Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Copa 2014"

Geral do Grêmio: Assentos retráteis utilizados na Alemanha podem resolver impasse na Arena

20 de março de 2013 15

Os assentos retráteis, uma solução utilizada em Dusseldorf, na Alemanha, pode resolver o complicado problema envolvendo o Grêmio, a OAS, o Ministério Público RS e o Corpo de Bombeiros. A exigência de cadeiras por parte dos Bombeiros vai de contra o interesse dos administradores da Arena do Grêmio, que querem manter espaços populares e, principalmente, contra a identidade da Geral do Grêmio, um clamor popular pela permanência de locais em pé naquele setor.

Irritado com a falta de diálogo entre as partes envolvidas, pesquisei na internet e achei esta solução, que não foi implementada há muito tempo na Europa, é bem recente. A Espirit Arena em Dusseldorf, casa do Fortuna, tem 51 mil lugares e foi construída para a Copa do Mundo de 2006 e já está utilizando a solução tanto na área “popular” quanto na torcida visitante. Isto porque o assento retraído seria útil para evitar a depredação da torcida visitante, não ficando exposto.

Produzidos em metal, o assento retrátil, chamado de VARIO SEAT, ‘se esconde’ no degrau da arquibancada. Mais importante: atende os padrões da FIFA e UEFA, que exige locais sentados. Ou seja: ele atende o princípio básico do ‘safe-standing’ (torcer em segurança),introduzido no futebol europeu através do Relatório Taylor, na Inglaterra no início dos anos 90 pelo Lorde Taylor of Gosforth. Por exemplo, se isto já estivesse sendo utilizado em um jogo da Libertadores do Grêmio em uma quinta-feira, em poucas horas se tornaria padrão da FIFA para o amistoso da Seleção Brasileira contra a França, que irá ocorrer em junho.

Assento retrátil: ninguém consegue ver que ele existe - http://www.varioseat.com.br/

Aberta a cadeira, atende os padrões da FIFA

O assento retrátil também poderia ser utilizado em outro clamor do RS: na área da Popular do Inter. Prevista em sua totalidade por cadeiras para a Copa do Mundo de 2014, ontem mesmo o presidente Giovanni Luigi falou em buscar alternativas, com preços mais populares, para a torcida Colorada depois do Mundial.

EXCLUSIVO - Obras do novo estádio do Cruzeiro em Cachoeirinha seguem lentas

18 de outubro de 2012 9

Em 2013, aonde irá jogar o Internacional? Com o avanço das obras no Beira-Rio, a informação não-confirmada do provável fechamento do estádio, ficou ainda mais evidente após a visita do Secretário-Geral da FIFA, Jerôme Valcke, em Porto Alegre nesta quarta-feira. O número 2 da FIFA solicitou o fechamento do estádio para acelerar o cronograma das obras.

Por morar bem próximo ao local, sempre me causou profunda estranheza a informação de que o futuro estádio do Cruzeiro em Cachoeirinha, localizado no Bairro Granja Esperança, estaria a disposição para o Internacional no ano de 2013 no Campeonato Gaúcho.

As obras ficaram praticamente paradas  durante todo o ano de 2012. Apenas um pouco de material de construção e parte da terraplanagem no meio do ano.  O status da construção sofreu um avanço nas semanas finais de setembro, com 30 pilares construídos ao invés dos 8 iniciais. Mas, vejam o vídeo e percebam que a estrutura está muito longe da utilização:

As previsões mais otimistas são que a construção termine em abril de 2013. Acho uma data bem mais razoável, mas o número de funcionários envolvidos nas obras tem que aumentar consideravelmente.

A impressão clara é de que faltam verbas para o fim da construção. Esta informação é corroborada pelo fato do Inter ter sido procurado pelo Cruzeiro para discutir uma futura utilização do espaço.

Sendo assim, reitero a pergunta inicial: aonde o Internacional irá sediar os jogos do Gauchão 2013 e início da Copa do Brasil?

ONG "Meu Rio" aponta problemas na obra do Metrô para 2014 e 2016

08 de março de 2012 1

A ONG “Meu Rio” está solicitando o apoio da sociedade pedindo assinaturas contra o prolongamento imediato das obras no Metrô do Rio de Janeiro. As iniciativas, consideradas essenciais para o desenvolvimento da capital fluminense para a Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016, estão sofrendo pressão do Ministério Público Estadual do Rio.

Esta entidade, que desde o ano passado está lutando pela transparência em todas as obras envolvendo estes dois eventos de grande expressão e importância para o Rio de Janeiro. Mais detalhes no site oficial do movimento: http://meurio.org.br/paginas/sobre_nos

O Meu Rio divulgou o seguinte comunicado sobre as obras no metrô:

PRÓXIMA ESTAÇÃO: VOCÊ ESCOLHE!

O metrô é uma obra da maior importância para a cidade, extremamente cara e demorada, e por isso não pode ser feita sem que se tenha certeza de que o traçado escolhido é o melhor para o Rio. Apesar disso, o Governo do Estado está usando a desculpa das Olimpíadas para justificar uma obra sem licitação, duramente criticada por instituições que vão desde associações de moradores até o Ministério Público Estadual.
Felizmente, ainda é possível parar essa obra e pedir que outras duas opções de traçado sejam estudadas e apresentadas ao cidadão. A Comissão Estadual de Controle Ambiental (CECA) ainda não deu a licença ambiental ao projeto e o Ministério Público Estadual já pediu que a licença não seja concedida. O presidente da CECA, Antonio Carlos Gusmão, ainda não decidiu o que fazer, e vai receber sugestões da sociedade até essa quinta-feira, dia 08 de março.

Se fizermos pressão agora, podemos convencer Antonio Carlos Gusmão a acatar o pedido do Ministério Público e impedir que mais dinheiro seja gasto em obras do Metrô até que a gente tenha certeza de que o traçado escolhido é o melhor para o Rio. Afinal, depois que a obra começar não vai ter mais volta: esse vai ser o Metrô que os cariocas vão ter que usar, por gerações.

A linha 1 do Metrô foi concedida em 1998 ao grupo Opportrans, composto por uma série de empresas dentre as quais o banco Opportunity, cujo dono, Daniel Dantas, foi condenado por fraude. Em 2007, o Governador do Estado Sérgio Cabral aprovou uma modificação no contrato entre o governo e a Opportrans, dando à concessionária o direito de estender a linha 1 sem licitação. De um dia por outro, a concessão passou a valer uma grana ainda mais preta. Um ano depois, ela foi vendida à Invepar, que controla o metrô até hoje.

O projeto que o Governo e a concessionária estão chamando de linha 4 na verdade é uma extensão da linha 1 até a Barra, começando em Ipanema e passando pelo Leblon e São Conrado. A linha 4 original passaria pelo Morro de São João, Humaitá, Jardim Botânico e Gávea, antes de seguir para a Barra, e, segundo o Ministério Público, beneficiaria mais gente. A grande diferença entre os dois projetos é que, por causa dessa modificação do contrato aprovada pelo governador em 2007, a extensão pode ser feita sem licitação pela mesma empresa que já controla nosso metrô.

O Secretário Estadual de Transportes, Julio Lopes, disse ao Meu Rio que a opção pela extensão da linha 1 é motivada por uma preocupação em atender mais gente e dar mais benefícios à cidade e à população. Mas se o Governo não está estudando nenhuma outra alternativa, incluindo a da linha 4 original, já licitada, fica parecendo que não é a sociedade quem vai lucrar com esse novo traçado.

Felizmente, o Ministério Público Estadual está do nosso lado e já se manifestou, entregando à CECA um parecer técnico contrário aos estudos apresentados, afirmando que a opção apresentada pelo Governo não é a mais segura, nem a mais barata e muito menos a que atende melhor à população.

Agora a bola está com a gente e temos só até quinta-feira para pressionar o presidente da CECA a impedir a concessão de licença ambiental para a extensão da linha 1 do Metrô. Apenas dessa forma poderemos garantir que outras duas opções de traçado do Metrô sejam estudadas e apresentadas à população:

Fontes:

- Estudo Técnico do Ministério Público criticando o Estudo de Impacto Ambiental: http://bit.ly/meumetro-doc1

- Aditivo ao contrato de concessão assinado por Sergio Cabral em 2007: http://bit.ly/meumetro-doc3

- Mais informações sobre a primeira prisão de Daniel Dantas: http://bit.ly/meumetro-doc4

- Declaração de Antonio Carlos Gusmão dizendo que vai receber sugestões da sociedade até dia 08 de Março: http://bit.ly/meumetro-doc2

Parceiros de campanha:

ANIMA LEBLON – Associação de Moradores do Leblon