,87% 388 1,00% 2,8741
37 Durival de Brito/Curitiba-PR 129 0,83% 298 0,77% 2,3101
38 Heriberto Hülse/Criciúma-SC 122 0,79% 294 0,76% 2,4098
39 Independência/Belo Horizonte-MG 121 0,78% 332 0,86% 2,7438
40 Anacleto Campanella/São Caetano-SP 119 0,77% 283 0,73% 2,3782
41 Nhozinho Santos/São Luís-MA 105 0,68% 202 0,52% 1,9238
42 José Fragelli/Cuiabá-MT 102 0,66% 268 0,69% 2,6275
43 Marcelo Stefani/Braganca Paulista-SP 97 0,63% 203 0,52% 2,0928
44 Raulino de Oliveira/Volta Redonda-RJ 94 0,61% 241 0,62% 2,5638
45 Alacid Nunes/Belém-PA 86 0,55% 196 0,51% 2,2791
46 Ernestão/Joinville-SC 82 0,53% 168 0,43% 2,0488
47 Ernani Satiro/Campina Grande-PB 76 0,49% 165 0,43% 2,1711
48 Mané Garrincha/Brasilia-DF 66 0,43% 159 0,41% 2,4091
49 Arena do Jacaré/Sete Lagoas-MG 65 0,42% 185 0,48% 2,8462
50 Pelezão/Brasília-DF 65 0,42% 141 0,36% 2,1692
51 Moca Bonita/Rio de Janeiro-RJ 64 0,41% 133 0,34% 2,0781
52 Almeidão/João Pessoa-PB 63 0,41% 146 0,38% 2,3175
53 Santa Cruz/Ribeirão Preto-SP 61 0,39% 162 0,42% 2,6557
54 Ressacada/Florianopolis-SC 60 0,39% 181 0,47% 3,0167
55 Café/Londrina-PR 58 0,37% 151 0,39% 2,6034
56 Pituacu/Salvador-BA 55 0,35% 112 0,29% 2,0364
57 Laranjeiras/Rio de Janeiro-RJ 53 0,34% 130 0,34% 2,4528
58 Godofredo Cruz/Campos-RJ 52 0,34% 110 0,28% 2,1154
59 Major Levy Sobrinho/Limeira-SP 49 0,32% 116 0,30% 2,3673
60 Bento Freitas/Pelotas-RS 41 0,26% 99 0,26% 2,4146
61 Centenario/Caxias do Sul-RS 41 0,26% 104 0,27% 2,5366
62 Cerejão/Taguatinga-DF 40 0,26% 111 0,29% 2,775
63 Willie Davids/Maringá-PR 40 0,26% 109 0,28% 2,725
64 Pedro Ludovico/Goiânia-GO 39 0,25% 71 0,18% 1,8205
65 Herminio Ometto/Araras-SP 38 0,24% 86 0,22% 2,2632
66 Ipatingão/Ipatinga-MG 38 0,24% 113 0,29% 2,9737
67 Uberabão/Uberaba-MG 38 0,24% 85 0,22% 2,2368
68 Arena Barueri/Barueri-SP 37 0,24% 94 0,24% 2,5405
69 Luso Brasileiro/Rio de Janeiro-RJ 36 0,23% 110 0,28% 3,0556
70 Parque Do Sabia/Uberlândia-MG 28 0,18% 64 0,17% 2,2857
71 Prudentão/Presidente Prudente-SP 28 0,18% 77 0,20% 2,75
72 Bruno Jose Daniel/Santo André-SP 27 0,17% 61 0,16% 2,2593
73 Jonas Duarte/Anápolis-GO 26 0,17% 65 0,17% 2,5
74 João Castelo/São Luis-MA 25 0,16% 60 0,16% 2,4
75 Barão de Serra Negra/Piracicaba-SP 24 0,15% 48 0,12% 2
76 Bezerrão/Gama-DF 24 0,15% 54 0,14% 2,25
77 Luis Viana Filho/Itabuna-BA 24 0,15% 54 0,14% 2,25
78 Municipal/Juiz de Fora-MG 22 0,14% 54 0,14% 2,4545
79 Juca Ribeiro/Uberlândia-MG 19 0,12% 42 0,11% 2,2105
80 Marechal Hermes/Rio de Janeiro-RJ 19 0,12% 51 0,13% 2,6842
81 Martins Pereira/São José-SP 19 0,12% 34 0,09% 1,7895
82 Jóia da Princesa/Feira de Santana-BA 18 0,12% 30 0,08% 1,6667
83 Italo Del Cima/Rio de Janeiro-RJ 17 0,11% 29 0,07% 1,7059
84 Lacerdão/Caruaru-PE 17 0,11% 44 0,11% 2,5882
85 Kleber Andrade/Cariacica-ES 16 0,10% 39 0,10% 2,4375
86 Aldo Dapuzzo/Rio Grande-RS 15 0,10% 28 0,07% 1,8667
87 Indio Conda/Chapecó – SC 15 0,10% 32 0,08% 2,1333
88 Palma Travassos/Ribeirão Preto-SP 15 0,10% 25 0,06% 1,6667
89 Fonte Luminosa/Araraquara-SP 14 0,09% 35 0,09% 2,5
90 Alfredo de Castilho/Bauru-SP 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
91 Ari de Oliveira/Campos-RJ 13 0,08% 24 0,06% 1,8462
92 Caldeirão do Diabo/São José do Rio Preto-SP 13 0,08% 27 0,07% 2,0769
93 Teixeirão/São José do Rio Preto-SP 12 0,08% 36 0,09% 3
94 Arthur Marinho/Corumbá-MG 11 0,07% 28 0,07% 2,5455
95 Vila Olimpica/Curitiba-PR 11 0,07% 22 0,06% 2
96 Zezinho Magalhães/Jaú-SP 10 0,06% 29 0,07% 2,9
97 Coaracy da Mata Fonseca/Arapiraca-AL 8 0,05% 18 0,05% 2,25
98 Ibirapuera/São Paulo-SP 8 0,05% 22 0,06% 2,75
99 Presidente Vargas/Santa Maria-RS 7 0,05% 18 0,05% 2,5714
100 Ronaldo Junqueira/Pocos de Caldas-MG 7 0,05% 11 0,03% 1,5714
101 Colina/Manaus-AM 6 0,04% 8 0,02% 1,3333
102 Edson Passos/Rio de Janeiro-RJ 6 0,04% 20 0,05% 3,3333
103 Leonardo Nogueira/Mossoró-RN 6 0,04% 9 0,02% 1,5
104 Romildo Ferreira/Mogi Mirim-SP 6 0,04% 25 0,06% 4,1667
105 Gávea/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 11 0,03% 2,2
106 JK/Itumbiara-GO 5 0,03% 11 0,03% 2,2
107 Justiniano Mello e Silva/Colatina-ES 5 0,03% 4 0,01% 0,8
108 Melão/Varginha-MG 5 0,03% 7 0,02% 1,4
109 Parque São Jorge/São Paulo-SP 5 0,03% 12 0,03% 2,4
110 Presidente Medici/Brasilía-DF 5 0,03% 11 0,03% 2,2
111 Rua Bariri/Rio de Janeiro-RJ 5 0,03% 7 0,02% 1,4
112 Santa Rosa/Novo Hamburgo-RS 5 0,03% 6 0,02% 1,2
113 Walter Ribeiro/Sorocaba-SP 5 0,03% 13 0,03% 2,6
114 Germano Kruger/Ponta Grossa-PR 4 0,03% 6 0,02% 1,5
115 Jose Lancha Filho/Franca-SP 4 0,03% 6 0,02% 1,5
116 Moacyrzão/Macaé-RJ 4 0,03% 10 0,03% 2,5
117 Colosso da Lagoa/Erechim-RS 3 0,02% 12 0,03% 4
118 Jayme Cintra/Jundiai-SP 3 0,02% 5 0,01% 1,6667
119 Olímpico/Cascavel-PR 3 0,02% 6 0,02% 2
120 Curuzu/Belém-PA 2 0,01% 7 0,02% 3,5
121 Pajuçara/Maceió-AL 2 0,01% 8 0,02% 4
122 Teixeira de Castro/Rio de Janeiro-RJ 2 0,01% 10 0,03% 5
123 Eduardo Guinle/Nova Friburgo-RJ 1 0,01% 1 0,00% 1
124 Joaquinzão/Taubaté – SP 1 0,01% 3 0,01% 3
125 Junco/Sobral-CE 1 0,01% 1 0,00% 1
126 Municipal/Mirassol-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
127 Nogueirão/Mogi das Cruzes-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
128 Primeiro de Maio/São Bernardo do Campo-SP 1 0,01% 3 0,01% 3
129 Socrates Stamato/Bebedouro-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
130 Tancredo Neves/Jataí – GO 1 0,01% 4 0,01% 4
131 Toca Do Leão/Santa Bárbara D’Oeste-SP 1 0,01% 1 0,00% 1
15.518 Total de Jogos 38.702 Total de Gols

Valdomiro e Índio são os 'papa-títulos' da Dupla Gre-Nal; Danrlei vem a seguir

21 de maio de 2013 13

Quem são os jogadores com mais conquistas na história de Grêmio e Internacional? O blog Poester Esporte, do meu amigo de longa data Anderson Poester, fez este interessante levantamento dos jogadores da dupla Gre-Nal. A lista completa tem mais de 40 nomes, mas selecionei os dez primeiros colocados.

Vale lembrar que os jogadores dos anos 60 e 70 são prejudicados porque nesta época haviam poucas competições oficiais em disputa (os Estaduais duravam muitos meses e só havia uma competição nacional), então o levantamento é meramente ilustrativo.

Ao todo, são sete colorados e cinco gremistas. Índio e Valdomiro são os jogadores com mais conquistas oficiais, 13 cada um. Logo a seguir, temos a lenda gremista Danrlei (goleiro) com 12 títulos. Na sequência, três gremistas: a lenda gremista Airton, o atacante Vieira e o lateral-esquerdo Roger, além do goleiro colorado Clemer, ambos com 11. Dos dez primeiros, Aírton jogou por 15 anos no Grêmio e é o recordista em permanência no mesmo clube.

1º – ÍNDIO – 13 TÍTULOS (2005/13)
Campeonatos Gaúchos: 2005, 2008, 2009, 2011, 2012 e 2013
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Recopas Sul-Americanas: 2007 e 2011
Mundial de Clubes: 2006
Copa Sul-Americana: 2008
Copa Suruga Bank: 2009

1º – VALDOMIRO – 13 TÍTULOS (1968/80;1982)
10 Campeonatos Gaúchos: 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978 e 1982
3 Campeonatos Brasileiros: 1975, 1976 e 1979

3º – DANRLEI – 12 TÍTULOS (1993/2003)
Campeonatos Gaúchos: 1993, 1995, 1996, 1999 e 2001
Copas do Brasil: 1994, 1997 e 2001
Copa Libertadores: 1995
Campeonato Brasileiro: 1996
Recopa Sul-Americana: 1996
Copa Sul: 1999

4º – CLEMER – 11 TÍTULOS (2002/09)
Campeonato Gaúcho: 2002, 2003, 2004, 2005, 2008 e 2009
Mundial de Clubes: 2006
Copa Libertadores: 2006
Copa Sul-Americana: 2008
Recopa Sul-Americana: 2007
Copa Suruga Bank: 2009

4º – ROGER – 11 TÍTULOS (1994/2003)
Campeonato Gaúcho: 1995, 1996, 1999 e 2001
Copa do Brasil: 1994, 1997 e 2001
Copa Libertadores: 1995
Campeonato Brasileiro: 1996
Recopa Sul-Americana: 1996
Copa Sul: 1999

4º – VIEIRA – 11 TÍTULOS (1955/1968)

Campeonato Gaúcho: 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968

4º – AÍRTON – 11 TÍTULOS (1954/1968)

Campeonato Gaúcho: 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968

8º – BOLÍVAR – 10 TÍTULOS (2003/06;2008/12)
Campeonato Gaúcho: 2004, 2005, 2009, 2011 e 2012
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Copa Sul-Americana: 2008
Recopa Sul-Americana: 2011
Copa Suruga Bank: 2009

9º – RENAN – 9 TÍTULOS (2006/08; 2010/12)
Campeonato Gaúcho: 2005, 2008, 2011 e 2012
Copa Libertadores: 2006 e 2010
Recopas Sul-Americana: 2007 e 2011
Mundial de Clubes: 2006

10º – MAZARÓPI – 9 TÍTULOS (1983/90)
Campeonato Gaúcho: 1985, 1986, 1987, 1988, 1989 e 1990
Mundial de Clubes: 1983
Libertadores: 1983
Copa do Brasil: 1989

10º – PAULO CÉSAR CARPEGIANI – 9 TÍTULOS (1970/77)
Campeonato Gaúcho: 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976
Campeonato Brasileiro: 1975 e 1976

10º – ESCURINHO – 9 TÍTULOS (1970/77)
Campeonato Gaúcho: 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976
Campeonato Brasileiro: 1975 e 1976

Presidentes da Dupla Gre-Nal: todos os títulos e vice-campeonatos nos últimos 20 anos

20 de maio de 2013 9

Quem foi o presidente mais vitorioso da Dupla Gre-Nal? E quais foram os que conquistaram os títulos mais relevantes? Para organizar o estudo, adotei a “linha de corte” em 20 anos. Ou seja, só contabilizei os títulos de 1991 para cá, citando de passagem os 4 presidentes que comandaram Grêmio e Internacional neste intervalo de tempo e que já tinham sido presidentes anteriormente (Fábio Koff e Paulo Odone no Grêmio, José Asmuz e Pedro Paulo Záchia no Internacional). Este período foi cuidadosamente escolhido para refletir as maiores décadas de títulos de Grêmio e Internacional.

Fábio Koff e Fernando Carvalho - Os presidentes mais vitoriosos da Dupla

No lado gremista, o esperado: Fábio Koff é o presidente com mais títulos. Em cinco anos comandando o Grêmio (considerando-se apenas desde 1991), Koff levantou nada menos que sete títulos, quatro deles muito especiais: Copa do Brasil de 1994, o Brasileirão de 1996, a Recopa Sul-Americana de 1996 e a Libertadores de 1995. Koff foi vice-campeão ainda de 2 Copas do Brasil e do Mundial. Com o título da Copa do Brasil de 2001 e da Copa Sul, José Alberto Guerreiro está na frente de Paulo Odone neste período (se contabilizarmos a história, Odone tem ainda outros quatro Campeonatos Gaúchos e 1 Copa do Brasil).

Pelos caminhos do Beira-Rio, o dirigente com os títulos mais importantes é Fernando Carvalho, com seis conquistas incluindo uma Libertadores em 2006 e o Mundial de Clubes FIFA no mesmo ano. Já Vittorio Piffero também tem seis conquistas, também uma Libertadores (2010), e mais uma Recopa (2007) e uma Copa Sul-Americana (2008). O único presidente colorado no estudo com um título nacional é José Asmuz.

Três presidentes do Internacional (Carvalho, Piffero e o atual, Giovanni Luigi), conquistaram títulos em todos os anos de seu mandato. Apenas Fábio Koff conseguiu a proeza. Outra estatística curiosa: 4 presidentes gremistas e 3 colorados ficaram sem títulos ao longo de todo seu mandato. Os três colorados foram consecutivos, entre 1998 e 2001. O presidente que ficou mais tempo comandando um clube neste período foi Paulo Odone, por seis temporadas, seguido por Fernando Carvalho com cinco anos.

PRESIDENTES DO GRÊMIO NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

TÍTULOS

  • Rafael Bandeira dos Santos: sem títulos
  • Fábio Koff - 1993/96: Campeonato Gaúcho (1993, 1995 e 1996), Copa do Brasil (1994), Recopa Sul-Americana (1996), Campeonato Brasileiro (1996), Copa Libertadores (1995)
  • Luís Carlos Silveira Martins (Cacalo) – 1997/98: Copa do Brasil (1997)
  • José Alberto Guerreiro – 1999/02: Campeonato Gaúcho (1999 e 2001), Copa do Brasil (2001), Copa Sul (1999)
  • Flavio Obino – 2003/04 – sem títulos
  • Paulo Odone – 2005/08 – Campeonato Gaúcho (2006 e 2007), Segunda Divisão (2005)
  • Duda Kroeff – 2009/10 – Campeonato Gaúcho (2010)
  • Paulo Odone – 2011/12 – sem títulos
  • Fábio Koff – 2013 – sem títulos

VICE-CAMPEONATOS IMPORTANTES NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

  • Fábio Koff – 1993/96 – Copa do Brasil (1993 e 1995), Mundial (1996)
  • Paulo Odone – 2005/08 – Copa Libertadores (2007), Brasileiro (2008)

OBS: O atual presidente Fábio Koff também conquistou títulos importantíssimos em sua primeira gestão, nos anos de 1982 e 1983: 1 Copa Libertadores e 1 Mundial, além de ter sido vice-campeão brasileiro em 1982 Já Paulo Odone, também nos anos 80 (entre 1987 e 1990) se sagrou tetracampeão gaúcho e campeão da Copa do Brasil em 1989, e era o presidente na dramática derrota para o Internacional no chamado “Gre-Nal do século” em 1989.

PRESIDENTES DO INTERNACIONAL NOS ÚLTIMOS 20 ANOS

TÍTULOS

  • José Asmuz – 1990/93 – Campeonato Gaúcho (1991 e 1992), Copa do Brasil (1992)
  • Pedro Paulo Záchia – 1994/97 – Campeonato Gaúcho (1994 e 1997)
  • Paulo Rogério Amoretty – 1998/99 – sem títulos
  • Jarbas Lima – 2000 – sem títulos
  • Fernando Miranda – 2001 – sem títulos
  • Fernando Carvalho – 2002/06 – Campeonato Gaúcho (2002, 2003, 2004 e 2005), Copa Libertadores (2006), Mundial de Clubes FIFA (2006)
  • Vittorio Piffero – 2007/10 – Campeonato Gaúcho (2008 e 2009), Recopa Sul-Americana (2007), Copa Libertadores (2010), Copa Sul-Americana (2008), Copa Suruga Bank (2009)
  • Giovanni Luigi – 2011/2013 – Campeonato Gaúcho (2011, 2012 e 2013), Recopa Sul-Americana (2011)

VICE-CAMPEONATOS

  • Fernando Carvalho – 2002/06 – Campeonato Brasileiro (2005 e 2006)
  • Vittorio Piffero – 2007/10 – Campeonato Brasileiro (2009), Copa do Brasil (2009), Recopa Sul-Americana (2009)

OBS: O ex-presidente José Asmuz, que comandou o Inter entre 1980 e 1981, foi bicampeão gaúcho e vice-campeão da Libertadores em 1980. Já Pedro Paulo Záchia não obteve títulos em sua primeira passagem no comando colorado, em 1988 e 1989. Sua gestão foi marcada pelos dois dramáticos jogos contra o Bahia (final do Brasileiro de 1988) e Olímpia (semifinal da Libertadores de 1989), além da dolorosa derrota no Gauchão de 1989 nos pênaltis para o Grêmio.

David Beckham anuncia aposentadoria: confira grandes lances do astro inglês

16 de maio de 2013 0

O meia inglês David Beckham, um dos ícones do futebol mundial nas últimas duas décadas, anunciou hoje sua aposentadoria ao final da temporada. Jogador do Paris Saint-Germain, aos 38 anos o ex-astro do Manchester United, Real Madrid, Milan, Los Angeles Galaxy termina sua participação no Campeonato Francês e vai curtir as benesses de um ex-jogador milionário, símbolo sexual e que marcou uma mudança na visão dos jogadores perante o mercado publicitário.

David Beckham, em seu último time, o PSG. E agora oficialmente aposentado - Franck Fife/AFP

Talvez o jogador mais bem pago do futebol mundial em todos os tempos ao longo de sua carreira, Beckham também foi um grande jogador. Começou sua carreira como um clássico winger inglês, pela direita. Detentor de um chute e um cruzamento fora do normal, com uma ótima velocidade, Beckham é um especialista em bolas paradas.

Depois de ser multicampeão no Manchester United, foi para o Real Madrid no projeto “Galácticos” do presidente Florentino Pérez. Em Madrid, se tornou um meio-campista central aonde se destacou pela precisão nos passes, apesar de ter tido sua faixa preferencial ocupada por outro “galáctico“, o português Luís Figo, mas só obteve conquistas nacionais, não obtendo sucesso na Liga dos Campeões.

Fora dos gramados, se tornou garoto propaganda de diversas multinacionais, desde ternos de luxo, passando por carro, refrigerantes, lâminas de barbear, etc. Sua receita com publicidade superava e muito os já espetaculares salários, e ‘Becks’ sempre foi um dos 3 jogadores com camisas mais vendidas, em quaisquer dos times que defendeu.

Fora de campo, casado com a ex-Spice Girl Victoria Adams, era figurinha carimbada nas notas sociais, grandes eventos, envolvido em diversas polêmicas de “affairs” extra-conjugais, mas nada comprovado e nunca em um escândalo digamos, mais “pesado”. Até por sua fortíssima imagem de marketing era necessário uma exibição quase sempre positiva. Não à toa, sua chegada ao futebol norte-americano aumentou consideravelmente o público e o interesse dos EUA na Major League Soccer, a Liga Norte-Americana de futebol.

Beckham virou garoto-propaganda da MLS, a Liga norte-americana - Foto: Saul-Loeb-AFP

Ficamos aqui com alguns tributos a um dos mais técnicos jogadores que eu vi atuar. Gols antológicos ou decisivos.

PRINCIPAIS TÍTULOS

Manchester United

  • Supercopa Inglesa (4)
  • Campeonato Inglês (6)
  • Copa da Inglaterra (2)
  • Liga dos Campeões (1)
  • Copa Intercontinental (1)

Real Madrid

  • Campeonato Espanhol (1)
  • Supercopa Espanhola (1)

Los Angeles Galaxy

  • Campeonato Norte-Americano (MLS Cup) (2)

Paris Saint-Germain

  • Campeonato Francês (1)

Disputa de pênaltis na história - Grêmio (com vídeos!)

13 de maio de 2013 3

A derrota para o Juventude há duas semanas encerrou uma boa sequência de vitórias consecutivas nas penalidades para o Grêmio, que já somava 2 sucessos na temporada 2013. Repetindo 2011, quando perdeu o título estadual também em uma disputa de penalidades, o Tricolor ficou alijado da competição desta maneira.

Grohe defendendo o pênalti da LDU - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Ao longo da história, foram 35 disputas de pênaltis, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (15), Copa do Brasil (4), Campeonato Brasileiro (5), Copa CONMEBOL (2), Supercopa da Libertadores (3), Copa Mercosul (1), Copa Libertadores (4) e Copa Intercontinental (1).

O Grêmio venceu em 15 oportunidades: Campeonato Gaúcho (8), Copa do Brasil (1), Campeonato Brasileiro (1), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (1)  e Copa Libertadores (3). As derrotas: Campeonato Gaúcho (7), Copa do Brasil (3), Campeonato Brasileiro (4), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (2), Copa Mercosul (1) e Copa Intercontinental (1).

VITÓRIAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

DERROTAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

ALGUMAS CURIOSIDADES

  • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
  • O Grêmio foi campeão gaúcho de 1989 na disputa de pênaltis, com cobranças decisivas defendidas pelo veteraníssimo Mazaropi. O curioso é que o Inter tinha chegado na decisão invicto, com seis vitórias em seis disputas. Perdeu no jogo mais importante.
  • Em 1993, o Grêmio eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O curioso desta disputa é que o atacante Gílson errou duas vezes: no tempo normal e na disputa de pênaltis.
  • Em 1995, contra o Ajax, e em 2011, contra o Internacional, a disputa de pênaltis gerou não só a eliminação do Grêmio como a perda do título em disputa.
  • Em 1997, Grêmio e Brasil de Pelotas protagonizaram uma série de 22 pênaltis (Mauro Galvão tinha sido expulso, e o Brasil retirou um atleta da cobrança). Na primeira repetição, o melhor batedor Luizinho errou e o Grêmio se garantiu na final.
  • A mais bizarra foi em 1997, na Libertadores contra o Guarany de Assuncíon. O Grêmio converteu as duas primeiras, assim como o time paraguaio converteu a sua 1º cobrança. Dali em diante foram sete erros consecutivos até o erro derradeiro dos visitantes e a classificação tricolor.

VEJA TAMBÉM

Loucura na Segundona Inglesa: de novo pênalti desperdiçado nos acréscimos e gol no contra-ataque!

12 de maio de 2013 0

Nos acréscimos, um time errou um pênalti em um confronto direto na luta para subir de divisão, e levou o gol fatal no contra-ataque. Sim, vocês já viram isto aqui no Almanaque Esportivo há duas semanas, na rodada final: “Terceira Divisão Inglesa tem final histórico: pênalti perdido, gol de contra-ataque!”

SÓ QUE ESTOU FALANDO DE OUTRA HISTÓRIA! Incrivelmente, repetiu-se a cena da Terceirona agora em um jogo decisivo da Segunda Divisão Inglesa, levando um time do céu ao inferno (e o outro do inferno ao céu) em menos de 20 segundos.

Nos play-0ffs de promoção da Segunda Divisão, o Watford levou 1×0 do Leicester City fora de casa e precisava vencer para continuar sonhando com o retorno à elite. Saiu na frente com Matej Vydra, mas levou o empate ainda no primeiro tempo, gol de Dave Nugent. Vydra fez 2×1 aos 20 do segundo tempo, resultado que levava o jogo para a prorrogação.

Aos 49 do 2º tempo, em um pênaltizinho “a la brasileira” de Marco Cassetti em cima de Anthony Knockaert, o Leicester teve a chance de empatar e se garantir. O próprio Knockaert, que já comemorava na frente da torcida visitante, bateu a penalidade. Muito mal, o goleiro espanhol Manuel Almunia (ex-Arsenal) pegou e também defendeu o rebote. A defesa deu um bicão pro ataque e no lance a seguir, Jonathan Hogg desviou do goleiro Kasper Schmeichel, Vydra tocou na bola e Troy Deeney pegou de voleio com força para classificar o Watford!

Invasão de campo, loucura do técnico Gianfranco Zola, ex-ídolo do futebol italiano e do Chelsea. Incrível!

Reação na SkySports:

Invasão de campo após gol incrível do Watford - Reprodução TV

Com o resultado, o Watford vai disputar o jogo mais valioso do futebol mundial: o play-off decisivo que vale mais de 100 milhões de euros para o vencedor.

Disputas de pênaltis ao longo da história - Internacional (com vídeos!)

09 de maio de 2013 4

O Internacional se sagrou campeão gaúcho no último domingo ao bater, nos pênaltis, o Juventude por 4×3, levantando o tricampeonato estadual. Repetindo 2011, quando conquistou o Gauchão na disputa de pênaltis contra o Grêmio, o título veio nas mãos de um goleiro: Muriel, que repetiu Renan e defendeu a cobrança decisiva.

Muriel pega o pênalti decisivo do tricampeonato - Foto: Ricardo Duarte/Zero Hora

Ao longo da história, foram 28 disputas, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (13), Copa do Brasil (4), Brasileirão (9 ), Copa Sul-Americana (1) e Copa Libertadores (1).

O Internacional venceu em 19 oportunidades: Campeonato Gaúcho (10), Copa do Brasil (2), Brasileirão (5) e Copa Sul-Americana (1). As derrotas: Campeonato Gaúcho (3), Copa do Brasil (2), Brasileirão (4) e Copa Libertadores (1).

VITÓRIAS COLORADAS NOS PÊNALTIS (19)


DERROTAS COLORADAS NOS PÊNALTIS


ALGUMAS CURIOSIDADES

  • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
  • O Inter se sagrou campeão nos pênaltis em 2011 no Gauchão e 2013, também no Gauchão.
  • Em compensação, perdeu o título na derrota de 1989 no Campeonato Gaúcho.
  • Nesta competição, o Colorado venceu seis disputas. Só não podia perder a que perdeu, na última rodada do hexagonal final contra o Grêmio.
  • A derrota mais significativa foi de 1989, quando o Internacional perdeu nos pênaltis a semifinal da Libertadores contra o paraguaio Olímpia, depois de já perder no tempo normal por 3×2, com direito a pênalti desperdiçado pelo artilheiro colorado Nílson com o marcador em 2×2.

VEJA TAMBÉM