Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Futebol Sul-Americano"

Primeiro título do Grêmio na Libertadores completa 30 anos - Veja detalhes desta história

28 de julho de 2013 1

Neste 28 de julho, o Grêmio comemora 30 anos de sua primeira grande conquista internacional: o título da Copa Libertadores de 1983, vencendo o campeão mundial Peñarol na decisão no estádio Olímpico por 2×1. O Almanque Esportivo, há exatos 5 anos, fez um post especial sobre esta conquista. Como não poderíamos deixar de lembrar, faço o convite para rever esta história contada há tanto tempo e que teve o atual presidente do Grêmio, Fábio Koff, como grande líder daquela jornada. Divirtam-se:

Há 25 anos: Grêmio conquista a América!

28 de julho de 2008

No dia 28 de julho de 1983, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense conquistou a sua maior conquista até então.

Em uma gélida noite de inverno em Porto Alegre, o Tricolor Gaúcho bateu o então campeão mundial Peñarol por 2×1 e se sagrou campeão da Libertadores de 1983. Detalhes sobre toda a campanha foram publicados aqui no ClicRBS no Especial: Libertadores 1983, a conquista da América. Então vou enfocar outros pontos daquela campanha que achei interessante.


VEJA TAMBÉM:

  • Há 15 anos: Grêmio conquistava o bicampeonato da América! Parte I
  • Há 15 anos: Grêmio conquistava o bicampeonato da América! Final
  • Ronaldinho e mais seis: confira lista de campeões da Copa Libertadores e também da Liga dos Campeões da Europa!

    25 de julho de 2013 0

    Ronaldinho entrou para a história do futebol mundial nesta semana. Ele se tornou o sétimo jogador da história do futebol a ter conquistado títulos continentais em dois continentes: Europa e América do Sul. O título desta temporada da Copa Libertadores pelo Atlético Mineiro se aliou à conquista da Liga dos Campeões em 2006 pelo Barcelona.

    Outros três brasileiros também conquistaram esta glória incomum: Roque Júnior, Cafú e Dida. O zagueiro e volante Roque Júnior foi campeão sul-americano pelo Palmeiras em 1999 e pelo Milan em 2003. Já Cafú em 1991 e 1992 pelo São Paulo, 2007 pelo Milan impressionantes 16 anos depois de sua primeira conquista. Finalmente Dida, campeão sul-americano pelo Cruzeiro em 1997 e pelo Milan em 2003 e 2007.

    Além destes, outros três argentinos conquistaram esta glória: Juan Pablo Sorín, Carlos Tévez e Walter Samuel. O caso curioso é o de Sorín: foi campeão da Libertadores em 1996 pelo River Plate, curiosamente após jogar pela Juventus na Liga dos Campeões daquele mesmo ano. Na real, Sorín estava presente nas duas finais, mas seu nome está registrado.

    Tévez é mais simples: campeão no Boca Juniors em 2003, e no Manchester United em 2008. Finalizando, Walter Samuel foi campeão no Boca Juniors em 2000 e na Internazionale em 2010.

    Dois casos ficaram “sob júdice”, mas o Comitê Executivo deste blog (leia-se: eu) vetou a inscrição: Edmílson (que teria vencido a Libertadores em 1993 pelo São Paulo e depois em 2006 pelo Barcelona), e Santiago Solari (em 1996 pelo River Plate e em 2002 pelo Real Madrid). O brasileiro não jogou e não estava inscrito naquela Libertadores, o mesmo ocorrendo com Solari no título argentino. Por isto ficaram de fora da listagem.

    A dica deste post é do amigo Ricardo Gullo(@gullofilho)

    Gols históricos na voz de narradores locais: Argentina'86, Holanda'98, Honduras...

    19 de junho de 2013 0

    Como uma rádio argentina narrou o gol mítico de Maradona em 1986 contra a Inglaterra? E como os hondurenhos comemoraram a classificação para o Mundial 2010? Ou ainda o antológico gol de Dennis Bergkamp em 1998 contra a Argentina? Ontem fiz o post sobre a Roma 2001 com a narração local dos gols do título e resolvi ampliar o leque. A dica original veio do Gustavo Pedroso (@ghpedroso).

    ARGENTINA 2×1 INGLATERRA – QUARTAS-DE-FINAL COPA DO MUNDO DE 1986, MÉXICO

    O gol mais belo da história das Copas foi marcado por um dos maiores gênios que este mundo já viu. Diego Armando Maradona decidiu o jogo contra a Inglaterra. Estava 1×0, gol de mão do mesmo Maradona, quando o gol ocorreu. Victor Hugo Morales (aliás, URUGUAIO radicado na Argentina, valeu Vitor Vecchi), narrou desta maneira para uma rádio argentina. Não tenho mais o que dizer, só apreciar… Confiram:

    HOLANDA 2X1 ARGENTINA – QUARTAS-DE-FINAL COPA DO MUNDO DE 1998, FRANÇA

    Bergkamp comemorando golaço - Reprodução http://revistafutebolista.blogspot.com.br/

    Em um dos melhores jogos daquele Mundial, a Holanda matou a Argentina nos minutos finais com um gol supremo do genial atacante Dennis Bergkamp. O jogo estava 1×1 quando o astro recebeu um lançamento genial de Frank de Boer, driblou Roberto Ayala e fez o gol. Narração de Jack van Gelder, de uma rádio holandesa:


    ESTADOS UNIDOS 2X2 COSTA RICA – ELIMINATÓRIAS DA CONCACAF PARA A COPA DO MUNDO DE 2010

    Este é uma das histórias mais singulares. Falei de Honduras, que voltou ao Mundial depois de 28 anos graças a um gol dos Estados Unidos nos acréscimos contra a Costa Rica. Os EUA perdia por 2×0 e arrancou o empate, deixando os costarriquenhos na repescagem (aonde, aliás, foram eliminados). A narração da rádio hondurenha é contagiante:

    "Fantasma da Série B" invade jogo do Racing e provoca arquirrival Independiente

    09 de junho de 2013 0

    Esta história estou roubando descaradamente do legendário blog Impedimento, que aliás completou oito anos neste sábado (parabéns Douglas Ceconello & equipe!). No jogo Racing 2×0 Boca Juniors, um inusitado invasor paralisou a partida no segundo tempo, antes da cobrança de pênalti em favor do Racing (aliás batida e CONVERTIDA pelo goleiro Sebastian Saja, ex-Grêmio): UM ESPECTRO.

    Nada menos que o “FANTASMA DE LA B“, um torcedor travestido de fantasma, com os dizeres “fantasma de la B” (“fantasma da Série B”) provocando o arquirrrival de Avellaneda, o Independiente, virtualmente rebaixado no Campeonato Argentino. E a polícia não conseguiu pegar o gaiato! haha

    Esta iniciativa é claramente consequência de um vídeo que bombou nas redes sociais da Argentina na semana passada. Torcedores do Racing provocando o rival com a mesma indumentária, perguntando “Aonde é o campo do Independiente?”

    Ah, e o Independiente? Levou 2×1 do River Plate no Monumental de Nuñez e está fadado a disputar a Segunda Divisão no próximo Apertura:

    OBS: o sempre atento leitor Rodrigo Nunes mandou um vídeo dizendo que isto já ocorreu também em Rosário, quando a torcida do Newell’s Old Boys zoou o Rosario Central pelo rebaixamento:

    Disputa de pênaltis na história - Grêmio (com vídeos!)

    13 de maio de 2013 3

    A derrota para o Juventude há duas semanas encerrou uma boa sequência de vitórias consecutivas nas penalidades para o Grêmio, que já somava 2 sucessos na temporada 2013. Repetindo 2011, quando perdeu o título estadual também em uma disputa de penalidades, o Tricolor ficou alijado da competição desta maneira.

    Grohe defendendo o pênalti da LDU - Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

    Ao longo da história, foram 35 disputas de pênaltis, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (15), Copa do Brasil (4), Campeonato Brasileiro (5), Copa CONMEBOL (2), Supercopa da Libertadores (3), Copa Mercosul (1), Copa Libertadores (4) e Copa Intercontinental (1).

    O Grêmio venceu em 15 oportunidades: Campeonato Gaúcho (8), Copa do Brasil (1), Campeonato Brasileiro (1), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (1)  e Copa Libertadores (3). As derrotas: Campeonato Gaúcho (7), Copa do Brasil (3), Campeonato Brasileiro (4), Copa CONMEBOL (1), Supercopa da Libertadores (2), Copa Mercosul (1) e Copa Intercontinental (1).

    VITÓRIAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

    DERROTAS GREMISTAS NOS PÊNALTIS

    ALGUMAS CURIOSIDADES

    • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
    • O Grêmio foi campeão gaúcho de 1989 na disputa de pênaltis, com cobranças decisivas defendidas pelo veteraníssimo Mazaropi. O curioso é que o Inter tinha chegado na decisão invicto, com seis vitórias em seis disputas. Perdeu no jogo mais importante.
    • Em 1993, o Grêmio eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final da Copa do Brasil. O curioso desta disputa é que o atacante Gílson errou duas vezes: no tempo normal e na disputa de pênaltis.
    • Em 1995, contra o Ajax, e em 2011, contra o Internacional, a disputa de pênaltis gerou não só a eliminação do Grêmio como a perda do título em disputa.
    • Em 1997, Grêmio e Brasil de Pelotas protagonizaram uma série de 22 pênaltis (Mauro Galvão tinha sido expulso, e o Brasil retirou um atleta da cobrança). Na primeira repetição, o melhor batedor Luizinho errou e o Grêmio se garantiu na final.
    • A mais bizarra foi em 1997, na Libertadores contra o Guarany de Assuncíon. O Grêmio converteu as duas primeiras, assim como o time paraguaio converteu a sua 1º cobrança. Dali em diante foram sete erros consecutivos até o erro derradeiro dos visitantes e a classificação tricolor.

    VEJA TAMBÉM

    Disputas de pênaltis ao longo da história - Internacional (com vídeos!)

    09 de maio de 2013 4

    O Internacional se sagrou campeão gaúcho no último domingo ao bater, nos pênaltis, o Juventude por 4×3, levantando o tricampeonato estadual. Repetindo 2011, quando conquistou o Gauchão na disputa de pênaltis contra o Grêmio, o título veio nas mãos de um goleiro: Muriel, que repetiu Renan e defendeu a cobrança decisiva.

    Muriel pega o pênalti decisivo do tricampeonato - Foto: Ricardo Duarte/Zero Hora

    Ao longo da história, foram 28 disputas, contabilizando-se apenas jogos oficiais e divididos assim: Campeonato Gaúcho (13), Copa do Brasil (4), Brasileirão (9 ), Copa Sul-Americana (1) e Copa Libertadores (1).

    O Internacional venceu em 19 oportunidades: Campeonato Gaúcho (10), Copa do Brasil (2), Brasileirão (5) e Copa Sul-Americana (1). As derrotas: Campeonato Gaúcho (3), Copa do Brasil (2), Brasileirão (4) e Copa Libertadores (1).

    VITÓRIAS COLORADAS NOS PÊNALTIS (19)


    DERROTAS COLORADAS NOS PÊNALTIS


    ALGUMAS CURIOSIDADES

    • No Brasileiro de 1988 e no Gauchão de 1989, jogos terminados em empate eram decididos em disputas de pênaltis. Por isto tantas repetições nestas duas competições.
    • O Inter se sagrou campeão nos pênaltis em 2011 no Gauchão e 2013, também no Gauchão.
    • Em compensação, perdeu o título na derrota de 1989 no Campeonato Gaúcho.
    • Nesta competição, o Colorado venceu seis disputas. Só não podia perder a que perdeu, na última rodada do hexagonal final contra o Grêmio.
    • A derrota mais significativa foi de 1989, quando o Internacional perdeu nos pênaltis a semifinal da Libertadores contra o paraguaio Olímpia, depois de já perder no tempo normal por 3×2, com direito a pênalti desperdiçado pelo artilheiro colorado Nílson com o marcador em 2×2.

    VEJA TAMBÉM

    DIA DO GOLEIRO: Parabéns para meus ídolos Taffarel, Schmeichel e Van der Sar

    26 de abril de 2013 6

    Hoje, 26 de abril é o “Dia do Goleiro” aqui no futebol brasileiro. A data foi escolhida para comemorar o aniversário do histórico goleiro Manga, nascido em 26 de abril de 1937. E o Almanaque Esportivo fará uma homenagem aos seus três ídolos de infância: Taffarel, o dinamarquês Peter Schmeichel e o holandês Edwin van der Sar.

    Dia do Goleiro em homenagem à "Manguita Fenômeno" - Foto: Genaro Joner / Agencia RBS

    • TAFFAREL – BRASIL – INTERNACIONAL, PARMA, REGGIANA, ATLÉTICO-MG, GALATASARAY

    Difícil falar sobre o jogador mais importante em minha vida como torcedor de futebol. Taffarel é especial para mim. Um goleiro que nunca foi muito alto, mas sempre se posicionou de maneira espetacular, com uma inteligência e firmeza indiscutível.

    Depois de se tornar o primeiro goleiro brasileiro com status de estrela no futebol mundial, virou ídolo em quase todos os times que passou. Na Seleção Brasileira é uma lenda. Então, fica minha homenagem com dois vídeos, cenas raras de defesas pouco lembradas:

    E as mais clássicas:

    • PETER SCHMEICHEL – DINAMARCA – GLADSAXE-HERO, HVIDOVRE – MANCHESTER UNITED – SPORTING LISBOA – ASTON VILLA – MANCHESTER CITY

    Peter Schmeichel me chamou a atenção no inverno de 1992. Com atuações assombrosas pela Dinamarca, me fez procurar saber que time ele atuava e mais detalhes sobre o atleta. Dali iniciou-se uma relação de 20 anos com o Manchester United, mas hoje o assunto é Schmeichel. Gigantesco, o dinamarquês era um líder dentro e fora de campo, mas sua suprema técnica e a explosão muscular eram imbatíveis. Com uma firmeza impressionante, se tornou um dos maiores goleiros da história do futebol mundial. Vejam grandes momentos de Peter, The Dane.

    EDWIN VAN DER SAR – AJAX – JUVENTUS – FULHAM – MANCHESTER UNITED

    O goleiro Edwin van der Sar é um misto das duas lendas anteriores. Gigante como Schmeichel, ágil como Taffarel. Um goleiro que aos 40 anos estava em plena forma, com atuações espetaculares por um dos maiores times do mundo. Ícone do Ajax, se tornou quase ao final de carreira um dos mais brilhantes jogadores recentes do Manchester United.

    Grandes defesas de Van der Sar até chegar ao Manchester United:

    E sua fase gloriosa em Old Trafford:

    Brasileiros na Libertadores - Confiram os principais recordes

    14 de março de 2013 1

    Não tem sido lá grandiosa a participação brasileira até o momento na Copa Libertadores 2013. O único invicto é o Atlético-MG, e times como São Paulo e Palmeiras fazem campanhas tenebrosas. Porém historicamente os números são bem melhores.

    Selecionei os nove brasileiros campeões da Libertadores (pela ordem de títulos: Santos, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, São Paulo, Vasco, Palmeiras, Internacional e Corinthians) e tirei alguns números interessantes. Vamos à eles (dados atualizados até o início da Libertadores 2013, exclusive)?

    O São Paulo, tricampeão e tri-vice campeão, é o recordista em jogos e vitórias, mas cabe ao Palmeiras o maior número de gols pelos brasileiros. O melhor aproveitamento é do Cruzeiro, e o pior é do Vasco da Gama. Campeão invicto, o Corinthians tem a maior sequência sem derrotas: 16 partidas, na última edição. Já o Vasco tem o recorde negativo: 10 jogos sem vencer nas edições de 1985 e 1990, consecutivamente.

    Os dados completos estão nesta planilha do Excel, compartilhada no Google Drive

    • Maior número de títulos: São Paulo e Santos, 3 títulos cada
    • Maior número de participações entre os campeões: São Paulo, 15 disputas
    • Menor número de participações entre os campeões: Vasco da Gama, 8 disputas
    • Maior número de jogos: São Paulo, 149 jogos
    • Maior número de vitórias: São Paulo, 77 vitórias
    • Maior número de gols: Palmeiras, 255 gols
    • Melhor aproveitamento entre os brasileiros campeões: Cruzeiro, 65%
    • Pior aproveitamento entre os brasileiros campeões: Vasco da Gama, 51%
    • Maior goleada: Santos 9×1 Cerro Porteño, 1962
    • Pior derrota: Santos 0×5 Flamengo, 1984 e Grêmio 5×0 Palmeiras, 1995

    Fiz um levantamento também envolvendo os confrontos nacionais: ou seja contra que países cada time brasileiro campeão da Libertadores já atuou na história. Entraram as 10 Federações da CONMEBOL mais o México, que participa desde 1998.

    O Inter jamais enfrentou times chilenos, enquanto o Corinthians nunca jogou contra peruanos. Já o Vasco da Gama não enfrentou times bolivianos. O Grêmio é o único a perder para todos os países. O Inter só se escapa pois nunca perdeu para bolivianos.

    Confrontos dos brasileiros campeões versus adversários por países - Arquivo Pessoal

    Enquanto a CONMEBOL dá vexame, um belo exemplo de esportividade na Europa

    07 de março de 2013 8

    Enquanto a CONMEBOL hoje divulgou a lamentável decisão da retirada da punição ao Corinthians pelos incidentes que causaram a morte do boliviano Kevin Espada, de apenas 14 anos no jogo contra o São José em Oruro, um momento marcante de civilidade ocorreu ontem no jogo Juventus 2×0 Celtic Glasgow, pela Liga dos Campeões da Europa.

    Dois torcedores, um italiano e o outro escocês, trocaram cachecóis pelo vidro de separação das torcidas. Vejam a bonita cena, ocorrida ontem em Turim:

    Ninguém aqui está dizendo que os europeus são santos (apesar do histórico de excepcional comportamento dos escoceses em todas as competições).  Ao longo da história, as maiores violências em estádios de futebol e fora deles envolvendo este esporte ocorreram no continente europeu, fora os atos de fascismo, xenofobia e racismo.

    Mas há esperança.

    Para a CONMEBOL, a morte do garoto Kevin custou 210 mil dólares, 200 mil de multa ao Corinthians e 10 mil ao San José.  Inúteis, descompromissadas e desesperadas por valores financeiros, CBF e FIFA nada fazem para mudar esta triste realidade. Se vê algo diferente na UEFA, mas ainda é muito pouco.

    Porém… Imagens como estas lembram que o futebol, afinal, não está perdido.

    E que a humanidade ainda tem uma chance…

    VEJA TAMBÉM

    Golaço de Forlán em Caxias lembra gols nas Copas de 2002 e 2010

    04 de março de 2013 1

    O golaço de canhota do uruguaio Diego Forlán, na vitória de 2×0 do Internacional sobre o Esportivo, me fez lembrar gols magistrais do atacante em Copas do Mundo. Ambidestro, Forlán sempre marcou muitos gols de fora da área, mas ainda não havia concluído assim no Internacional. Até este domingo, quando marcou duas vezes desta maneira.

    Diego Forlán comemora o primeiro dos dois golaços contra o Esportivo - Foto: Mauro Vieira, RBS

    O primeiro gol que me veio a mente foi no empate de 3×3 do Senegal com o Uruguai, Copa de 2002. Forlán marcou o primeiro na “remontada” da Celeste, insuficiente para a classificação mas mostrando um talento inegável:

    Já em 2010 o gol foi tão bonito quanto. Na semifinal contra a Holanda, Forlán empatou o jogo com este chutaço, em jogo que os sul-americanos perderiam por 3×2: